Guia de operações do SAP HANA

Este guia fornece instruções para operar sistemas SAP HANA implantados no Google Cloud seguindo o guia de implantação. Este guia não se destina a substituir a documentação padrão da SAP.

Como administrar um sistema SAP HANA no Google Cloud

Esta seção mostra como executar tarefas administrativas normalmente necessárias para operar um sistema SAP HANA, incluindo informações sobre como iniciar, interromper e clonar sistemas.

Como iniciar e interromper instâncias

É possível interromper um ou vários hosts do SAP HANA a qualquer momento. Parar uma instância a encerra. Se o encerramento não for concluído em dois minutos, ocorrerá a interrupção forçada da instância. Como prática recomendada, primeiro interrompa a execução do SAP HANA na instância antes de interrompê-la.

Como interromper uma VM

Interromper uma instância de máquina virtual (VM) faz com que o Compute Engine envie o sinal de desligamento da ACPI para a instância. Você não é cobrado pela instância do Compute Engine depois que ela é interrompida. Se você tiver discos permanentes anexados à instância, eles não serão excluídos, e você será cobrado por eles.

Se os dados no disco permanente forem importantes, será possível mantê-lo ou criar um snapshot do disco permanente e excluí-lo para economizar nos custos. Você ainda poderá criar outro disco, a partir do snapshot, quando precisar dos dados novamente.

Para interromper uma instância:

  1. No Console do Google Cloud, acesse a página Instâncias de VM.

    Acessar a página Instâncias de VMs

  2. Selecione uma ou mais instâncias que você quer interromper.

  3. Na parte superior da página Instâncias de VM, clique em INTERROMPER.

Para mais informações, consulte Como interromper uma instância.

Como reiniciar uma VM

  1. No Console do Cloud, acesse a página Instâncias de VM.

    Acessar a página Instâncias de VMs

  2. Selecione as instâncias que você quer reiniciar.

  3. No canto superior direito da página, clique em INICIAR para reiniciar as instâncias.

Para mais informações, consulte Como reiniciar uma instância.

Como modificar uma VM

É possível alterar vários atributos de uma VM, incluindo o tipo de VM, depois que ela é implantada. Algumas mudanças podem exigir que você restaure backups do seu sistema SAP, enquanto outras exigem apenas a reinicialização da VM.

Para mais informações, consulte Como modificar configurações de VM para sistemas SAP.

Como criar um snapshot do SAP HANA

Para gerar um backup pontual do disco permanente, crie um snapshot. O Compute Engine armazena várias cópias de cada snapshot em vários locais com somas de verificação automáticas para garantir a integridade dos dados.

Para criar um snapshot, siga estas instruções do Compute Engine. Preste muita atenção às etapas de preparação antes de criar um snapshot consistente, como esvaziar os buffers de disco para o disco, para garantir que o snapshot seja consistente.

Os snapshot são úteis para os seguintes casos de uso:

Caso de uso Detalhes
Fornecer uma solução de backup de dados fácil, independente de software e econômica. Fazer backup dos seus dados, registros, backup e discos compartilhados com snapshots. Programar um backup diário desses discos para backups pontuais de todo o conjunto de dados. Após o primeiro snapshot, apenas as alterações incrementais de bloco são armazenadas em snapshots subsequentes. Isso ajuda a economizar custos.
Migrar para um tipo de armazenamento diferente. Os discos permanentes têm dois tipos de armazenamento diferentes, padrão (magnético) e SSD, que têm características de custo e desempenho distintas. Por exemplo, use o padrão para o volume de backup e o SSD para o volume de registros e dados, já que eles exigem desempenho superior. Para migrar entre tipos de armazenamento, use o snapshot do volume, crie um novo volume usando o snapshot e selecione um tipo de armazenamento diferente.
Migrar o SAP HANA para outra região ou zona. Usar snapshots para mover o sistema SAP HANA de uma zona para outra na mesma ou até para outra região. Os snapshots podem ser usados globalmente no Google Cloud para criar discos em outra zona ou região. Para mover para outra região ou zona, crie um snapshot dos discos, incluindo o disco raiz, e crie as máquinas virtuais na zona ou região desejada com discos criados a partir desses snapshots.

Como clonar seu sistema SAP HANA

É possível criar snapshots de um sistema SAP HANA atual no Google Cloud para criar um clone exato do sistema.

Para clonar um sistema SAP HANA de host único, siga estas etapas:

  1. Crie um snapshot dos seus dados e discos de backup.

  2. Crie novos discos usando os snapshots.

  3. No Console do Google Cloud, acesse a página Instâncias de VM.

    Acessar a página Instâncias de VMs

  4. Clique na instância a ser clonada para abrir a página de detalhes da instância e clique em Clonar.

  5. Anexe os discos que foram criados a partir dos snapshots.

Para clonar um sistema SAP HANA de vários hosts, siga estas etapas:

  1. Provisione um novo sistema SAP HANA com a mesma configuração do sistema SAP HANA que você quer clonar.

  2. Execute um backup de dados do sistema original.

  3. Restaure o backup do sistema original para o novo sistema.

Como instalar e atualizar o SDK do Cloud

Depois que uma VM é implantada no SAP HANA e o sistema operacional é instalado, um SDK do Cloud atualizado é necessário para várias finalidades, como a transferência de arquivos de e para o Cloud Storage, interação com serviços de rede e assim por diante.

Se você seguir as instruções no Guia de implantação do SAP HANA, o SDK do Cloud será instalado automaticamente.

No entanto, se você levar seu próprio sistema operacional para o Google Cloud como uma imagem personalizada ou estiver usando uma imagem pública mais antiga fornecida pelo Google Cloud, talvez seja necessário instalar ou atualizar o SDK do Cloud.

Para verificar se o SDK do Cloud está instalado e se há atualizações disponíveis, abra um terminal ou prompt de comando e digite:

 gcloud version

Se o comando não for reconhecido, o SDK do Cloud não está instalado.

Para instalar o SDK do Cloud, siga as instruções nos guias de início rápido do SDK do Cloud.

Para substituir a versão 140 ou anterior do SDK do Cloud integrado ao SLES, siga estas etapas:

  1. Faça login na VM usando ssh.

  2. Mude para o superusuário:

     sudo su
    
  3. Digite os seguintes comandos:

     bash <(curl -s https://dl.google.com/dl/cloudsdk/channels/rapid/install_google_cloud_sdk.bash) --disable-prompts --install-dir=/usr/local
     update-alternatives --install /usr/bin/gsutil gsutil /usr/local/google-cloud-sdk/bin/gsutil 1 --force
     update-alternatives --install /usr/bin/gcloud gcloud /usr/local/google-cloud-sdk/bin/gcloud 1 --force
     gcloud --quiet compute instances list
    

Como configurar seu canal de suporte SAP com o SAProuter

Se você precisar permitir que um engenheiro de suporte da SAP acesse seus sistemas SAP HANA no Google Cloud, faça isso usando o SAProuter. Siga estas etapas:

  1. Inicie a instância de VM do Compute Engine em que o software SAProuter será instalado e atribua um endereço IP externo para que a instância tenha acesso à Internet.

  2. Crie um novo endereço IP externo estático e atribua esse endereço IP à instância.

  3. Crie e configure uma regra de firewall específica do SAProuter na sua rede. Nesta regra, permita apenas o acesso de entrada e saída necessário à rede de suporte da SAP, para a instância do SAProuter.

    Limite o acesso de entrada e saída a um endereço IP específico que a SAP fornece para se conectar, além da porta TCP 3299. Adicione uma tag de destino à regra de firewall e insira o nome da instância. Isso garante que a regra de firewall se aplique apenas à nova instância. Consulte a documentação de regras de firewall para mais detalhes sobre como criar e configurar regras de firewall.

  4. Instale o software SAProuter seguindo a Nota SAP 1628296 e crie um arquivo saprouttab que permita o acesso do SAP aos sistemas SAP HANA no Google Cloud.

  5. Configure a conexão com a SAP. Para sua conexão com a Internet, use a comunicação de rede segura. Para mais informações, consulte Suporte remoto do SAP - Ajuda.

Como configurar sua rede

Você está provisionando seu sistema SAP HANA usando VMs com a rede virtual do Google Cloud. O Google Cloud usa tecnologias de ponta, redes definidas por software e sistemas distribuídos para hospedar e fornecer seus serviços em todo o mundo.

Para o SAP HANA, crie uma rede de sub-rede não padrão com intervalos de endereços IP CIDR não sobrepostos para cada sub-rede na rede. Observe que cada sub-rede e os respectivos intervalos de endereços IP internos são mapeados para uma única região.

Uma sub-rede abrange todas as zonas na região em que é criada. No entanto, ao criar uma instância de VM, você especifica uma zona e uma sub-rede para a VM. Por exemplo, é possível criar um conjunto de instâncias em subnetwork1 e em zone1 de region1 e outro conjunto de instâncias em subnetwork2 e em zone2 de region1, dependendo suas necessidades.

Uma nova rede não tem regras de firewall e, portanto, não tem acesso à rede. Crie regras de firewall que abram o acesso às instâncias do SAP HANA com base em um modelo de privilégio mínimo. As regras de firewall se aplicam a toda a rede e também podem ser configuradas para serem aplicadas a instâncias de destino específicas usando o mecanismo de inclusão de tag.

As rotas são recursos globais, não regionais, que estão anexados a uma única rede. As rotas criadas pelo usuário se aplicam a todas as instâncias de uma rede. Isso significa que é possível adicionar uma rota que encaminhe o tráfego de uma instância para outra dentro da mesma rede e até mesmo entre sub-redes, sem precisar de endereços IP externos.

Para sua instância do SAP HANA, inicie a instância sem endereço IP externo e configure outra VM como um gateway NAT para acesso externo. Essa configuração exige que você adicione o gateway NAT como uma rota para a instância do SAP HANA. Este procedimento é descrito no guia de implantação.

Segurança

As seções a seguir discutem as operações de segurança.

Modelo de privilégio mínimo

Sua primeira linha de defesa é restringir quem pode alcançar a instância usando firewalls. Ao criar regras de firewall, é possível restringir todo o tráfego a uma rede ou máquinas de destino em um determinado conjunto de portas para endereços IP de origem específicos. Siga o modelo de privilégio mínimo para restringir o acesso a portas, protocolos e endereços IP específicos que precisam de acesso. Por exemplo, você sempre deve configurar um Bastion Host e permitir o SSH no sistema SAP HANA somente desse host.

Alterações de configuração

Configure o sistema SAP HANA e o sistema operacional com as configurações de segurança recomendadas. Por exemplo, verifique se apenas as portas de rede relevantes estão na lista de permissões para acesso, proteja o sistema operacional em que você está executando o SAP HANA e assim por diante.

Consulte as seguintes notas da SAP (é necessário ter uma conta de usuário SAP):

Como desativar serviços desnecessários do SAP HANA

Se você não precisar dos Serviços de aplicativos estendidos do SAP HANA (SAP HANA XS), desative o serviço. Consulte a nota SAP 1697613: como remover o serviço do SAP HANA XS clássico da topologia.

Depois que o serviço for desativado, remova todas as portas TCP que foram abertas para o serviço. No Google Cloud, isso significa editar as regras de firewall da rede para remover essas portas da lista de permissões.

Geração de registros de auditoria

Os registros de auditoria do Cloud consistem em dois streams de registro, atividade do administrador e acesso a dados, ambos gerados automaticamente pelo Google Cloud. Isso pode ajudar você a responder às perguntas "Quem fez o quê, onde e quando?" no seu projeto do Google Cloud.

Os registros de “atividade do administrador” contêm entradas para chamadas de API ou ações administrativas que modificam a configuração ou os metadados de um serviço ou projeto. Esse registro fica sempre ativado e visível para todos os membros do projeto.

Os registros “Acesso a dados” contêm entradas de registro para chamadas de API que criam, modificam ou leem dados fornecidos pelo usuário gerenciados por um serviço, como os dados armazenados em um serviço de banco de dados. Esse tipo de geração de registros é ativado por padrão no projeto e pode ser acessado por meio do Cloud Logging ou do feed de atividades.

Como proteger um bucket do Cloud Storage

Se você usa o Cloud Storage para hospedar os backups dos dados e do registro, use o TLS (HTTPS) ao enviar dados das instâncias para o Cloud Storage para proteger os dados em trânsito. O Cloud Storage criptografa automaticamente os dados em repouso. É possível especificar suas próprias chaves de criptografia se tiver seu próprio sistema de gerenciamento de chaves.

Consulte a documentação de segurança do Cloud Storage para ver as práticas recomendadas do Cloud Storage.

Consulte os seguintes recursos de segurança extras para seu ambiente SAP HANA no Google Cloud:

Alta disponibilidade para SAP HANA no Google Cloud

O Google Cloud oferece várias opções para garantir alta disponibilidade para seu sistema SAP HANA, incluindo os recursos de migração em tempo real e reinicialização automática do Compute Engine. Esses recursos, além da alta porcentagem de tempo de atividade mensal das VMs do Compute Engine, podem tornar o pagamento e a manutenção de sistemas em espera desnecessários.

No entanto, se necessário, implante um sistema de escalonamento horizontal de vários hosts que inclua hosts em espera para failover automático de host do SAP HANA ou implante um sistema de escalonamento vertical com uma instância do SAP HANA em espera em um cluster Linux de alta disponibilidade.

Para mais informações sobre as opções de alta disponibilidade do SAP HANA no Google Cloud, consulte o guia de planejamento de alta disponibilidade e recuperação de desastres do SAP HANA.

Recuperação de desastres

O sistema SAP HANA fornece vários recursos de alta disponibilidade para garantir que o banco de dados possa suportar falhas no nível do software ou da infraestrutura. Entre esses recursos está a replicação do sistema e os backups do SAP HANA, ambos compatíveis com o Google Cloud.

Para mais informações sobre backups do SAP HANA, consulte Backup e recuperação.

Para mais informações sobre replicação do sistema, consulte o guia de planejamento de alta disponibilidade e recuperação de desastres do SAP HANA.

Backup e recuperação

Os backups são essenciais para proteger seu sistema de registro (seu banco de dados). Como o SAP HANA é um banco de dados na memória, você deve criar backups regulares para se recuperar de instâncias de dados corrompidos. O sistema SAP HANA fornece recursos nativos de backup e recuperação para ajudar você a fazer isso. É possível usar os serviços do Google Cloud, como o Cloud Storage, para servir como o destino do backup do SAP HANA.

Também é possível instalar o agente do Backint do Cloud Storage para SAP HANA para usar o Cloud Storage diretamente para backups e recuperações.

Neste documento, presumimos que você esteja familiarizado com o backup e a recuperação do SAP HANA, além das seguintes notas do serviço SAP:

Como usar discos permanentes do Compute Engine e do Cloud Storage para backups

Se você seguiu as instruções de implantação, tem uma instalação do SAP HANA com um diretório /hanabackup. Isso é feito usando um disco permanente padrão. Use as ferramentas SAP padrão para criar backups de banco de dados on-line para o diretório /hanabackup. Por fim, salve o backup concluído fazendo upload dele para um bucket do Cloud Storage, do qual é possível fazer o download do backup, quando precisar recuperá-lo.

Como usar o Compute Engine para criar backups e snapshots de disco

É possível usar o Compute Engine para backups do SAP HANA, bem como fazer backup de todo o disco que hospeda seus dados e registrar usando snapshots de disco permanente.

Se você seguiu as instruções no guia de implantação, tem uma instalação do SAP HANA com um diretório /hanabackup para seus backups de banco de dados on-line. É possível usar esse mesmo diretório para armazenar snapshots do volume de backup e manter um backup pontual dos dados e do registro.

Uma vantagem dos snapshots é que eles são incrementais, em que cada backup subsequente armazena apenas alterações incrementais de blocos em vez de criar um backup totalmente novo. O Compute Engine armazena várias cópias de cada snapshot em vários locais com somas de verificação automáticas para garantir a integridade dos dados.

Veja uma ilustração dos backups incrementais:

Diagrama de snapshot

Cloud Storage como destino de backup

O Cloud Storage é uma boa opção para usar como destino de backup do SAP HANA, porque oferece alta durabilidade e disponibilidade de dados.

O Cloud Storage é um armazenamento de objetos para arquivos de qualquer tipo ou formato. Ele tem armazenamento praticamente ilimitado, e você não precisa se preocupar em provisioná-lo ou adicionar mais capacidade a ele. Um objeto no Cloud Storage consiste em dados de arquivos e metadados associados e pode ter até 5 TB. Um bucket do Cloud Storage pode armazenar qualquer número de objetos.

Com o Cloud Storage, seus dados são armazenados em vários locais, o que proporciona alta durabilidade e alta disponibilidade. Quando você copia ou faz o upload de seus dados no Cloud Storage, ele relata a ação como bem-sucedida somente se houver redundância de objetos.

A tabela a seguir mostra as diferentes opções de armazenamento disponíveis se você usa o Cloud Storage:

Acesso a dados necessário Opções do Cloud Storage recomendadas
Acesso frequente Escolha a [classe de armazenamento] padrão (/storage/docs/storage-classes) para backups acessados várias vezes em um mês.
Acesso não frequente Escolha o armazenamento Nearline ou Coldline para dados acessados com pouca frequência. O Nearline é uma boa opção para dados de backup que você planeja acessar no máximo uma vez por mês, enquanto o Coldline é melhor para dados com probabilidade de acesso muito baixa, talvez uma vez por ano.
Dados de arquivo Escolha Archive Storage para seus dados de arquivamento de longo prazo. Arquivar é uma boa opção para os dados que você precisa reter uma cópia por um período prolongado, mas que não pretende acessar mais de uma vez por ano. Considere a possibilidade de substituir sua solução de backup baseada em fita por Archive.

Ao planejar o uso dessas opções de armazenamento, comece com o nível acessado com frequência e classifique seus dados de backup nos níveis de acesso não frequentes. Os backups geralmente se tornam raramente usados à medida que se tornam mais antigos. A probabilidade de precisar de um backup de três anos é extremamente baixa, e é possível colocar esse backup no nível "Archive" para economizar custos, que atualmente são de até 12/100 de um centavo por GB/mês (igual a US$ 1,20 por TB/mês).

Cloud Storage em comparação com o backup em fita

O destino de backup tradicional no local é a fita. O Cloud Storage tem muitos benefícios sobre a fita, incluindo a capacidade de armazenar automaticamente backups "externos" do sistema de origem, já que os dados no Cloud Storage são replicados em várias instalações. Isso também significa que os backups armazenados no Cloud Storage estão altamente disponíveis.

Outra diferença importante é a velocidade de restauração de backups quando você precisa usá-los. Se você precisar criar um novo sistema SAP HANA a partir do backup ou restaurar um sistema existente a partir de backups, o Cloud Storage fornece acesso mais rápido aos seus dados e ajuda a criar o sistema mais rapidamente.

Agente Backint do Cloud Storage para SAP HANA

Use o Cloud Storage diretamente para backups e recuperações de instalações locais e na nuvem usando o agente do Backint do Cloud Storage certificado pelo SAP para SAP HANA (agente do Backint).

Para mais informações, consulte visão geral do Agente do Backint do Cloud Storage para o SAP HANA.

Como gerenciar a identidade e o acesso a backups

Quando você usa o Cloud Storage ou o Compute Engine para fazer backup dos dados do SAP HANA, o acesso a esses backups é controlado pelo Identity and Access Management (IAM). Esse recurso permite que os administradores autorizem quem pode realizar ações em recursos específicos. O IAM permite que você tenha controle total e centralizado para gerenciar todos os recursos do Google Cloud, incluindo seus backups.

O IAM também fornece um histórico completo de trilha de auditoria de autorização, remoção e delegação de permissões que são exibidas automaticamente para seus administradores. Isso permite configurar políticas que monitoram o acesso aos seus dados nos backups, permitindo que você conclua o ciclo completo de controle de acesso com seus dados. O IAM oferece uma visualização unificada da política de segurança em toda a organização, com auditoria integrada para facilitar os processos de compliance.

Para conceder acesso a backups no Cloud Storage, siga estas etapas:

  1. No Console do Cloud, acesse a página IAM e administrador:

    Acessar a página "IAM e administrador"

  2. Especifique o usuário ao qual você está concedendo acesso e atribua o papel Armazenamento - Criador de objeto do Storage:

    Captura de tela do IAM

Como fazer backups

Os sistemas SAP HANA provisionados no Google Cloud usando o guia de implantação são configurados com um conjunto de volumes de disco permanente a serem usados como um destino de backup montado com formato NFS. Os backups do SAP HANA são armazenados primeiro nesses volumes de disco permanente locais e, em seguida, copiados para o Cloud Storage para armazenamento de longo prazo. É possível copiar manualmente os backups para o Cloud Storage ou programar a cópia para o Cloud Storage em um crontab.

Se você estiver usando o agente do Backint do Cloud Storage para SAP HANA, faça o backup e a recuperação diretamente de um bucket do Cloud Storage. O armazenamento em disco permanente não é necessário.

É possível usar o SAP HANA Studio, os comandos SQL ou o DBA Cockpit para iniciar ou programar backups de dados do SAP HANA. Os backups de registros são gravados automaticamente, a menos que sejam desativados. A captura de tela a seguir mostra um exemplo:

Captura de tela de backups

Como configurar global.ini do SAP HANA

Se você seguiu as instruções do guia de implantação, o arquivo de configuração global.ini do SAP HANA será personalizado com backups de banco de dados armazenados em /backup/data/, e os arquivos de arquivamento automático de registros serão armazenados em /backup/log/, da seguinte maneira:

[persistence]
basepath_datavolumes = /hana/data
basepath_logvolumes = /hana/log
basepath_databackup = /hanabackup/data
basepath_logbackup = /hanabackup/log

[system_information]
usage = production

Para personalizar o arquivo de configuração global.ini do agente do Backint do Cloud Storage para SAP HANA, consulte o guia de implantação do agente Backint do Cloud Storage para SAP HANA.

Observações para implantações em escala horizontal

Em uma implementação de escalonamento horizontal, uma solução de alta disponibilidade que usa migração em tempo real e reinicialização automática funciona da mesma forma que em uma única configuração de host. A principal diferença é que o volume /hana/shared é montado com formato NFS para todos os hosts de worker e é definido como principal no mestre HANA. Há um breve período de inacessibilidade no volume NFS no caso de migração em tempo real do host mestre ou reinicialização automática. Quando o host mestre for reiniciado, o volume NFS funcionará novamente em todos os hosts, e a operação normal será retomada automaticamente.

O volume de backup, /hanabackup, precisa estar disponível em todos os hosts durante as operações de backup e recuperação. Em caso de falha, verifique se o /hanabackup está montado em todos os hosts e remonte os que não estiverem. Ao escolher copiar o conjunto de backup para outro volume ou para o Cloud Storage, execute a cópia no host mestre para alcançar melhor desempenho de E/S e reduzir o uso da rede. Para simplificar o processo de backup e recuperação, use o Cloud Storage Fuse para montar o bucket do Cloud Storage em cada host.

O desempenho do escalonamento horizontal é tão bom quanto a distribuição de dados. Quanto melhor os dados forem distribuídos, melhor será o desempenho da sua consulta. Isso exige que você conheça bem seus dados, entenda como eles estão sendo consumidos e projete a distribuição e o particionamento da tabela de acordo. Consulte a Nota SAP 2081591.

Gcloud Python

O Gcloud Python é um cliente Python idiomático que pode ser usado para acessar os serviços do Google Cloud. Neste guia, usamos o Gcloud Python para executar operações de backup e restauração do Cloud Storage para backups de banco de dados do SAP HANA.

Se você seguiu as instruções do guia de implantação, as bibliotecas Python do Gcloud já estão disponíveis nas instâncias do Compute Engine.

As bibliotecas são de código aberto e permitem que você opere no bucket do Cloud Storage para armazenar e recuperar dados de backup.

É possível executar o seguinte comando para listar objetos no bucket do Cloud Storage. Use-o para listar os objetos de backup disponíveis:

python 2>/dev/null - <<EOF
from google.cloud import storage
storage_client = storage.Client()
bucket = storage_client.get_bucket("<bucket_name>")
blobs = bucket.list_blobs()
for fileblob in blobs:
     print(fileblob.name)
EOF

Para detalhes completos sobre o Gcloud Python, consulte a documentação de referência da biblioteca de cliente de armazenamento.

Exemplo de backup

Veja as etapas de uma tarefa de backup típica, usando o SAP HANA Studio como exemplo:

  1. No Editor de backup do SAP HANA, selecione Open Backup Wizard.

    Assistente de backup

    1. Selecione File como o tipo de destino. Isso faz o backup do banco de dados para arquivos no sistema de arquivos especificado.
    2. Especifique o destino do backup, /hanabackup/data/[SID], e o prefixo do backup. Substitua [SID] pelo SAP SID adequado.
    3. Clique em Next.
  2. Clique em Finish no formulário de confirmação para iniciar o backup.

  3. Quando o backup é iniciado, uma janela de status exibe o andamento do backup. Aguarde a conclusão do backup.

    Progresso do backup

    Quando o backup for concluído, o resumo do backup exibirá uma mensagem "Finished".

  4. Faça login no sistema SAP HANA e verifique se os backups estão disponíveis nos locais esperados no sistema de arquivos. Por exemplo:

    Lista de backup 1 Lista de backup 2

  5. Envie ou sincronize os arquivos de backup do sistema de arquivos /hanabackup para o Cloud Storage. O script Python de amostra a seguir envia os dados de /hanabackup/data e /hanabackup/log para o bucket usado para backups, no formato [NODENAME]/[DATA] ou [LOG]/YYYY/MM/DD/HH/[BACKUP_FILE_NAME]. Isso permite que você identifique arquivos de backup com base no tempo de cópia do backup. Execute este script gcloud Python no prompt bash do sistema operacional:

    python 2>/dev/null - <<EOF
    import os
    import socket
    from datetime import datetime
    from google.cloud import storage
    storage_client = storage.Client()
    today = datetime.today()
    current_hour = today.strftime('%Y/%m/%d/%H')
    hostname = socket.gethostname()
    bucket = storage_client.get_bucket("hanabackup")
    for subdir, dirs, files in os.walk('/hanabackup/data/H2D/'):
      for file in files:
          backupfilename = os.path.join(subdir, file)
          if 'COMPLETE_DATA_BACKUP' in backupfilename:
                only_filename = backupfilename.split('/')[-1]
                backup_file = hostname + '/data/' + current_hour + '/' + only_filename
                blob = bucket.blob(backup_file)
                blob.upload_from_filename(filename=backupfilename)
    for subdir, dirs, files in os.walk('/hanabackup/log/H2D/'):
      for file in files:
          backupfilename = os.path.join(subdir, file)
          if 'COMPLETE_DATA_BACKUP' in backupfilename:
              only_filename = backupfilename.split('/')[-1]
              backup_file = hostname + '/log/' + current_hour + '/' + only_filename
              blob = bucket.blob(backup_file)
              blob.upload_from_filename(filename=backupfilename)
    EOF
    
  6. Use as bibliotecas do Gcloud Python ou do Console do Cloud para listar os dados de backup.

Exemplo de restauração

Para restaurar o banco de dados do SAP HANA a partir de um backup:

  1. Se os arquivos de backup não estiverem disponíveis no sistema de arquivos /hanabackup, mas estiverem no Cloud Storage, faça o download dos arquivos do Cloud Storage executando o seguinte script no prompt bash do sistema operacional:

    python - <<EOF
    from google.cloud import storage
    storage_client = storage.Client()
    bucket = storage_client.get_bucket("hanabackup")
    blobs = bucket.list_blobs()
    for fileblob in blobs:
      blob = bucket.blob(fileblob.name)
      fname = str(fileblob.name).split('/')[-1]
      blob.chunk_size=1<<30
      if 'log' in fname:
          blob.download_to_filename('/hanabackup/log/H2D/' + fname)
      else:
          blob.download_to_filename('/hanabackup/data/H2D/' + fname)
    EOF
    
  2. Para recuperar o banco de dados SAP HANA, clique em Backup and Recovery > Recover System:

    Sistema de recuperação

  3. Clique em Next.

  4. Especifique o local dos backups no sistema de arquivos local e clique em Add.

  5. Clique em Next.

  6. Selecione Recover without the backup catalog:

    Recuperar Nocat

  7. Clique em Next.

  8. Selecione File como o tipo de destino e especifique o local dos arquivos de backup e o prefixo correto para o backup. No exemplo de backup, lembre-se de que você usou COMPLETE_DATA_BACKUP como prefixo.

  9. Clique em Next duas vezes.

  10. Clique em Finish para iniciar a recuperação.

  11. Quando a recuperação for concluída, retome as operações normais e remova os arquivos de backup dos diretórios /hanabackup/data/[SID]/*.

A seguir

Os seguintes documentos SAP padrão podem ser úteis:

Os seguintes documentos do Google Cloud também podem ser úteis: