Replicação no Cloud SQL

A replicação é a capacidade de criar cópias de uma instância do Cloud SQL ou de um banco de dados local e distribuir o trabalho para as cópias.

Introdução

O principal motivo para usar a replicação é a possibilidade de escalonar o uso dos dados em um banco de dados sem prejudicar o desempenho. Outros motivos incluem:

  • migrar dados entre regiões;
  • migrar dados entre plataformas;
  • migrar dados de um banco de dados local para o Cloud SQL.

Além disso, uma réplica poderá ser promovida se a instância original for corrompida.

Ao se referir a uma instância do Cloud SQL, a instância que é replicada é chamada de instância primária, e as cópias são chamadas de réplicas de leitura. A instância primária e as réplicas de leitura residem no Cloud SQL.

Ao se referir a um banco de dados local, o cenário de replicação é chamado de replicação a partir de um servidor externo. Nesse cenário, o banco de dados que é replicado é o servidor do banco de dados de origem. As cópias que residem no Cloud SQL são chamadas de réplicas do Cloud SQL. Há também uma instância que representa o servidor do banco de dados de origem no Cloud SQL chamada de instância de representação de origem.

Também é possível usar o Database Migration Service para replicação contínua de um servidor de banco de dados de origem para o Cloud SQL.

O Cloud SQL é compatível com os seguintes tipos de réplica:

O Cloud SQL não é compatível com a replicação entre dois servidores externos.

Réplicas de leitura

Você usará uma réplica de leitura para distribuir o trabalho de uma instância do Cloud SQL. A réplica de leitura é uma cópia exata da instância primária. Os dados e outras alterações na instância primária são atualizados quase em tempo real na réplica de leitura.

As réplicas de leitura são somente para leitura. Portanto, não é possível fazer gravações nelas. A réplica de leitura processa consultas, solicitações de leitura e tráfego de análise, reduzindo a carga na instância primária. É possível ter até 10 réplicas de leitura por instância primária.

Você se conecta a uma réplica diretamente usando o nome de conexão e o endereço IP dela. Caso esteja se conectando a uma réplica usando um endereço IP particular, você não precisará criar mais uma conexão particular da VPC para a réplica, porque ela é herdada da instância principal.

Para informações sobre como criar uma réplica de leitura, consulte este link. Para informações sobre como gerenciar uma réplica de leitura, consulte esta página.

Como prática recomendada, coloque réplicas de leitura em uma zona diferente da instância principal quando usar a alta disponibilidade nessa instância. Essa prática garante que as réplicas de leitura continuem a operar quando a zona que contém a instância principal tiver uma interrupção. Consulte a Visão geral da alta disponibilidade para mais informações.

Réplicas de leitura entre regiões

A replicação entre regiões permite criar uma réplica de leitura em uma região diferente da instância primária. Você cria uma réplica de leitura entre regiões da mesma maneira que cria uma réplica na região.

Réplicas entre regiões:

  • melhoram o desempenho de leitura disponibilizando réplicas mais próximas da região do aplicativo;
  • fornecem capacidade adicional de recuperação de desastres para oferecer proteção contra uma falha regional;
  • Permita migrar dados de uma região para outra com tempo de inatividade mínimo.

Consulte Como promover réplicas para migração regional ou recuperação de desastres para mais informações sobre réplicas entre regiões.

Replicação lógica

O Cloud SQL permite configurar as próprias soluções de replicação usando os recursos de replicaçãovlógica do PostgreSQL. A replicação lógica é uma solução flexível que permite:

  • Replicação padrão de uma instância principal para uma réplica
  • Replicação seletiva de apenas determinadas tabelas ou linhas
  • Replicação nas versões principais do PostgreSQL
  • Replicação para bancos de dados que não sejam do PostgreSQL
  • Fluxos de trabalho de captura de dados de alterações (CDC, na sigla em inglês), em que todas as alterações do banco de dados são transmitidas para um consumidor.

Para mais informações, consulte Como configurar a replicação lógica. Nessa página, há informações sobre:

  • Replicação lógica nativa
  • Extensão pglogical

Casos de uso da replicação

Os casos de uso a seguir se aplicam a cada tipo de replicação.

Nome Linha Réplica Benefícios e casos de uso Mais informações
Réplica de leitura Instância do Cloud SQL Instância do Cloud SQL
  • Capacidade de leitura adicional
  • Destino do Analytics
Réplica de leitura entre regiões Instância do Cloud SQL Instância do Cloud SQL
  • Capacidade de leitura adicional
  • Destino do Analytics
  • Capacidade adicional de recuperação de desastres
  • Melhorar o desempenho da leitura
  • Migrar dados entre regiões
Replicação lógica Qualquer instância do PostgreSQL Qualquer instância do PostgreSQL ou um consumidor externo
  • Replicação de fora do Cloud SQL
  • Replicação nas versões do PostgreSQL
  • replicar apenas um subconjunto de dados em algumas tabelas, usando filtragem de linha e coluna; Veja também pglogical 2.1 e replicação lógica no PostgreSQL 10.
  • Replicação para destinos que não são do PostgreSQL (alterar a captura de dados)

Faturamento

  • Uma réplica de leitura é cobrada segundo a mesma taxa de uma instância padrão do Cloud SQL. Não há cobrança pela replicação de dados.
  • A instância primária nunca é desativada porque ela sempre mantém uma conexão com a réplica. Esse cenário pode aumentar o faturamento gerado pela instância principal. Saiba mais.
  • Além do custo normal associado a instâncias do Cloud SQL, uma réplica entre regiões gera cobranças de saída de rede entre regiões enviadas pela principal para a réplica, conforme descrito em Preços de saída de rede.
  • O preço de uma réplica de leitura entre regiões é igual ao de criar uma nova instância na região. Consulte Preços de instâncias do Cloud SQL e selecione a região apropriada.

Referência rápida para réplicas de leitura do Cloud SQL

Tópico Discussão
Alta disponibilidade As réplicas de leitura não garantem nem oferecem alta disponibilidade.
Failover Não é possível fazer o failover de uma instância principal para uma réplica de leitura. Além disso, as réplicas de leitura não realizam qualquer tipo de failover durante uma interrupção.
Janelas de manutenção Não é possível definir janelas de manutenção em réplicas de leitura. Além disso, elas não compartilham as janelas de manutenção com a instância principal. A manutenção pode ocorrer a qualquer momento na réplica de leitura. Porém, ela não acontece no mesmo horário que a manutenção da instância principal.
Upgrades que causam interrupções É possível que as réplicas de leitura passem por um upgrade que as interrompa a qualquer momento.
Desempenho Quando você cria uma réplica de leitura, ela não impacta o desempenho ou a disponibilidade da instância principal.
Várias réplicas de leitura É possível criar até 10 réplicas de leitura para uma única instância primária.
Balanceamento de carga O Cloud SQL não fornece balanceamento de carga entre as réplicas. Use o pooling de conexões e distribua consultas entre as réplicas.
Configurações As configurações da instância principal são propagadas para a réplica, incluindo a senha do usuário do Postgres e as alterações na tabela do usuário.
Núcleos e memória As réplicas de leitura podem usar um número diferente de núcleos e uma quantidade de memória diferente da instância principal. Observação: as réplicas de leitura do PostgreSQL podem ter mais CPUs e memória do que a instância principal, mas não podem ter menos CPUs ou menos memória.
Tabelas do usuário Não é possível fazer modificações na tabela do usuário na réplica. Todas as modificações do usuário precisam ser realizadas na instância primária.
Backups Não é possível configurar backups na réplica.
Como restaurar a instância principal Enquanto uma réplica existir, não será possível restaurar a instância principal dela. Antes de restaurar uma instância de um backup ou executar uma recuperação pontual, é preciso promover ou excluir todas as réplicas da instância.
Como excluir a instância principal Antes de excluir uma instância principal, você precisa promover todas as réplicas de leitura dela para instâncias independentes ou remover as réplicas.
Como desativar a geração de registros de gravação antecipada Antes de desativar os registros de gravação antecipada em uma instância principal, é preciso promover ou excluir todas as réplicas de leitura dela.
Como criar uma réplica de uma réplica Não é possível criar uma réplica de uma réplica.
Como interromper uma réplica Não é possível interromper (stop) uma réplica, apenas instâncias principais. No entanto, ela pode ser reiniciada (restart), excluída (delete) ou desativada (disable replication), mas não é possível interrompê-la como em uma instância principal.
IP particular Caso esteja se conectando a uma réplica usando um endereço IP particular, você não precisará criar mais uma conexão particular da PC para a réplica, porque ela é herdada da instância principal.

A seguir