Como adicionar ou redimensionar discos permanentes por zona


Nesta página, você aprenderá como adicionar e formatar novos discos permanentes zonais nas instâncias. Nesta página, você vê como redimensionar os discos de inicialização permanentes zonais e os discos permanentes secundários (sem inicialização) zonais.

Os discos permanentes zonais estão disponíveis como unidades de disco rígido padrão (HDD) ou unidades de estado sólido (SSD). Para mais informações gerais sobre discos permanentes zonais e os tipos de discos permanentes disponíveis, leia esta visão geral. Se os discos permanentes padrão ou SSD zonais não atenderem a todos os seus requisitos de desempenho ou flexibilidade, adicione outras opções de armazenamento às instâncias.

É possível criar discos em branco ou a partir de uma origem. Caso você crie um disco em branco, os novos discos permanentes zonais não terão dados ou sistemas de arquivos no início. É necessário que você mesmo formate esses discos depois de anexá-los às instâncias.

Crie novos discos permanentes a partir das seguintes origens:

Restrições

  • Somente é possível redimensionar um disco permanente zonal para aumentar o tamanho dele, mas não reduzir. O Compute Engine gerencia o hardware por trás dos discos permanentes zonais. Assim, é possível adicionar e redimensionar os discos sem lidar com divisão ou redundância. Anexe um disco secundário grande e redimensione-o à medida que precisar de espaço extra ou anexe vários discos menores para separar os dados em vários volumes.

  • É uma prática recomendada fazer backup dos discos usando snapshots para evitar a perda não intencional de dados.

Antes de começar

Como adicionar um disco permanente zonal em branco à instância

Crie um disco permanente padrão ou SSD zonal e o anexe a uma instância atual. Se você não tiver instâncias, crie e inicie uma nova instância . Durante a criação da instância, é possível anexar até 127 discos permanentes zonais secundários que não sejam de inicialização, em que é possível armazenar, em volumes separados, seus aplicativos, arquivos de dados, bancos de dados e registros. A capacidade total de anexos é de 257 TB por instância. Para informações sobre como garantir o máximo de desempenho com grandes volumes, consulte Desempenho maior do volume lógico.

Crie e anexe um disco permanente zonal usando o Console do Google Cloud, a ferramenta de linha de comando gcloud ou a API Compute Engine.

Console

Crie e anexe um disco permanente por zona no Console do Google Cloud:

  1. Acesse a página Instâncias de VM.

    Acessar a página Instâncias de VM

  2. Marque a caixa e clique no nome da instância em que você quer adicionar um disco.

  3. Na página Detalhes da instância de VM, clique em Editar.

  4. Em Discos adicionais, clique em Adicionar novo disco.

  5. Especifique um nome para o disco, configure as propriedades e selecione Em branco como Tipo de origem.

  6. Clique em Concluído para concluir a configuração do disco.

  7. Clique em Salvar para aplicar as alterações à instância e adicionar o novo disco.

  8. Depois de criar ou anexar um novo disco a uma instância, é preciso formatar e ativar o disco para que o sistema operacional possa usar o espaço de armazenamento disponível.

gcloud

Crie e anexe um disco permanente zonal usando a ferramenta gcloud:

  1. Use o comando gcloud compute disks create para criar um disco permanente zonal. Se precisar de um disco permanente SSD zonal para ter maior capacidade ou IOPS, inclua a sinalização --type e especifique pd-ssd.

    gcloud compute disks create DISK_NAME \
      --size DISK_SIZE \
      --type DISK_TYPE
    

    Substitua:

    • DISK_NAME: o nome do novo disco.
    • DISK_SIZE: o tamanho, em gigabytes, do novo disco. Os tamanhos aceitáveis variam, em incrementos de 1 GB, de 10 GB a 65.536 GB.
    • DISK_TYPE: o tipo do disco permanente Por exemplo, pd-ssd.
  2. Depois de criar o disco, anexe-o a qualquer instância em execução ou interrompida. Use o comando gcloud compute instances attach-disk:

    gcloud compute instances attach-disk INSTANCE_NAME \
      --disk DISK_NAME
    

    Substitua:

    • INSTANCE_NAME: o nome da instância em que você está adicionando o novo disco permanente zonal.
    • DISK_NAME: o nome do novo disco que você está anexando à instância.

    Depois de criar e anexar um novo disco a uma instância, é preciso formatá-lo e ativá-lo para que o sistema operacional possa usar o espaço de armazenamento disponível.

  3. Use o comando gcloud compute disks describe para ver uma descrição do disco.

API

  1. Na API, crie uma solicitação POST para criar um disco permanente zonal usando o método disks.insert. Inclua as propriedades name, sizeGb e type. Para criar esse disco como um disco que não será usado para inicialização e sem formatação, não especifique uma imagem ou snapshot de origem.

    POST https://compute.googleapis.com/compute/v1/projects/PROJECT_ID/zones/ZONE/disks
    
    {
     "name": "DISK_NAME",
     "sizeGb": "DISK_SIZE",
     "type": "zones/ZONE/diskTypes/DISK_TYPE"
    }
    

    Substitua:

    • PROJECT_ID: o ID do projeto.
    • ZONE: a zona em que a instância e o novo disco estão localizados.
    • DISK_NAME: o nome do novo disco.
    • DISK_SIZE: o tamanho, em gigabytes, do novo disco. Os tamanhos aceitáveis variam, em incrementos de 1 GB, de 10 GB a 65.536 GB.
    • DISK_TYPE: o tipo do disco permanente Por exemplo, pd-ssd.
  2. Crie uma solicitação POST para o método compute.instances.attachDisk e inclua o URL para o disco permanente zonal que você acabou de gerar:

    POST https://compute.googleapis.com/compute/v1/projects/PROJECT_ID/zones/ZONE/instances/INSTANCE_NAME/attachDisk
    
    {
     "source": "/compute/v1/projects/PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/DISK_NAME"
    }
    

    Substitua:

    • PROJECT_ID: ID do projeto
    • ZONE: a zona em que a instância e o novo disco estão localizados.
    • INSTANCE_NAME: o nome da instância em que você está adicionando o novo disco permanente.
    • DISK_NAME: o nome do novo disco.

Depois de criar e anexar um novo disco a uma instância, é preciso formatar e ativar o disco para que o sistema operacional possa usar o espaço de armazenamento disponível.

Como formatar e ativar um disco permanente zonal

Um novo disco permanente zonal em branco é iniciado sem dados ou sistema de arquivos. Formate esse disco depois de anexá-lo à instância. O processo de formatação é diferente entre uma instância do Linux e uma instância do Windows.

Instâncias do Linux

Formate e ative o novo disco na instância do Linux. Use o formato e a configuração de partição que preferir. No entanto, recomendamos um único sistema de arquivos ext4 sem uma tabela de partição. É possível redimensionar seu disco mais tarde se precisar de mais espaço de armazenamento.

  1. Acesse a página Instâncias de VM.

    Acessar a página "Instâncias de VM"

  2. Clique no botão SSH ao lado da instância que tem o novo disco anexado. O navegador abre uma conexão de terminal com a instância.

  3. No terminal, use o comando lsblk para listar os discos anexados à instância e localize o disco que você queira formatar e ativar.

    $ sudo lsblk
    
    NAME   MAJ:MIN RM  SIZE RO TYPE MOUNTPOINT
    sda      8:0    0   10G  0 disk
    └─sda1   8:1    0   10G  0 part /
    sdb      8:16   0  250G  0 disk
    

    Neste exemplo, sdb é o ID do dispositivo para o novo disco permanente zonal.

  4. Formate o disco. É possível usar qualquer formato de arquivo necessário, mas recomendamos um único sistema de arquivos ext4 sem uma tabela particionada. Se você redimensionar o disco permanente zonal mais tarde, poderá redimensionar o sistema de arquivos sem ter que modificar as partições do disco.

    Formate o disco usando a ferramenta mkfs. Este comando exclui todos os dados do disco especificado. Portanto, verifique se você especificou o dispositivo de disco corretamente. Para aumentar o desempenho do disco, use as opções de formatação recomendadas na sinalização -E. Não é necessário reservar espaço para a raiz neste disco secundário. Portanto, especifique -m 0 para usar todo o espaço disponível no disco.

    $ sudo mkfs.ext4 -m 0 -E lazy_itable_init=0,lazy_journal_init=0,discard /dev/DEVICE_ID
    

    Substitua DEVICE_ID pelo ID do dispositivo do disco permanente zonal que você está formatando. Neste exemplo, especifique sdb para formatar todo o disco sem tabela particionada.

  5. Crie um diretório que sirva como ponto de ativação para o novo disco. É possível usar o diretório que quiser. No exemplo a seguir, criamos um diretório em /mnt/disks/.

    $ sudo mkdir -p /mnt/disks/MNT_DIR
    

    Substitua MNT_DIR pelo diretório onde você quer ativar o disco permanente zonal.

  6. Use a ferramenta mount para ativar o disco na instância e ative a opção discard:

    $ sudo mount -o discard,defaults /dev/DEVICE_ID /mnt/disks/MNT_DIR
    

    Substitua:

    • DEVICE_ID: o ID do dispositivo do disco permanente zonal a ser ativado.
    • MNT_DIR: o diretório onde você quer ativar o disco permanente zonal.
  7. Configure o acesso de leitura e gravação no dispositivo. Neste exemplo, conceda acesso de gravação no dispositivo a todos os usuários.

    $ sudo chmod a+w /mnt/disks/MNT_DIR
    

    Substitua MNT_DIR pelo diretório em que você ativou o disco permanente zonal.

    Se quiser, adicione o disco permanente zonal ao arquivo /etc/fstab para que o dispositivo seja ativado automaticamente de novo quando a instância for reiniciada.

  8. Crie um backup do seu arquivo /etc/fstab atual.

    $ sudo cp /etc/fstab /etc/fstab.backup
    
  9. Use o comando blkid para encontrar o UUID do disco permanente zonal. O sistema gera esse UUID ao formatar o disco. Use UUIDs para ativar discos permanentes zonais porque esses identificadores não mudam ao mover os discos entre sistemas.

    $ sudo blkid /dev/DEVICE_ID
    
    /dev/DEVICE_ID: UUID="UUID_VALUE" TYPE="ext4"
    

    Substitua:

    • DEVICE_ID: o ID do dispositivo do disco permanente zonal que você quer ativar automaticamente. Se você criou uma tabela de partição no disco, especifique a partição que quer ativar.
    • UUID_VALUE: o UUID do disco permanente zonal que você precisa incluir no arquivo /etc/fstab.
  10. Abra o arquivo /etc/fstab em um editor de texto e crie uma entrada que inclua o UUID. Exemplo:

    UUID=UUID_VALUE /mnt/disks/MNT_DIR ext4 discard,defaults,NOFAIL_OPTION 0 2
    

    Substitua:

    • UUID_VALUE: o UUID do disco permanente zonal que você precisa incluir no arquivo /etc/fstab.
    • MNT_DIR: o diretório em que você ativou o disco permanente zonal.
    • NOFAIL_OPTION: uma variável que especifica o que o sistema operacional precisa fazer se não for possível ativar o disco permanente zonal durante a inicialização. Para permitir que o sistema seja inicializado mesmo se o disco permanente não estiver disponível, use a opção nofail para a maioria das distribuições ou a opção nobootwait para o Ubuntu 12.04 e 14.04.

    Se quiser, conclua esta etapa com um comando. Por exemplo, o comando a seguir cria uma entrada /etc/fstab para ativar o disco permanente zonal /dev/sdb em /mnt/disks/MNT_DIR usando o UUID dele.

    $ echo UUID=`sudo blkid -s UUID -o value /dev/sdb` /mnt/disks/MNT_DIR ext4 discard,defaults,NOFAIL_OPTION 0 2 | sudo tee -a /etc/fstab
    
    UUID=c994cf26-1853-48ab-a6a5-9d7c0250fed4 /mnt/disks/MNT_DIR ext4 discard,defaults,NOFAIL_OPTION 0 2
    
    
  11. Use o comando cat para verificar se as entradas /etc/fstab estão corretas:

    $ cat /etc/fstab
    
    LABEL=cloudimg-rootfs   /        ext4   defaults        0 0
    UUID=d761bdc5-7e2a-4529-a393-b9aefdb623b6 /mnt/disks/MNT_DIR ext4 discard,defaults,NOFAIL_OPTION 0 2
    
    

Se você desanexar esse disco permanente zonal ou criar um snapshot do disco de inicialização para essa instância, edite o arquivo /etc/fstab e remova a entrada desse disco permanente zonal. Mesmo com NOFAIL_OPTION definido como nofail ou nobootwait, mantenha o arquivo /etc/fstab sincronizado com os dispositivos anexados à instância e remova essas entradas antes de criar o snapshot do disco de inicialização ou ao desanexar os discos permanentes zonais.

Instâncias do Windows

Use o Gerenciamento de disco do Windows para formatar e ativar o novo disco em uma instância do Windows.

  1. Acesse a página Instâncias de VM.

    Acessar a página "Instâncias de VM"

  2. Clique no botão RDP ao lado da instância que tem o disco redimensionado. O navegador abre uma conexão RDP com a instância.

  3. Clique com o botão direito do mouse no botão "Iniciar" do Windows e selecione Gerenciamento de Disco.

    Para selecionar o Gerenciamento de disco, clique com o botão direito do mouse no botão Iniciar do Windows.

  4. Se você não tiver inicializado o disco permanente zonal antes, o Gerenciamento de disco solicitará que você selecione um esquema de particionamento para o novo disco. Selecione GPT e clique em OK.

    Selecione um esquema de partição na janela de inicialização do disco.

  5. Depois que o disco for inicializado, clique com o botão direito do mouse no espaço de disco não alocado e selecione Novo Volume Simples.

    Como criar um novo volume simples no disco anexado.

  6. Siga as instruções no Assistente para novas volume simples para configurar o novo volume. É possível usar qualquer formato de partição que preferir, mas, neste exemplo, selecione NTFS. Além disso, marque Executar uma formatação rápida para acelerar esse processo. Se quiser, defina o tamanho do cluster no campo Tamanho da unidade de alocação. O tamanho do cluster limita o tamanho máximo da partição. Lembre-se disso se você tentar redimensionar o disco permanente zonal e a partição mais tarde.

    Como selecionar o tipo de formato da partição no

  7. Depois de concluir a tarefa guiada pelo assistente e a formatação do volume, verifique a coluna Status na lista de discos anexados para confirmar se o novo disco tem um status Healthy.

    Como verificar se o disco está on-line com um status íntegro.

Agora é possível gravar arquivos no disco permanente zonal.

Como criar um clone de disco permanente a partir de um disco de origem

É possível criar um novo clone de disco permanente a partir de um disco permanente, mesmo que ele esteja anexado a uma instância de VM. Após clonar um disco de origem, é possível excluí-lo sem o risco de ser excluído.

Eles são úteis para duplicar dados de produção para depuração sem prejudicar a produção, duplicar discos enquanto dimensiona VMs e criar réplicas para verificação de backup de banco de dados. Também é possível usar clones de disco para mover dados de disco que não são de inicialização para um novo projeto. Para cenários em que a proteção de dados seja necessária para maior resiliência, como backup e recuperação de desastres, recomendamos o uso de snapshots em vez de clones de disco.

Restrições

  • A zona, a região e o tipo de disco (pd-standard ou pd-ssd) do clone precisam ser iguais aos do disco de origem.
  • Não é possível criar um clone de disco zonal a partir de um disco regional. Não é possível criar um clone de disco regional a partir de um disco zonal.
  • O tamanho do clone precisa ser pelo menos do tamanho do disco de origem. Se você criar um clone usando o Console do Google Cloud, não será possível especificar um tamanho de disco e o clone será do mesmo tamanho do disco de origem.
  • Se você usar uma chave de criptografia fornecida pelo cliente ou uma chave de criptografia gerenciada pelo cliente para criptografar o disco de origem, será necessário usar a mesma chave para criptografar clone. Para obter mais informações, consulte Como criar um clone de um disco de origem criptografado.
  • É possível criar no máximo um clone de um determinado disco de origem a cada 30 segundos.
  • É possível criar no máximo um total de 1.000 clones de disco de um determinado disco de origem. Exceder esse limite retorna um internalError.

Como criar um clone de disco

Console

  1. No Console do Google Cloud, acesse a página Discos para ver uma lista de discos permanentes zonais no seu projeto.

    Acessar "Discos"

  2. Encontre o disco que você quer clonar.

  3. Clique no botão de menu em Ações e selecione Clonar disco.

Crie o clone.

  1. No painel Clonar disco, especifique um nome para o novo disco.
  2. Em Propriedades, revise outros detalhes do novo disco.
  3. Clique em Salvar.

gcloud

Na ferramenta gcloud, use o comando disks create e especifique --source-disk. O exemplo a seguir clona o disco de origem em um novo disco em um projeto diferente.


gcloud compute disks create projects/TARGET_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/TARGET_DISK_NAME /
--description="cloned disk" --source-disk=projects/SOURCE_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/SOURCE_DISK_NAME

API

Na API, crie uma solicitação POST para o método compute.disks.insert. No corpo da solicitação, especifique os parâmetros name e sourceDisk. O clone herda todas as propriedades omitidas do disco de origem. No exemplo a seguir, um disco de origem é clonado para outro novo em um projeto diferente.


POST https://compute.googleapis.com/compute/v1/projects/TARGET_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks

{
  "name": "TARGET_DISK_NAME"
  "sourceDisk": "projects/SOURCE_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/SOURCE_DISK_NAME"
}

Como criar um clone de um disco de origem criptografado

Se você usar uma chave de criptografia fornecida pelo cliente para criptografar seu disco de origem, também será necessário usar a mesma chave para criptografar o clone.

Console

Em Descriptografia e criptografia, forneça a chave de criptografia do disco de origem.

gcloud

Forneça a chave de criptografia do disco de origem usando a sinalização --csek-key-file ao criar o clone do disco. Se você estiver usando uma chave incorporada por RSA, utilize o componente gcloud beta:


gcloud beta compute disks create projects/TARGET_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/TARGET_DISK_NAME /
--description="cloned disk" --source-disk=projects/SOURCE_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/SOURCE_DISK_NAME
--csek-key-file example-key-file.json

API

Forneça a chave de criptografia do disco de origem usando a propriedade diskEncryptionKey.


POST https://compute.googleapis.com/compute/beta/projects/TARGET_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks

{
  "name": "TARGET_DISK_NAME"
  "sourceDisk": "projects/SOURCE_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/SOURCE_DISK_NAME"
  "diskEncryptionKey": {
    "rsaEncryptedKey": "ieCx/NcW06PcT7Ep1X6LUTc/hLvUDYyzSZPPVCVPTVEohpeHASqC8uw5TzyO9U+Fka9JFHz0mBibXUInrC/jEk014kCK/NPjYgEMOyssZ4ZINPKxlUh2zn1bV+MCaTICrdmuSBTWlUUiFoDD6PYznLwh8ZNdaheCeZ8ewEXgFQ8V+sDroLaN3Xs3MDTXQEMMoNUXMCZEIpg9Vtp9x2oeQ5lAbtt7bYAAHf5l+gJWw3sUfs0/Glw5fpdjT8Uggrr+RMZezGrltJEF293rvTIjWOEB3z5OHyHwQkvdrPDFcTqsLfh+8Hr8g+mf+7zVPEC8nEbqpdl3GPv3A7AwpFp7MA=="
  },
}

Se você usar uma chave de criptografia gerenciada pelo cliente para criptografar seu disco de origem, também será necessário usar a mesma chave para criptografar o clone.

Console

O Compute Engine criptografa automaticamente o clone usando a chave de criptografia do disco de origem.

gcloud

Forneça a chave do disco de origem usando a sinalização --kms-key ao criar o clone do disco. Se você estiver usando uma chave incorporada por RSA, utilize o componente gcloud beta:


gcloud beta compute disks create projects/TARGET_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/TARGET_DISK_NAME /
--description="cloned disk" --source-disk=projects/SOURCE_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/SOURCE_DISK_NAME
--kms-key projects/KMS_PROJECT_ID/locations/REGION/keyRings/KEY_RING/cryptoKeys/KEY

API

Forneça a chave do disco de origem usando a propriedade kmsKeyName ao criar o clone do disco.


POST https://compute.googleapis.com/compute/beta/projects/TARGET_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks

{
  "name": "TARGET_DISK_NAME"
  "sourceDisk": "projects/SOURCE_PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/SOURCE_DISK_NAME"
  "diskEncryptionKey": {
    "kmsKeyName": "projects/KMS_PROJECT_ID/locations/REGION/keyRings/KEY_RING/cryptoKeys/KEY"
  },
}

Como redimensionar um disco permanente zonal

É possível redimensionar discos permanentes zonais quando as instâncias exigirem mais armazenamento e anexar vários discos secundários somente se você precisar separar seus dados em partições exclusivas.

É possível redimensionar os discos a qualquer momento, se o disco estiver ou não conectado a uma instância em execução.

O redimensionamento de um disco não pode excluir ou modificar os dados dele. No entanto, como prática recomendada, faça um snapshot do disco antes de fazer alterações.

Console

  1. Acesse a página Discos para ver uma lista de discos permanentes zonais no seu projeto.

    Acessar a página "Discos"

  2. Clique no nome do disco que quer redimensionar.

  3. Na página de detalhes do disco, clique em Editar.

  4. No campo Tamanho, insira o novo tamanho do disco. Discos de inicialização e discos secundários com tabelas de partição MBR podem ser redimensionados apenas até 2 TB.

  5. Clique em Salvar para aplicar as mudanças ao disco.

  6. Depois de redimensionar o disco, é preciso redimensionar o sistema de arquivos para que o sistema operacional possa acessar o espaço extra.

gcloud

Na ferramenta gcloud, use o comando disks resize e especifique a sinalização --size com o tamanho de disco desejado, em gigabytes.

gcloud compute disks resize DISK_NAME --size DISK_SIZE

Substitua:

  • DISK_NAME: o nome do disco que você está redimensionando.
  • DISK_SIZE: o novo tamanho do disco em gigabytes. Discos de inicialização e discos secundários com tabelas particionadas MBR podem ser redimensionados apenas até 2 TB.

Depois de redimensionar o disco, é preciso redimensionar o sistema de arquivos para que o sistema operacional possa acessar o espaço extra.

API

Na API, crie uma solicitação POST para o método compute.disks.resize. No corpo da solicitação, especifique o parâmetro sizeGb e defina-o para o tamanho de disco que você quer em gigabytes.

POST https://compute.googleapis.com/compute/v1/projects/PROJECT_ID/zones/ZONE/disks/DISK_NAME/resize

{
 "sizeGb": "DISK_SIZE"
}

Substitua:

  • PROJECT_ID: o ID do projeto.
  • ZONE: zona em que o disco está.
  • DISK_NAME: o nome do disco a ser redimensionado.
  • DISK_SIZE: o novo tamanho do disco em gigabytes. Discos de inicialização e discos secundários com tabelas particionadas MBR podem ser redimensionados apenas até 2 TB.

Depois de redimensionar o disco, é preciso redimensionar o sistema de arquivos para que o sistema operacional possa acessar o espaço extra.

Como redimensionar o sistema de arquivos ou as partições em um disco permanente zonal

Depois de redimensionar o disco permanente zonal, você precisa configurar o sistema de arquivos nele para usar o espaço extra. Se o disco tiver uma tabela de partição, como um disco de inicialização, é necessário expandir a partição e redimensionar o sistema de arquivos nela. Se o disco permanente zonal tiver apenas um sistema de arquivos e nenhuma tabela de particionamento, basta redimensionar o sistema de arquivos.

Como alternativa, instâncias que usam as versões mais recentes de imagens públicas podem redimensionar automaticamente suas partições e sistemas de arquivos após a reinicialização do sistema. As imagens públicas do SUSE Linux Enterprise Server (SLES) são as únicas que não oferecem suporte a esse recurso.

Antes de modificar o sistema de arquivos no disco permanente zonal, crie um snapshot.

Instâncias do Linux

Nas instâncias do Linux, conecte-se à instância e redimensione manualmente suas partições e sistemas de arquivos para usar o espaço extra em disco. Não é preciso reiniciar a instância depois de concluir esse processo manual.

  1. Acesse a página Instâncias de VM.

    Acessar a página "Instâncias de VM"

  2. Clique no botão SSH ao lado da instância que tem o novo disco anexado. O navegador abre uma conexão de terminal com a instância.

  3. Identifique o disco com o sistema de arquivos e a partição que você quer redimensionar. Se o disco já estiver ativado, é possível usar os comandos df e lsblk para comparar o tamanho do sistema de arquivos e encontrar o ID do disco. Neste exemplo, a partição /dev/sda1 está em um disco de inicialização de 20 GB redimensionado, mas a tabela de partição e o sistema de arquivos fornecem apenas 9,7 GB para o sistema operacional. Além disso, o disco secundário /dev/sdb não tem uma tabela de partição, mas o sistema de arquivos nesse disco fornece apenas 250 GB para o sistema operacional. Além disso, neste exemplo, /mnt/disks/disk-1 é o diretório ativado.

    $ sudo df -Th
    
    Filesystem      Type     Size   Used  Avail  Use%  Mounted on
    /dev/sda1       ext4     9.7G   1.2G   8.5G   12%  /
    /dev/sdb        ext4     250G    60M   250G    1%  /mnt/disks/disk-1
    
    
    $ sudo lsblk
    
    NAME    MAJ:MIN RM  SIZE RO TYPE MOUNTPOINT
    sda       8:0    0   20G  0 disk
    └─sda1    8:1    0   10G  0 part /
    sdb       8:16   0  500G  0 disk /mnt/disks/disk-1
    
    

    Neste exemplo, o comando df mostra que a partição /dev/sda1 é ativada como o sistema de arquivos raiz, e o disco /dev/sdb é ativado como um disco secundário em /mnt/disks/disk-1.

    Se seu disco tiver um sistema de arquivos gravado e nenhuma tabela de partição, pule a etapa 4, que descreve como instalar o utilitário growpart e como aumentar uma partição.

  4. Se o disco que você quer redimensionar tiver uma tabela de partição, expanda a partição antes de redimensionar o sistema de arquivos. Use growpart para redimensionar a partição de imagem.

    1. Para instalar growpart nos servidores Debian, execute:

      $ sudo apt -y install cloud-guest-utils
    2. Para instalar growpart nos servidores CentOS, execute:

      $  sudo yum -y install cloud-utils-growpart

      Para receber ajuda com a ferramenta após a instalação, execute growpart -h.

    3. Depois de instalar a ferramenta growpart, será possível ampliar a partição.

      $ sudo growpart /dev/DEVICE_ID PARTITION_NUMBER

      Substitua:

      • DEVICE_ID: o ID do dispositivo.
      • PARTITION_NUMBER: o número da partição do dispositivo. Por exemplo, sudo growpart /dev/sda 1, observe que há um espaço entre o ID do dispositivo e o número da partição.
  5. Expanda o sistema de arquivos no disco ou na partição para usar o espaço extra.

    Se estiver usando ext4, utilize o comando resize2fs. Se tiver expandido uma partição no disco, especifique-a. Se o disco não tiver uma tabela de particionamento, especifique apenas o ID do disco.

    $ sudo resize2fs /dev/DEVICE_IDPARTITION_NUMBER

    Substitua:

    • DEVICE_ID: o ID do dispositivo.
    • PARTITION_NUMBER: o número da partição do dispositivo em que você está redimensionando o sistema de arquivos. Por exemplo, /dev/sda indica um disco e /dev/sda1 indica a primeira partição desse disco.

    Se você estiver usando xfs, use o comando xfs_growfs para estender o sistema de arquivos e especifique o ponto de ativação em vez do ID do dispositivo:

    $ sudo xfs_growfs /mnt/disks/disk-1

    disk-1 é o ponto de ativação.

  6. Se quiser, use o comando df para verificar se o sistema de arquivos foi redimensionado.

    $ df -h /dev/DEVICE_ID
    
    Filesystem        Size  Used Avail Use% Mounted on
    /dev/DEVICE_ID  493G   70M  492G   1% /mnt/disks/disk-1
    

    Substitua DEVICE_ID pelo ID do dispositivo do disco em que você quer ver a configuração do sistema de arquivos.

Instâncias do Windows

Use a ferramenta Gerenciamento de disco do Windows para redimensionar as partições de uma instância.

  1. Acesse a página Instâncias de VMs.

    Acessar a página "Instâncias de VM"

  2. Clique no botão RDP ao lado da instância que tem o disco redimensionado. O navegador abre uma conexão RDP com a instância.

  3. Clique com o botão direito do mouse no botão Iniciar do Windows e selecione Gerenciamento de Disco para abrir essa ferramenta.

    Como selecionar a ferramenta

  4. Atualize a ferramenta Gerenciamento de Disco para que o espaço extra do disco permanente zonal seja reconhecido. Na parte superior da janela Gerenciamento de Disco, clique em Ação e selecione Atualizar.

    Como clicar no menu Ação e selecionar Atualizar na ferramenta Gerenciamento de Disco para atualizar as informações do disco permanente zonal.

  5. No disco que você redimensionou, clique com o botão direito do mouse na partição formatada e selecione Estender Volume.

    Como clicar com o botão direito na parte formatada do disco e selecionar a opção Estender volume.

  6. Siga as instruções do Assistente para Extensão de Volumes para estender a partição atual e incluir o espaço extra no disco. Se a partição atual estiver formatada em NTFS, o tamanho máximo da partição será limitado pelas configurações de tamanho do cluster.

  7. Depois de concluir a tarefa guiada pelo assistente e a formatação do volume, verifique a coluna Status na lista de discos anexados para confirmar que o novo disco está com o status Healthy.

    Ao ver a lista de discos reconhecidos pelo Windows, verifique se a instância está on-line e com status íntegro.

O espaço extra do disco permanente zonal já pode ser usado para armazenar dados.

Como recuperar uma instância inacessível ou um disco de inicialização completo

Se uma instância estiver completamente sem espaço em disco ou se não estiver executando um ambiente de convidado do Linux, a instância não poderá redimensionar automaticamente seu sistema de arquivos raiz no momento da inicialização, mesmo depois de você aumentar o tamanho do disco permanente que faz backup. Se não conseguir se conectar à instância ou se o disco de inicialização estiver cheio e não for possível redimensioná-lo, crie uma nova instância e recrie o disco de inicialização de um snapshot para redimensioná-lo.

É preciso saber o tamanho do disco de inicialização que está sendo recriado. Localize o tamanho do disco no Console do Compute Engine.

  1. Acesse a página de criação de Instâncias de VM.

    Acessar a página "Instâncias de VM"

    1. Clique no nome da instância para abrir a página Detalhes da instância de VM.
    2. Clique em Interromper.
    3. Na seção Disco de inicialização, anote o tamanho e o nome do disco de inicialização.
  2. No Console do Google Cloud, acesse a página de criação de Snapshots.

    Acessar a página "Snapshots"

    1. Digite um Nome de snapshot.
    2. Selecione o disco de inicialização na lista suspensa Disco de origem.
    3. Clique em Criar.
  3. Acesse a página de criação de Instâncias de VM.

    Acessar a página "Instâncias de VM"

  4. Insira os detalhes da instância.

  5. Crie um novo disco de inicialização a partir do snapshot do disco de inicialização antigo.

    1. Em Disco de inicialização, selecione Alterar.
    2. Selecione Snapshots.
    3. Selecione o snapshot do disco de inicialização antigo na lista suspensa Snapshot.
    4. Selecione o Tipo de disco de inicialização.
    5. Digite o novo tamanho do disco.
    6. Clique em Selecionar para confirmar as opções de disco.
  6. Clique em Criar.

  7. Ative e formate o disco.

Como configurar o estado de exclusão automática de um disco permanente zonal

É possível excluir discos permanentes zonais de leitura e gravação automaticamente quando a instância de VM associada for excluída. Esse comportamento é controlado pela propriedade autoDelete na instância de VM de um determinado disco permanente zonal anexado e pode ser atualizado a qualquer momento. Da mesma forma, também é possível impedir que um disco permanente zonal seja excluído marcando o valor autoDelete como falso.

Console

  1. Acesse a página Instâncias de VM.

    Acessar a página "Instâncias de VM"

  2. Marque a caixa ao lado da instância que tem os discos associados a ela.

  3. Clique no nome da instância.

  4. A página Detalhes da instância da VM é exibida.

  5. Clique em Edit.

  6. Role para baixo até Discos adicionais.

  7. Clique no lápis para editar a Regra de exclusão do disco.

  8. Clique em Concluído para salvar as alterações.

  9. Clique em Salvar para atualizar a instância.

gcloud

Para definir o estado de exclusão automática de um disco permanente zonal, use o comando gcloud compute instances set-disk-auto-delete:

gcloud compute instances set-disk-auto-delete example-instance \
  [--auto-delete|--no-auto-delete] \
  --disk example-disk

API

Se estiver usando a API, faça uma solicitação POST para o seguinte URI:

https://compute.googleapis.com/compute/v1/projects/example-project/zones/us-central1-f/instances/example-instance/setDiskAutoDelete?deviceName=deviceName,autoDelete=true

Se estiver usando a biblioteca de cliente, use o método instances().setDiskAutoDelete:

def setAutoDelete(gce_service, auth_http):
  request = gce_service.instances().setDiskAutoDelete(project=example-project, zone=us-central1-f, deviceName=my-new-device, instance=example-instance, autoDelete=True)
  response = request.execute(http=auth_http)

  print response

Compartilhar um disco permanente zonal entre várias instâncias

É possível anexar um disco permanente que não seja de inicialização a mais de uma instância de máquina virtual no modo somente leitura, o que permite compartilhar dados estáticos entre várias instâncias. O compartilhamento de dados estáticos entre várias instâncias de um disco permanente é mais barato do que replicar os dados em discos únicos para instâncias individuais.

Se você anexar um disco permanente a várias instâncias, será necessário fazer isso com o disco em modo somente leitura para todas as instâncias. Não é possível anexar o disco permanente a várias instâncias com o disco em modo de leitura/gravação. Se for necessário compartilhar espaço de armazenamento dinâmico entre várias instâncias, use uma destas opções:

Se o disco permanente tiver dados que você quer compartilhar entre várias instâncias, remova-o de todas as instâncias de leitura/gravação e anexe-o a uma ou mais instâncias no modo somente leitura.

Console

  1. Acesse a página Instâncias da VM para ver a lista de instâncias no seu projeto.

    Acessar a página "Instâncias"

  2. Na coluna Nome, clique no nome da instância a que você quer anexar o disco. A página Detalhes da instância de VM será aberta.

  3. Na página de detalhes da instância, clique em Editar.

  4. Na seção Discos adicionais, clique em uma das opções a seguir:

    1. Adicionar um disco para adicionar um disco no modo somente leitura à instância.
    2. Anexe o disco atual para selecionar um disco atual e anexá-lo no modo somente leitura à instância.
  5. Especifique outras opções para seu disco.

  6. Clique em Concluído para aplicar as alterações.

  7. Clique em Salvar para aplicar as alterações à instância.

  8. Conecte a instância e ative o disco.

  9. Repita este processo para adicionar o disco a outras instâncias em modo somente leitura.

gcloud

Na ferramenta gcloud, use o comando compute instances attach-disk e especifique a sinalização --mode com a opção ro.

gcloud compute instances attach-disk INSTANCE_NAME \
  --disk DISK_NAME \
  --mode ro

Substitua:

  • INSTANCE_NAME: o nome da instância em que você quer anexar o disco permanente zonal.
  • DISK_NAME: o nome do disco que você quer anexar.

Depois de anexar o disco, conecte-se à instância e monte-o.

Repita este comando para cada instância onde quer adicionar esse disco no modo somente leitura.

API

Na API, crie uma solicitação POST para o método compute.instances.attachDisk. No corpo da solicitação, especifique o parâmetro mode como READ_ONLY.

POST https://compute.googleapis.com/compute/v1/projects/PROJECT_ID/zones/ZONE/instances/INSTANCE_NAME/attachDisk

{
 "source": "zones/ZONE/disks/DISK_NAME",
 "mode": "READ_ONLY"
}

Substitua:

  • INSTANCE_NAME: o nome da instância em que você quer anexar o disco permanente zonal.
  • PROJECT_ID: o ID do projeto.
  • ZONE: zona em que o disco está.
  • DISK_NAME: o nome do disco que você está anexando.

Depois de anexar o disco, conecte-se à instância e monte-o.

Repita essa solicitação para cada instância em que você quer adicionar o disco no modo somente leitura.

Altere o tipo de disco permanente

Os preços e desempenho do disco permanente dependem do tipo do disco permanente. Altere o tipo do disco permanente usando snapshots. Por exemplo, para alterar o disco permanente padrão para um disco permanente SSD, use o seguinte processo:

Console

  1. Crie um snapshot do disco permanente padrão.
  2. Crie um novo disco permanente com base no snapshot. Na lista suspensa Tipo selecione "Disco permanente SSD".

gcloud

  1. Crie um snapshot do disco permanente padrão.
  2. Crie um novo disco permanente com base no snapshot. Inclua a --typesinalização e especifiquepd-ssd.

API

  1. Crie um snapshot do disco permanente padrão.
  2. Crie um novo disco permanente com base no snapshot. No campo type, especifique "zones/ZONE/diskTypes/pd-ssd" e substitua ZONE pela zona em que a instância e o novo disco estão localizados.

A seguir