Uma nova versão dos clusters do Anthos no AWS (GKE na AWS) foi lançada em 17 de dezembro. Consulte as Notas de lançamento para mais informações.

DNS e descoberta de serviços

A descoberta de serviços é o processo em que as cargas de trabalho descobrem serviços sem conhecer o endereço IP. Neste tópico, descrevemos como os clusters Anthos na AWS (GKE na AWS) implementam a descoberta de serviços e os serviços de nome de domínio gerenciados (DNS, na sigla em inglês).

Descoberta de serviço

O Kubernetes gera automaticamente nomes de serviço que usam a seguinte especificação:

my-service.my-namespace.svc.my-zone

As cargas de trabalho também acessam serviços externos, como example.com, usando nomes de DNS. Para mais informações sobre o comportamento do DNS no Kubernetes, consulte DNS para serviços e pods.

CoreDNS

Os clusters do Anthos na AWS usam o CoreDNS para fornecer resolução de DNS do cluster. O CoreDNS é executado como uma implantação redundante e escalonada no namespace kube-system. A implantação do CoreDNS inclui um serviço que agrupa os pods do CoreDNS e atribui a eles um único endereço IP. A implantação do CoreDNS é escalonada com o tamanho e o uso do cluster.

NodeLocal DNSCache

Os clusters do Anthos na AWS usam o DNSCache NodeLocal para melhorar o desempenho da busca DNS. O NodeLocal DNSCache é executado como um DaemonSet em cada nó do cluster. Quando um pod faz uma solicitação DNS, a solicitação vai primeiro para o cache DNS no mesmo nó. Se o cache não conseguir resolver a solicitação DNS, ele encaminhará a solicitação para:

  • o CoreDNS para um nome interno (foo.bar.svc.cluster.local, por exemplo);
  • o servidor DNS da Amazon, para um nome externo (google.com, por exemplo).

A seguir

Para uma visão geral de como o DNS é usado nos clusters do Kubernetes, consulte DNS para serviços e pods.