Imagens

Use imagens do sistema operacional para criar discos de inicialização para suas instâncias. É possível usar um dos tipos de imagem a seguir:

É possível usar a maioria das imagens públicas sem custo adicional, mas existem algumas imagens premium que adicionam custos às suas instâncias. As imagens personalizadas que você importa para o Compute Engine não adicionam nenhum custo às suas instâncias, mas incorrem em uma cobrança de armazenamento da imagem enquanto você mantém sua imagem personalizada no seu projeto.

Algumas imagens são capazes de executar contêineres no Compute Engine.

Imagens públicas

O Compute Engine oferece muitas imagens públicas pré-configuradas que têm sistemas operacionais Linux e Windows compatíveis. Use essas imagens de sistemas operacionais para criar e iniciar instâncias. O Compute Engine usa a imagem selecionada a fim de criar um disco de inicialização permanente para cada instância. Por padrão, o disco de inicialização para uma instância é do mesmo tamanho que a imagem que você selecionou. Se a instância exigir um disco de inicialização permanente maior que o tamanho da imagem, redimensione o disco de inicialização.

Para ver a lista completa de imagens públicas com os respectivos nomes de imagens, números de versões e tamanhos de imagem, acesse a página "Imagens" no console. O Google atualiza as imagens públicas regularmente ou quando um patch para um CVE de impacto crítico está disponível.

Acessar a página "Imagens"

Apenas algumas imagens recebem suporte da equipe do Compute Engine. Você pode receber suporte para imagens do recurso relacionado na coluna Canal de suporte.

Imagens com suporte de VM protegida

O Compute Engine fornece imagens de VM protegida com versões de 64 bits dos sistemas operacionais a seguir:

Sistema operacional Canal de suporte Família de imagens Projeto de imagem Observações Iniciar uma instância
CentOS Compute Engine (em inglês) centos-7
gce-uefi-images Iniciar
SO do Google otimizado para contêineres Compute Engine cos-69-lts
cos-stable
cos-beta
cos-dev
gce-uefi-images
Red Hat Enterprise Linux (RHEL) (em inglês) Compute Engine rhel-7 gce-uefi-images Imagem premium Iniciar
Ubuntu Compute Engine ubuntu-1804-lts gce-uefi-images
Windows Server Compute Engine windows-2019
windows-2019-core
windows-1809-core
windows-1803-core
windows-2016
windows-2016-core
windows-2012-r2
windows-2012-r2-core
gce-uefi-images Imagem premium

Imagens sem suporte de VM protegida

O Compute Engine oferece imagens públicas com versões de 64 bits dos sistemas operacionais a seguir. Para mais informações sobre cada SO, incluindo como cada um é personalizado para execução no Compute Engine, consulte Detalhes do sistema operacional.

Sistema operacional Canal de suporte Família de imagens Projeto de imagem Observações Iniciar uma instância
CentOS Compute Engine centos-7
centos-6
centos-cloud Iniciar
SO do Google otimizado para contêineres Compute Engine cos-69-lts
cos-stable
cos-beta
cos-dev
cos-cloud Iniciar
CoreOS Suporte do CoreOS coreos-stable
coreos-beta
coreos-alpha
coreos-cloud Iniciar
Debian Compute Engine debian-10
debian-9
debian-cloud Iniciar
Red Hat Enterprise Linux (RHEL) Compute Engine rhel-8
rhel-7
rhel-6
rhel-cloud Imagem premium Iniciar
RHEL para SAP Compute Engine rhel-7-6-sap-ha
rhel-7-4-sap
rhel-sap-cloud Imagem premium Iniciar
SUSE Enterprise Linux Server (SLES) Compute Engine sles-15
sles-12
suse-cloud Imagem premium Iniciar
SLES para SAP Compute Engine sles-15-sp1-sap
sles-15-sap
sles-12-sp4-sap
sles-12-sp3-sap
sles-12-sp2-sap
sles-12-sp1-sap
suse-sap-cloud Imagem premium Iniciar
Ubuntu Compute Engine ubuntu-1804-lts
ubuntu-minimal-1804-lts
ubuntu-1604-lts
ubuntu-minimal-1604-lts
ubuntu-1404-lts
ubuntu-1904
ubuntu-minimal-1904
ubuntu-os-cloud Iniciar
Windows Server Compute Engine windows-2019
windows-2019-for-containers
windows-2019-core
windows-2019-core-for-containers
windows-1809-core
windows-1809-core-for-containers
windows-1803-core
windows-1803-core-for-containers
windows-2016
windows-2016-core
windows-2012-r2
windows-2012-r2-core
windows-2008-r2
windows-cloud Imagem premium Iniciar
SQL Server no Windows Server Compute Engine Famílias de imagens do SQL Server windows-sql-cloud Imagem premium Iniciar

Imagens do SQL Server

O Compute Engine oferece imagens que incluem o SQL Server pré-instalado no Windows Server. O projeto de imagem pública windows-sql-cloud inclui famílias de imagens das edições do SQL Server a seguir:

  • SQL Server Enterprise
    • sql-ent-2017-win-2016
    • sql-ent-2016-win-2016
    • sql-ent-2016-win-2012-r2
    • sql-ent-2014-win-2012-r2
    • sql-ent-2014-win-2016
    • sql-ent-2012-win-2012-r2
  • SQL Server Standard
    • sql-std-2017-win-2016
    • sql-std-2016-win-2016
    • sql-std-2016-win-2012-r2
    • sql-std-2014-win-2012-r2
    • sql-std-2012-win-2012-r2
  • SQL Server Web
    • sql-web-2017-win-2016
    • sql-web-2016-win-2016
    • sql-web-2016-win-2012-r2
    • sql-web-2014-win-2012-r2
    • sql-web-2012-win-2012-r2
  • SQL Server Express
    • sql-exp-2017-win-2016
    • sql-exp-2017-win-2012-r2

Consulte os detalhes completos sobre imagens do SQL Server em Visão geral do SQL Server.

Ciclo de vida e política de suporte do sistema operacional

O suporte a imagens do SO públicas fornecidas pelo Compute Engine está sujeito ao ciclo de vida do sistema operacional. Salvo indicação contrária, o Google geralmente publica imagens atualizadas mensalmente. As atualizações de imagem publicadas incluem atualizações de segurança e outras atualizações instaladas para versões de sistemas operacionais no estágio de suporte principal do ciclo de vida. Quando uma versão do sistema operacional entra em estágios estendidos do ciclo de vida, o Google não fornece imagens atualizadas mensalmente. As imagens publicadas anteriormente são marcadas como obsoletas. As imagens marcadas como obsoletas estão disponíveis para uso, mas a disponibilidade das atualizações de segurança está sujeita à disponibilidade do distribuidor/sistema operacional (por exemplo, Microsoft, Red Hat, Canonical) ou à comunidade de código aberto correspondente (por exemplo, Debian).

O Google geralmente não oferece suporte a novos recursos para essas versões no estágio de ciclo de vida estendido ou após o ciclo de vida estendido.

Você pode consultar a seção "Ciclo de vida" na seção "Detalhes do sistema operacional" para ver informações específicas sobre o ciclo de vida do sistema operacional do seu interesse.

Imagens personalizadas

Uma imagem personalizada é um disco de inicialização que você possui e controla. Use imagens personalizadas para as tarefas a seguir:

Recursos do sistema operacional convidado

Alguns recursos do sistema operacional convidado estão disponíveis somente em determinadas imagens. Por exemplo, o SCSI multiqueue é habilitado somente em algumas imagens públicas.

Se você precisa habilitar esses recursos em imagens personalizadas, especifique um ou mais recursos do sistema operacional convidado ao criar uma imagem personalizada.

Famílias de imagens personalizadas

Se você atualiza suas imagens personalizadas regularmente com configurações e softwares mais recentes, é possível agrupá-las em uma família de imagens. A família de imagens sempre indica a imagem mais recente que ela contém, assim seus modelos e scripts de instâncias podem usar essa imagem sem ter que atualizar as referências para uma versão específica de imagem. Leia Configuração de versões de imagens em uma família de imagens para saber mais.

Famílias de imagens

As famílias de imagens simplificam o processo de gerenciamento de imagens em seu projeto agrupando as imagens relacionadas e facilitando a alternância entre versões específicas da imagem. Uma família de imagens sempre indica a versão mais recente de uma imagem que não esteja obsoleta. A maioria das imagens públicas são agrupadas em famílias de imagens. Por exemplo, a família de imagens debian-9 no projeto debian-cloud sempre indica a imagem mais recente do Debian 9.

Você pode adicionar suas próprias imagens a uma família ao criar uma imagem personalizada. A família de imagens indica a imagem mais recente adicionada a essa família. Como a família de imagens nunca indica uma imagem obsoleta, reverter a família de imagens para uma versão anterior da imagem é tão simples quanto tornar obsoleta a imagem mais recente nessa família. Leia Configuração de versões de imagens em uma família de imagens para saber mais.

Detalhes do sistema operacional

Algumas imagens de sistemas operacionais são personalizadas especificamente para execução no Compute Engine e têm diferenças significativas em relação às imagens padrão vindas diretamente do fornecedor do sistema operacional. As seções a seguir oferecem mais detalhes sobre essas diferenças.

CentOS

O CentOS é uma plataforma de sistema operacional gratuita derivada dos códigos-fonte do Red Hat Enterprise Linux (RHEL). O Compute Engine é compatível e oferece imagens do CentOS 7 e do CentOS 6. Para ver as notas da versão completas, consulte a documentação do CentOS 7 e a documentação do CentOS 6 (ambas em inglês).

Iniciar uma instância com uma imagem pública do CentOS

O Compute Engine oferece a versão pontual mais recente do CentOS. Se você executar uma instância do CentOS iniciada de uma versão pontual anterior, ela será atualizada automaticamente para a versão pontual mais recente. Essa atualização pode exigir uma reinicialização para ser concluída.

Atualizações automáticas

O Google Compute Engine não atualiza automaticamente o sistema operacional ou o software em suas instâncias. Contudo, o gerenciador de pacotes do CentOS é pré-configurado pelo fornecedor do sistema operacional para aplicar automaticamente os patches de segurança e os upgrades do sistema à sua instância do CentOS.

Essas atualizações automáticas do fornecedor do sistema operacional não fazem o upgrade de instâncias entre versões principais do sistema operacional. As atualizações aplicam upgrades do sistema somente a versões secundárias. Os pacotes instalados, os patches de segurança e os upgrades do sistema podem ser atualizados automaticamente pelas instâncias do CentOS.

Diferenças significativas em relação às imagens padrão do CentOS

As imagens do CentOS fornecidas pelo Google Compute Engine apresentam as diferenças a seguir em relação às imagens padrão do CentOS:

  • Todos os pacotes estão atualizados de acordo com a data da imagem, e a imagem refletirá a versão pontual mais recente do CentOS.
  • Os repositórios do Google Cloud podem instalar pacotes do ambiente convidado do Google Compute Engine.
  • O SDK do Google Cloud está instalado.
  • A MTU eth0 está definida como 1460.
  • O DHCP está definido para repetir a cada dez segundos, e não a cada cinco minutos.
  • O cliente DHCP está definido como modo permanente, e não de única tentativa.
  • O nome do host é definido por meio de um hook de saída do DHCP e será reconfigurado para corresponder ao nome da instância sempre que a rede for ativada.
  • O tempo limite da inicialização está definido como 0 com o objetivo de forçar inicializações rápidas, já que a configuração de um grub não é acessível.
  • O Python 2.7 SCL está instalado no EL6, além do pacote Python 2.6 normal.
  • O servidor SSH está instalado e ativado.
  • A configuração do servidor SSH está definida para desativar a autenticação por senha. ServerAliveInterval e ClientAliveInterval estão definidos como sete minutos para evitar desconexões do SSH, e os logins de root estão desativados por SSH.
  • /etc/udev/rules.d/75-persistent-net-generator.rules está desativado, e /etc/udev/rules.d/70-persistent-net.rules foi removido para evitar a permanência de endereços MAC.
  • O servidor NTP está definido para usar o servidor de metadados do Compute Engine.
  • As atualizações automáticas são ativadas por meio do yum-cron.
  • Por padrão, todo o tráfego é permitido por meio do firewall. O firewall continua ativado e configurável pelos métodos normais do CentOS.
  • Rsyslog está configurado para enviar mensagens do daemon e do kernel para o console.

Ciclo de vida

Família de imagens Fim do suporte principal e data de suspensão do uso da imagem
CentOS 6 November 30, 2020
CentOS 7 June 30, 2024

Suporte

Se você tiver problemas ao executar as imagens do CentOS oferecidas pelo Google, envie um relatório ou publique sua pergunta no fórum gce-discussion (em inglês).

Se não conseguir executar outra versão do CentOS que não é fornecida pelo Google, entre em contato com a Comunidade CentOS (em inglês) para receber ajuda.

Container-Optimized OS

O Container-Optimized OS do Google é uma imagem de sistema operacional para suas instâncias do Compute Engine otimizada para executar contêineres do Docker.

As imagens cos são compatíveis com estes itens:

  • Framework de metadados do Google Compute Engine
  • Ambiente convidado do Compute Engine
  • cloud-init
  • Ambiente de execução do Docker
  • Kubernetes
  • Atualizações automáticas

Para saber mais, leia a Visão geral do Container-Optimized OS.

CoreOS

O CoreOS é uma nova distribuição que oferece os elementos necessários para executar as pilhas de infraestrutura modernas. O CoreOS usa contêineres do Linux para gerenciar seus serviços em um nível de abstração mais elevado. O Compute Engine oferece imagens do CoreOS com criação e suporte do CoreOS.

Aprender a criar uma instância com uma imagem pública do CoreOS

Suporte

Para instruções detalhadas sobre o uso de imagens do CoreOS, consulte Como executar o CoreOS no Google Compute Engine.

Se você tiver problemas na execução dessas imagens do CoreOS, entre em contato com o fórum do CoreOS (em inglês) para receber ajuda.

Diferenças significativas em relação às imagens padrão do CoreOS

Para imagens do CoresOS fornecidas pelo Google Compute Engine, o SDK do Google Cloud e o ambiente convidado estão instalados.

Debian

O Debian é um sistema operacional gratuito oferecido pela comunidade Debian (em inglês). O Compute Engine oferece e é compatível com as imagens Debian a seguir:

  • Debian 10 Buster
  • Debian 9 Stretch

Iniciar uma instância com uma imagem pública do Debian

Atualizações automáticas para a versão de imagem v20160606 e mais recentes

O Google Compute Engine não atualiza automaticamente o sistema operacional ou o software em suas instâncias. Entretanto, a ferramenta unattended-upgrades está instalada e configurada para atualizar automaticamente o software do repositório de segurança do Debian.

O repositório de segurança algumas vezes inclui patches de kernel, mas eles não têm efeito até que você reinicie sua instância. O Google Compute Engine não reinicia automaticamente as instâncias em execução, por isso é necessário reiniciar suas instâncias manualmente para usar o kernel atualizado. A ferramenta unattended-upgrades (em inglês) conta com um mecanismo que realiza a reinicialização automática quando exigido por uma atualização de segurança crítica. As atualizações automáticas da segurança do Debian não fazem o upgrade de instâncias entre versões principais do sistema operacional.

Diferenças significativas em relação às imagens padrão do Debian

As imagens do Debian fornecidas pelo Google Compute Engine contêm as seguintes diferenças em relação às imagens padrão do Debian:

  • Todos os pacotes estão atualizados de acordo com a data da imagem, e a imagem refletirá a versão pontual mais recente do Debian.
  • Os códigos-fonte Apt estão configurados para usar o Debian CDN (em inglês).
  • O SDK do Google Cloud está instalado.
  • Os repositórios do Google Cloud podem instalar pacotes do ambiente convidado do Google Compute Engine.
  • A MTU eth0 está definida como 1460.
  • O DHCP está definido para repetir a cada dez segundos, e não a cada cinco minutos.
  • O nome do host é definido por meio de um hook de saída do DHCP e será reconfigurado para corresponder ao nome da instância sempre que a rede for ativada.
  • O tempo limite da inicialização está definido como 0 com o objetivo de forçar inicializações rápidas, já que a configuração de um grub não é acessível.
  • O OpenSSH está instalado e ativado.
  • A geração de registros do console serial é ativada por meio da linha de comando do kernel no grub.
  • O agendador padrão de blocos foi alterado para não operante por meio da configuração do grub para aprimorar o desempenho de disco do Compute Engine.
  • A configuração do servidor SSH está definida para desativar a autenticação por senha.
  • /etc/udev/rules.d/70-persistent-net.rules foi removido para evitar a permanência de endereços MAC.
  • O servidor NTP está configurado para usar o servidor de metadados do Compute Engine.
  • O pacote cloud-initramfs-growroot está instalado para realizar a expansão do disco de inicialização durante a inicialização.
  • A ferramenta unattended-upgrades está instalada e configurada para fazer o download e a instalação de atualizações de segurança do Debian diariamente. É possível configurá-la ou desativá-la alterando os valores em /etc/apt/apt.conf.d/50unattended-upgrades e /etc/apt/apt.conf.d/02periodic.
  • O Debian 9 Stretch não usa nomeação de interface de rede preditiva. net.ifnames=0 está definido nos argumentos da linha de comando grub kernel. Portanto, as interfaces de rede ainda usam a nomeação ethN tradicional com a interface padrão sempre como eth0.

Ciclo de vida

Família de imagens Fim do suporte principal e data de suspensão do uso da imagem
Debian 9 (Stretch) July 2020

Suporte

Se você tiver problemas ao executar as imagens do Debian oferecidas pelo Google, envie um relatório ou publique sua pergunta no fórum gce-discussion (em inglês).

Se você não conseguir executar outra versão do Debian que não seja fornecida pelo Google, envie sua pergunta para a Comunidade Debian (em inglês).

RHEL

Red Hat Enterprise Linux (RHEL) é um sistema operacional Linux de código aberto que fornece sistemas operacionais para servidores e desktops.

O Compute Engine oferece as imagens a seguir:

Red Hat Enterprise Linux Red Hat Enterprise Linux para SAP com HA e Update Services

Iniciar uma instância com uma imagem pública do RHEL

O Compute Engine oferece a versão pontual mais recente do RHEL. Se você executar uma instância do RHEL iniciada com base em uma versão pontual anterior, ela será atualizada automaticamente para a versão pontual mais recente. Essa atualização pode exigir uma reinicialização para ser concluída.

Atualizações automáticas

O Google Compute Engine não atualiza automaticamente o sistema operacional ou o software em suas instâncias. Contudo, o gerenciador de pacotes do RHEL é pré-configurado pelo fornecedor do sistema operacional para aplicar automaticamente os patches de segurança e os upgrades do sistema à sua instância do RHEL.

Essas atualizações automáticas do fornecedor do sistema operacional não fazem o upgrade de instâncias entre versões principais do sistema operacional. As atualizações aplicam upgrades do sistema somente a versões secundárias. As instâncias do RHEL podem atualizar automaticamente os pacotes instalados, além dos patches de segurança e dos upgrades do sistema.

Red Hat Cloud Access: use sua própria assinatura do RHEL

Os assinantes de produtos do Red Hat Enterprise têm o benefício extra do Red Hat Cloud Access, que permite migrar as assinaturas atuais dos clientes empresariais para que as utilizem no Google Compute Engine. Isso permite usar uma versão diferente do RHEL do que a oferecida atualmente pelo Google nas instâncias do Compute Engine ou migrar sua própria imagem do RHEL para o Compute Engine. Para mais informações, consulte a página do Red Hat Cloud Access (em inglês).

Ciclo de vida

Família de imagens Fim do suporte principal e data de suspensão do uso da imagem
RHEL 6 November, 2020
RHEL 7 June, 2024
RHEL 8 May, 2029

Suporte

Se você tem suporte pago no Google Cloud Platform, envie um relatório por meio de um dos canais de suporte. Caso contrário, publique no grupo gce-discussion (em inglês).

Se já for assinante do Red Hat Cloud Access, entre em contato com seu representante da Red Hat para informações sobre como migrar sua assinatura para o Compute Engine.

Diferenças significativas entre as imagens padrão do RHEL e do CentOS

As imagens do RHEL fornecidas pelo Google Compute Engine apresentam as seguintes diferenças em relação às imagens padrão do RHEL:

  • Todos os pacotes são atualizados de acordo com a data da imagem, e a imagem refletirá a versão pontual mais recente do RHEL.
  • Os repositórios do Google Cloud podem instalar pacotes do ambiente convidado do Google Compute Engine.
  • O SDK do Google Cloud está instalado.
  • A MTU eth0 está definida como 1460.
  • O DHCP está definido para repetir a cada dez segundos, e não a cada cinco minutos.
  • O cliente DHCP está definido como modo permanente, e não de única tentativa.
  • O nome do host é definido por meio de um hook de saída DHCP e será reconfigurado para corresponder ao nome da instância sempre que a rede for ativada.
  • O tempo limite da inicialização está definido como 0 a fim de forçar inicializações rápidas, já que a configuração de um grub não é acessível.
  • O Python 2.7 SCL está instalado no EL6, além do pacote Python 2.6 normal.
  • O servidor SSH está instalado e ativado.
  • A configuração do servidor SSH está definida para desativar a autenticação por senha. O ServerAliveInterval e o ClientAliveInterval estão definidos como sete minutos para evitar desconexões do SSH, e o login de root foi desativado por SSH.
  • /etc/udev/rules.d/75-persistent-net-generator.rules está desativado, e /etc/udev/rules.d/70-persistent-net.rules foi removido para evitar a permanência de endereços MAC.
  • O servidor NTP está configurado para usar o servidor de metadados do Compute Engine.
  • As atualizações automáticas são ativadas por meio do yum-cron.
  • Por padrão, todo o tráfego é permitido por meio do firewall. O firewall continua ativado e pode ser configurado pelos métodos normais do RHEL.
  • Rsyslog está configurado para enviar mensagens do daemon e do kernel para o console.
  • Os servidores de atualização da Red Hat Update Infrastructure (RHUI) estão hospedados no Compute Engine.

SUSE

SUSE Linux Enterprise Server (SLES) é um sistema operacional versátil para servidores. Com ele, é possível implantar serviços de TI de nível empresarial altamente disponíveis em ambientes de TI mistos com o melhor desempenho e risco reduzido.

O Compute Engine oferece as imagens a seguir:

SUSE Linux Enterprise Server SLES para SAP

Essas imagens têm uma configuração similar à das imagens do Debian e do CentOS fornecidas pelo Google. Elas vêm pré-instaladas com os pacotes de imagens do Compute Engine (em inglês).

Iniciar uma instância com uma imagem pública do SUSE

Ciclo de vida

Para diretrizes de ciclo de vida mais detalhadas, consulte Ciclo de vida da imagem de nuvem pública do SUSE (em inglês).

Família de imagens Fim do suporte principal e data de suspensão do uso da imagem
SLES 11 March, 2019
SLES 12 October, 2024
SLES 15 July, 2031
SLES for SAP Consulte a página do ciclo de vida do produto SUSE.

Suporte

Se você tem suporte pago no Google Cloud Platform, envie um relatório por meio de um dos canais de suporte. Caso contrário, publique no grupo gce-discussion (em inglês).

Diferenças significativas em relação às imagens padrão do SUSE

As imagens do SUSE fornecidas pelo Compute Engine apresentam as seguintes diferenças em relação às imagens padrão do SUSE:

  • Contêm o ambiente convidado do Compute Engine.
  • Utilizam servidores de atualização para a Subscription Management Tool (SMT) do SUSE hospedada no Compute Engine.

Imagens do tipo Traga sua própria assinatura (BYOS, na sigla em inglês)

Se você precisar reutilizar as licenças do SLES atuais para criar instâncias do Compute Engine, use as imagens Traga sua própria assinatura (BYOS), que também são chamadas de imagens Traga sua própria licença (BYOL, na sigla em inglês) e estão disponíveis no projeto suse-byos-cloud. Leia os detalhes em SUSE BYOS (em inglês).

Como implantar em uma VPC privada sem endereço IP externo

Se você implantar uma instância do SLES em uma VPC privada sem um endereço IP externo, configure um NAT (em inglês) para que a instância alcance os servidores de repositório do SUSE. Leia Opções de acesso privado para serviços e Como configurar os Gateways de NAT nas redes VPC para saber mais.

UBUNTU

Ubuntu é um sistema operacional gratuito com desenvolvimento e suporte da Canonical. O Compute Engine oferece as seguintes versões LTS, mínimas e regulares do Ubuntu:

Iniciar uma instância com uma imagem pública do Ubuntu

As imagens Long Term Support (LTS, na sigla em inglês) (link em inglês) do Ubuntu recebem correções de bugs e atualizações de segurança durante cinco anos após a data da versão. É possível executar as imagens LTS nas instâncias por vários anos sem ter que fazer upgrade para uma versão mais recente.

O suporte das imagens mínimas (em inglês) do Ubuntu é igual ao das imagens LTS do Ubuntu.

As imagens regulares (não LTS) do Ubuntu recebem suporte por nove meses a partir da data da versão. Para continuar usando uma imagem regular do Ubuntu, será necessário fazer upgrade para a próxima versão regular do Ubuntu, ou uma versão LTS, após o término do ciclo de suporte para receber correções e atualizações. O Compute Engine recomenda o uso de imagens LTS do Ubuntu, a menos que você precise de recursos ou pacotes de software ainda não incluídos em uma versão LTS. Se as instâncias executam versões do Ubuntu que não são mais compatíveis, faça upgrade para uma versão do Ubuntu compatível (em inglês).

Atualizações automáticas

O Google Compute Engine não atualiza automaticamente o sistema operacional ou o software em suas instâncias. Entretanto, o gerenciador de pacotes do Ubuntu é pré-configurado pelo fornecedor do sistema operacional para aplicar automaticamente os patches de segurança e os upgrades do sistema à instância do Ubuntu.

Essas atualizações automáticas do fornecedor do sistema operacional não fazem o upgrade de instâncias entre versões principais do sistema operacional. As atualizações aplicam upgrades do sistema somente a versões secundárias.

Diferenças significativas em relação às imagens padrão do Ubuntu

Ciclo de vida

Família de imagens Fim do suporte principal e data de suspensão do uso da imagem
Ubuntu 14.04 (Trusty Tahr) April, 2019
Ubuntu 16.04 (Xenial Xerus) April, 2021
Ubuntu 18.04 (Bionic Beaver) April, 2023
Ubuntu 18.10 (Cosmic Cuttlefish) July, 2019
Ubuntu 19.04 (Disco Dingo) January, 2020

Suporte

Se você tiver problemas ao usar as imagens do Ubuntu oferecidas pelo Google, publique uma pergunta no fórum gce-discussion (em inglês) e receba ajuda na comunidade Ubuntu (em inglês).

WINDOWS SERVER

O Windows Server é um sistema operacional com desenvolvimento e suporte da Microsoft.

As imagens do Windows Server no Compute Engine são semelhantes aos sistemas operacionais padrão Windows Server, mas apresentam algumas mudanças significativas descritas abaixo.

INICIAR UMA INSTÂNCIA COM UMA IMAGEM PÚBLICA DO WINDOWS

Atualizações automáticas

As imagens do Windows usam o serviço Windows Update para atualizar automaticamente o sistema operacional Windows quando há atualizações de segurança disponíveis. É possível configurar as atualizações automáticas para que sejam executadas nas instâncias do Windows somente quando você precisar delas.

Componentes fornecidos pelo Google

Os componentes fornecidos pelo Google, como o agente, os metadados e os scripts sysprep, são atualizados automaticamente por meio de uma tarefa programada nas instâncias do Windows Server. Para saber como desativar essas atualizações automáticas, leia Como desativar atualizações automáticas de componentes.

Como configurar os recursos do Windows

É possível configurar vários recursos do Windows Server usando arquivos de configuração nas instâncias ou valores de metadados personalizados nas instâncias e nos projetos. Leia Como configurar os recursos de instâncias do Windows para saber como ativar ou desativar esses recursos.

Windows Server Core

O Compute Engine oferece imagens públicas para o Server Core, uma opção de instalação mínima do servidor que reduz os requisitos de manutenção, o espaço necessário no disco de inicialização, o uso da memória da instância e, para melhorar a segurança, a possível superfície de ataque.

Use essas imagens para executar o Windows Server em instâncias menores a fim de economizar espaço no disco de inicialização ou para executar aplicativos que não exigem um ambiente desktop completo do Windows. É possível se conectar a essas instâncias do Windows usando o protocolo Remote Desktop Protocol (RDP). No entanto, você precisa interagir com o servidor, principalmente por meio do PowerShell. Para mais informações sobre o Server Core, consulte Server Core para Windows Server.

Windows Server Datacenter Edition

O Compute Engine oferece imagens públicas para várias versões do Windows Server, incluindo imagens que fazem parte do ciclo de lançamento semestral do Windows Server. Esses lançamentos semestrais incluem recursos mais recentes do Windows Server que não estão disponíveis nas versões de Canal de manutenção em longo prazo. As imagens de lançamento semestral recebem suporte da Microsoft por 18 meses.

Windows Server para contêineres

O Google oferece uma imagem pública para "Windows Server para contêineres", que é uma imagem do Windows Server Core com os seguintes componentes pré-instalados:

  • Docker
  • Imagens de contêiner windowsservercore e nanoserver (ambos em inglês) da Microsoft
  • Correções para problemas conhecidos. Para executar contêineres do Docker em sua instância do Windows Server, comece com essa imagem para criar uma instância do Windows Server.

Diferenças em relação ao Windows Server básico

  • As imagens do Windows Server não podem ser ativadas sem uma conexão de rede com kms.windows.googlecloud.com e param de funcionar se não forem autenticadas dentro de 30 dias. Crie um IP externo para suas instâncias do Windows de modo que seja possível autenticá-las.
  • Os repositórios do Google Cloud podem instalar pacotes do ambiente convidado do Google Compute Engine.
  • O agente do Windows (em inglês) está instalado e configurado como um serviço. As funcionalidades de gerenciador de contas e de endereços podem ser desativadas.
  • Os metadados e scripts sysprep do Google Compute Engine (em inglês) estão instalados e adicionados ao caminho padrão.
  • O agente do Windows tem um mecanismo de atualização automática para receber atualizações futuras de imagens posteriores à v20150112. Esse mecanismo pode ser desativado.
  • Os scripts de inicialização e desligamento estão definidos para serem executados na inicialização e no desligamento.
  • Os drivers do Google Compute Engine (em inglês) estão instalados e são necessários para inicializar o Windows no Compute Engine.
  • O GooGet (em inglês) está instalado e é usado para gerenciar pacotes de componentes do Windows fornecidos pelo Google Compute Engine.
  • Todas as atualizações do Windows até a data da imagem estão instaladas e estão definidas como automáticas.
  • .Net 4.7 está instalado: .Net 4.7 (em inglês)
  • O Windows Server 2008 R2 tem o WMF 4.0 (em inglês) instalado, que inclui o PowerShell 4.0.
  • O Windows Server 2012 R2 e o 2016 têm o WMF 5.1 (em inglês) instalado, que inclui o PowerShell 5.1.
  • O BGInfo (em inglês) está instalado e ativado para mostrar as informações do host na área de trabalho. No Windows Server 2012 R2, as imagens da área de trabalho não são exibidas por padrão (em inglês).
  • O SDK do Google Cloud está instalado com o próprio ambiente Python 2.7. O SDK do Google Cloud segue as contas de serviço e os escopos das instâncias do projeto e funciona no PowerShell e no CMD.
  • A chave do registro RealTimeIsUniversal está definida. O BIOS é um relógio UTC, não LocalTime.
  • O fuso horário está definido como o horário padrão de Greenwich (GMT, na sigla em inglês), que equivale ao horário UTC.
  • O NTP está configurado para sincronização com o servidor de metadados do Compute Engine.
  • O servidor de metadados do Compute Engine está adicionado ao arquivo hosts.
  • O firewall do Windows está aberto para permitir a comunicação bidirecional com o servidor de metadados do Compute Engine.
  • O KeepAliveTime do TCP está definido como cinco minutos.
  • A Descoberta automática de proxy Web (WPAD, na sigla em inglês) está desativada.
  • As configurações de energia foram alteradas para que o monitor nunca seja desligado.
  • A propriedade BootStatusPolicy está definida para ignorar todas as falhas de inicialização.
  • A propriedade EnableQueryAccessAlignment está ativada para o driver vioscsi.
  • Uma chave de cliente KMS está instalada, e o cliente KMS está configurado para ser ativado por meio dos servidores KMS do Compute Engine.
  • A Área de trabalho remota (RDP, na sigla em inglês) está ativada, e as portas de firewall do Windows associadas estão abertas.
  • O WinRM sobre HTTPS é configurado com um certificado autoassinado, e as portas de firewall do Windows associadas estão abertas.
  • A conta de administrador está desativada.
  • O adaptador ntkvm está configurado para usar o DHCP.
  • A MTU do adaptador ntkvm está definida como 1460.
  • Uma rota permanente foi adicionada ao adaptador netkvm para o servidor de metadados do Compute Engine.
  • As senhas de usuários precisam ter no mínimo oito caracteres.
  • A propriedade LocalAccountTokenFilterPolicy está ativada para conceder acesso aos compartilhamentos de arquivos administrativos.
  • O arquivo de paginação está definido como um tamanho estático de 1 GB.

Ciclo de vida

Consulte a Política de ciclo de vida da Microsoft.

Suporte

Se você tiver problemas ao usar as imagens do Windows oferecidas pelo Google, poderá publicar uma pergunta no gce-discussion (em inglês).

SQL Server

O SQL Server é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional com desenvolvimento e suporte da Microsoft.

As imagens do SQL Server são similares às imagens padrão dos sistemas operacionais Windows Server 2012 R2 e Windows Server 2016, mas incluem o SQL Server pré-instalado e têm algumas diferenças significativas descritas a seguir.

Para mais informações sobre imagens com o SQL Server pré-instalado, consulte a documentação do SQL Server.

INICIAR UMA INSTÂNCIA COM UMA IMAGEM PÚBLICA DO WINDOWS

Atualizações automáticas

As imagens do Windows usam o serviço Windows Update para atualizar automaticamente o sistema operacional Windows quando há atualizações de segurança disponíveis. É possível configurar as atualizações automáticas para que sejam executadas nas instâncias do Windows somente quando você precisar delas.

Componentes fornecidos pelo Google

Os componentes fornecidos pelo Google, como o agente, os metadados e os scripts sysprep, são atualizados automaticamente por meio de uma tarefa programada nas instâncias do Windows Server. Para saber como desativar essas atualizações automáticas, leia Como desativar atualizações automáticas de componentes.

Como configurar os recursos do Windows

É possível configurar vários recursos do Windows Server usando arquivos de configuração nas instâncias ou valores de metadados personalizados nas instâncias e nos projetos. Leia Como configurar os recursos de instâncias do Windows para saber como ativar ou desativar esses recursos.

Diferenças em relação ao Windows Server básico

  • As imagens do Windows Server não podem ser ativadas sem uma conexão de rede com kms.windows.googlecloud.com e param de funcionar se não forem autenticadas dentro de 30 dias. Crie um IP externo para suas instâncias do Windows de modo que seja possível autenticá-las.
  • Os repositórios do Google Cloud podem instalar pacotes do ambiente convidado do Google Compute Engine.
  • O agente do Windows (em inglês) está instalado e configurado como um serviço. As funcionalidades gerenciador de contas e gerenciador de endereços podem ser desativadas.
  • Os metadados e scripts sysprep do Google Compute Engine (em inglês) estão instalados e adicionados ao caminho padrão.
  • O agente do Windows tem um mecanismo de atualização automática para receber atualizações futuras de imagens posteriores à v20150112. Esse mecanismo pode ser desativado.
  • Os scripts de inicialização e desligamento estão definidos para serem executados na inicialização e no desligamento.
  • Os drivers do Google Compute Engine (em inglês) estão instalados e são necessários para inicializar o Windows no Compute Engine.
  • O GooGet (em inglês) está instalado e é usado para gerenciar pacotes de componentes do Windows fornecidos pelo Google Compute Engine.
  • Todas as atualizações do Windows até a data da imagem estão instaladas e estão definidas como automáticas.
  • O Windows Server 2012 R2 tem o .Net 4.6.1 (em inglês) instalado.
  • O Windows Server 2012 R2 tem o WMF 5.0 (em inglês) instalado, que inclui o PowerShell 5.0.
  • O BGInfo (em inglês) está instalado e ativado para mostrar as informações do host na área de trabalho. No Windows Server 2012 R2, as imagens da área de trabalho não são exibidas por padrão (em inglês).
  • O SDK do Google Cloud está instalado com o próprio ambiente Python 2.7. O SDK do Google Cloud segue as contas de serviço e os escopos das instâncias do projeto e funciona no PowerShell e no CMD.
  • A chave do registro RealTimeIsUniversal está definida. O BIOS é um relógio UTC, não LocalTime.
  • O fuso horário está definido como o horário padrão de Greenwich (GMT, na sigla em inglês), que equivale ao horário UTC.
  • O NTP está configurado para sincronização com o servidor de metadados do Compute Engine.
  • O servidor de metadados do Compute Engine está adicionado ao arquivo hosts.
  • O firewall do Windows está aberto para permitir a comunicação bidirecional com o servidor de metadados do Compute Engine.
  • O KeepAliveTime (em inglês) do TCP está definido como cinco minutos.
  • A Descoberta automática de proxy Web (WPAD, na sigla em inglês) está desativada.
  • As configurações de energia foram alteradas para que o monitor nunca seja desligado.
  • A propriedade BootStatusPolicy está definida para ignorar todas as falhas de inicialização.
  • A propriedade EnableQueryAccessAlignment está ativada para o driver vioscsi.
  • Uma chave de cliente KMS está instalada, e o cliente KMS está configurado para ser ativado por meio dos servidores KMS do Compute Engine.
  • A Área de trabalho remota (RDP, na sigla em inglês) está ativada, e as portas de firewall do Windows associadas estão abertas.
  • O WinRM sobre HTTPS é configurado com um certificado autoassinado, e as portas de firewall do Windows associadas estão abertas.
  • A conta de administrador está desativada.
  • O adaptador ntkvm está configurado para usar o DHCP.
  • A MTU do adaptador ntkvm está definida como 1430.
  • Uma rota permanente foi adicionada ao adaptador netkvm para o servidor de metadados do Compute Engine.
  • As senhas de usuários precisam ter no mínimo oito caracteres.
  • A propriedade LocalAccountTokenFilterPolicy está ativada para conceder acesso aos compartilhamentos de arquivos administrativos.
  • O arquivo de paginação está definido como um tamanho estático de 4 GB.

Suporte

Se você tiver problemas com as imagens do SQL Server oferecidas pelo Google, publique uma pergunta no gce-discussion (em inglês).

Imagens com suporte da comunidade

As imagens com suporte da comunidade não têm suporte direto do Google Compute Engine. Sendo assim, a comunidade do projeto é responsável por garantir que as imagens funcionem com os recursos do Compute Engine e que as atualizações de segurança recebam manutenção. As imagens com suporte da comunidade são fornecidas no estado em que se encontram pelas comunidades de projeto responsáveis pela criação e manutenção delas.

Testes do Debian

O Debian é um sistema operacional gratuito oferecido pela comunidade Debian. A imagem de testes do Debian é fornecida com base no melhor esforço para desenvolvimento e testes. Para listar as imagens de teste do Debian, use o comando gcloud a seguir:

gcloud compute images list --project debian-cloud-testing --no-standard-images

openSUSE

O openSUSE é um sistema operacional gratuito, baseado em Linux e patrocinado pelo SUSE. As imagens do openSUSE estão disponíveis no projeto opensuse-cloud. Para listar as imagens do openSUSE, use o comando gcloud a seguir:

gcloud compute images list --project opensuse-cloud --no-standard-images

FreeBSD

O FreeBSD é um sistema operacional gratuito mantido pela comunidade FreeBSD. As imagens do FreeBSD estão disponíveis no projeto freebsd-org-cloud-dev. Para listar as imagens do FreeBSD, use o comando gcloud a seguir:

gcloud compute images list --project freebsd-org-cloud-dev --no-standard-images

A seguir

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Documentação do Compute Engine