Visão geral da configuração de alta disponibilidade

Esta página apresenta uma visão geral de como funciona a configuração de alta disponibilidade para instâncias do PostgreSQL. Para configurar uma instância nova ou existente para alta disponibilidade, consulte Como configurar uma instância para alta disponibilidade.

Visão geral da configuração de alta disponibilidade

A configuração de alta disponibilidade, também chamada de cluster, fornece redundância de dados. Uma instância do Cloud SQL configurada para alta disponibilidade também é chamada de instância regional e está localizada em uma zona primária e secundária dentro da região configurada. Em uma instância regional, a configuração é composta de uma instância primária (mestre) e uma instância de espera. Por meio da replicação síncrona no disco permanente de cada zona, todas as gravações feitas na instância primária também são feitas na instância de espera. No caso de uma falha na instância ou zona, essa configuração reduz o tempo de inatividade e seus dados continuam disponíveis para aplicativos cliente.

O suporte regional de PD para o Cloud SQL e a configuração de alta disponibilidade do Cloud SQL estão em GA com cobertura total de SLA. Uma instância configurada com alta disponibilidade é cobrada ao dobro do preço de uma instância independente. Isso inclui CPU, RAM e armazenamento. Para mais informações, consulte a página de preços.

Visão geral em diagrama da configuração para alta disponibilidade do PostgreSQL. Descrita no texto abaixo.

Visão geral de failover

Se uma instância configurada para alta disponibilidade deixar de responder, o Cloud SQL passará a disponibilizar dados automaticamente a partir da instância de espera. É isso que chamamos de failover. Para ver se ocorreu algum, verifique o histórico de failover do seu registro de operação.

Clique nas guias para ver como o failover afeta sua instância.

Normal

Diagrama do PostgreSQL de uma instância íntegra antes do failover

Failover

Diagrama do PostgreSQL da instância quando o failover ocorre

Failback

Diagrama do PostgreSQL da instância após o failback

Processo

Ocorre o seguinte processo:

  1. A instância ou zona primária falha.

    A cada segundo, a instância primária grava em um banco de dados do sistema como um sinal de funcionamento. Se não forem detectados vários sinais de funcionamento, o failover será iniciado. Isso ocorrerá se a instância primária não responder por aproximadamente 60 segundos ou se a zona que contém a instância primária sofrer uma interrupção.

  2. Agora, a instância de espera disponibiliza dados logo após a reconexão.

    Por meio de um endereço IP estático compartilhado com a instância primária, a instância de espera agora disponibiliza dados da zona secundária.

  3. As réplicas de leitura continuam a disponibilizar dados de uma zona saudável.

Requisitos

Para o Cloud SQL permitir um failover, a configuração deve atender aos seguintes requisitos:

  • A instância primária precisa estar em um estado operacional normal (em oposição a um estado de interrupção, de manutenção ou de uma operação de longa duração).
  • A zona secundária deve estar em um estado íntegro.

Backups e restaurações

Configurar uma instância para alta disponibilidade não afeta sua necessidade de backups ou como você os cria.

Aplicativos e instâncias

Não há diferença entre trabalhar com instâncias de alta disponibilidade e instâncias comuns, portanto, seu aplicativo não precisa ser configurado de alguma maneira específica. Quando ocorre um failover, todas as conexões existentes com a instância primária e as réplicas de leitura são fechadas, e leva aproximadamente de 2 a 3 minutos para que as conexões sejam restabelecidas. Seu aplicativo é reconectado usando a mesma string de conexão ou endereço IP, portanto, não é necessário atualizar seu aplicativo após o failover.

Para ver exatamente como seus aplicativos são afetados pelo failover, você deve iniciá-lo manualmente.

A seguir

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Cloud SQL para PostgreSQL