Plataformas de CPU

Ao criar uma máquina virtual (VM) no Compute Engine, você especifica uma série de máquinas e um tipo de máquina para a VM. Cada série de máquina está associada a uma ou mais plataformas de CPU. Se houver várias plataformas de CPU disponíveis para um tipo de máquina, selecione uma plataforma de CPU mínima para a VM.

Uma plataforma de CPU oferece vários processadores físicos, e cada um deles é chamado de núcleo. Em todos os processadores disponíveis no Compute Engine, um único núcleo de CPU pode ser executado como vários multithreads de hardware usando a multissegmentação simultânea (SMT), que, nos processadores Intel, é conhecida como Tecnologia Intel Hyper-Threading. No Compute Engine, cada multithread de hardware é chamado de CPU virtual (vCPU).

O tipo de máquina da VM especifica o número de vCPUs e é possível inferir o número de núcleos físicos da CPU usando a proporção padrão de vCPUs por núcleo dessa série de máquinas:

  • Para as séries de máquinas Tau T2D e Tau T2A (Pré-lançamento), as VMs sempre têm uma vCPU por núcleo.
  • Para todas as demais séries, as VMs têm duas vCPUs por núcleo, por padrão.
    • Como alternativa, configure uma VM para ter uma vCPU por núcleo em vez de duas vCPUs por núcleo, o que pode beneficiar algumas cargas de trabalho. É importante ressaltar que, quando isso é feito, o tipo de máquina da sua VM não reflete mais o número correto de vCPUs. Em vez disso, o preço e o número de núcleos de CPU físicos permanece o mesmo que seria para as duas vCPUs padrão por núcleo, e o número de vCPUs é metade do valor indicado pelo tipo de máquina.

Processadores Arm

Para os processadores Arm, o Compute Engine usa uma linha de execução por núcleo. Cada vCPU mapeia para um núcleo físico sem SMT, o que resulta em um melhor desempenho por vCPU.

A tabela a seguir descreve os processadores Arm disponíveis para VMs do Compute Engine.

Processador de CPU Série de máquinas compatível Frequência contínua de todos os núcleos (GHz)
Ampere Altra 3,0

Processadores x86

Na maioria dos processadores x86, cada vCPU é implementada como uma única linha de execução de hardware. A série de máquinas Tau T2D é exceção, com uma vCPU representando um núcleo físico.

Processadores Intel

Nos processadores Intel Xeon, a Tecnologia Intel Hyper-Threading é compatível com várias linhas de execução em execução simultaneamente, em cada núcleo. O tamanho e a forma específicos da sua instância de VM determinam o número de vCPUs.

Processador de CPU Série de máquinas compatível Frequência de base (GHz) Frequência All-Core Turbo (GHz) Frequência Single-Core Max Turbo (GHz)
Processador escalonável Intel Xeon (Ice Lake)
3a geração
2,6 3,4 3,5
Processador escalonável Intel Xeon (Cascade Lake)
2a geração
2,8 3,4 3,9
3,1 3,8 3,9
2,5 3,4 4,0
2,2 2,9 3,7
Processador escalonável Intel Xeon (Skylake)
1a geração
2,0 2,7 3,5
Intel Xeon E7 (Broadwell E7) 2,2 2,6 3,3
Intel Xeon E5 v4 (Broadwell E5) 2,2 2,8 3,7
Intel Xeon E5 v3 (Haswell) 2,3 2,8 3,8
Intel Xeon E5 v2 (Ivy Bridge) 2,5 3,1 3,5
Intel Xeon E5 (Sandy Bridge) 2,6 3,2 3,6

*Os tipos de máquina N2 com 80 ou mais vCPUs usam a CPU Intel Ice Lake.

Processadores AMD

Os processadores AMD oferecem escalonabilidade e desempenho otimizados quando SMT é utilizada. Em quase todos os casos, o Compute Engine usa duas linhas de execução por núcleo, sendo cada vCPU uma linha de execução. A Tau T2D é exceção, onde o Compute Engine usa uma linha de execução por núcleo e cada vCPU é mapeada quanto a um núcleo físico. O tamanho e a forma específicos da sua instância de VM determinam o número de vCPUs.

Plataforma de CPU Série de máquinas compatível Frequência de base (GHz) Frequência efetiva (GHz) Frequência de aumento máximo (GHz)
AMD EPYC Milan
3ª geração
2,45 2,8 3,5
AMD EPYC Rome
2ª geração
2,25 2,7 3,3

Comportamento da frequência

As tabelas anteriores descrevem as especificações de hardware das CPUs disponíveis com o Compute Engine, mas é necessário considerar os seguintes pontos:

  • Frequência: a frequência de um PC, ou velocidade de clock, mede o número de ciclos que a CPU executa por segundo, medido em GHz (gigahertz). Geralmente, frequências mais altas indicam um melhor desempenho. No entanto, diferentes designs de CPU processam as instruções de maneiras diferentes. Portanto, uma CPU mais antiga com uma velocidade de clock mais alta pode ser superada por uma mais recente com uma velocidade de clock menor, já que a nova arquitetura lida com as instruções de forma mais eficiente. Para mais informações sobre ciclos de clock e desempenho da CPU, consulte Taxas de clock e desempenho do sistema
  • Frequência de base: a frequência de execução da CPU quando o sistema está inativo ou com uma carga leve. Quando executada na frequência de base, a CPU consome menos energia e produz menos calor.
    • O ambiente de guest de uma VM reflete a frequência de base, seja qual for a frequência real de execução da VM.
  • Frequência turbo em todos os núcleos: a frequência em que cada CPU normalmente é executada quando todos os núcleos no soquete não estão inativos ao mesmo tempo. Diferentes cargas de trabalho geram demandas diferentes na CPU de um sistema. As tecnologias de otimização lidam com essa diferença e ajudam os processos a se adaptarem às demandas da carga de trabalho, aumentando a frequência da CPU.
    • A maioria das VMs chega à frequência turbo em todos os núcleos, mesmo que apenas a frequência de base seja anunciada para o ambiente de guest.
    • Os processadores Arm da Ampere Altra podem fornecer um desempenho mais previsível porque a frequência deles é sempre a turbo em todos os núcleos.
  • Frequência turbo máxima: a frequência-alvo de uma CPU quando sob carga de um aplicativo exigente como um videogame ou aplicativo de modelagem de design. Essa é a frequência máxima de núcleo único que uma CPU atinge sem overclock.
  • Tecnologias de gerenciamento de energia do processador: os processadores Intel são compatíveis com várias tecnologias que otimizam o consumo de energia. Essas tecnologias são divididas em duas categorias, ou estados:
    • Os estados C são aqueles em que a CPU reduziu ou desativou determinadas funções. O estado C é compatível apenas com tipos de máquinas C2.
    • Os estados P fornecem uma maneira de dimensionar a frequência e a tensão em que o processador funciona para reduzir o consumo de energia da CPU. Nas demais VMs que não C2, o estado C e P não são compatíveis no momento. Portanto, as CPUs virtuais inativas no ambiente de guest podem não funcionar conforme o esperado.

A seguir

Faça um teste

Se você começou a usar o Google Cloud agora, crie uma conta para avaliar o desempenho do Compute Engine em situações reais. Clientes novos também recebem US$ 300 em créditos para executar, testar e implantar cargas de trabalho.

Faça uma avaliação gratuita do Compute Engine