Visão geral da restauração de uma instância

Esta página fornece informações que você deve saber antes de restaurar uma instância a partir de um backup ou executar uma recuperação pontual (PITR, na sigla em inglês)

Para instruções passo a passo para restauração ou recuperação com horários definidos, consulte Restauração de uma instância.

Dicas gerais sobre como executar uma restauração

Ao restaurar uma instância a partir de um backup, seja para a mesma instância ou uma diferente, tenha em mente os itens a seguir:

  • A operação de restauração substitui todos os dados na instância de destino.
  • A instância de destino não está disponível para conexões durante a operação de restauração. As conexões existentes são perdidas.
  • Se você estiver restaurando para uma instância que esteja em uma configuração de alta disponibilidade (com uma réplica de failover) ou para uma instância com réplicas de leitura, será necessário excluir todas as réplicas e recriá-las após a conclusão da operação de restauração.

Dicas e requisitos de restauração para uma instância diferente

Ao restaurar um backup para uma instância diferente, tenha em mente as restrições e as práticas recomendadas a seguir:

  • Não é possível restaurar uma instância usando um backup de um projeto do GCP diferente.
  • Não é possível uma instância usando um backup de outra instância de uma geração diferente (Primeira geração ou Segunda geração).

  • A instância de destino deve ter a mesma versão do banco de dados que a instância original do backup.

    Se você quiser atualizar a versão do banco de dados para a instância, siga as etapas em Como fazer upgrade do banco de dados de uma instância.

  • A capacidade de armazenamento da instância de destino precisa ser pelo menos tão grande quanto a capacidade da instância na qual o backup é realizado. A quantidade de armazenamento em uso não precisa ser considerada.

  • A instância de destino precisa estar no estado RUNNABLE.

  • A instância de destino pode ser uma camada ou tipo de máquina diferente da instância a partir da qual o backup foi realizado.

Visão geral da recuperação pontual

A recuperação pontual permite recuperar uma instância para um ponto específico no tempo. Por exemplo, se um erro de operador causa uma perda de dados, você pode recuperar um banco de dados para seu estado antes que o erro tenha ocorrido.

Uma recuperação pontual sempre cria uma instância nova. Você não pode executar uma recuperação pontual para uma instância existente. A nova instância herda as configurações da instância de origem, semelhante à criação de clones.

Requisitos para a recuperação pontual

Para executar uma recuperação pontual, a instância de origem deve ter backups automáticos e geração de registros binários ativados. Além disso, a instância precisa ter um backup concluído antes do evento a partir do qual você quer fazer a recuperação, bem como registros binários contínuos a partir do momento em que o backup foi realizado.

Sobre a ativação da geração de registros binários

A ativação da geração de registros binários causa uma ligeira redução no desempenho de gravação. O desempenho de leitura não é afetado.

Além disso, quando você habilita ou desabilita a geração de registros binários, a instância é reiniciada.

Registros binários são armazenados na instância. Para a instância da Primeira geração, o espaço usado pelos registros binários é deduzido do armazenamento total usado pela instância.

Para instâncias da Segunda geração, os registros binários são cobrados pela taxa de armazenamento regular. Quando você desabilita a geração de registros binários, todos os registros binários existentes são excluídos.

Próximas etapas

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Cloud SQL para MySQL