Como usar pools de destino

O balanceamento de carga de rede TCP/UDP externo usa um pool de destino para definir um grupo de instâncias que recebem tráfego de entrada. Quando a regra de encaminhamento do balanceador de carga direciona o tráfego para um pool de destino, o balanceador de carga escolhe uma instância do pool de destino com base em um hash do endereço IP de origem, da porta de origem, do endereço IP de destino e da porta de destino.

Se você quer que o pool de destino contenha uma única máquina virtual (VM, na sigla em inglês), use o recurso encaminhamento de protocolos em vez de balanceamento de carga.

O pool de destino foi excluído

Os pools de destino funcionam com regras de encaminhamento que processam o tráfego TCP e UDP. É necessário criar um pool de destino para usá-lo com uma regra de encaminhamento.

Os pools de destino usam verificações de integridade HTTP legadas.

Um pool de destino é composto das seguintes propriedades:

name
Obrigatório: o nome deste pool de destino. O nome precisa ser exclusivo dentro do projeto, ter de 1 a 63 caracteres e coincidir com a expressão regular [a-z]([-a-z0-9]*[a-z0-9])?, o que significa que o primeiro caractere precisa ser uma letra minúscula e todos os caracteres seguintes precisa ser um hífen, letra minúscula ou dígito, exceto o último caractere, que não pode ser um hífen.
description
Opcional: uma descrição definida pelo usuário deste pool de destino.
region

[Obrigatório] O URL totalmente qualificado da região onde esse pool de destino deve residir. Deve ser a mesma região onde as instâncias desejadas residirão. Exemplo:

"region" : "https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]"
healthChecks[ ]

Opcional: uma lista opcional de verificações de integridade para este pool de destino. Apenas uma verificação de integridade pode ser vinculada a um determinado pool de destino. Consulte Verificação de integridade para mais informações.

instances[ ]

[Obrigatório] Uma lista de URLs de instância que devem lidar com o tráfego para este pool de destino. Todas as instâncias devem residir na mesma região do pool de destino, mas as instâncias podem pertencer a diferentes zonas dentro de uma única região. Por exemplo:

"instances" : [
  "https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/zones/[ZONE]/instances/[INSTANCE]",
  "https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/zones/[ZONE]/instances/[INSTANCE-2]"
]
sessionAffinity

[Opcional] Controla o método usado para selecionar uma instância de máquina virtual de back-end. Você só pode definir esse valor durante a criação do pool de destino. Uma vez definido, ele não pode ser modificado. O método de hash seleciona um back-end com base em um subconjunto dos 5 valores a seguir:

  • IP de origem/destino
  • Porta de origem/destino
  • Protocolo de camada 4 (TCP, UDP)

Os possíveis hashes são:

NONE (ou seja, nenhum hash especificado) (padrão)
Hash de cinco tuplas, que usa os IPs de origem e destino, as portas de origem e destino e o protocolo. Cada nova conexão pode acabar em qualquer instância, mas todo o tráfego para uma determinada conexão permanecerá na mesma instância, caso ela continue íntegra.
CLIENT_IP_PROTO
Hash de três tuplas, que usa os IPs de origem e destino e o protocolo. Todas as conexões de um cliente acabarão na mesma instância, desde que usem o mesmo protocolo e a instância permaneça íntegra.
CLIENT_IP
Hash de duas tuplas, que usa os IPs de origem e destino. Todas as conexões de um cliente acabarão na mesma instância, independentemente do protocolo, desde que a instância permaneça íntegra.

O hash de cinco tuplas proporciona uma boa distribuição do tráfego em muitas máquinas virtuais. No entanto, uma segunda sessão do mesmo cliente pode chegar a uma instância diferente porque a porta de origem pode mudar. Se você quiser que todas as sessões do mesmo cliente cheguem ao mesmo back-end, desde que ele permaneça íntegro, é possível especificar as opções CLIENT_IP_PROTO ou CLIENT_IP.

Em geral, se você selecionar o método de três ou duas tuplas, ele oferecerá uma afinidade de sessão melhor do que o método padrão de cinco tuplas, mas o tráfego normalmente não poderá ser distribuído de forma tão uniforme.

Pacotes UDP fragmentados: defina a afinidade de sessão como CLIENT_IP_PROTO ou CLIENT_IP, caso você esteja realizando o balanceamento de carga do tráfego UDP, que provavelmente está fragmentado. Não use NONE (hash de cinco tuplas). porque os fragmentos UDP (além do primeiro) não carregam o número da porta, e o balanceador de carga poderá descartar os fragmentos sem a porta. Consulte Balanceamento de carga e pacotes UDP fragmentados para mais informações.

backupPool

Opcional: um URL totalmente qualificado para outro recurso de pool de destino. Um pool de backup é um pool de destino ao qual outro pool faz referência. Também é necessário definir failoverRatio para usar este recurso. Se a proporção de máquinas virtuais íntegras no pool de destino estiver abaixo de failoverRatio, o balanceador de carga de rede enviará tráfego para o pool de backup. Só é possível fornecer um pool de backup por pool de destino. O pool de backup precisa estar na mesma região que o pool de destino. Se a proporção de instâncias íntegras no pool de destino estiver abaixo da proporção de failover configurada, o balanceador de carga de rede usará as seguintes regras para encaminhar o tráfego:

  1. Se a proporção de instâncias íntegras para o total de instâncias no pool de destino for menor que a proporção de failover, o tráfego será enviado para instâncias íntegras no pool de backup.
  2. Se a proporção de instâncias íntegras para o total de instâncias no pool de destino for menor que a proporção de failover, mas não houver instâncias íntegras restantes no pool de backup, o tráfego será enviado para as instâncias íntegras restantes no pool de destino.
  3. Se o pool de destino não estiver vazio e se todas as instâncias no pool de destino e no de backup falharem nas verificações de integridade, o tráfego será enviadas para todas as instâncias no pool de destino, como último recurso.
  4. Se o pool de destino estiver vazio e se todas as instâncias no pool de backup falharem nas verificações de integridade, o tráfego será enviado para todas as instâncias no pool de backup, como último recurso.

Somente um nível de failover é compatível. Por exemplo, se o pool de destino A tiver pool de backup B e o de backup B tiver pool de backup C, o tráfego destinado ao pool de destino A só poderá ser direcionado para o pool de backup B e não para o pool de backup C.

failoverRatio

Opcional: uma flutuação entre 0.0 e 1.0, que determina quando este pool de destino é declarado não íntegro. Por exemplo, se este valor é definido como .1, este pool de destino é declarado não íntegro se o número de instâncias íntegras é inferior a .1 (10%). Se a taxa de failover é 0.0, pelo menos um back-end precisa estar íntegro para que o pool seja considerado íntegro. Se a taxa de failover é 1.0, todas as instâncias precisam estar íntegras para que o pool seja considerado íntegro. Esse valor precisará ser especificado se o campo backupPool for definido.

Condições de failover

Condições Novas conexões vão para
Proporção de failover !=0, VMs íntegras no pool de destino >= proporção de failover pool de destino
Proporção de failover =0, VMs íntegras no pool de destino > 0 pool de destino
Proporção de failover !=0, VMs íntegras no pool de destino < proporção de failover e pelo menos uma VM no pool de backup é íntegra Pool de backup
Proporção de failover =0, VMs íntegras no pool de destino =0 e pelo menos uma VM no pool de backup é íntegra Pool de backup
Pelo menos uma VM está no pool de destino, todas as VMs no pool de destino não são íntegras e todas as VMs no pool de backup não são íntegras Pool de destino (último recurso)
Nenhuma VM está no pool de destino, e todas as VMs no pool de backup não são íntegras Pool de backup (último recurso)
Nenhuma VM está no pool de destino e nenhuma VM está no pool de backup O tráfego é descartado

Adicione um pool de destino

Para adicionar um pool de destino usando gcloud compute, use o comando target-pools create:

gcloud compute target-pools create TARGET_POOL \
    [--backup-pool BACKUP_POOL] \
    [--description DESCRIPTION] \
    [--failover-ratio FAILOVER_RATIO] \
    [--http-health-check HEALTH_CHECK] \
    [--session-affinity SESSION_AFFINITY; default="NONE"]

Para criar um pool de destino na API, faça uma solicitação HTTP POST para o URI a seguir:

https://www.googleapis.com/v1/compute/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools

{
  "name": name,
  "instances": [
     "https://www.googleapis.com/v1/compute/project/[PROJECT_ID]/[ZONE]/[ZONE]/instances/[INSTANCE]",
     "https://www.googleapis.com/v1/compute/project/[PROJECT_ID]/[ZONE]/[ZONE]/instances/[INSTANCE-2]",
  ]
}

Adicionar ou remover uma instância de um pool de destino

Para adicionar instâncias a um pool de destino usando gcloud compute, use o comando target-pools add-instances:

gcloud compute target-pools add-instances TARGET_POOL \
    --instances INSTANCE,[INSTANCE,...]

Para remover instâncias, use o comando target-pools remove-instances:

gcloud compute target-pools remove-instances TARGET_POOL \
    --instances INSTANCE,[INSTANCE,...]

Na API, envie uma solicitação POST para os seguintes URIs:

https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/[TARGET_POOL]/removeInstance
https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/[TARGET_POOL]/addInstance

O corpo da solicitação precisa incluir URIs totalmente qualificados para as instâncias que você quer adicionar ou remover:

{
 "instances": [
    {"instance": "https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/zones/[ZONE]/instances/[INSTANCE]"},
    {"instance": "https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/zones/[ZONE]/instances/[INSTANCE-2]"}
  ]
}

Para mais informações, consulte a documentação de referência da API para os métodos targetPools.addInstance e targetPools.removeInstance.

Listar pools de destino

Para listar os pools de destino atuais com gcloud compute, use o comando target-pools list:

gcloud compute target-pools list

Para ter um resultado mais detalhado, use o comando describe e especifique o nome de um pool:

Na API, envie uma solicitação GET para o seguinte URI:

https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools

Descrever um pool de destino

Para ver informações sobre um único proxy de destino com gcloud compute, use o comando target-pools describe:

gcloud compute target-pools describe TARGET_POOL

Na API, envie uma solicitação GET vazia para o URI a seguir:

https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/[TARGET_POOL]

Saber o status de integridade das instâncias

Para verificar o status de integridade atual de uma ou de todas as instâncias no pool de destino, use o comando gcloud compute target-pools get-health:

gcloud compute target-pools get-health TARGET_POOL \
    [--fields FIELDS [FIELDS ...]] \
    [--format FORMAT; default="yaml"] \
    [--limit LIMIT] \
    [--raw-links] \
    [--sort-by SORT_BY]

O comando retorna o status de integridade como determinado pela verificação de integridade definida, íntegro ou não íntegro.

Na API, faça uma solicitação HTTP POST para o seguinte URI com a instância especificada no corpo da solicitação:

https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/[TARGET_POOL]/getHealth

{
  "instance": "https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/zones/[ZONE]/instances/[INSTANCE]"
}

Excluir um pool de destino

Para excluir um pool de destino, primeiro verifique se não há nenhuma regra de encaminhamento que faça referência a ele. Se uma regra estiver fazendo referência ao pool de destino, será preciso excluir essa regra para remover a referência.

Para excluir um pool de destino com gcloud compute, use o comando target-pools delete:

gcloud compute target-pools delete TARGET_POOL

Na API, envie uma solicitação DELETE vazia para o seguinte URI:

https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/[TARGET_POOL]

Adicionar ou remover uma verificação de integridade de um pool de destino

Objetos de verificação de integridade são recursos globais autônomos que podem ser associados ou dissociados de qualquer pool de destino.

Se um pool de destino não tiver uma verificação de integridade associada, o balanceador de carga de rede tratará todas as instâncias como íntegras e enviará tráfego para todas as instâncias no pool de destino. No entanto, se você consultar o status de integridade de um pool de destino sem verificação de integridade, o status retornará como unhealthy, indicando que o pool de destino não tem verificação de integridade. Recomendamos que os pools de destino tenham verificações de integridade associadas para ajudar a gerenciar as instâncias.

Para adicionar uma verificação de integridade a um pool de destino com gcloud compute, use o comando target-pools add-health-checks:

gcloud compute target-pools add-health-checks TARGET_POOL \
    --http-health-check HEALTH_CHECK

Para remover uma verificação de integridade, use o comando target-pools remove-health-checks:

gcloud compute target-pools remove-health-checks TARGET_POOL \
  --http-health-check HEALTH_CHECK

Para associar ou dissociar uma verificação de integridade usando a API, faça uma solicitação HTTP POST aos URIs apropriados:

https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/[TARGET_POOL]/removeHealthCheck
https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/[TARGET_POOL]/addHealthCheck

O corpo da solicitação precisa conter a verificação de integridade a ser associada ou dissociada:

{
  "healthCheck": "https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/global/httpHealthChecks/HEALTH_CHECK"
}

Para mais informações, consulte a documentação de referência da API para targetPools.addHealthCheck e targetPools.removeHealthCheck.

Adicionar ou remover um pool de destino de backup

Ao criar um pool de destino pela primeira vez, é possível optar por aplicar um pool de destino de backup que receba tráfego se o pool de destino se tornar não íntegro.

Se você nunca configurou um pool de destino de backup, configure também as verificações de integridade para que o recurso funcione corretamente.

Para atualizar um recurso do pool de backup com gcloud compute, use o comando target-pools set-backup:

gcloud compute target-pools set-backup TARGET_POOL \
    --backup-pool BACKUP_POOL \
    --failover-ratio FAILOVER_RATIO

Para fazer uma solicitação a fim de atualizar ou remover um pool de backup com a API, envie uma solicitação POST para o seguinte URI:

POST https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/[TARGET_POOL]/setBackup?failoverRatio=FAILOVER

{
  "target": "https://www.googleapis.com/compute/v1/projects/[PROJECT_ID]/regions/[REGION]/targetPools/BACKUP_POOL"
}

Se você definir um destino vazio ou não definir uma taxa de failover, o comportamento do pool de backup será desativado para este pool de destino.

A seguir