Métricas do Key Visualizer

Nesta página, descrevemos as métricas visíveis nos mapas de calor do Key Visualizer.

A maioria dessas métricas representa uma quantidade por linha. Por exemplo, a métrica Ops mede o número de operações por linha por minuto.

Uma tabela do Cloud Bigtable contém trilhões de linhas. Portanto, nem sempre é prático relatar métricas para cada linha individualmente. Em vez disso, o Key Visualizer dividirá todas as chaves de linha em 1.000 intervalos contíguos, com aproximadamente o mesmo número de chaves de linha em cada intervalo. Esses buckets são conhecidos como buckets de chaves.

O Key Visualizer relata a maioria das métricas como médias sobre cada bucket de chaves ou como valores máximos dentro de cada bucket de chaves. Para métricas de Avisos e Desempenho, o Key Visualizer confere maior precisão relatando métricas para chaves de linha individuais ou para buckets de chaves específicos dentro do bucket de chaves.

Antes de ler esta página, confira a visão geral do Key Visualizer.

Atividade

A categoria Atividade inclui a métrica Ops que mede o número de operações por linha por minuto. Essa métrica é aproximadamente igual ao número combinado de leituras e gravações e pode indicar quais chaves receberam mais solicitações em um determinado momento. As cores indicam valores relativos a todos os valores observados. Portanto, amarelo ou branco não indicam necessariamente um ponto de acesso.

Avisos

A categoria Avisos inclui métricas que identificam possíveis problemas de desempenho com uma tabela. Esta categoria inclui as seguintes métricas:

  • Índice de pressão de leitura: um índice composto opaco de uma chave de linha ou intervalo de chaves que incorpora a utilização da CPU e a latência das leituras.

    Este índice reflete todos os valores observados durante um intervalo de 15 minutos. Um valor de 100 ou mais geralmente indica um desempenho ruim em um intervalo de chaves. Um desempenho ruim ocorre quando você acessa uma única linha ou um pequeno intervalo de linhas com muita frequência ou quando uma linha contém mais do que 256 MB de dados.

  • Índice de pressão de gravação: um índice composto opaco de uma chave de linha ou intervalo de chaves que incorpora a utilização da CPU e a latência das gravações.

    Este índice reflete todos os valores observados durante um intervalo de 15 minutos. Um valor de 100 ou mais geralmente indica um desempenho ruim em um intervalo de chaves. Um desempenho ruim ocorre quando você acessa uma única linha ou um pequeno intervalo de linhas com muita frequência ou quando uma linha contém mais do que 256 MB de dados.

  • Linhas grandes: a quantidade de dados armazenados em linhas que contêm, cada uma, mais de 1 GB de dados ou em intervalos de chaves com uma média de mais de 256 MB por linha.

    Não é recomendado armazenar mais de 256 MB de dados por linha porque isso pode causar problemas de desempenho.

Para essas métricas, ao mover o cursor sobre o mapa de calor, o Key Visualizer não exibe informações agregadas para um bucket de chaves. Em vez disso, exibe informações sobre determinadas chaves de linha ou intervalos de chaves na tabela. Assim, você consegue identificar a origem do problema. Consulte Como analisar métricas de aviso para saber como visualizar e agir com base nelas.

Leituras

A categoria Leituras inclui métricas relacionadas aos dados de leitura de uma tabela. Esta categoria inclui as seguintes métricas:

  • CPU de Leitura: a utilização média da CPU, que é expressa como o número de nós usados para ler uma linha. As cores indicam valores relativos a todos os valores observados. Portanto, amarelo ou branco não indicam necessariamente um ponto de acesso.
  • Cliente de bytes de leitura: o número de bytes lidos pelo cliente por minuto por linha. As cores indicam valores relativos a todos os valores observados. Portanto, amarelo ou branco não indicam necessariamente um ponto de acesso.

Gravações

A categoria Gravações inclui métricas relacionadas aos dados de gravação de uma tabela. Esta categoria inclui as seguintes métricas:

  • CPU de Gravação: a utilização média da CPU, que é expressa como o número de nodes usados para ler uma linha. As cores indicam valores relativos a todos os valores observados. Portanto, amarelo ou branco não indicam necessariamente um ponto de acesso.
  • Cliente de bytes de gravação: o número de bytes gravados pelo cliente por minuto por linha. As cores indicam valores relativos a todos os valores observados. Portanto, amarelo ou branco não indicam necessariamente um ponto de acesso.

Desempenho

A categoria Desempenho inclui métricas relacionadas à latência. Esta categoria inclui as seguintes métricas:

  • Latência: a latência das operações de leitura e gravação. Um segundo (mostrado em laranja) pode ser considerado um valor alto
  • Latência (máx.): a latência máxima para leituras ou gravações. Um segundo (mostrado em laranja) pode ser considerado um valor alto

Para essas métricas, ao mover o cursor sobre o mapa de calor, o Key Visualizer não exibe informações agregadas para um bucket de chaves. Em vez disso, exibe informações sobre determinadas chaves de linha ou intervalos de chaves na tabela. Assim, você consegue identificar a origem do problema.

Tamanho

  • Dados armazenados: a quantidade de dados armazenados por linha. Essa métrica reflete o fato de que o Cloud Bigtable compacta os dados ao armazená-los.
  • Linhas: o número aproximado de linhas em cada bucket de chaves.

    O mapa de calor das linhas aparece principalmente em amarelo. Listras horizontais que aumentam o brilho da esquerda para a direita, passando de uma cor mais escura para uma mais clara, indicam a adição de linhas. Listras que diminuem o brilho da esquerda para a direita indicam a exclusão de linhas.

    Número de linhas em um bucket do Key Visualizer

    Para ver o número total de linhas de um determinado prefixo de chave, clique nele, dentro da hierarquia de chaves, e inspecione as dicas sobre o gráfico de barras horizontais na parte inferior.

A seguir