Como gerenciar a replicação turbo

Acessar conceitos

Nesta página, você verá como gerenciar o recurso de replicação turbo em um bucket birregional.

Verificar o status da replicação de um bucket

Para verificar se um bucket tem a replicação turbo ativada, faça o seguinte:

Console

  1. No Console do Cloud, acesse a página Navegador do Cloud Storage.

    Acessar o navegador

  2. Na lista de buckets, clique no nome do bucket que você quer verificar.

  3. Clique na guia Configuração.

  4. Se a replicação turbo estiver ativada no bucket, Replicação estará definida como Turbo.

gsutil

Use o comando gsutil rpo get:

gsutil rpo get gs://BUCKET_NAME/

Em que:

  • BUCKET_NAME é o nome do bucket relevante. Por exemplo, my-bucket.

Se funcionar, a resposta será parecida com esta:

gs://my-bucket: ASYNC_TURBO

REST APIs

API JSON

  1. Consiga um token de acesso de autorização do OAuth 2.0 Playground (em inglês). Configure o Playground para usar suas credenciais do OAuth.
  2. Use cURL (em inglês) para chamar a API JSON com uma solicitação GET Bucket:

    curl -X GET \
      -H "Authorization: Bearer OAUTH2_TOKEN" \
      "https://storage.googleapis.com/storage/v1/b/BUCKET_NAME?fields=rpo"

    Em que:

    • OAUTH2_TOKEN é o nome do token de acesso que você gerou na etapa 1.
    • BUCKET_NAME é o nome do bucket pertinente. Por exemplo, my-bucket.

    A resposta terá esta aparência:

    {
      "name": "my-bucket",
      "projectNumber": "234...",
      ...
      "rpo": "ASYNC_TURBO"
    }

    Observe a chave rpo. O valor ASYNC_TURBO indica que a replicação turbo está ativada. DEFAULT indica que a replicação padrão foi aplicada. O campo rpo está sempre presente para buckets de duas e várias regiões, mas está ausente em buckets de região única.

Ativar replicação turbo

Para ativar a replicação turbo em um bucket birregional, faça o seguinte:

Console

  1. No Console do Cloud, acesse a página Navegador do Cloud Storage.

    Acessar o navegador

  2. Na lista de buckets, clique no nome do bucket que você quer ativar.

  3. Clique na guia Configuração.

  4. Na linha Replicação, ao lado de Padrão, clique em Editar.

  5. Na janela Ativar a replicação turbo, clique em Salvar.

gsutil

Use o comando gsutil rpo set ASYNC_TURBO:

gsutil rpo set ASYNC_TURBO gs://BUCKET_NAME/

Em que:

  • BUCKET_NAME é o nome do bucket relevante. Por exemplo, my-bucket.

Ao finalizar a operação, não exibiremos nenhuma resposta. A alteração entra em vigor imediatamente.

APIs REST

API JSON

  1. Consiga um token de acesso de autorização do OAuth 2.0 Playground (em inglês). Configure o Playground para usar suas credenciais do OAuth.
  2. Crie um arquivo .json que contenha as seguintes informações:

    {
      "rpo": "ASYNC_TURBO"
    }
  3. Use cURL para chamar a API JSON com uma solicitação PATCH bucket:

    curl -X PATCH --data-binary @JSON_FILE_NAME.json \
      -H "Authorization: Bearer OAUTH2_TOKEN" \
      -H "Content-Type: application/json" \
      "https://storage.googleapis.com/storage/v1/b/BUCKET_NAME?fields=rpo"

    Em que:

    • JSON_FILE_NAME é o caminho e o nome do arquivo JSON que você criou na Etapa 2.
    • OAUTH2_TOKEN é o token de acesso gerado na Etapa 1.
    • BUCKET_NAME é o nome do bucket pertinente. Por exemplo, my-bucket.

    Se a solicitação for bem-sucedida, nenhuma resposta será retornada.

Desativar replicação turbo

Para desativar a replicação turbo em um bucket birregional, faça o seguinte:

Console

  1. No Console do Cloud, acesse a página Navegador do Cloud Storage.

    Acessar o navegador

  2. Na lista de buckets, clique no nome do bucket que você quer ativar.

  3. Clique na guia Configuração.

  4. Na linha Replicação, ao lado de Turbo, clique em Editar.

  5. Na janela Desativar replicação turbo, clique em Salvar.

gsutil

Use o comando gsutil rpo set DEFAULT:

gsutil rpo set DEFAULT gs://BUCKET_NAME/

Em que:

  • BUCKET_NAME é o nome do bucket relevante. Por exemplo, my-bucket.

Ao finalizar a operação, não exibiremos nenhuma resposta. A alteração entra em vigor imediatamente.

APIs REST

API JSON

  1. Consiga um token de acesso de autorização do OAuth 2.0 Playground (em inglês). Configure o Playground para usar suas credenciais do OAuth.
  2. Crie um arquivo .json que contenha as seguintes informações:

    {
      "rpo": "DEFAULT"
    }
  3. Use cURL para chamar a API JSON com uma solicitação PATCH bucket:

    curl -X PATCH --data-binary @JSON_FILE_NAME.json \
      -H "Authorization: Bearer OAUTH2_TOKEN" \
      -H "Content-Type: application/json" \
      "https://storage.googleapis.com/storage/v1/b/BUCKET_NAME?fields=rpo"

    Em que:

    • JSON_FILE_NAME é o caminho e o nome do arquivo JSON que você criou na Etapa 2.
    • OAUTH2_TOKEN é o token de acesso gerado na Etapa 1.
    • BUCKET_NAME é o nome do bucket pertinente. Por exemplo, my-bucket.

    Se a solicitação for bem-sucedida, nenhuma resposta será retornada.

Criar um bucket birregional com replicação turbo

Conclua as etapas a seguir para criar um novo bucket de duas regiões com replicação turbo ativada:

Console

  1. No Console do Cloud, acesse a página Navegador do Cloud Storage.

    Acessar o navegador

  2. Clique em Criar bucket.

  3. Na página Criar um bucket, insira as informações do seu bucket. Para ir à próxima etapa, clique em Continuar.

    1. Em Nomear o bucket, insira um nome que atenda aos requisitos de nomenclatura de bucket.

    2. Em Escolha onde armazenar seus dados, ao lado de Tipo de local, escolha Locais birregionais e selecione a caixa de seleção Adicionar replicação turbo.

    3. Em Local, selecione uma das regiões duplas disponíveis.

    4. Em Escolha uma classe de armazenamento padrão para os dados, selecione uma classe de armazenamento para o bucket. A classe de armazenamento padrão é atribuída por padrão a todos os objetos carregados no bucket.

    5. Em Escolha como controlar o acesso a objetos, selecione uma opção de Controle de acesso. O modelo de controle de acesso determina como controlar o acesso aos objetos do bucket.

    6. Em Configurações avançadas (opcional), adicione rótulos de buckets, defina uma política de retenção e escolha um método de criptografia.

  4. Clique em Criar.

    Para informações detalhadas sobre erros de operações com falha no navegador do Cloud Storage, consulte Solução de problemas.

gsutil

Use o comando gsutil mb --rpo:

gsutil mb -l LOCATION -c CLASS --rpo REPLICATION_TYPE gs://BUCKET_NAME/

Em que:

  • LOCATION especifica a localização geográfica do bucket. Se nenhum local for especificado, a multirregião US será o padrão. Para este exemplo, especifique uma região dupla. Por exemplo, nam4.

  • CLASS especifica a classe de armazenamento. Por exemplo, NEARLINE.

  • REPLICATION_TYPE especifica a configuração de replicação para buckets birregionais e multirregionais. O valor DEFAULT representa a replicação padrão e é uma opção válida para buckets birregionais ou multirregionais. ASYNC_TURBO representa a replicação turbo e é uma opção válida para muitos buckets birregionais. Se não for especificada, a replicação padrão será a configuração padrão. Para a finalidade deste exemplo, use ASYNC_TURBO.

  • BUCKET_NAME é o nome do bucket relevante. Por exemplo, my-bucket.

    Se a solicitação for bem-sucedida, o comando retornará a seguinte mensagem:

    Creating gs://BUCKET_NAME/...

APIs REST

API JSON

  1. Consiga um token de acesso de autorização do OAuth 2.0 Playground (em inglês). Configure o Playground para usar suas credenciais do OAuth.
  2. Crie um arquivo .json com as configurações do bucket, que precisa incluir um name para o bucket. Consulte a documentação Buckets:Insert para ver uma lista completa de configurações. Veja a seguir configurações comuns a serem incluídas:

    {
      "name": "BUCKET_NAME",
      "rpo": "REPLICATION_TYPE",
      "location": "BUCKET_LOCATION",
      "storageClass": "STORAGE_CLASS",
      "iamConfiguration": {
        "uniformBucketLevelAccess": {
          "enabled": true
        },
      }
    }

    Em que:

    • BUCKET_NAME é o nome que você quer dar ao bucket, sujeito a requisitos de nomenclatura. Por exemplo, my-bucket.
    • REPLICATION_TYPE especifica a configuração de replicação para buckets birregionais e multirregionais. O valor DEFAULT representa a replicação padrão e é uma opção válida para buckets birregionais ou multirregionais. ASYNC_TURBO representa a replicação turbo e é uma opção válida para a maioria dos buckets birregionais. Se não for especificada, a replicação padrão será a configuração padrão. Para a finalidade deste exemplo, use ASYNC_TURBO.
    • BUCKET_LOCATION é o local em que você quer armazenar os dados de objeto do bucket. Como você está criando um bucket com replicação turbo ativada e porque a localização geográfica de um bucket é imutável depois de criada, especifique um local birregional. Por exemplo, NAM4.
    • STORAGE_CLASS é a classe de armazenamento padrão do bucket. Por exemplo, NEARLINE.
  3. Use cURL para chamar a API JSON:

    curl -X POST --data-binary @JSON_FILE_NAME.json \
     -H "Authorization: Bearer OAUTH2_TOKEN" \
     -H "Content-Type: application/json" \
     "https://storage.googleapis.com/storage/v1/b?project=PROJECT_ID"

    Em que:

    • JSON_FILE_NAME é o nome do arquivo JSON criado na Etapa 2.
    • OAUTH2_TOKEN é o token de acesso gerado na Etapa 1.
    • PROJECT_ID é o ID do projeto ao qual o bucket será associado. Por exemplo, my-project.

A seguir