Visão geral da Interconexão dedicada

A Interconexão dedicada fornece conexões físicas diretas entre a rede local e a do Google. Com ela, você transfere grandes quantidades de dados entre redes, o que pode ser mais econômico do que adquirir mais largura de banda na Internet pública.

Antes de usar a Interconexão dedicada

  • É necessário conhecer as interconexões básicas de rede (em inglês), já que você fará a solicitação e configuração dos circuitos.
  • É necessário conhecer a terminologia do Cloud Interconnect descrita em Terminologia importante.
  • Sua rede precisa se conectar fisicamente à do Google em uma instalação de colocation. Você precisa ter os próprios aparelhos de roteamento.
  • Na instalação de colocation, os dispositivos de rede local precisam atender aos requisitos técnicos a seguir:
    • 10GBASE-LR (1310 nm) com circuitos 10 G e fibra monomodo ou 100GBASE-LR4 com circuitos 100 G e fibra monomodo
    • Endereço link-local IPv4
    • LACP, mesmo se você estiver usando um único circuito
    • EBGP-4 com vários saltos
    • VLANs 802.1Q

Como a Interconexão dedicada funciona?

Com a Interconexão dedicada, você provisiona uma conexão cruzada entre a rede do Google e seu próprio roteador em um local comum. Veja no exemplo a seguir uma conexão da Interconexão dedicada entre uma rede VPC do GCP e uma rede local:

Diagrama de uma Interconexão dedicada (clique para ampliar)
Interconexão dedicada (clique para ampliar)

Nessa configuração básica, uma conexão cruzada é provisionada entre a rede do Google e o roteador local em uma instalação de colocation comum. Essa conexão cruzada é uma Interconexão dedicada.

Para trocar as rotas, uma sessão do BGP é configurada por meio da interconexão entre o Cloud Router e o roteador local. Depois, o tráfego da rede local pode chegar à rede VPC e vice-versa.

Elementos da Interconexão dedicada

Veja a seguir definições que explicam os diferentes elementos incluídos na configuração básica.

Interconexão

Representa uma conexão física específica entre o Google e uma rede local. A interconexão fica em uma instalação de colocation em que a rede local e a do Google se conectam.

Ela pode ser um link 10 G ou 100 G único ou um pacote de links conectados a um único Cloud Router. Se você tiver várias conexões com o Google em locais ou dispositivos diferentes, será necessário criar interconexões separadas.

Anexo de interconexão (VLAN)

Um anexo de interconexão, também chamado de anexo da VLAN, aloca uma VLAN 802.1Q específico no Cloud Interconnect e conecta essa VLAN a uma rede VPC. A VLAN se torna um túnel ponto a ponto entre suas instalações e a rede VPC especificada.

É possível criar vários anexos da VLAN em uma única conexão de interconexão. Assim, você se conecta a várias redes VPC ou a regiões diferentes em uma única rede VPC.

É possível definir a capacidade de cada anexo da VLAN. Para uma lista de capacidades, consulte a página "Preços". A capacidade de anexos padrão é de 10 Gbps.

A configuração de capacidade limita a largura de banda máxima que um anexo pode usar. Se você tiver vários anexos em uma única interconexão, o limite de capacidade será útil quando você quiser evitar o congestionamento de rede na interconexão. A largura de banda máxima é aproximada. Por isso, é possível que um anexo da VLAN use mais largura de banda do que a capacidade selecionada.

Como a configuração de capacidade limita apenas a saída da largura de banda do Google Cloud para a instalação de colocation da interconexão, é recomendável definir um limitador de taxa de saída no roteador da sua conexão de interconexão. Ao configurar esse limitador, é possível restringir a largura de banda máxima de entrada do tráfego que usa essa conexão na sua rede VPC.

Local da interconexão

É a instalação de colocation em que a interconexão está provisionada. Esse é o lugar em que os aparelhos locais de roteamento se conectam à borda de peering do Google.

Cada local de interconexão é compatível com um subconjunto de regiões do Google Cloud Platform (GCP). Por exemplo, o local lga-zone1-16 é compatível com anexos de interconexão nas regiões northamerica-northeast1, us-east1, us-west1, us-west2, us-east4 e us-central1

Todos os locais de Interconexão dedicada são compatíveis com um circuito de 100 Gbps (100 Gbps) ou dois de 100 Gbps (200 Gbps).

Para uma lista de locais e regiões compatíveis, consulte Locais das instalações de colocation.

Cloud Router

O Cloud Router é usado para trocar rotas dinamicamente entre a rede VPC e a rede local por meio do BGP. Você estabelece uma sessão do BGP entre o roteador local e o Cloud Router. O anexo da VLAN fornece todas as informações da sessão do BGP, incluindo os endereços IP de peering e o ID da VLAN.

O Cloud Router divulga sub-redes na rede VPC e propaga as rotas aprendidas para elas. Para mais informações sobre o Cloud Router, consulte a visão geral na documentação dele.

Anexo da VLAN

Consulte anexo de interconexão.

Visão geral do provisionamento

Para começar, solicite uma interconexão para que o Google possa alocar os recursos necessários e enviar uma LOA-CFA. Depois de recebê-la, envie a LOA-CFA ao seu fornecedor para que ele provisione as conexões cruzadas entre a rede do Google e sua rede.

Configure e teste as interconexões com o Google antes de usá-las. Quando estiverem prontas, será possível criar anexos da VLAN para alocar uma VLAN na interconexão.

Para mais informações sobre todas as etapas necessárias para provisionar uma Interconexão dedicada, consulte Visão geral do provisionamento no guia de instruções "Como criar uma Interconexão dedicada".

Redundância

É possível configurar a Interconexão dedicada para ser compatível com serviços ou aplicativos essenciais que toleram inatividade. Isso depende das suas necessidades de disponibilidade. Para alcançar um determinado nível de confiabilidade, o Google oferece duas configurações prescritivas: uma para disponibilidade de 99,99% e outra para 99,9%.

O Google recomenda que você use a configuração de 99,99% nos aplicativos no nível de produção com baixa tolerância à inatividade. Use a configuração de 99,9% nos aplicativos não essenciais que podem tolerar alguma inatividade.

O SLA requer topologias configuradas adequadamente, definidas pelas configurações de 99,99% e 99,9%. Essas configurações garantem a disponibilidade e fornecem um SLA.

Configuração básica

Para ter o maior nível de disponibilidade, o Google recomenda a configuração de 99,99%, conforme mostrado no diagrama a seguir. Os clientes na rede local podem acessar os endereços IP das instâncias de VM na região us-central1 por pelo menos um dos caminhos redundantes e vice-versa. Se um caminho estiver indisponível, os outros poderão continuar disponibilizando tráfego.

Diagrama de interconexões redundantes com 99,9% de disponibilidade (clique para ampliar)
Interconexões redundantes com disponibilidade de 99,99% (clique para ampliar)

Tutoriais

Como equilibrar o tráfego de saída com interconexões redundantes

Quando você tem uma topologia redundante parecida com a configuração de 99,99%, há vários caminhos para que o tráfego passe pela rede VPC até sua rede local. Se o Cloud Router recebe o mesmo anúncio com um custo igual (mesmo intervalo CIDR e valor MED), o GCP usa o ECMP (em inglês) para equilibrar o tráfego de saída das conexões.

Disponibilidade da Interconexão dedicada

Uma conexão da Interconexão dedicada estará disponível se você puder enviar e receber pacotes (ping ICMP) entre uma instância de VM em uma determinada região do GCP e uma máquina corretamente configurada na rede local. Será possível enviar e receber pacotes por meio de pelo menos uma das conexões redundantes.

Perguntas frequentes

Para encontrar respostas para perguntas comuns sobre a arquitetura e os recursos do Cloud Interconnect, consulte as Perguntas frequentes sobre o Cloud Interconnect.

A seguir