Você está visualizando a documentação de uma versão anterior do Migrate for Compute Engine (antigo Velostrata). Você escolhe se quer continuar usando esta versão ou usar a versão atual.

Como organizar migrações

Caso planeje fazer uma grande migração, cogite a possibilidade de dividir o trabalho em partes grandes, chamadas "sprints". Um sprint deve conter todas as VMs que executam um de seus apps.

O Migrate for Compute Engine subdivide um sprint de migração em uma ou mais ondas, que agrupam as VMs que executam seus apps em lotes para migração. Este documento descreve como criar ondas e define seus subcomponentes, runbooks e jobs.

Ondas de migração

Para tornar a migração mais gerenciável, o Migrate for Compute Engine oferece um recurso chamado ondas que agrupa VMs para migração. As ondas são formadas por runbooks e jobs:

  • Um runbook é um arquivo CSV que especifica as VMs que serão incluídas em uma onda e a configuração das VMs de destino. Ele descreve a VM de origem, define as propriedades da VM de destino e das redes e também contém outros metadados.
  • Um job é a operação de migração que o Migrate for Compute Engine executa na lista de VMs do runbook. As operações de migração incluem criação de clones de teste, migração e desanexação. Uma lista completa das fases da migração está presente no ciclo de vida da migração.

Veja a seguir algumas considerações sobre o uso das ondas:

  • Todas as VMs em uma onda precisam passar pelo mesmo job. Por exemplo, caso um banco de dados e um servidor de aplicativos estejam na mesma onda, não será possível criar um clone de teste enquanto o outro estiver sendo totalmente migrado.
  • Os runbooks contêm grupos de execução, que definem a ordem em que as VMs são migradas em uma onda.

Como executar operações em ondas de migração

Os lotes das VMs em uma onda se movem entre os seguintes estágios no ciclo de vida da migração:

  • Clone de teste (somente para VMs do vSphere)
  • Exclusão do clone de teste
  • Execução em nuvem
  • Retorno
  • Migração Completa
  • Migração off-line
  • Desanexação
  • Limpeza

Se uma VM não completar o job e passar para o próximo estágio, será possível corrigir o problema e executar a onda mais uma vez. O Migrate for Compute Engine assume a migração de onde ela parou.

Por exemplo, se você executar um job de execução em nuvem em uma onda que contenha as VMs A e B e a VM B não concluir a operação, corrija a B. Depois de corrigir a B, é possível fazer o seguinte: executar uma operação de execução em nuvem para deixar a B no mesmo status da A (A não será alterada) ou executar uma operação de migração completa para colocar as duas VMs no mesmo estado realizando uma execução em nuvem e migrando-as juntas.

Como iniciar sua primeira onda

Para começar a migração com ondas, realize estas ações:

  1. Crie e edite um runbook.
  2. Crie uma nova onda nesse runbook.
  3. Execute jobs nessa onda.