Réplicas entre regiões

Nesta página, você verá como usar réplicas entre regiões para uma instância do Cloud SQL.

Sobre réplicas entre regiões

Uma réplica de leitura é uma cópia da principal ("mestre") que reflete as alterações na instância principal quase em tempo real. Você cria uma réplica para descarregar solicitações de leitura ou tráfego de análise da principal. É possível criar várias réplicas de leitura a partir de uma instância principal. Recomendamos no máximo cinco réplicas. Réplicas de leitura são somente para leitura. Não é possível escrever nelas.

A replicação entre regiões permite criar uma réplica de leitura em uma região diferente da instância principal. Para criar uma réplica de leitura entre regiões da mesma forma que uma réplica na região, consulte Como criar réplicas de leitura para mais informações.

Réplicas entre regiões:

  • Melhora o desempenho de leitura disponibilizando réplicas mais próximas da região do aplicativo.
  • Fornece um recurso adicional de recuperação de desastres para evitar falhas na região.
  • Permita migrar dados de uma região para outra com tempo de inatividade mínimo.

Como gerenciar réplicas entre regiões

Depois de criadas, você gerencia as réplicas entre regiões da mesma forma que as réplicas na região, como descrito em Como gerenciar réplicas. Faça o seguinte:

  • Desativar replicação

  • Ativar replicação

  • Promover uma réplica

  • Verificar o status da replicação

Monitorar

Use as ferramentas de monitoramento para rastrear a integridade geral das instâncias principal e réplica.

Cobrança

Além do custo normal associado a instâncias do Cloud SQL, uma réplica entre regiões gera cobranças de saída de rede entre regiões enviadas pela principal para a réplica, conforme descrito em Preços de saída de rede.

O preço da réplica de leitura entre regiões é igual ao de criar uma nova instância na região. Consulte Preços de instâncias do Cloud SQL e selecione a região apropriada.

Como promover réplicas para migração regional ou recuperação de desastres

Visão geral

Há dois cenários comuns para a promoção de réplicas: migração regional e recuperação de desastres. Ambos envolvem a configuração da replicação entre regiões e a promoção da réplica. A principal diferença entre eles é se a promoção da réplica é:

  • planejada (para oferecer suporte à migração planejada de um banco de dados) ou
  • não planejada (porque a instância principal fica indisponível).

Como determinar os critérios de alternância

Quando a instância principal é interrompida, é possível verificar o atraso da replicação no painel de monitoramento para ver se ela atende aos critérios de alternância.

Verifique os valores de Replica Lag (em segundos). Quando há uma falha temporária regional na região da instância principal, a métrica Replica Lag do MySQL indica o tempo de atraso da replicação de dados da instância, que diminui ao longo do tempo.

Como promover uma réplica de leitura

Após determinar os critérios de alternância, é possível promover uma das réplicas para uma instância independente e gravável. Pense no seguinte cenário:

  • A região A (us-central1) tem uma instância principal de alta disponibilidade (db-a-0).
  • A região B (us-west1) tem uma réplica em uma região diferente (db-b-1).
  • A região C (us-east1) também tem uma réplica em uma região diferente (db-c-1).

É possível optar por promover db-b-1 na Região B para uma instância independente gravável.

Consulte Como promover uma réplica para obter mais instruções.

Como ativar a alta disponibilidade para a instância promovida

As réplicas de leitura não são configuradas automaticamente como instâncias High Availability (HA) quando são promovidas. É possível ativar a alta disponibilidade depois de promovê-la, como você faria com qualquer instância que não seja réplica. Consulte Como ativar e desativar a alta disponibilidade para mais informações.

Como recriar réplicas adicionais

Se você promover uma réplica para se tornar uma instância principal, será necessário criar uma nova réplica se quiser substituí-la. Por exemplo, considere a configuração mencionada anteriormente e repetida aqui:

  • A região A (us-central1) tem uma instância principal de alta disponibilidade (db-a-0).
  • A região B (us-west1) tem uma réplica em uma região diferente (db-b-1).
  • A região C (us-east1) também tem uma réplica em uma região diferente (db-c-1).

Se a instância principal (db-a-0) ficar indisponível, será possível promover a réplica na região B para se tornar a principal. Para ter outras réplicas nas regiões A e C, exclua as instâncias antigas (a antiga instância principal na região A e a réplica na C) e crie novas réplicas de leitura a partir da nova instância principal na região B.

A configuração resultante seria:

  • A região A (us-central1) agora tem uma réplica (db-a-1).
  • A região B (us-west1) agora tem a instância principal (db-b-1).
  • A região C (us-east1) agora tem uma nova réplica (db-c-2).