Como ver informações sobre a instância do Cloud SQL

Nesta página, você saberá mais sobre as instâncias do Cloud SQL, incluindo informações resumidas das instâncias, registros do banco de dados e de operações e dados de uso.

Como ver informações resumidas das instâncias

Veja informações resumidas sobre suas instâncias do Cloud SQL no Console do Google Cloud Platform. Se preferir, use a ferramenta de linha de comando gcloud ou a API.

Console

  1. Acesse a página "Instâncias do Cloud SQL" no Console do Google Cloud Platform.

    Acessar a página "Instâncias do Cloud SQL"

  2. Clique em um nome de instância para abrir a página Detalhes da instância.

gcloud (Segunda geração)

gcloud sql instances describe [INSTANCE_NAME]

gcloud (Primeira geração)

gcloud sql instances describe [INSTANCE_NAME]

cURL

ACCESS_TOKEN="$(gcloud auth application-default print-access-token)"
curl --header "Authorization: Bearer ${ACCESS_TOKEN}" \
     -X GET \
     https://www.googleapis.com/sql/v1beta4/projects/[PROJECT-ID]/instances/[INSTANCE_NAME]

Como ver métricas de instância no Cloud SQL

O Cloud SQL fornece gráficos de uso das principais métricas de instância que você pode usar para monitorar suas instâncias. Ao trabalhar com dados de métricas, tenha isto em mente:

  • Um ponto de dados de uma métrica é um agrupamento de todos os bancos de dados hospedados pela instância.
  • Os dados são informados no Tempo Universal Coordenado (UTC, na sigla em inglês).
  • Os gráficos renderizados não são atualizados automaticamente. Para ver dados novos, é necessário atualizar a página.
  • A exibição dos dados de métrica nos gráficos de uso leva alguns minutos após o registro.

Para ver informações sobre o uso de instâncias, faça o seguinte:

  1. Acesse a página "Instâncias do Cloud SQL" no Console do Google Cloud Platform.

    Acessar a página "Instâncias do Cloud SQL"

  2. Clique em um nome de instância para abrir a página Detalhes da instância.
  3. Na caixa de seleção de métrica, escolha uma para ver o gráfico de uso.

    Captura de tela mostrando lista suspensa para seleção de métricas.

Como comparar métricas de várias instâncias

  1. Acesse a página "Instâncias do Cloud SQL" no Console do Google Cloud Platform.

    Acessar a página "Instâncias do Cloud SQL"

  2. Selecione até cinco instâncias que você quer comparar marcando a caixa de seleção à esquerda do nome da instância.
  3. No painel de informações à direita, selecione a guia Monitoramento.
  4. Selecione a métrica que você quer comparar no menu suspenso dela.

    Os dados exatos de um momento específico podem ser visualizados passando o cursor sobre o gráfico.

Métricas disponíveis

Os gráficos de uso podem ajudá-lo a reagir de maneira proativa quando seu aplicativo precisar de alteração. Com essas métricas, você pode ter insights para solucionar problemas de capacidade e latência, e sobre os custos de uso de instâncias. As métricas que podem ser vistas dependem da geração da sua instância: se é de segunda ou primeira geração.

Métricas para instâncias de segunda geraçãoDescrição
Uso do armazenamento (GB)

Você pode usar a métrica de uso do armazenamento para entender os custos. Para saber mais sobre as cobranças de uso de armazenamento, consulte Preços de rede e de armazenamento.

Os registros binários usam espaço de armazenamento. Eles são excluídos automaticamente com o backup automático associado, o que geralmente ocorre após sete dias. Não é possível excluir manualmente os registros binários, nem alterar o período de sete dias.

Se o tamanho dos seus registros binários estiver causando um problema para a instância, é possível aumentar o tamanho de armazenamento, mas o aumento (em binário) do tamanho desse registro pode ser temporário. É possível desabilitar e reativar a geração de registros binários. Essa ação exclui os registros. Observe, porém, que diminuir o armazenamento usado não reduz o tamanho do armazenamento provisionado para a instância.

Um banco de dados recém-criado usa várias centenas de MBs para arquivos e tabelas do sistema.

Uso da CPU

Você pode usar essa métrica para monitorar se a instância tem CPU suficiente para as necessidades do seu aplicativo. Se esse valor estiver muito alto, você poderá aumentar o tamanho do tipo de máquina para fornecer maior capacidade de CPU à instância.

Uso de memória

A quantidade de memória usada pela instância.

Operações de leitura/gravação

A métrica Número de leituras se refere ao número de operações de leitura veiculadas pelo disco não provenientes do cache. Você pode usar essa métrica para entender se o tamanho da instância está adequado ao ambiente. Se necessário, você pode mudar para um tipo de máquina maior para atender a mais solicitações do cache e reduzir a latência.

A métrica Número de gravações se refere ao número de operações de gravação no disco. A atividade de gravação é gerada mesmo quando o aplicativo não está ativo.

Conexões ativas Número de conexões abertas para a instância do Cloud SQL.
Bytes de entrada/saída (bytes/segundo) O volume de tráfego de rede que entra ou sai da instância.
Consultas do MySQL (consultas/segundo) O número de instruções executadas pelo servidor. Para saber quais instruções são medidas como consultas, veja Server Status Variables no manual de referência do MySQL.
Perguntas do MySQL (perguntas/segundo) O número de instruções executadas pelo servidor enviadas por clientes. Para saber quais instruções são medidas como perguntas, veja Server Status Variables no manual de referência do MySQL.
Leitura/gravação de páginas InnoDB (páginas/segundo) O número de páginas InnoDB lidas e gravadas. Para saber mais, veja InnoDB Startup Options and System Variables no manual de referência do MySQL.
Fsyncs de dados de InnoDB (operações/segundo) O número de chamadas fsync() do InnoDB. Para saber mais, veja InnoDB Startup Options and System Variables no manual de referência do MySQL.
Fsyncs de registros de InnoDB (operações/segundo) O número de chamadas fsync() do InnoDB para o arquivo de registros. Para saber mais, veja InnoDB Startup Options and System Variables no manual de referência do MySQL.
Métricas para instâncias de primeira geraçãoDescrição
Uso do armazenamento (GB)

Você pode usar a métrica de uso do armazenamento para gerenciar os custos do armazenamento. Por exemplo, para um plano de faturamento de pacote, o Cloud SQL fornece uma cota de armazenamento gratuita para cada camada. Quando essa cota for ultrapassada, haverá cobrança. Tanto no plano por uso quanto nos planos de faturamento de pacote, o armazenamento máximo permitido para uma instância é de 500 GB. Para saber mais sobre as cobranças pelo uso do armazenamento, veja Preços.

Um banco de dados recém-criado usa cerca de 270 MB para tabelas do sistema e registros de InnoDB.

Operações de leitura/gravação

A métrica Número de leituras se refere ao número de operações de leitura veiculadas pelo disco não provenientes do cache. Você pode usar essa métrica para ajudar a gerenciar os custos com instância. O Cloud SQL armazenará os dados na memória cache para atender às suas consultas com eficiência e diminuir a quantidade de solicitações de E/S. No plano de faturamento de pacote, cada camada tem uma cota gratuita de operações de E/S. O uso além da cota é cobrado. No plano de faturamento por uso, o Cloud SQL cobra uma taxa básica para operações de E/S. Nos dois planos, é possível aumentar o tamanho (camada) da instância para atender a mais solicitações do cache e reduzir os custos associados com operações de E/S.

O Número de gravações é o número de operações de gravação no disco, também incluído como operações de E/S cobradas.

Bytes de saída (múltiplo de bytes/segundo) Use a métrica Bytes de saída para ajudar a gerenciar os custos com instância devido ao tráfego de saída externo. Linhas de gráfico diferentes mostram o destino dos bytes de saída, por exemplo, "Compute Engine", "App Engine" ou "Externo".
Conexões ativas Número de conexões abertas para a instância do Cloud SQL.
Consultas do MySQL (consultas/segundo) O número de instruções executadas pelo servidor. Para saber quais instruções são medidas como consultas, veja Server Status Variables no manual de referência do MySQL.
Perguntas do MySQL (perguntas/segundo) O número de instruções executadas pelo servidor enviadas por clientes. Para saber quais instruções são medidas como perguntas, veja Server Status Variables no manual de referência do MySQL.
Leitura/gravação de páginas InnoDB (páginas/segundo) O número de páginas InnoDB lidas e gravadas. Para saber mais, veja InnoDB Startup Options and System Variables no manual de referência do MySQL.
Fsyncs de dados de InnoDB (operações/segundo) O número de chamadas fsync() do InnoDB. Para saber mais, veja InnoDB Startup Options and System Variables no manual de referência do MySQL.
Fsyncs de registros de InnoDB (operações/segundo) O número de chamadas fsync() do InnoDB para o arquivo de registros. Para saber mais, veja InnoDB Startup Options and System Variables no manual de referência do MySQL.

A figura 1 destaca as diferentes partes de um gráfico de uso.

Gráfico mostrando exemplo de dados de métricas do Google Cloud SQL
Figura 1: exemplo de dados de uso de instância

em que

  • Frase de destaque 1: os dados métricos mostrados no gráfico.

  • Frase de destaque 2: o intervalo para ver os dados métricos.

  • Frase de destaque 3: o valor da métrica no cursor.

  • Frase de destaque 4: o cursor de dados. Use o cursor para procurar o valor de métrica em um horário específico.

Como exibir dados de uso de instância com o Stackdriver

Se você precisar de uma métrica não mostrada na página "Detalhes da instância", mais flexibilidade com seu formato de dados ou opções de exibição, use o Stackdriver para saber mais sobre sua instância do Cloud SQL.

Para ver a lista completa das métricas do Cloud SQL fornecidas pelo Stackdriver, consulte a lista de métricas do Cloud SQL. Para saber mais sobre como usar o Stackdriver com o GCP, consulte a documentação do Stackdriver Monitoring.

Como ver o registro de operações da instância

É possível ver os registros de uma instância no painel Operações. O painel Operações registra cada operação realizada na instância com as seguintes informações:

  • o horário em que a operação foi concluída, no fuso horário local
  • o tipo de operação
  • o status da operação
  • uma mensagem descrevendo o resultado da operação.

    Se houver falha na operação, você poderá usar a mensagem para resolver o problema.

Para ver um registro de operações de instâncias:

  1. Acesse a página "Instâncias do Cloud SQL" no Console do Google Cloud Platform.

    Acessar a página "Instâncias do Cloud SQL"

  2. Clique em um nome de instância para abrir a página Detalhes da instância.
  3. Clique em Operações para mostrar o painel com o registro de operações.

Observação: o registro de operações não inclui operações realizadas com ferramentas de gerenciamento externo, como o cliente mysql. Somente operações de alteração de senha e de gerenciamento de usuários realizadas usando a ferramenta de linha de comando gcloud do Console do Google Cloud Platform ou a API do Cloud SQL aparecem no registro de operações.

Como ver arquivos de registros

Você pode usar o Visualizador de registros no Console do Google Cloud Platform para ver arquivos de registros e erros.

  1. Acesse o Visualizador de registros no Console do Google Cloud Platform.

    Acessar o Visualizador de registros

  2. Selecione os registros que você quer ver.

    É possível filtrar com base em:

    • instância;
    • arquivo de registros;
    • nível de registros;
    • data.

Para saber mais sobre como selecionar e filtrar registros, veja Como ver registros. Para saber sobre a exportação de registros, veja Como exportar registros.

Próximas etapas

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Cloud SQL para MySQL