Veja as 12 práticas recomendadas (em inglês) para otimizar custos enquanto realiza o escalonamento para o futuro. 

Ir para

Soluções para eficiência operacional

As organizações precisam se adaptar às novas condições de negócios. O Google Cloud está aqui para ajudar você a resolver os desafios mais difíceis relacionados à tecnologia, reduzir gastos com TI e se preparar para o futuro.
Auto Trader (UK)
Vendasta
Mercado Livre
American Cancer Society
Nielsen
AirAsia

Soluções

Priorize investimentos e otimize custos

Não se trata apenas de gastar menos, mas de saber quais projetos priorizar, mesmo com financiamento limitado, para manter a continuidade dos negócios e garantir a longevidade.

Adapte-se às mudanças com facilidade

Migre rapidamente cargas de trabalho de vários tipos, como SAP, VMware, Windows, Oracle, entre outras. Saiba por que o Google Cloud foi líder no Quadrante Mágico da Gartner de 2019 em infraestrutura em nuvem como serviço.

Melhore seu poder de decisão e diminua seu custo total de propriedade entre 26% e 34% com o BigQuery, enquanto reduz a carga de trabalho dos analistas em 70% usando um modelo de dados centralizado com o Looker (em inglês).

Produtividade em qualquer lugar

Calcule o valor comercial que o Google Workspace traz para sua organização. Veja seu relatório personalizado feito com a tecnologia da Forrester Consulting.

Desenvolva e execute apps usando software de código aberto e de outros tipos sem precisar da equipe de operações. Diminua o tempo gasto com o gerenciamento da plataforma em 40% a 55% (em inglês) com o Anthos.

Tenha controle dos seus custos

Diminua a complexidade e aumente a previsibilidade dos custos com a nuvem usando as ferramentas de gerenciamento de custos e o conteúdo técnico do Google Cloud para desenvolvedores e operadores.

Migrar as cargas de trabalho da Oracle para o Google Cloud pode economizar tempo e reduzir o custo total de propriedade em até 78%, e 41% a 52% (ambos em inglês) ao migrar outras implantações de armazenamento de dados empresarial para o BigQuery.

O que há de novo