Esta página foi traduzida pela API Cloud Translation.
Switch to English

Como configurar o Cloud Shell

Esta página descreve as várias maneiras de configurar o Cloud Shell para personalizar sua experiência.

Arquivos de configuração no diretório inicial do Cloud Shell

O Cloud Shell fornece 5 GB de armazenamento em disco permanente gratuito, montado como seu diretório $HOME. Todos os arquivos armazenados no diretório inicial, incluindo softwares instalados, scripts e arquivos de configuração do usuário como .bashrc e .vimrc, permanecem entre as sessões. Como seu .bashrc permanece nas sessões, é uma ótima maneira de personalizar seu comportamento no Cloud Shell. Da mesma forma, você pode instalar pacotes no diretório inicial para que suas instalações sejam mantidas.

Variáveis de ambiente pré-configuradas

Quando o Cloud Shell é iniciado, o projeto ativo no Console é propagado para sua configuração gcloud no Cloud Shell para uso imediato. A variável ambiental GOOGLE_CLOUD_PROJECT, usada pelo suporte da biblioteca do Application Default Credentials para definir o ID do projeto, também é definida para apontar para o projeto ativo no Console.

A variável de ambiente CLOUD_SHELL está definida como true. Essa variável pode ser verificada nos aplicativos para determinar se um aplicativo está em execução no Cloud Shell.

preferências da ferramenta de linha de comando gcloud

Ao usar o Cloud Shell, suas preferências de linha de comando do gcloud são armazenadas em uma pasta tmp temporária, definida somente para sua guia atual, e não permanecem entre as sessões.

Para manter as configurações da linha de comando gcloud, é possível optar por configurá-las usando um dos seguintes métodos:

  • Para manter a configuração da ferramenta de linha de comando gcloud personalizável por guia, mas personalizar a configuração padrão em si, adicione comandos de configuração gcloud (como gcloud config set compute/region us-central1 para definir uma região padrão) ao final do arquivo $HOME/.bashrc.

    Isso garante que cada nova guia herde o projeto do Console do Cloud e a configuração padrão personalizada, mas também permite que você personalize ainda mais a configuração de cada guia.

  • Para sempre usar a mesma configuração da ferramenta de linha de comando gcloud, adicione export CLOUDSDK_CONFIG=$HOME/.gcloud ao final do arquivo .bashrc e execute gcloud config configurations create CONFIG_NAME para criar a configuração que você quer usar.

Propriedades comuns

Para definir o projeto em que você quer trabalhar, execute:

gcloud config set project [PROJECT_NAME]

O prompt de comando é atualizado para refletir seu projeto ativo no momento, especificando este formato: [USERNAME]@cloudshell:~ ([PROJECT_NAME])$

Para selecionar sua região preferida, execute:

gcloud config set compute/region us-east1

Os comandos acima são exemplos de configurações da ferramenta de linha de comando gcloud que você pode definir; para uma lista completa e mais detalhes sobre a configuração de propriedades, consulte o Guia de propriedades do Cloud SDK.

Personalização do ambiente

A personalização do ambiente permite instalar pacotes adicionais no ambiente do Cloud Shell quando ele é iniciado.

Script de personalização do ambiente

O Cloud Shell executa automaticamente o script $HOME/.customize_environment quando sua instância é inicializada. Diferentemente de .profile ou .bashrc, esse script é executado uma vez quando o Cloud Shell é inicializado (em vez de uma vez para cada login do Shell).

Esse script é executado como root e você pode instalar qualquer pacote que quiser que exista em uma sessão do Cloud Shell usando comandos de gerenciamento de pacotes Debian.

Por exemplo, se quiser ter o erlang instalado no Cloud Shell, seu arquivo .customize_environment ficará assim:

#!/bin/sh
apt-get update
apt-get -y install erlang

Os registros de execução do seu script .customize_environment podem ser encontrados em /var/log/customize_environment. O script .customize_environment é executado como um processo em segundo plano e, quando a execução for bem-sucedida, tocará em /google/devshell/customize_environment_done. Como a instalação do pacote é executada em paralelo ao seu login, os pacotes instalados podem ser disponibilizados pouco depois do prompt de login.

Suporte tmux

O Cloud Shell usa tmux por padrão, o que melhora a persistência nas sessões da guia do navegador. Por exemplo, se você atualizar o Cloud Console em uma guia ou se conectar ao Cloud Shell em uma máquina diferente, o estado da sessão não será perdido.

O Cloud Shell é compatível com as ligações de teclas padrão tmux. Por exemplo, se você pressionar Ctrl + b e %, tmux dividirá a janela da sessão atual em um painel à esquerda e um à direita, que podem ser úteis para depuração.

Para desativar tmux no Cloud Shell, clique no botão Configurações do terminal (ícone de chave inglesa), selecione Configurações do Tmux e desmarque a opção Ativar integração do Tmux.

Estatísticas de uso

O Cloud Shell coleta estatísticas anônimas de uso em comandos executados no terminal do Cloud Shell. As estatísticas são coletadas apenas em comandos pré-instalados no Cloud Shell. Além disso, essas métricas não podem ser vinculadas à sua conta.

Não coletamos métricas sobre nenhuma informação de identificação pessoal, como argumentos passados para esses comandos.

Para alterar as preferências de coleta de métricas a qualquer momento, selecione Estatísticas de uso do terminal no menu Configurações Botão de configurações. Qualquer alteração nas preferências do menu "Configurações" entra em vigor na próxima sessão. Você precisará fechar a guia e abrir outra depois de fazer a alteração para ativar/desativar a coleta de métricas.

Observação: esses dados são separados das estatísticas de uso do gcloud, ativadas por padrão no Cloud Shell.

Para desativar a coleção de métricas da ferramenta de linha de comando gcloud, execute o seguinte comando na sua sessão do Cloud Shell:

gcloud config set disable_usage_reporting true