O que é o Cloud Storage?

Mantenha tudo organizado com as coleções Salve e categorize o conteúdo com base nas suas preferências.

Nesta página, você terá uma visão geral do Cloud Storage e como ele funciona.

O Cloud Storage é um serviço para armazenamento de objetos no Google Cloud. Um objeto é um dado imutável composto de um arquivo em qualquer formato. Os objetos são armazenados em contêineres chamados de buckets. Todos os buckets estão associados a um projeto, e é possível agrupar os projetos em uma organização. Cada projeto, bucket e objeto no Google Cloud é um recurso do Google Cloud, assim como as instâncias do Compute Engine.

Depois de criar um projeto, é possível criar buckets do Cloud Storage e usá-los para fazer upload e download de objetos. Também é possível conceder permissões para tornar seus dados acessíveis aos participantes especificados por você ou, em determinados casos de uso, como na hospedagem de um site, torná-los acessíveis a todos que usam a Internet pública.

A hierarquia do Google Cloud

A estrutura do Cloud Storage tem esta aparência:

Diagrama da infraestrutura do Cloud Storage

Veja como a estrutura do Cloud Storage aplica-se a casos reais:

  • Organização: imagine que você trabalha em uma empresa chamada "Example Inc.", que criou uma organização do Google Cloud com o nome de exampleinc.org.

  • Projeto: a Example Inc. está desenvolvendo vários aplicativos, e cada um deles está associado a um projeto. Cada projeto utiliza o próprio conjunto de APIs do Cloud Storage, além de outros recursos.

  • Bucket: cada projeto pode conter vários buckets, que são contêineres usados para armazenar objetos. Por exemplo, você tem a opção de criar um bucket photos para armazenar todos os arquivos de imagem gerados pelo aplicativo da empresa e um outro bucket chamado videos.

  • Objeto: um arquivo individual, como uma imagem chamada puppy.png.

Ferramentas básicas do Cloud Storage

Veja abaixo alguns meios básicos de interagir com o Cloud Storage:

  • Console: o Console do Google Cloud fornece uma interface visual para você gerenciar seus dados em um navegador.

  • Google Cloud CLI: a CLI gcloud permite que você interaja com o Cloud Storage por meio de um terminal usando comandos gcloud storage.

  • Bibliotecas de cliente: com as bibliotecas de cliente do Cloud Storage, é possível gerenciar os dados usando sua linguagem favorita, incluindo C++, C#, Go, Java, Node.js, PHP, Python e Ruby.

  • APIs REST: gerencie seus dados usando a API JSON ou a API XML.

Como proteger os dados

Depois de fazer upload de objetos para o Cloud Storage, você tem um controle minucioso sobre a proteção e o compartilhamento dos dados. Veja abaixo algumas maneiras de proteger os dados que você enviou para o Cloud Storage:

Casos de uso do Cloud Storage

Para começar, leia Como hospedar um site estático para saber como fazer o upload e compartilhar os arquivos do seu site por meio de um bucket do Cloud Storage. Para saber como usar o Cloud Storage com outros serviços do Google Cloud, consulte nossos tutoriais que abrangem variados tópicos, incluindo Big Data, desenvolvimento para a Web, machine learning e contêineres.

Nomes de recursos

Cada recurso tem um nome único que o identifica, muito parecido com um nome de arquivo. Os buckets têm um nome de recurso no formato projects/_/buckets/BUCKET_NAME, em que BUCKET_NAME é o ID do bucket. Os objetos têm um nome de recurso no formato projects/_/buckets/BUCKET_NAME/objects/OBJECT_NAME, em que OBJECT_NAME é o ID do objeto.

Um #NUMBER anexado ao final do nome do recurso indica uma geração específica do objeto. #0 é um identificador especial da versão mais recente do objeto. É útil adicionar o identificador #0 quando o nome do objeto termina em uma string que, de outra forma, seria interpretada como um número de geração.

Guias de início rápido

Para aprender os conceitos básicos de uso do Cloud Storage, acesse os guias a seguir:

Procurando outros produtos?

Se o Cloud Storage não for a solução de armazenamento certa para você, veja mais informações sobre os seguintes serviços de armazenamento:

A seguir