Visão geral do repositório

O Artifact Registry permite que você armazene diferentes tipos de artefatos, crie vários repositórios em um único projeto e associe uma região ou multirregião específica a cada repositório. Nesta página, você verá considerações sobre como planejar os locais e a organização dos repositórios.

Quando criar os repositórios, pense em processos internos para criar os artefatos e no uso que os consumidores fazem dos artefatos.

Formato do repositório

Cada repositório é associado a um formato de artefato específico. Por exemplo, um repositório Python armazena pacotes Python. É possível criar vários repositórios para cada formato no mesmo projeto do Google Cloud.

Controle de acesso

Para cada repositório, considere o nível de acesso de que seus usuários precisam. Exemplo:

  • Você tem um repositório de desenvolvimento para aplicativos em desenvolvimento e um repositório de produção para aplicativos lançados. Os desenvolvedores têm acesso de leitura e gravação ao repositório de desenvolvimento e acesso somente leitura ao repositório de produção.
  • Você tem um repositório de demonstração com aplicativos de amostra. Sua equipe de vendas tem acesso somente leitura para fazer o download das demonstrações.

Rótulos de repositório

É possível adicionar rótulos a repositórios para agrupá-los ou filtrar listas por repositório. Por exemplo, use rótulos para agrupar repositórios por estágio de desenvolvimento ou por equipe. Para mais informações sobre como criar e usar rótulos, consulte Como rotular repositórios.

Locais dos repositórios

É possível criar vários repositórios na mesma região ou em várias regiões. Um bom local de repositório equilibra os custos de latência, disponibilidade e largura de banda dos consumidores de dados. A organização também pode ter requisitos de conformidade específicos com o local dos dados.

Para informações sobre locais compatíveis e considerações para escolher um local, consulte Locais de repositório.

A seguir