Preços do pacote de operações do Google Cloud

O preço do pacote de operações do Google Cloud permite que você controle o uso e os gastos. Os valores dos produtos desse conjunto são determinados pelo volume de dados. Utilize as cotas de uso gratuito para começar sem taxas ou compromissos iniciais.

As tabelas a seguir resumem as informações de preços do Cloud Logging, do Cloud Monitoring e do Cloud Trace:

Resumo dos preços do Cloud Logging

Recurso Preço1 Cota gratuita por mês Início da vigência
Ingestão do Logging US$ 0,50/GiB Primeiros 50 GiB/projeto 1º de julho de 2018
Armazenamento do Logging US$ 0,01/GiB para registros retidos nos últimos 30 dias Os registros retidosdurante o período de retenção padrão não geram custo de armazenamento. 15 de julho de 2021

Resumo dos preços do Cloud Monitoring

Recurso Preço1 Cota gratuita por mês Início da vigência
Dados do Monitoring US$ 0,2580/MiB: 150–100.000 MiB
US$ 0,1510/MiB: 100.000–250.000 MiB
US$ 0,0610/MiB: >250.000 MiB
Todas as métricas do GCP2
Primeiros 150 MiB por conta de faturamento para métricas sujeitas a cobrança
1º de julho de 2018
Chamadas de API do Monitoring US$ 0,01/1.000 chamadas de API de leitura (as chamadas de gravação são gratuitas) Primeiro milhão de chamadas de API de leitura incluídas por conta de faturamento 1º de julho de 2018

Resumo dos preços do Cloud Trace

RECURSO PREÇO COTA GRATUITA POR MÊS INÍCIO DA VIGÊNCIA
Processamento do Trace US$ 0,20/milhão de períodos Primeiros 2,5 milhões de períodos 1º de novembro de 2018

Para informações detalhadas sobre os custos dos produtos do pacote de operações do Google Cloud, consulte as seguintes seções desta página:

Para mais informações sobre preços, consulte a página do Anthos.

Como visualizar o uso

Para ver o uso atual, acesse a página de relatórios do Cloud Billing no Console do Google Cloud.

Acessar o Cloud Billing

Com base nos dados de uso atuais, é possível fazer uma estimativa das faturas usando a calculadora de preços.

Por exemplo, uma configuração em que toda instância de VM do Compute Engine gera 10 GiB de registros sujeitos a cobrança e 20 MiB de métricas sujeitas a cobrança por mês. Ao usar a calculadora de preços, você determina o custo estimado do Cloud Monitoring e do Cloud Logging:

1 VM 10 VMS 100 VMs 1.000 VMs
Custo de métricas por mês US$ 0,00 US$ 12,90 US$ 477,30 US$ 5.121,30
Custo da geração de registros por mês US$ 0,00 US$ 25,00 US$ 475,00 US$ 4.975,00
Custo total: US$ 0,00 US$ 37,90 US$ 952,30 US$ 10.096,30

Como configurar um alerta de faturamento

Para receber notificações caso as cobranças faturáveis ou previstas ultrapassem um orçamento, crie um alerta na página Orçamentos e alertas do Console do Google Cloud:

  1. Faça login no Console do Google Cloud:
    Fazer login no Console do Cloud
  2. Abra o menu de navegação do Console e selecione Faturamento. Se você tiver mais de uma conta do Cloud Billing, siga uma das orientações a seguir:
    • Para gerenciar o Cloud Billing no projeto atual, selecione Acessar a conta de faturamento vinculada.
    • Para localizar outra conta do Cloud Billing, selecione Gerenciar contas de faturamento e escolha a opção em que você quer definir um orçamento.
  3. No menu de navegação de faturamento, selecione Orçamentos e alertas.
  4. Clique em Criar orçamento.
  5. Preencha a caixa de diálogo do orçamento. Nesse campo, selecione projetos e produtos do Google Cloud e depois crie um orçamento para a combinação. Por padrão, você recebe notificações ao atingir 50%, 90% e 100% do orçamento. Para ver a documentação completa, consulte Definir orçamentos e alertas.

Cloud Logging

Os preços do Cloud Logging dos buckets de registro, que são os contêineres do Logging que ingerem e armazenam dados de registros.

O Logging cobra pelo volume de dados de registros que exceder as cotas mensais gratuitas para ingestão e armazenamento.

Nesta seção, você encontra as informações a seguir:

  • Descrição da cota de ingestão gratuita.
  • Descrição da cota de armazenamento gratuito.
  • Definição sobre quando podem haver cobranças relacionadas à ingestão e armazenamento do Cloud Logging.
  • Informações sobre como reduzir sua ingestão do Cloud Logging.
  • Configurações de uma política de alertas que pode notificar você se a ingestão do Cloud Logging atingir um limite

Para ver informações sobre os preços, consulte Preços do Cloud Logging.

Para saber os limites que se aplicam ao seu uso do Logging, incluindo períodos de armazenamento de dados, consulte Cotas e limites.

Para ver e entender seus dados de uso do Cloud Logging, consulte Como estimar suas faturas.

Noções básicas sobre armazenamento do Cloud Logging

Para cada projeto do Cloud, o Logging cria automaticamente dois buckets de registro: _Required e _Default.

Para esses dois buckets, o Logging cria automaticamente coletores de registro, denominados _Required e _Default, que encaminham registros para os buckets correspondentes. Não é possível desativar ou modificar o coletor _Required. É possível desativar ou modificar o coletor _Default para impedir que o bucket _Default processe registros.

Além disso, é possível criar buckets de registro definidos pelo usuário em qualquer projeto do Cloud e configurar coletores para rotear qualquer combinação de registros, mesmo entre projetos do Cloud na sua organização do Google Cloud, para esses buckets.

Para mais informações sobre buckets e coletores do Cloud Logging, consulte Visão geral de armazenamento do Cloud Logging.

Preços de ingestão

Para fins de precificação, no Cloud Logging, ingestão é o processo de gravar dados na API Cloud Logging e encaminhá-los para buckets de registro.

O Logging cobra pelo volume de dados de registros que excede a cota de ingestão mensal gratuita, exceto pelos registros ingeridos no bucket _Required. Os custos de processamento não se aplicam a registros armazenados no bucket de registro _Required.

É possível ser cobrado pelo processamento da mesma entrada de registro várias vezes. Por exemplo, se os coletores encaminharem uma entrada de registro para três buckets de registro, a ingestão dessas entradas será contabilizada três vezes na sua cota.

Ingestão gratuita com o bucket _Required

O Cloud Logging roteia automaticamente determinados registros, listados abaixo, para o bucket _Required. Não é possível excluir esse bucket ou impedi-lo de ingerir registros. Portanto, a ingestão dos registros a seguir no bucket _Required é gratuita e não é contabilizada na cota de ingestão de registros mensais:

.

Preços de armazenamento

Para fins de precificação, no Cloud Logging, armazenamento refere-se aos dados de registros que são retidos nos buckets de registro.

O Cloud Logging fornece armazenamento gratuito para todos os registros ingeridos, independentemente do bucket de registros que os mantêm, pelos primeiros 30 dias.

Se você configurar períodos de retenção personalizados nos buckets de registro definidos pelo usuário ou no bucket _Default e estender a retenção de dados dos registros por mais tempo que a período de armazenamento padrão, aplicam-se os custos de armazenamento.

Os custos de armazenamento nunca se aplicam aos registros armazenados no bucket de registro _Required. Se você rotear cópias desses mesmos registros para outro bucket e mantê-las por mais de 30 dias, os preços de armazenamento serão aplicados.

É possível ser cobrado pelo armazenamento da mesma entrada de registro várias vezes. Por exemplo, se os seus coletores encaminharem uma entrada de registro para o bucket de registro _Default e também para um bucket de registro definido pelo usuário e você tiver configurado a retenção para esses buckets nos últimos 30 dias, essa entrada de registro de armazenamento é contabilizada duas vezes no custo de armazenamento.

Como reduzir a ingestão de registros

O Logging permite identificar e excluir manualmente as entradas de registro do seu projeto do Google Cloud, reduzindo assim a ingestão do Cloud Logging.

Para reduzir os custos de ingestão no Cloud Logging, configure filtros de exclusão nos coletores de buckets de registros e considere encaminhar os registros para fora do Cloud Logging para manter o acesso a eles.

É possível adicionar filtros de exclusão a um coletor de registros para excluir as entradas de registro correspondentes ou criar amostras de determinadas entradas de registro de modo que apenas uma porcentagem dessas entradas sejam ingeridas pelo Cloud Logging. As entradas de registro excluídas não são ingeridas. Portanto, elas não afetam sua cota de processamento. Para instruções sobre como configurar filtros de exclusão, consulte Como excluir registros.

Para manter o acesso a registros fora do Logging, também é possível usar coletores de registros para encaminhar entradas de registro do Cloud Logging para um destino compatível do Google Cloud, como um bucket do Cloud Storage, um conjunto de dados do BigQuery ou um tópico do Pub/Sub. Não há cobranças do Logging para encaminhar registros, mas os serviços do Google Cloud que recebem os registros cobram pelo uso deles. Para ver instruções sobre como encaminhar registros para fora do Cloud Logging, consulte Como exportar registros.

Métricas com base em registros

As métricas com base em registros definidas pelo sistema são fornecidas para todos os projetos do Google Cloud e não estão sujeitas a cobranças.

As métricas com base em registros definidas pelo usuário são uma classe de métricas personalizadas do Cloud Monitoring e são faturáveis. Para ver detalhes de preços, consulte Métricas faturáveis.

Para mais informações, consulte Visão geral das métricas com base em registros.

Alertas sobre bytes de registros ingeridos mensalmente

Para criar uma política de alertas que seja acionada quando os bytes de registro ingeridos mensalmente ultrapassarem o limite definido pelo usuário para o Cloud Logging, use as configurações abaixo:

Campo do painel
Valor desejado

Valor
Resource type Global
Metric Monthly log bytes ingested
Filter
Aggregator sum
Period 60 m
Advanced Aggregation Aligner: max
Campo do painel
Configuração

Valor
Condition triggers if Any time series violates
Condition is above
Threshold Você determina o valor aceitável.
For O valor mínimo aceitável é de 30 minutos.

Cloud Monitoring

O Cloud Monitoring cobra pelo volume de dados de métricas ingeridos que excede a cota de métricas mensal gratuita e pelas chamadas de leitura da API Cloud Monitoring que excedem a cota de API mensal gratuita. Métricas não faturáveis e chamadas de leitura da API Cloud Monitoring não são descontadas do limite de cota. Nesta seção, você encontra as informações a seguir:

  • Definição das métricas sujeitas a cobrança e não faturáveis
  • Exemplo de preços

Para informações sobre os preços atuais, consulte Preços do Cloud Monitoring.

Para saber os limites que se aplicam ao uso do Monitoring, consulte Cotas e limites.

Para ver o uso atual, acesse a página de relatórios do Cloud Billing ou de configurações do Monitoring no Console do Google Cloud.

Acessar Configurações do Monitoring

Com base nessas informações, faça uma estimativa das suas faturas.

Métricas não faturáveis

Os dados de métricas do Google Cloud, do Anthos e do Knative não são faturáveis. Estas são as métricas não sujeitas a cobrança (gratuitas):

Métricas sujeitas a cobrança

Todos os dados de métricas, exceto os listados na seção Métricas não faturáveis, são faturáveis e cobrados por volume ingerido. Estas são as métricas sujeitas a cobrança:

Quando os dados de métricas são faturáveis, o número e o tipo de pontos de dados na sua série temporal contam como volume ingerido. Isso não se aplica aos valores dos rótulos de métricas que fazem parte da série temporal. O volume de ingestão do tipo de dados escalar é 8 bytes, e o de distribuição é 80 bytes.

Criação de alertas sobre métricas ingeridas

Não é possível criar um alerta com base nas métricas ingeridas mensalmente. No entanto, é possível fazer isso para seus custos com o Cloud Monitoring. Se quiser mais informações, consulte Como configurar um alerta de faturamento.

Exemplos de preço

Veja nos exemplos a seguir como ter uma estimativa de custos para a coleta de dados de métricas. O objetivo desses exemplos é ilustrar os novos preços das métricas. Para ver estimativas mais abrangentes, use a calculadora de preços. Se você acessar a calculadora, use o produto do pacote de operações do Google Cloud para inserir dados sobre métricas, registros e traces.

Este é o cenário básico: você tem alguns recursos monitorados (como Compute Engine, Kubernetes Engine ou App Engine) que gravam dados de algumas métricas a cada mês.

As variáveis em todos os cenários incluem:

  • O número de recursos
  • O número de métricas
  • Se as métricas são do Google Cloud ou não
  • A taxa em que os dados da métrica são gravados

Os exemplos desta seção mostram os preços do Monitoring desde julho de 2020.

Contexto comum

Nos exemplos de preços a seguir, pressupomos que cada ponto de dados de métrica ingerido é dos tipos duplo, int64 ou bool, que contam como 8 bytes para fins de determinação de preços. Há cerca de 730 horas (365 dias / 12 meses * 24 horas) em um mês, ou 43.800 minutos.

Para uma métrica que grava dados à taxa de 1 ponto de dados/minuto por um mês, considere as seguintes informações:

  • O total de pontos de dados é 43.800.
  • O volume total ingerido é:
    • 350.400 bytes (43.800 pontos de dados * 8 bytes)
    • 0,33416748 MiB (350.400 bytes / 1.048.576 bytes/MiB)

Para uma métrica que grava dados à taxa de 1 ponto de dados/hora por um mês, considere as seguintes informações:

  • O total de pontos de dados é 730.
  • O volume total ingerido é:
    • 5.840 bytes (730 pontos de dados * 8 bytes)
    • 0,005569458 MiB (5.840 bytes / 1.048.576 bytes/MiB)

Exemplos

Cenário 1: você tem 1.000 recursos e cada um grava 75 métricas. Essas são apenas métricas do Google Cloud, com taxa de gravação de um ponto de dados por minuto.

  • Ingestão mensal: 25.063 MiB: 0,33416748 MiB para uma métrica * 75.000 (ou seja, 1.000 recursos, 75 métricas)
  • Custo aproximado por mês: US$ 0,00 (as métricas do Google Cloud são gratuitas)
MiB ingeridos Taxa (US$/MiB) Custo (US$)
Ilimitados 0,00 US$ 0,00
Total 25.063 US$ 0,00

Cenário 2: você tem 1.000 recursos e cada um grava 75 métricas personalizadas. Essas gravações de métricas estão sujeitas a cobranças e têm uma taxa de um ponto de dados por minuto.

  • Ingestão mensal: 25.063 MiB (mesmo cenário acima)
  • Custo aproximado por mês: US$ 6.427,55
MiB ingeridos Taxa (US$/MiB) Custo (US$)
150 0,00 US$ 0,00
24.913 0,258 US$ 6.427,55
Total 25.063 US$ 6.427,55

Cenário 3: você tem 1.000 recursos e cada um grava 75 métricas personalizadas. Essas gravações de métricas estão sujeitas a cobranças e têm uma taxa de um ponto de dados por hora.

  • Ingestão mensal: 418 MiB = 0,005569458 MiB para uma métrica * 75.000
  • Custo aproximado por mês: US$ 69,14
MiB ingeridos Taxa (US$/MiB) Custo (US$)
150 0,00 US$ 0,00
267 0,258 US$ 69,14
Total 417 US$ 69,14

Cenário 4: você tem um recurso que grava 500.000 métricas. Essas gravações de métricas estão sujeitas a cobranças e têm uma taxa de um ponto de dados por minuto.

  • Ingestão mensal: 167.084 MiB: 0,33416748 MiB para uma métrica * 500.000
  • Custo aproximado por mês: US$ 35.890,98
MiB ingeridos Taxa (US$/MiB) Custo (US$)
150 0,00 US$ 0,00
99.850 0,258 US$ 25.761,30
67.084 0,151 US$ 10.129,68
Total 167.084 US$ 35.890,98

Error Reporting

Para informações sobre os preços atuais, consulte Preços do Error Reporting.

Para saber os limites que se aplicam ao uso do Error Reporting, consulte Cotas e limites.

Cloud Debugger

Para informações sobre os preços atuais, consulte Preços do Cloud Debugger.

Cloud Profiler

Para informações sobre os preços atuais, consulte Preços do Cloud Profiler.

Para saber os limites que se aplicam ao uso do Profiler, consulte Cotas e limites.

Cloud Trace

As cobranças do Trace são baseadas no número de períodos de traces ingeridos e verificados. Quando os dados de latência são enviados ao Trace, eles são agrupados como um trace composto por períodos. Esses períodos são ingeridos pelo back-end do Cloud Trace. Ao visualizar dados do trace, os períodos armazenados são verificados pelo Cloud Trace. Nesta seção, você encontra as informações a seguir:

  • Definição de períodos de traces sujeitos a cobrança ou não faturáveis
  • Exemplo de preços
  • Como reduzir a ingestão de períodos de traces
  • Configurações de uma política de alertas que notifica você se a ingestão de períodos de traces chegar ao limite

Para informações sobre os preços atuais, consulte Preços do Cloud Trace.

Para saber os limites que se aplicam ao uso do Trace, consulte Cotas e limites.

Para ver o uso atual, acesse a página de relatórios do Cloud Billing ou a Visão geral do Trace no Console do Google Cloud:

Acessar Visão geral do Trace

Com base nessas informações, faça uma estimativa das suas faturas.

Períodos de traces não faturáveis

Os preços do Cloud Trace não se aplicam aos períodos gerados automaticamente pelo ambiente padrão do App Engine, pelo Cloud Functions ou pelo Cloud Run: a ingestão desses traces não é cobrada.

Períodos de traces sujeitos a cobrança

A ingestão de períodos de traces, exceto os listados na seção Traces não faturáveis, são faturáveis e cobrados por volume ingerido. Isso inclui períodos criados pela instrumentação que você adicionou ao aplicativo do ambiente padrão do App Engine.

Exemplos de preços

O exemplo a seguir mostra os preços do Trace desde julho de 2020.

  • Se você ingerir 2 milhões de períodos em um mês, o custo será de US$ 0. Os primeiros 2,5 milhões de períodos ingeridos em um mês são gratuitos.
  • Se você ingerir 14 milhões de períodos em um mês, seu custo será de US$ 2,30. Os primeiros 2,5 milhões de períodos em um mês são gratuitos. O custo dos períodos restantes é calculado como 11,5 milhões de períodos * US$ 0,20/milhão de períodos = US$ 2,30.
  • Se você ingerir um bilhão de períodos em um mês, seu custo será de US$ 199. Os primeiros 2,5 milhões de períodos em um mês são gratuitos. O custo dos períodos restantes é calculado como 997,5 milhões de períodos * US$ 0,20/milhão de períodos = US$ 199,50.

Como reduzir o uso de traces

Para controlar o volume de ingestão de períodos do Trace, gerencie a taxa de amostragem de traces. Assim, será possível equilibrar a quantidade necessária para analisar o desempenho com a tolerância de custo.

Para sistemas de tráfego intenso, a maioria dos clientes pode coletar amostras de uma em 1.000 transações, ou até uma em 10.000 transações, e ainda ter informações suficientes para analisar o desempenho.

A taxa de amostragem é configurada com as bibliotecas de cliente do Cloud Trace.

Criação de alertas sobre períodos ingeridos mensalmente

Para criar uma política de alertas acionada quando os períodos mensais do Cloud Trace ingeridos ultrapassarem um limite definido pelo usuário, use as configurações abaixo:

Campo do painel
Valor desejado

Valor
Resource type global
Metric Monthly trace spans ingested
Filter
Aggregator sum
Period 60 m
Advanced Aggregation Aligner: max
Campo do painel
Configuração

Valor
Condition triggers if Any time series violates
Condition is above
Threshold Você determina o valor aceitável.
For O valor mínimo aceitável é de 30 minutos.

Anthos

Não há cobrança para registros e métricas do sistema do Anthos.

Em clusters do Anthos no cluster do VMware, os registros e as métricas de sistema do Anthos incluem o seguinte:

  • Registros e métricas de todos os componentes em um cluster de administrador
  • Registros e métricas de componentes nesses namespaces em um cluster de usuário: kube-system, gke-system, gke-connect, knative-serving, istio-system, monitoring-system, config-management-system, gatekeeper-system, cnrm-system

Perguntas frequentes

Quais recursos do produto são gratuitos?

O preço do uso de produtos do pacote de operações do Google Cloud é determinado pelo volume de dados. Além desse custo, o uso de todos os outros recursos de um produto do conjunto é gratuito.

Quanto preciso pagar?

Para estimar os custos de uso, consulte Como estimar suas faturas.

Consulte Perguntas de faturamento para receber ajuda sobre esse tema.

Como entender os detalhes do meu uso?

Várias métricas permitem analisar o volume de registros e métricas usando o Metrics Explorer. Consulte Visualizar o uso detalhado no Metrics Explorer para mais detalhes.

Se você quiser uma análise ainda mais detalhada sobre o uso dos registros, analise o respectivo volume usando métricas com base em registros no Datalab. Leia esta postagem do blog do Google Cloud para mais informações.

Como os espaços de trabalho afetam o faturamento?

Geralmente, os espaços de trabalho não afetam o faturamento. Os registros e as métricas são cobrados no projeto do Google Cloud que recebe os dados, mesmo que não haja um espaço de trabalho associado.

Se você quiser monitorar contas da AWS, precisará usar um espaço de trabalho para criar um projeto conector da AWS para a conta da AWS. O projeto conector mantém os registros e os dados de monitoramento da conta da AWS.

O que acontece se eu ultrapassar as cotas gratuitas?

Você receberá cobranças automáticas quando o uso ultrapassar as cotas gratuitas. Você não perderá registros ou métricas. Para entender melhor os possíveis custos, consulte Como estimar suas faturas.

Crie uma política de alertas que monitore o uso e envie notificações quando você estiver prestes a atingir o limite de faturamento.

Tenho um grande volume de registros do Google Cloud que não são utilizados nos meus projetos. Quais são as cobranças aplicadas a esses registros? O que fazer para evitá-las?

Exclua registros para controlar quais são ingeridos no Logging. Consulte Como reduzir seu uso de registros para ver detalhes.

Os serviços que enviam registros para meu projeto receberão um erro se os registros forem excluídos?

Não. Os serviços que enviam entradas de registros não podem determinar se elas são processadas no Logging ou não.

Serei cobrado duas vezes pelos registros de fluxo da nuvem privada virtual?

Se você enviar seus registros de fluxo da VPC para o Logging, as cobranças de geração desses registros de fluxo serão dispensadas, e apenas as cobranças do Logging serão aplicadas. No entanto, se enviá-los e, em seguida, excluí-los do Logging, haverá cobranças por eles. Para mais informações, consulte a calculadora de preços do Google Cloud para rede.

1 Para determinar os preços, todas as unidades, como MB e GB representam medidas binárias. Por exemplo, 1 MB é igual a 220 bytes. 1 GB é igual a 230 bytes. Essas unidades binárias também são conhecidas como mebibyte (MiB) e gibibyte (GiB), respectivamente. MB e MiB são usados de maneira intercambiável, assim como GB e GiB.

2 Não há cobrança para as métricas do Google Cloud ou do Anthos que são medidas em até um ponto de dados por minuto (a resolução mais alta no momento). Futuramente, as métricas medidas em resoluções mais altas poderão ser cobradas.