Problemas conhecidos

Nesta página, você verá uma lista problemas conhecidos do Cloud SQL para MySQL, além de maneiras de evitar ou remediar esses problemas.

Se você tiver dificuldades no uso da instância, verifique também as Diretrizes operacionais e as informações em Como diagnosticar problemas.

Problemas de durabilidade e disponibilidade de dados

  • Colunas geradas (apenas para instâncias do MySQL 5.7)

    Devido a um problema no MySQL, o uso de colunas geradas pode causar corrupção de dados. Para mais informações, consulte o bug nº 82736 do MySQL.

Problemas de conexão da instância

  • Certificados SSL/TLS expirados

    Se a instância estiver configurada para usar SSL, acesse a página "Instâncias" do Cloud SQL no Console do Cloud e abra a instância. Abra a página Conexões correspondente e verifique se o certificado do servidor é válido. Se ele tiver expirado, você precisará adicionar um novo e fazer a rotação dos certificados. Saiba mais

  • Versão do proxy do Cloud SQL Auth

    Se estiver se conectando usando o proxy do Cloud SQL Auth, verifique se está usando a versão mais recente. Para mais informações, consulte Como manter o proxy do Cloud SQL Auth atualizado.

  • Conexão não autorizada

    Se você tentar se conectar a uma instância que não existe no projeto, a mensagem de erro informará apenas que você não está autorizado a acessar a instância.

Problemas administrativos

  • Operações de instância de longa duração do Cloud SQL não podem ser canceladas ou interrompidas

    Quando você inicia uma operação de instância de longa execução do Cloud SQL, como uma operação de importação ou exportação, não é possível parar a operação antes de ela ser concluída. Além disso, só é possível executar uma operação por instância.

    Por isso, confirme se não precisa executar outro trabalho em uma instância quando for iniciar uma operação de longa duração.

  • Nomes de instância não podem ser reutilizados imediatamente após a instância ser excluída.

    Depois de excluir uma instância, você não poderá reutilizar imediatamente o nome dela porque o Cloud SQL reserva esse nome por alguns dias. Se você precisar criar e excluir instâncias com o mesmo nome, use um carimbo de data/hora como parte do nome para evitar conflitos de nome.

  • Como definir o fuso horário para instâncias do MySQL

    É possível definir o fuso horário do MySQL para uma área nomeada, como "Europa/Moscou", usando uma variável de sessão. No entanto, não há suporte para essa ação no Cloud SQL, e não é garantido que ela forneça configurações de horário atualizadas. Para alterar o fuso horário padrão da instância, atualize a default_time_zonesinalização com a diferença horária em relação ao UTC (por exemplo, +10:00). Não há suporte para o ajuste automático de horário de verão. Você precisa atualizar a sinalização default_time_zone manualmente para alternar entre esses horários.

Problemas com importação e exportação de dados

  • A exportação CSV não formata NULLs e novas linhas corretamente

    Quando você exporta dados como CSV usando o recurso de exportação do Cloud SQL, os NULLs são exportados como "N, o que pode fazer com que o arquivo CSV contenha aspas desequilibradas. Além disso, se os dados de texto contiverem um caractere de nova linha, serão adicionadas aspas ao final da linha.

  • A configuração do modo SQL afeta a forma como o Cloud SQL interpreta consultas SQL.

    Por exemplo, se você realizar uma exportação a partir de um banco de dados sem o modo restrito do SQL ativado e, em seguida, tentar realizar uma importação para o Cloud SQL, a importação poderá falhar. A prática recomendada é usar na importação o mesmo modo SQL usado para a exportação.

  • A cláusula DEFINER pode causar falha na importação

    Uma cláusula DEFINER pode causar falha na operação de importação se o usuário DEFINER for SUPER ou se o usuário do sistema for diferente do que faz a importação no Cloud SQL. Saiba mais sobre o uso da DEFINER e as possíveis soluções alternativas no Cloud SQL.

Registros de transações e crescimento do disco

Os registros são limpados uma vez por dia, e não continuamente. Quando o número de dias de retenção de registros é configurado para ser o mesmo que o número de backups, um dia de registro pode ser perdido, dependendo de quando o backup ocorre. Por exemplo, definir a retenção de registros para 7 dias e a retenção de backup para 7 backups significa que entre 6 e 7 dias de registros serão retidos.

Recomendamos que você defina o número de backups para, pelo menos, um dia a mais de dias de retenção de registros. Dessa forma, é possível garantir um mínimo de dias especificados para a retenção de registros.