Introdução ao Migrate for Compute Engine

Este guia de instruções contém as etapas completas de implantação de alto nível para configurar o Migrate for Compute Engine do Google Cloud (antigo Velostrata) e mostra como migrar suas VMs para o Google Cloud.

Sobre o Migrate for Compute Engine

O Migrate for Compute Engine faz com que aplicativos empresariais sejam executados no Google Cloud em poucos minutos, enquanto os dados são migrados de maneira transparente em segundo plano. Com o Migrate for Compute Engine, as empresas podem validar, executar e migrar aplicativos para o Google Cloud sem reescrevê-los, modificar a imagem ou alterar os processos de gerenciamento.

Para mais informações sobre a arquitetura de solução, os recursos e a terminologia do Migrate for Compute Engine, consulte a arquitetura de referência do Google Cloud.

Analisar os requisitos de migração

Analisa os requisitos para migrações da sua plataforma de origem.

Configurar um ambiente de migração

Antes de migrar, você configura um ambiente de migração que inclui configuração de rede, um gerenciador de migração para coordenar a migração, configuração sobre sua plataforma de origem e extensões de nuvem como um canal de destino para dados de armazenamento.

Configurar rede e acesso

Antes de começar a implantar componentes do Migrate for Compute Engine, configure as redes e contas de serviço para permitir a comunicação entre os componentes do Migrate for Compute Engine e sua plataforma de origem.

Configurar o Migrate for Compute Engine Manager

Implante o Migrate for Compute Engine Manager para que você possa selecionar as VMs que quer migrar, selecionar as operações de migração e gerenciar as migrações.

Configurar sua plataforma de origem como uma origem para migração

Configurar uma extensão de nuvem

Instale uma ou mais extensão de nuvem no Google Cloud. Elas funcionam como um canal para o armazenamento de VMs entre a origem e o destino da migração.

Migrar sua primeira VM

Depois que o Migrate for Compute Engine Manager e a extensão do Cloud estiverem configurados e funcionando, você estará pronto para migrar as VMs para o Compute Engine.

As instruções para algumas das operações mais comuns podem ser encontradas nos seguintes links:

Como receber ajuda

Está preso à sua implantação? Fale conosco para receber ajuda.

Outras opções de importação

Além de usar o Migrate for Compute Engine, é possível adicionar ao Compute Engine instâncias de VM, imagens personalizadas ou discos disponíveis no ambiente atual, como no provedor local ou em outros provedores de nuvem.

O método de importação depende do que está sendo importado: uma instância de VM, disco ou imagem.

Veja na tabela a seguir um resumo dos métodos de importação e do Migrate for Compute Engine.

O que você quer importar Ferramenta ou procedimento Melhor aplicação
Instâncias de VM (no formato OVA ou OVF) Importação de dispositivos virtuais Importação de dispositivos virtuais. Um dispositivo virtual é uma máquina virtual predefinida.
Discos virtuais ou imagens
Como importar discos virtuais
Importação de discos virtuais ou discos de modelo usando um ambiente local.

Esse método usa o comando images import.

Caso sejam necessárias personalizações avançadas ou haja discos de origem em um formato incompatível com o comando "import", é possível importar e configurar os discos manualmente.
Imagens de máquina Como criar uma imagem de máquina a partir de um dispositivo virtual Como importar imagens de máquina. Uma imagem de máquina é um recurso do Compute Engine que armazena toda a configuração, metadados, permissões e dados de um ou mais discos necessários para criar uma instância de VM.

Esse método é mais adequado para criar imagens de máquina a partir de dispositivos virtuais.

A seguir

A série de referência técnica a seguir orienta você na migração das VMs do ambiente de origem para o Google Cloud usando o Migrate for Compute Engine: