Arquitetura de referência: SAP Business Suite em SAP HANA no Google Cloud Platform

Visão geral

Este documento é voltado a pessoas que estão avaliando o Google Cloud Platform (GCP) como plataforma para implantar o SAP Business Suite em SAP HANA, especialmente para os seguintes tipos de jobs:

  • Arquiteto técnico de SAP
  • Arquiteto de nuvem
  • Administrador de base SAP
  • Arquiteto corporativo

Este documento também lista os problemas a serem considerados antes da instalação, assim como links para notas do SAP e outros documentos de ajuda sobre a implantação.

O SAP Business Suite em SAP HANA é um conjunto de sistemas SAP, incluindo o SAP ECC, executado em um banco de dados SAP HANA. O ECC, ou Enterprise Core Component, é um pacote de aplicativos com funções de negócios essenciais, como finanças, logística, gerenciamento de armazenamento, vendas e distribuição. O ECC foi feito para ser executado em vários bancos de dados, incluindo Sybase ASE, MS SQL Server, Oracle e agora SAP HANA. Neste documento, discutimos a arquitetura e a implantação do SAP Business Suite somente no banco de dados SAP HANA.

O Google Cloud Platform fornece uma infraestrutura certificada pela SAP, econômica, confiável, segura e de alto desempenho para executar o SAP Business Suite no SAP HANA. Para uma lista completa das soluções SAP compatíveis com o GCP, consulte Certificações para aplicativos SAP no GCP e Certificações para SAP HANA no GCP.

Licenciamento

Clientes SAP podem usar o SAP HANA atual e outras licenças de aplicativos SAP para implantar o SAP Business Suite no GCP em um modelo "traga sua própria licença" (BYOL, na sigla em inglês). O GCP é compatível com o modelo BYOL para casos de uso de produção e não relacionados à produção. As licenças do sistema operacional estão incluídas nos preços do Compute Engine. Também é possível trazer sua própria imagem de sistema operacional e licenças.

Dimensionamento

Há várias opções de dimensionamento disponíveis baseadas no tipo de implementação. Para implementações totalmente novas, recomendamos usar a ferramenta SAP Quick Sizer. Para informações detalhadas, consulte a página Dimensionamento da SAP (em inglês). A SAP também fornece guias de soluções e ferramentas específicas para migração de soluções no local atuais para o GCP. Por exemplo, consulte Encontrar plataformas de IaaS certificadas e a Nota SAP 2456432 - Aplicativos SAP no Google Cloud Platform: produtos compatíveis e tipos de VM do Google (em inglês). A SAP e o GCP usam unidades diferentes para medir IOPS (operações de entrada/saída por segundo). Consulte seu parceiro integrador de sistemas (SI, na sigla em inglês) para converter os requisitos de dimensionamento da SAP em uma infraestrutura do GCP de tamanho adequado.

Tipos de máquina compatíveis

O GCP oferece tipos de instâncias do Compute Engine que são certificados pela SAP para atender aos requisitos de dimensionamento da implantação do SAP HANA. Para mais informações sobre o dimensionamento no GCP e os tipos de máquinas compatíveis, consulte as páginas a seguir:

Os tipos de máquina personalizados para SAP HANA no GCP também são certificados pela SAP. É possível executar instâncias do SAP HANA com menos de 64 vCPUs, desde que você mantenha uma proporção de vCPU/memória de pelo menos 6,5.

Para ver os números SAPS das máquinas virtuais do Compute Engine certificadas para aplicativos SAP, consulte Tipos de máquina certificados do Compute Engine.

A SAP também fornece no site uma lista certificada de configurações do GCP para SAP HANA. Para mais detalhes, consulte a página Localizar plataformas IaaS certificadas no diretório de hardware do SAP HANA (em inglês).

Discos e sistemas de arquivos para SAP Business Suite em SAP HANA

O Google Cloud Platform oferece os seguintes tipos de armazenamento:

  • Discos permanentes padrão (HDD): armazenamento em blocos de baixo custo para dispositivos grandes
  • Discos permanentes SSD: armazenamento em blocos rápido e confiável, com alta IOPS e baixa latência
  • SSDs locais: armazenamento em bloco local de alto desempenho
  • Buckets do Cloud Storage: armazenamento acessível de objetos

Para mais informações, consulte Opções de armazenamento.

Os discos permanentes do GCP foram feitos para ter alta durabilidade. Eles armazenam dados de forma redundante para garantir a integridade dos dados. Cada disco permanente pode armazenar até 64 TB, de modo que você possa criar grandes volumes lógicos sem gerenciar conjuntos de discos. Uma característica fundamental é que os discos permanentes são criptografados automaticamente para proteger os dados.

Após a criação, uma instância do Compute Engine aloca um único disco permanente raiz que contém o sistema operacional. É possível adicionar mais opções de armazenamento à instância, conforme necessário. Para implementações SAP, recomendamos usar discos permanentes, porque eles são feitos para ter alta durabilidade e as instâncias de computação podem acessá-los como discos físicos em uma máquina local.

As tabelas a seguir descrevem as estruturas de diretório do Linux para uma implantação SAP típica.

Estrutura de diretório típica do Linux para uma instância genérica do SAP ABAP

Estrutura de diretórios do aplicativo SAP Tipo de armazenamento
/sapmntObservação Disco permanente padrão (HDD)
/usr/sap Disco permanente padrão (HDD)

Observação: em implantações distribuídas, o /sapmnt também pode ser montado como um sistema de arquivos de rede usando uma solução NFS, como Filestore.

Estrutura de diretórios típica do Linux para SAP HANA

Estrutura de diretórios do SAP HANA Tipo de armazenamento
/usr/sap Disco permanente SSD
/hana/data Disco permanente SSD
/hana/log Disco permanente SSD
/hana/sharedObservação Disco permanente SSD
/hanabackupObservação Disco permanente padrão (HDD)

Observação: em implantações distribuídas, /hana/shared e /hanabackup também podem ser ativados como um sistema de arquivos de rede usando uma solução NFS, como Filestore.

Para criar todos os diretórios para as instâncias do SAP HANA e do SAP Business Suite, siga os processos descritos nos guias de implantação do GCP. Recomendamos usar um modelo do Deployment Manager para implantar uma instância compatível e certificada. Para os guias de implantação do SAP NetWeaver, consulte todos os guias do SAP NetWeaver (em inglês). Para implantar o SAP HANA, consulte o guia de implantação do SAP HANA (em inglês).

Implantação

O SAP Business Suite em SAP HANA é formado pelos seguintes componentes técnicos:

Camada de aplicação:

  • ASCS - ABAP SAP Central Services. Tem os seguintes componentes:
    • Servidor de mensagens (MS, na sigla em inglês): funciona como um canal de comunicação entre servidores de aplicativos. Também lida com a distribuição de carga.
    • Servidor de enfileiramento (ES, na sigla em inglês): controla o mecanismo de bloqueio.
  • PAS - servidor principal de aplicativos.
    • O primeiro ou único servidor de aplicativos do sistema SAP.
  • AAS - servidor extra de aplicativos.
    • Costuma ser implantado para balancear a carga em nível de aplicativo. Também é possível instalar vários AASs para ter maior disponibilidade a partir de uma perspectiva de camadas de aplicativos. Se um dos servidores de aplicativos ficar inativo, todas as sessões do usuário conectadas a esse servidor serão encerradas, mas os usuários poderão efetuar login novamente em outro AAS associado ao ambiente.
  • WD - Web Dispatcher (opcional).
    • Balanceador de carga de software inteligente que distribui solicitações HTTP e HTTPS com base no tipo de aplicativo, para PAS e AAS.

Camada de banco de dados:

  • SAP HANA

Modelos de implantação

É possível implantar o SAP Business Suite em SAP HANA no GCP em dois modelos: implantação centralizada ou distribuída.

Implantação centralizada

Em uma implantação centralizada, é possível instalar o SAP Business Suite e o banco de dados na mesma instância do Compute Engine. Recomendamos essa abordagem para ambientes que não estejam relacionados à produção, como ambientes de simulação e de desenvolvimento.

O diagrama a seguir mostra uma arquitetura de referência para o SAP Business Suite em SAP HANA, em um modelo de implantação centralizada. Observe que SAP ASCS, PAS e HANA estão instalados na mesma instância.

SAP ASCS, PAS e HANA são instalados em uma única VM

Implantação distribuída

Em uma implantação distribuída, é possível instalar os aplicativos do SAP Business Suite e o banco de dados do SAP HANA em diferentes instâncias do Compute Engine. Recomendamos essa abordagem para ambientes de produção ou que exigem muita capacidade computacional para processar cargas intensas de transação. Cada um dos componentes da camada de aplicativo SAP descritos anteriormente (em "Implantação") pode ser instalado de forma independente, em instâncias diferentes.

Além disso, opcionalmente, é possível instalar um ou mais servidores extras de aplicativos (AAS, na sigla em inglês), dependendo das exigências do negócio.

O diagrama a seguir mostra uma arquitetura de referência para o SAP Business Suite no SAP HANA, em um modelo de implantação distribuída.

SAP Business Suite, PAS e ASCS são instalados em uma VM, e o SAP HANA é instalado em outra VM.

O SAP Business Suite e o banco de dados SAP HANA estão instalados em diferentes instâncias do Compute Engine. O banco de dados precisa ser instalado usando o método de implantação certificado pelo GCP. Para detalhes sobre como instalar um banco de dados do SAP HANA para escalonamento vertical ou horizontal do SAP HANA, consulte o Guia de implantação do SAP HANA. Atualmente, o SAP Business Suite no SAP HANA é compatível apenas com um modelo de escalonamento vertical.

Alta disponibilidade e recuperação de desastres

Alta disponibilidade (HA, na sigla em inglês) e recuperação de desastres (DR, na sigla em inglês) são conjuntos de técnicas, práticas de engenharia e princípios de design que permitem que os negócios continuem em caso de falha. Essas abordagens funcionam porque eliminam pontos únicos de falha e permitem retomar as operações rapidamente após o sistema ou o componente ficarem indisponíveis, com o mínimo de interrupção nos negócios. A recuperação de falhas é o processo de recuperar e retomar as operações após uma interrupção causada por uma falha de componente.

Por exemplo, aqui estão algumas ferramentas de alta disponibilidade e recuperação de desastres:

Alta disponibilidade

Considere os componentes a seguir para garantir a alta disponibilidade do SAP Business Suite em SAP HANA:

  • Banco de dados SAP HANA (HDB, na sigla em inglês)
  • ABAP Central Services (ASCS)
  • Servidor principal de aplicativos (PAS, na sigla em inglês)

Banco de dados SAP HANA: recomendamos a solução de replicação do sistema SAP HANA (HSR, na sigla em inglês) para ter um banco de dados de alta disponibilidade. Nesse contexto, a replicação do sistema é configurada entre os nós primário e secundário, enquanto os dados são replicados do disco permanente principal para o secundário. Para mais detalhes, consulte Como configurar a replicação do sistema SAP HANA no guia de administração do SAP HANA, disponível no SAP Help Portal.

No contexto de replicação do sistema SAP HANA, por padrão, o failover não é automatizado. É possível implementar o failover usando clusters no nível de sistema operacional, que tem o intuito de gerenciar falhas de componentes. Clusters envolvem o uso de vários servidores, dispositivos de armazenamento e interconexões para formar um sistema único altamente disponível. Para mais detalhes sobre como configurar a alta disponibilidade para o SAP HANA, consulte o guia de planejamento do SAP HANA para alta disponibilidade e recuperação de desastres (em inglês).

ABAP Central Services: o ASCS é um servidor de mensagens (MS) e um servidor de enfileiramento (ES). O servidor de mensagens funciona como um canal de comunicação entre os servidores de aplicativos e processa a distribuição de carga, enquanto o servidor de enfileiramento controla o mecanismo de bloqueio. Recomendamos que você use uma solução de clustering para ter alta disponibilidade no ASCS. Para implementar alta disponibilidade, instale o ABAP Central Services (ASCS) e enfileire o serviço de replicação (ERS) em nós primários e secundários. Quando o nó primário fica inativo, os serviços de mensagem e enfileiramento (MS/ES) efetuam automaticamente o failover do nó secundário. Quando o nó primário fica disponível novamente, é possível fazer um failover para o nó primário original de forma automática ou manual. Para mais detalhes, consulte o guia de configuração da SUSE para cluster de alta disponibilidade do SAP ASCS.

O diagrama a seguir mostra uma arquitetura para implementar a alta disponibilidade no ASCS.

Uma VM hospeda o ASCS ativo e o ERS inativo. Outra VM hospeda o ASCS inativo e o ERS ativo. O par de VMs e o par de ERSs têm VIPs próprios

Servidor principal de aplicativos: para ter alta disponibilidade no servidor principal de aplicativos, instale mais servidores de aplicativos (AAS). É possível instalar vários AASs para ter maior disponibilidade. Se um dos servidores de aplicativos ficar inativo, todas as sessões de usuário conectadas a esse servidor serão encerradas, mas os usuários poderão fazer login em outros servidores de aplicativos. O Google Cloud Platform oferece um recurso de migração em tempo real que pode ser usado para PAS de alta disponibilidade. Para mais informações, consulte Migração em tempo real.

Recuperação de desastres

Use os métodos a seguir para recuperar um sistema SAP Business Suite em SAP HANA de um desastre:

  • Replicação do sistema SAP HANA
  • Backup do SAP HANA

Replicação do sistema SAP HANA

Para cenários de recuperação de desastres, recomendamos que você mantenha o sistema em espera em uma região diferente do sistema principal e use replicação assíncrona.

Escolha a opção de replicação do sistema SAP HANA que melhor se adapta às suas necessidades de negócio no que se refere a objetivos de ponto de recuperação (RPO, na sigla em inglês) e que tenha o melhor custo/benefício para você.

O diagrama a seguir mostra o fluxo de replicação. Especificamente, veja o que acontece:

  1. O IP virtual (VIP, na sigla em inglês) é configurado para apontar apenas para o nó ativo (leitura/gravação).
  2. Neste cenário, o nó 1 desempenha a função principal. Quando um failover é acionado, o nó 2 assume e funciona como o nó primário, enquanto o IP virtual é movido para o nó 2.

Um cluster de alta disponibilidade do SAP HANA em uma região do GCP. A replicação assíncrona mantém um único sistema HANA em outra região

Backup e recuperação

Faça backups do servidor de aplicativos e do banco de dados regularmente para que você possa se recuperar em caso de falha do sistema, corrupção de dados ou outros problemas.

Backups

Você tem várias opções para fazer backup dos dados do SAP HANA no Google Cloud, incluindo:

  • Fazer o backup diretamente no Cloud Storage usando o agente Cloud Storage Backint certificado para SAP HANA pela SAP (agente Backint).
  • Fazer backup de um disco permanente e, em seguida, fazer o upload dos backups para o Cloud Storage.
  • Tirar instantâneos do disco que contém o diretório /hanabackup usando a função de instantâneo do Compute Engine.

Agente Backint do Cloud Storage para SAP HANA

Instale o agente Backint do Cloud Storage para SAP HANA (agente Backint), que simplifica o armazenamento de backup. O agente Backint integra-se às funções nativas de backup e recuperação do SAP HANA para que você possa fazer o backup direto para o Cloud Storage e recuperá-lo sem precisar armazenar seus backups em discos permanentes. Para mais informações, consulte o guia de operações do SAP HANA (em inglês).

Para informações sobre o certificado da SAP referente ao agente Backint do Cloud Storage para SAP HANA, consulte a Nota SAP 2031547 (em inglês). O diagrama a seguir mostra o fluxo de backups usando o agente Backint.

O diagrama mostra o SAP HANA com o agente Backint fazendo backup diretamente para o Cloud Storage

Como fazer backups em discos permanentes

É possível usar as funções nativas de backup e recuperação do SAP HANA para armazenar backups em discos permanentes do Compute Engine. Também é possível usar um bucket do Cloud Storage para armazenar backups a longo prazo.

Quando está funcionando normalmente, o SAP HANA salva automaticamente no disco os dados da memória, em pontos regulares de salvamento. Além disso, todas as alterações de dados são capturadas nas entradas de redo logs. Uma entrada de redo log é gravada no disco após cada transação de banco de dados confirmada. É possível enviar o backup de redo logs a armazenamentos de longo prazo, em intervalos regulares.

A partir do SAP HANA 2.0, é necessário usar o cockpit do SAP HANA para fazer o backup do SAP HANA.

O diagrama a seguir mostra o fluxo do recurso de backup para SAP HANA.

Os backups são criados em disco permanente e, em seguida, armazenados no Cloud Storage

Como fazer backup de discos permanentes usando snapshots

Outra opção que pode ser adicionada à sua estratégia de backup são os instantâneos de discos inteiros feitos por meio do recurso de instantâneo de disco permanente do Compute Engine. Por exemplo, tire instantâneos programados do disco de diretórios de backup para usar em cenários de recuperação de desastres. Para garantir a consistência do aplicativo, tire instantâneos quando o volume de destino não estiver sendo alterado. Os instantâneos ocorrem no nível de bloco.

Após o primeiro snapshot, cada snapshot subsequente é incremental e armazena apenas alterações incrementais em blocos, conforme mostrado no diagrama a seguir.

Um snapshot completo dos dados do SAP HANA e dos dados do aplicativo. Os snapshots subsequentes são incrementais.

Recuperação

As ferramentas de recuperação do SAP HANA podem ser recuperadas para o último momento ou para um ponto específico. Essas ferramentas podem ser usadas para restaurar para um novo sistema ou criar uma cópia do banco de dados. Ao contrário de backups, que podem ser executados enquanto o banco de dados está em operação, as ferramentas de recuperação só podem ser usadas enquanto o banco de dados estiver desligado. As opções de recuperação estão listadas abaixo. Escolha uma opção apropriada para sua situação.

  • Restaurar para o estado mais recente, usando qualquer um dos recursos a seguir:
    • Backup completo ou snapshot.
    • Entradas de redo log que ainda estão disponíveis
  • Restaurar para um ponto no passado.
  • Restaurar para um backup completo específico.

Notas SAP importantes antes da implantação

Antes de começar a implantar os sistemas SAP no Google Cloud, leia as notas SAP na lista a seguir. Elas são relevantes para a configuração planejada. Antes de realizar qualquer implementação de produto SAP, sempre verifique o SAP Marketplace para ver os guias e notas de instalação mais atuais do produto.