Preço

No BigQuery, são oferecidas opções de preços flexíveis e escalonáveis que ajudam você a adequar seu projeto e seu orçamento. O BigQuery cobra por armazenamento e consulta de dados, bem como por inserções de streaming. Já o carregamento e a exportação de dados são gratuitos.

Os preços do BigQuery baseiam-se em uma taxa fixa para armazenamento e uma taxa de uso para consultas. O uso de armazenamento do projeto e de consultas é calculado em gigabytes (GB), sendo 1 GB igual a 230 bytes. Essa unidade de medida também é conhecida como gibibyte (GiB). Da mesma forma, 1 TB equivale a 240 bytes (1.024 GB). Para mais informações sobre preços de armazenamento e consulta, veja SKUs do Google Cloud Platform.

Cada projeto criado tem uma conta de faturamento associada a ele. Todos os valores incorridos de jobs executados no projeto são cobrados na conta de faturamento associada. Isso ocorrerá mesmo se o projeto for compartilhado com outras pessoas fora da sua organização. Os custos de armazenamento do BigQuery também são cobrados na conta de faturamento associada.

O BigQuery tem mecanismos de controle que permitem delimitar os custos diários ao valor que você escolher. Para mais informações, consulte Como criar controles de custo personalizados.

Se você fizer pagamentos em uma moeda que não seja o dólar americano, serão aplicados os preços na sua moeda listados na página SKUs do Cloud Platform.

Resumo de preços

Na tabela a seguir, vemos um resumo dos preços do BigQuery. As cotas e limites do BigQuery se aplicam a essas operações.

Locais multirregionais dos EUA e da UE

Operação Preço Detalhes
Armazenamento US$ 0,02 por GB por mês Os primeiros 10 GB são gratuitos todos os meses. Consulte Preços de armazenamento para detalhes.
Armazenamento de longo prazo US$ 0,01 por GB, por mês Os primeiros 10 GB são gratuitos todos os meses. Consulte Preços de armazenamento para detalhes.
Inserções de streaming US$ 0,01 por 200 MB Consulte Preços de armazenamento para detalhes.
Consultas (análise) US$ 5 por TB O primeiro 1 TB mensal é gratuito, consulte Preços sob demanda para saber mais detalhes. Preços fixos também estão disponíveis para clientes de alto volume.
Carregamento de dados Gratuito Consulte Carregar dados no BigQuery.
Cópia de dados Gratuito Consulte Copiar uma tabela.
Exportação de dados Gratuito Consulte Exportar dados do BigQuery.
Operações de metadados Gratuito Chamadas de listagem, busca, patch, atualização e exclusão.
Se você fizer pagamentos em uma moeda que não seja o dólar americano, serão aplicados os preços na sua moeda listados na página SKUs do Cloud Platform.

Região de Tóquio

Operação Preço Detalhes
Armazenamento US$ 0,023 por GB, por mês Os primeiros 10 GB são gratuitos todos os meses. Consulte Preços de armazenamento para detalhes.
Armazenamento de longo prazo US$ 0,016 por GB por mês Os primeiros 10 GB são gratuitos todos os meses. Consulte Preços de armazenamento para detalhes.
Inserções de streaming US$ 0,012 por 200 MB Consulte Preços de armazenamento para detalhes.
Consultas (análise) US$ 8,55 por TB O primeiro 1 TB mensal é gratuito, consulte Preços sob demanda para saber mais detalhes. Preços fixos também estão disponíveis para clientes de alto volume.
Carregamento de dados Gratuito Consulte Carregar dados no BigQuery.
Cópia de dados Gratuito Consulte Copiar uma tabela.
Exportação de dados Gratuito Consulte Exportar dados do BigQuery.
Operações de metadados Gratuito Chamadas de listagem, busca, patch, atualização e exclusão.
Se você fizer pagamentos em uma moeda que não seja o dólar americano, serão aplicados os preços na sua moeda listados na página SKUs do Cloud Platform.

Operações gratuitas

Na tabela a seguir, podemos ver as operações gratuitas do BigQuery. As cotas e limites do BigQuery se aplicam a essas operações.

Operação Detalhes
Carregamento de dados Como carregar dados no BigQuery
Cópia de dados Como copiar uma tabela existente
Exportação de dados Como exportar dados do BigQuery
Operações de metadados Chamadas de listagem, busca, patch, atualização e exclusão

Preços para carregamento de dados

Atualmente é possível carregar dados de uma fonte de dados legível (como sua máquina local) ou do Cloud Storage. Quando você carrega dados no BigQuery a partir do Cloud Storage, não há cobrança pela operação de carregamento, apenas pelo armazenamento dos dados no Cloud Storage. Para mais informações, consulte Armazenamento de dados na página de preços do Cloud Storage. Depois que os dados são carregados no BigQuery, eles estão sujeitos aos preços de armazenamento desse serviço.

Taxas de saída de rede

Quando você cria um conjunto de dados no BigQuery, é necessário escolher um local para os dados. Se você escolher US, poderá carregar dados em tabelas no conjunto de dados de um intervalo do Cloud Storage em qualquer outra região. Quando você carrega dados de outra região em um conjunto de dados dos EUA, atualmente não há cobrança pela saída da Internet.

Se você escolher um local diferente de US, deverá executar um dos seguintes procedimentos:

  • carregar dados de um intervalo do Cloud Storage nessa região (o intervalo pode ser multirregional ou regional na mesma região do conjunto de dados)
  • copiar os dados em um intervalo nessa região

Quando você copia dados de uma região do Cloud Storage para outra, é aplicado o preço da rede do Cloud Storage.

Preço de armazenamento

O carregamento de dados no BigQuery é gratuito, exceto uma pequena taxa de dados de streaming. Os preços de armazenamento baseiam-se no volume de dados nas tabelas, calculados com base nos tipos de dados. Consulte cálculo de tamanho dos dados para uma explicação detalhada sobre esse cálculo.

Locais multirregionais dos EUA e da UE

Quando os primeiros 10 GB de armazenamento são ultrapassados, você é cobrado da seguinte maneira:

Ação de armazenamento Custo
Armazenamento US$ 0,02 por GB por mês.
Inserções de streaming US$ 0,01 por 200 MB inserido com sucesso, com linhas individuais calculadas usando um tamanho mínimo de 1 KB.

Se você fizer pagamentos em uma moeda que não seja o dólar americano, serão aplicados os preços na sua moeda listados na página SKUs do Cloud Platform.

Os preços de armazenamento são rateados por MB, por segundo. Por exemplo, se você armazena:

  • 100 MB pela metade de um mês, paga US$ 0,001 (um décimo de centavo);
  • 500 GB pela metade de um mês, paga US$ 5;
  • 1 TB por um mês completo, paga US$ 20.

Região de Tóquio

Quando os primeiros 10 GB de armazenamento são ultrapassados, você é cobrado da seguinte maneira:

Ação de armazenamento Custo
Armazenamento US$ 0,023 por GB por mês.
Inserções de streaming US$ 0,012 por 200 MB inserido com sucesso, com linhas individuais calculadas usando um tamanho mínimo de 1 KB.

Se você fizer pagamentos em uma moeda que não seja o dólar americano, serão aplicados os preços na sua moeda listados na página SKUs do Cloud Platform.

Os preços de armazenamento são rateados por MB, por segundo. Por exemplo, se você armazena:

  • 100 MB pela metade de um mês, paga US$ 0,001 (um décimo de centavo);
  • 500 GB pela metade de um mês, paga US$ 5;
  • 1 TB por um mês completo, paga US$ 20.

Nível gratuito

Os primeiros 10 GB mensais de armazenamento de cada conta de faturamento são gratuitos.

Preço de armazenamento de longo prazo

Se uma tabela não for editada por 90 dias consecutivos, o preço do armazenamento para essa tabela cairá automaticamente em aproximadamente 50%.

Não há degradação de desempenho, durabilidade, disponibilidade ou outra funcionalidade quando uma tabela é considerada como de armazenamento de longo prazo.

Se a tabela for editada, o preço será revertido para o preço de armazenamento regular e o contador de 90 dias começará a contar a partir de zero.

Qualquer ação que modifique os dados em uma tabela reinicia o timer. Por exemplo, carregar, copiar, consultar uma tabela de destino:

Ação Notas
anexar Qualquer job que tenha uma tabela de destino e use a disposição de gravação WRITE_APPEND.
substituir Qualquer job que tenha uma tabela de destino e use a disposição de gravação WRITE_TRUNCATE.
streaming Ingestão de dados usando a chamada de API Tabledata.insertAll().

Todas as outras ações não reiniciam o timer, incluindo as seguintes:

  • consultar de
  • criar visualização
  • exportar
  • copiar de
  • patch

Para o preço de armazenamento em longo prazo, cada partição de uma tabela fracionada é analisada separadamente. Se uma partição não foi modificada nos últimos 90 dias, os dados nela são considerados armazenamento de longo prazo e são cobrados pelo preço com desconto.

Para tabelas que alcançam o limite de 90 dias durante um ciclo de faturamento, o preço é rateado de acordo.

Os preços do armazenamento de longo prazo só se aplicam ao BigQuery, não a fontes de dados externas.

Preços de consulta

Preços de consulta referem-se ao custo de executar comandos SQL e funções definidas pelo usuário. No BigQuery, as consultas são cobradas usando uma métrica: o número de bytes processados. Você é cobrado pelos bytes processados, sejam eles armazenados no BigQuery ou em uma fonte de dados externa como Google Cloud Storage, Google Drive ou Google Cloud Bigtable.

Nível gratuito

O primeiro 1 TB mensal de dados processados de cada conta de faturamento é gratuito.

Preços sob demanda

Locais multirregionais dos EUA e da UE

Quando o primeiro 1 TB mensal de dados processados é ultrapassado, você é cobrado da seguinte maneira:

Recurso Preço
Consultas US$ 5 por TB

Se você fizer pagamentos em uma moeda que não seja o dólar americano, serão aplicados os preços na sua moeda listados na página SKUs do Cloud Platform.

  • Você não é cobrado por consultas que retornam um erro ou por consultas que recuperam resultados do cache.
  • As cobranças são arredondadas para o MB mais próximo, com um mínimo de 10 MB de dados processados por tabela consultada e com um mínimo de 10 MB por consulta.
  • O cancelamento de um job de consulta em execução pode gerar encargos até o custo total dela, como se a consulta tivesse sido concluída.
  • O BigQuery usa uma estrutura de dados por coluna. Você é cobrado de acordo com o total de dados processados nas colunas selecionadas, e o total por coluna é calculado com base nos tipos de dados dela. Para mais informações sobre como o tamanho dos dados é calculado, consulte Cálculo do tamanho dos dados.
  • Se você prefere um custo mensal estável em vez de pagar por demanda, consulte Preços fixos.

Região de Tóquio

Quando o primeiro 1 TB mensal de dados processados é ultrapassado, você é cobrado da seguinte maneira:

Recurso Preço
Consultas US$ 8,55 por TB

Se você fizer pagamentos em uma moeda que não seja o dólar americano, serão aplicados os preços na sua moeda listados na página SKUs do Cloud Platform.

  • Você não é cobrado por consultas que retornam um erro ou por consultas que recuperam resultados do cache.
  • As cobranças são arredondadas para o MB mais próximo, com um mínimo de 10 MB de dados processados por tabela consultada e com um mínimo de 10 MB por consulta.
  • O cancelamento de um job de consulta em execução pode gerar encargos até o custo total dela, como se a consulta tivesse sido concluída.
  • O BigQuery usa uma estrutura de dados por coluna. Você é cobrado de acordo com o total de dados processados nas colunas selecionadas, e o total por coluna é calculado com base nos tipos de dados dela. Para mais informações sobre como o tamanho dos dados é calculado, consulte Cálculo do tamanho dos dados.
  • Se você prefere um custo mensal estável em vez de pagar por demanda, consulte Preços fixos.

Preços fixos

No BigQuery, são oferecidos preços fixos para clientes corporativos ou de alto volume que preferem um custo mensal estável para as consultas em vez de pagar por demanda, por TB de dados processados. Quando você escolhe os preços fixos, o custo de todos os bytes processados é incluído no preço fixo mensal.

A cota de slots é gerenciada automaticamente no BigQuery, com base no histórico, uso e gastos do cliente. Para clientes com, no mínimo, US$ 40.000 em gastos de análise mensais, o BigQuery oferece diversas maneiras de aumentar o número de slots alocados.

No caso do preço fixo:

  • Ele se aplica somente a custos de consulta, não de armazenamento. Consulte Preços de armazenamento para ver os custos.
  • Ele se aplica a todos os projetos que estão vinculados à conta de faturamento aos quais o preço fixo é aplicado.
  • Ele fornece slots adicionais do BigQuery. Consulte a tabela a seguir para mais detalhes.
  • Ele fornece simultaneidade de consulta adicional para consultas interativas.
Custos mensais Slots do BigQuery
US$ 40.000 2.000
Aumento em incrementos de US$ 10.000 Mais 500 slots para cada incremento

Se você fizer pagamentos em uma moeda que não seja o dólar americano, serão aplicados os preços na sua moeda listados na página SKUs do Cloud Platform.

Entre em contato com seu representante de vendas se tiver interesse no preço fixo.

Preços para DML

O BigQuery cobra por consultas DML com base no número de bytes processados pela consulta.

Preço para DML em tabelas não particionadas

Para tabelas não particionadas, o número de bytes processados é calculado da seguinte forma:

Declaração DML Bytes processados
INSERT A soma dos bytes processados de todas as colunas referenciadas nas tabelas verificadas pela consulta.
UPDATE A soma dos bytes em todas as colunas referenciadas nas tabelas verificadas pela consulta
+ a soma dos bytes de todas as colunas na tabela atualizada no momento em que UPDATE é iniciada.
DELETE A soma dos bytes em todas as colunas referenciadas nas tabelas verificadas pela consulta
+ a soma dos bytes de todas as colunas na tabela modificada no momento em que DELETE é iniciada.
MERGE Se houver apenas cláusulas INSERT na instrução MERGE, você será cobrado pela soma dos bytes processados de todas as colunas referenciadas em todas as tabelas verificadas pela consulta.
Se houver uma cláusula UPDATE ou DELETE na instrução MERGE, você será cobrado pela soma dos bytes processados de todas as colunas referenciadas nas tabelas de origem verificadas pela consulta
+ a soma dos bytes de todas as colunas na tabela de destino no momento em que MERGE é iniciada.

Exemplos de preços para DML em tabelas não particionadas

Veja nos exemplos a seguir como o BigQuery calcula bytes lidos para declarações DML que modificam tabelas não particionadas.

Exemplo 1: UPDATE em tabela não particionada

A tabela table1 tem duas colunas: col1 do tipo INTEGER e col2 do tipo STRING.

UPDATE table1 SET col1 = 1 WHERE col1 = 2;

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes na col1 +
  • soma do número de bytes na col2
Exemplo 2: UPDATE em tabela não particionada

A tabela table1 tem duas colunas: col1 do tipo INTEGER e col2 do tipo STRING. A tabela table2 tem uma coluna: field1 do tipo INTEGER.

UPDATE table1 SET col1 = 1 WHERE col1 in (SELECT field1 from table2)

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em table1.col1 antes de UPDATE +
  • soma do número de bytes em table1.col2 antes de UPDATE +
  • soma do número de bytes em table2.field1

Preços para DML em tabelas particionadas

Para tabelas particionadas, o número de bytes processados é calculado da seguinte forma:

Declaração DML Bytes processados
INSERT A soma dos bytes processados de todas as colunas referenciadas em todas as partições verificadas pela consulta.
UPDATE A soma dos bytes processados de todas as colunas referenciadas em todas as partições para as tabelas verificadas pela consulta
+ a soma dos bytes de todas as colunas nas partições atualizadas ou verificadas para a tabela que está sendo atualizada (no momento em que UPDATE é iniciada).
DELETE A soma dos bytes processados de todas as colunas referenciadas em todas as partições para as tabelas verificadas pela consulta
+ a soma de bytes de todas as colunas nas partições modificadas ou verificadas para a tabela que está sendo modificada (no momento em que DELETE é iniciada).
MERGE Se houver apenas cláusulas INSERT na declaração MERGE, você será cobrado pela soma dos bytes processados de todas as colunas referenciadas em todas as partições verificadas pela consulta.
Se houver uma cláusula UPDATE ou DELETE na declaração MERGE, você será cobrado pela soma dos bytes processados de todas as colunas referenciadas em todas as partições para as tabelas de origem verificadas pela consulta
+ a soma dos bytes de todas as colunas nas partições atualizadas, excluídas ou verificadas para a tabela de destino (no momento em que MERGE é iniciada).

Exemplos de preços para DML em tabela particionada

Veja nos exemplos a seguir como o BigQuery calcula bytes lidos para declarações DML que modificam tabelas particionadas por tempo de ingestão. Para visualizar as representações de esquema JSON nas tabelas dos exemplos, consulte Tabelas usadas nos exemplos na página "Como atualizar dados de tabela particionada com declarações DML".

Exemplo 1: INSERT em tabela particionada por tempo de ingestão

A tabela mytable2 tem duas colunas: id do tipo INTEGER e ts do tipo TIMESTAMP. A tabela mytable tem duas colunas: field1 do tipo INTEGER e field2 do tipo STRING.

INSERT INTO mytable (_PARTITIONTIME, field1) AS SELECT TIMESTAMP(DATE(ts)), id from mytable2

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em mytable2.ts +
  • soma do número de bytes em mytable2.id

O tamanho da tabela na qual as linhas são inseridas (mytable) não afeta o custo da consulta.

Exemplo 2: INSERT em tabela particionada

A tabela mytable2 tem duas colunas: id do tipo INTEGER e ts do tipo TIMESTAMP. A tabela mycolumntable tem quatro colunas: field1 do tipo INTEGER, field2 do tipo STRING, field3 do tipo BOOLEAN e ts do tipo TIMESTAMP.

INSERT INTO mycolumntable (ts, field1) AS SELECT ts, id from mytable2

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em mytable2.ts +
  • soma do número de bytes em mytable2.id

O tamanho da tabela na qual as linhas são inseridas (mycolumntable) não afeta o custo da consulta.

Exemplo 3: UPDATE em tabela particionada por tempo de ingestão

Declaração DML 1: como atualizar uma partição única

A tabela mytable2 tem duas colunas: id do tipo INTEGER e ts do tipo TIMESTAMP. A tabela mytable tem duas colunas: field1 do tipo INTEGER e field2 do tipo STRING.

UPDATE project.mydataset.mytable T SET T.field1 = T.field1 + 100 WHERE T._PARTITIONTIME = TIMESTAMP(“2017-05-01”) AND EXISTS (SELECT S.id from project.mydataset.mytable2 S WHERE S.id = T.field1)

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em mytable2.id +
  • soma do número de bytes em mytable.field1 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mytable.field2 na partição "2017-05-01"

Declaração DML 2: como atualizar uma partição com base em outra partição na tabela

UPDATE project.mydataset.mytable T SET T._PARTITIONTIME = TIMESTAMP(“2017-06-01”), T.field1 = T.field1 + 100 WHERE T._PARTITIONTIME = TIMESTAMP(“2017-05-01”) AND EXISTS (SELECT 1 from project.mydataset.mytable S WHERE S.field1 = T.field1 AND S._PARTITIONTIME = TIMESTAMP("2017-06-01") )

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em mytable.field1 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mytable.field2 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mytable.field1 na partição "2017-06-01" +
  • soma do número de bytes em mytable.field2 na partição "2017-06-01"

Nesse caso, o custo da declaração UPDATE é a soma dos tamanhos de todos os campos nas partições correspondentes a "2017-05-01" e "2017-06-01".

Exemplo 4: UPDATE em tabela particionada

Declaração DML 1: como atualizar uma partição única

A tabela mytable2 tem duas colunas: id do tipo INTEGER e ts do tipo TIMESTAMP. A tabela mycolumntable tem quatro colunas: field1 do tipo INTEGER, field2 do tipo STRING, field3 do tipo BOOLEAN e ts do tipo TIMESTAMP.

UPDATE project.mydataset.mycolumntable T SET T.field1 = T.field1 + 100 WHERE DATE(T.ts) = “2017-05-01” AND EXISTS (SELECT S.id from project.mydataset.mytable2 S WHERE S.id = T.field1)

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em mytable2.id +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field1 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field2 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field3 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.ts na partição "2017-05-01"

Declaração DML 2: como atualizar uma partição com base em outra partição na tabela

UPDATE project.mydataset.mycolumntable T SET T.ts = TIMESTAMP(“2017-06-01”), T.field1 = T.field1 + 100 WHERE DATE(T.ts) = “2017-05-01” AND EXISTS (SELECT 1 from project.mydataset.mycolumntable S WHERE S.field1 = T.field1 AND DATE(S.ts) = "2017-06-01")

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em mycolumntable.field1 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field2 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field3 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.ts na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field1 na partição "2017-06-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field2 na partição "2017-06-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field3 na partição "2017-06-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.ts na partição "2017-06-01"

Nesse caso, o custo da declaração UPDATE é a soma dos tamanhos de todos os campos nas partições correspondentes a "2017-05-01" e "2017-06-01".

Exemplo 5: DELETE em tabela particionada por tempo de ingestão

A tabela mytable2 tem duas colunas: id do tipo INTEGER e ts do tipo TIMESTAMP. A tabela mytable tem duas colunas: field1 do tipo INTEGER e field2 do tipo STRING.

DELETE project.mydataset.mytable T WHERE T._PARTITIONTIME = TIMESTAMP(“2017-05-01”) AND EXISTS (SELECT S.id from project.mydataset.mytable2 S WHERE S.id = T.field1)

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em mytable2.id +
  • soma do número de bytes em mytable.field1 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mytable.field2 na partição "2017-05-01"
Exemplo 6: DELETE em tabela particionada

A tabela mytable2 tem duas colunas: id do tipo INTEGER e ts do tipo TIMESTAMP. A tabela mycolumntable tem quatro colunas: field1 do tipo INTEGER, field2 do tipo STRING, field3 do tipo BOOLEAN e ts do tipo TIMESTAMP.

DELETE project.mydataset.mycolumntable T WHERE DATE(T.ts) =“2017-05-01” AND EXISTS (SELECT S.id from project.mydataset.mytable2 S WHERE S.id = T.field1)

Bytes processados neste exemplo =

  • soma do número de bytes em mytable2.id +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field1 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field2 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.field3 na partição "2017-05-01" +
  • soma do número de bytes em mycolumntable.ts na partição "2017-05-01"

Cálculo do tamanho dos dados

Quando você carrega ou consulta dados no BigQuery, é cobrado de acordo com o tamanho dos dados. Isso é calculado de acordo com o tamanho de cada tipo de dado.

Tipo de dado Tamanho
INT64/INTEGER 8 bytes
FLOAT64/FLOAT 8 bytes
BOOL/BOOLEAN 1 byte
STRING 2 bytes + o tamanho da string codificada em UTF-8
BYTES 2 bytes + o tamanho da string codificada em UTF-8
DATE 8 bytes
DATETIME 8 bytes
TIME 8 bytes
TIMESTAMP 8 bytes
STRUCT/RECORD 0 byte + o tamanho dos campos contidos

Valores nulos para qualquer tipo de dado são calculados como 0 byte.

Uma coluna repetida é armazenada como uma matriz e o tamanho é calculado com base no número de valores. Por exemplo, uma coluna inteira (INT64) que é repetida (ARRAY<INT64>) e contém 4 entradas é calculada como 32 bytes (4 entradas x 8 bytes).

Amostra de custos de consulta para preços sob demanda

Quando você gera uma consulta, a cobrança é feita de acordo com o total de dados processados nas colunas selecionadas, mesmo que você defina um LIMIT explícito nos resultados. O total de bytes por coluna é calculado com base nos tipos de dados dela. Para mais informações sobre como fazer esse cálculo, consulte cálculo de tamanho de dados.

Na tabela a seguir, você tem várias amostras de consultas e uma descrição de quantos bytes são processados em cada consulta.

Amostra de consulta Bytes processados

SELECT
  corpus,
  word
FROM
  publicdata:samples.shakespeare
LIMIT 1;
Tamanho total das colunas corpus + word

SELECT
  corpus
FROM
  (SELECT
     *
   FROM
     publicdata:samples.shakespeare);
Tamanho total da coluna corpus

SELECT
  COUNT(*)
FROM
  publicdata:samples.shakespeare;
Nenhum byte processado

SELECT
  COUNT(corpus)
FROM
  publicdata:samples.shakespeare;
Tamanho total da coluna corpus

SELECT
  COUNT(*)
FROM
  publicdata:samples.shakespeare
WHERE
  corpus = 'hamlet';
Tamanho total da coluna corpus

SELECT
  shakes.corpus,
  wiki.language
FROM
  publicdata:samples.shakespeare AS shakes
  JOIN EACH
  publicdata:samples.wikipedia AS wiki
  ON shakes.corpus = wiki.title;
Tamanho total das colunas shakes.corpus, wiki.language e wiki.title

Preços do serviço de transferência de dados do BigQuery

A cobrança do serviço de transferência de dados do BigQuery é feita proporcionalmente por mês. O faturamento acontece da seguinte maneira:

Aplicativo de origem Cobrança mensal (proporcional)
Google AdWords

US$ 2,50 por código exclusivo do cliente. ExternalCustomerIDs na tabela do Customer, incluindo IDs do cliente com zero impressões.

DoubleClick Campaign Manager

US$ 2,50 por código exclusivo do anunciante. Códigos de anunciantes na tabela de impression.

DoubleClick for Publishers

US$ 100 por código de rede.

Canal do YouTube e proprietário do conteúdo do YouTube

Sem cobranças até 1º de julho de 2018. O preço para o YouTube será anunciado posteriormente.

Depois que os dados forem transferidos para o BigQuery, serão aplicados os preços padrão de armazenamento e consulta para esse serviço. Para mais detalhes sobre os preços, entre em contato com a equipe de vendas.

Cálculo de códigos exclusivos

Cada transferência criada gera uma ou mais execuções por dia. Cada execução mantém um registro de cada código exclusivo encontrado e a data em que a transferência foi executada. Os códigos só são contados no dia da conclusão da transferência. Por exemplo, se uma transferência iniciar em 14 de julho, mas terminar em 15 de julho, os códigos exclusivos serão contados no dia 15 de julho.

Se um código exclusivo for encontrado em mais de uma transferência executada em um dia específico, ele será contado apenas uma vez. Os códigos exclusivos são contados separadamente para diferentes transferências. Se um código exclusivo for encontrado em execuções para duas transferências diferentes, o código será contado duas vezes.

Exemplos

Exemplo 1: você tem uma transferência com três execuções concluídas no mesmo dia.

  • A primeira execução registra os seguintes códigos exclusivos: A, B e C.
  • A segunda execução registra: A.
  • A terceira execução registra: C e D.

Como todas as execuções terminam no mesmo dia, você é cobrado por quatro códigos exclusivos: A, B, C, D. Como os códigos A e C foram gravados em duas execuções diferentes concluídas no mesmo dia, eles são contados apenas uma vez. Se as três transferências forem concluídas todos os dias por um mês, a taxa mensal será baseada em quatro códigos exclusivos. Se as transferências forem executadas menos vezes do que o número de dias no mês em que elas forem executadas, as cobranças serão proporcionais.

Exemplo 2: você tem várias transferências com execuções concluídas no mesmo dia.

  • A transferência 1 executa e registra os seguintes códigos exclusivos: A, B e C.
  • A transferência 2 executa e registra: A.
  • A transferência 3 executa e registra: C e D.

Como os códigos exclusivos são contados em execuções para transferências diferentes, você é cobrado com base em seis códigos exclusivos: A, B e C da execução da transferência 1, A da transferência 2 e C e D da execução da transferência 3. Se as transferências forem executadas menos vezes do que o número de dias no mês em que elas forem executadas, as cobranças serão proporcionais.

Cálculo de cobranças de preenchimento

Se você agendar um preenchimento, uma execução de transferência ficará agendada para cada dia. Então, você será cobrado com base no método descrito no Cálculo de códigos exclusivos.

Como encerrar as cobranças do serviço de transferência de dados do BigQuery

Para encerrar as cobranças, desative ou exclua sua transferência.

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Precisa de ajuda? Acesse nossa página de suporte.