Como criar uma instância do Cloud Bigtable

Uma instância do Cloud Bigtable é um contêiner de até quatro clusters do Cloud Bigtable. Instâncias que usam replicação têm dois ou mais clusters e instâncias sem replicação têm apenas um.

Nesta página, explicamos como criar uma instância com ou sem replicação. Antes de ler esta página, familiarize-se com a visão geral do Cloud Bigtable. Leia também a visão geral de instâncias, clusters e nós.

Antes de começar

Antes de começar, você precisará preparar o ambiente e fazer um planejamento inicial:

  1. Selecione ou crie um projeto do GCP.

    Acessar a página do seletor de projetos

  2. Verifique se o faturamento está ativado para o projeto do Google Cloud. Saiba como confirmar se o faturamento está ativado para o projeto.

  3. Ative as APIs Cloud Bigtable e Cloud Bigtable Admin.

    Ativar as APIs

  4. Clique em Acessar credenciais.

  5. Na página Credenciais, responda às perguntas necessárias:

    1. Em resposta a "Qual API você usa?", escolha API Cloud Bigtable.
    2. Responda à pergunta sobre o App Engine ou Compute Engine. Para este guia de início rápido, você não os usará.
    3. Clique em Preciso de quais credenciais?
    4. Se for solicitado que você crie uma conta de serviço, forneça as seguintes informações:
      1. Escolha um nome para sua conta de serviço.
      2. Em Papel, escolha Cloud Bigtable > Administrador do Bigtable.
      3. Em Tipo de chave, selecione JSON.
      4. Clique em Continuar.
      5. Salve o arquivo JSON da conta de serviço recém-criada no seu diretório HOME ou no local de sua preferência.
    5. Se você não for solicitado a criar uma nova conta de serviço, clique em Concluído.
  6. Para usar as ferramentas de linha de comando do Cloud Bigtable, instale o SDK do Cloud e a cbtferramenta de linha de comando, se ainda não tiver feito isso.

  7. Se você planeja ativar a replicação, faça o seguinte:

Criar uma instância

Para criar uma instância do Cloud Bigtable:

Console

  1. Abra a página "Criar instância" no Console do Cloud.

    Abrir a página Criar instância

  2. Digite um nome para a instância.

    O Console do Cloud exibe esse nome para identificar a instância.

  3. Digite o ID de uma instância.

    O código da instância é um identificador permanente da instância.

  4. Digite o código do primeiro cluster.

    O ID é um identificador permanente do cluster.

  5. Escolha a região e a zona em que o primeiro cluster será executado.

    Se você planeja usar a replicação em uma única região, verifique se o Cloud Bigtable está disponível em pelo menos uma outra zona, nessa região. Veja a lista de zonas.

  6. Escolha o número de nós do Cloud Bigtable do primeiro cluster. Caso não tenha certeza de quantos nós são necessários, use o padrão. Será possível adicionar mais nodes depois. Saiba mais.

  7. Para ativar a replicação agora, clique em Adicionar cluster replicado e atualize as configurações do segundo cluster. Repita essa etapa para criar até quatro clusters na instância. Também é possível ativar a replicação posteriormente adicionando um cluster.

    Os clusters de uma instância precisam estar em zonas exclusivas. É possível criar outro cluster em qualquer zona em que o Cloud Bigtable esteja disponível. Caso o botão Adicionar cluster esteja desativado, altere a zona do primeiro cluster.

  8. Escolha se é necessário usar um disco SSD ou HDD nos clusters. Na maioria dos casos, o SSD é o melhor. Essa opção é permanente. Saiba mais.

    O Console do Cloud mostra como o tipo de disco e o número de nós afetam a capacidade e o custo.

  9. Clique em Criar para criar a instância.

  10. Em seguida, analise as configurações de replicação no perfil de aplicativo padrão para saber se elas se aplicam ao caso de uso de replicação. Talvez seja necessário atualizar o perfil de aplicativo padrão ou criar perfis personalizados.

gcloud

  1. Comece criando uma instância com um único cluster. Use o comando bigtable instances create para criar uma instância:

    gcloud bigtable instances create INSTANCE_ID \
        --cluster=CLUSTER_ID \
        --cluster-zone=CLUSTER_ZONE \
        --display-name=DISPLAY_NAME \
        [--cluster-num-nodes=CLUSTER_NUM_NODES] \
        [--cluster-storage-type=CLUSTER_STORAGE_TYPE] \
    

    Informe os valores a seguir:

    • INSTANCE_ID: identificador permanente da instância.
    • CLUSTER_ID: identificador permanente do cluster.
    • CLUSTER_ZONE: a zona em que o cluster é executado.

      Se você planeja usar a replicação em uma única região, verifique se o Cloud Bigtable está disponível em pelo menos uma outra zona, nessa região. Veja a lista de zonas.

    • DISPLAY_NAME: um nome legível que identifica a instância no Console do Cloud.

    O comando aceita as sinalizações opcionais a seguir:

    • --cluster-num-nodes=CLUSTER_NUM_NODES: número de nós no cluster. Cada cluster em uma instância precisa ter um ou mais nós. O valor padrão é 1. Caso não tenha certeza de quantos nós são necessários, use o padrão. Será possível adicionar mais nodes depois. Saiba mais.

    • --cluster-storage-type=CLUSTER_STORAGE_TYPE: o tipo de armazenamento a ser usado no cluster. Cada cluster em uma instância precisa usar o mesmo tipo de armazenamento. Aceita os valores SSD e HDD. O valor padrão é SSD.

      Na maioria dos casos, o valor padrão é o melhor. Essa opção é permanente. Saiba mais

  2. Se quiser ativar a replicação de uma instância de produção, use o comando bigtable clusters create para adicionar um cluster:

    gcloud bigtable clusters create CLUSTER_ID \
        --instance=INSTANCE_ID \
        --zone=ZONE \
        [--num-nodes=NUM_NODES] \
        [--storage-type=STORAGE_TYPE]
    

    Informe os valores a seguir:

    • CLUSTER_ID: identificador permanente do cluster.
    • INSTANCE_ID: identificador permanente da instância recém-criada.
    • ZONE: a zona em que o cluster é executado.

      Os clusters de uma instância precisam estar em zonas exclusivas. É possível criar outro cluster em qualquer zona em que o Cloud Bigtable esteja disponível. Por exemplo, se o primeiro disco estiver em us-east1-b, é possível escolher uma zona diferente na mesma região, como us-east1-c ou uma zona em uma região separada, como europe-west2-a.

    O comando aceita as sinalizações opcionais a seguir:

    • --num-nodes=NUM_NODES: número de nós no cluster. Cada cluster em uma instância precisa ter um ou mais nós.

      Em muitos casos, cada cluster em uma instância precisa ter o mesmo número de nós, mas há exceções. Saiba mais sobre nós e replicação.

    • --storage-type=STORAGE_TYPE: o tipo de armazenamento a ser usado no cluster. Cada cluster em uma instância precisa usar o mesmo tipo de armazenamento. Aceita os valores SSD e HDD. O valor padrão é SSD.

  3. Repita a etapa anterior para criar até quatro clusters na instância.

  4. Em seguida, analise as configurações de replicação no perfil de aplicativo padrão para saber se elas se aplicam ao caso de uso de replicação. Talvez seja necessário atualizar o perfil de aplicativo padrão ou criar perfis personalizados.

cbt

  1. Comece criando uma instância com um único cluster. Use o comando createinstance para criar uma instância:

    cbt createinstance INSTANCE_ID DISPLAY_NAME CLUSTER_ID CLUSTER_ZONE \
        CLUSTER_NUM_NODES CLUSTER_STORAGE_TYPE
    

    Informe os valores a seguir:

    • INSTANCE_ID: identificador permanente da instância.
    • DISPLAY_NAME: um nome legível que identifica a instância no Console do Cloud.
    • CLUSTER_ID: identificador permanente do cluster.
    • CLUSTER_ZONE: a zona em que o cluster é executado.

      Se você planeja usar a replicação em uma única região, verifique se o Cloud Bigtable está disponível em pelo menos uma outra zona, nessa região. Veja a lista de zonas.

    • CLUSTER_NUM_NODES: número de nós no cluster. Cada cluster em uma instância precisa ter um ou mais nós. Caso não tenha certeza de quantos nós são necessários, use o padrão. Será possível adicionar mais nodes depois. Saiba mais.

    • CLUSTER_STORAGE_TYPE: o tipo de armazenamento a ser usado no cluster. Cada cluster em uma instância precisa usar o mesmo tipo de armazenamento. Aceita os valores SSD e HDD. Na maioria dos casos, o SSD é o melhor. Essa opção é permanente. Saiba mais.

  2. Para ativar a replicação, use o comando createcluster para adicionar um cluster:

    
    cbt -instance=INSTANCE_ID createcluster CLUSTER_ID ZONE NUM_NODES STORAGE_TYPE
    
    

    Informe os valores a seguir:

    • INSTANCE_ID: identificador permanente da instância recém-criada.
    • CLUSTER_ID: identificador permanente do cluster.
    • ZONE: a zona em que o cluster é executado.

      Os clusters de uma instância precisam estar em zonas exclusivas. É possível criar outro cluster em qualquer zona em que o Cloud Bigtable esteja disponível. Por exemplo, se o primeiro disco estiver em us-east1-b, é possível escolher uma zona diferente na mesma região, como us-east1-c ou uma zona em uma região separada, como europe-west2-a.

    • NUM_NODES: número de nós no cluster. Cada cluster em uma instância precisa ter um ou mais nós.

      Em muitos casos, cada cluster em uma instância precisa ter o mesmo número de nós, mas há exceções. Saiba mais sobre nós e replicação.

    • STORAGE_TYPE: o tipo de armazenamento a ser usado no cluster. Cada cluster em uma instância precisa usar o mesmo tipo de armazenamento. Aceita os valores SSD e HDD.

  3. Em seguida, analise as configurações de replicação no perfil de aplicativo padrão para saber se elas se aplicam ao caso de uso de replicação. Talvez seja necessário atualizar o perfil de aplicativo padrão ou criar perfis de aplicativo personalizados.

A seguir