O que é computação em nuvem?

Na computação em nuvem, o investimento de capital na construção e manutenção de data centers é substituído pelo consumo de recursos de TI como um serviço elástico, semelhante à concessionária de serviços públicos, de um "provedor" da nuvem (incluindo armazenamento, computação, rede, processamento e análise de dados, desenvolvimento de aplicativos, machine learning e até serviços totalmente gerenciados).

Enquanto no passado a computação em nuvem era vista como "coisa de startup" e de usuários visionários, hoje ela faz parte da computação corporativa em todos os setores e em organizações de qualquer tipo e tamanho.

Quais são os benefícios da computação em nuvem?

A computação em nuvem teve um impacto profundo na inovação e na economia geral dos negócios. Ela oferece às organizações preocupadas com o futuro a oportunidade de não apenas melhorar a flexibilidade, reduzir custos e se concentrar nas competências essenciais, mas também transformar completamente a maneira como elas operam. Por exemplo, elas podem redesenhar fluxos de trabalho internos ou interações com clientes como experiências digitais que se estendem desde o data center até os dispositivos móveis.

Mais especificamente, as vantagens comerciais da computação em nuvem são:

  • Os recursos podem ser adquiridos e consumidos com base no “pagamento por utilização” e aumentados ou diminuídos conforme necessário para a utilização ideal.
  • As despesas de capital podem ser convertidas em despesas operacionais.
  • Os clientes da nuvem podem se concentrar na inovação rápida, sem as despesas e complexidades da aquisição de hardware e do gerenciamento de infraestrutura.
  • A produtividade do usuário final também é aprimorada porque nenhum software é instalado, configurado ou atualizado em dispositivos pessoais, e os serviços podem ser acessados de qualquer lugar.
  • É provável que a funcionalidade, o desempenho, a confiabilidade e a segurança da infraestrutura melhorem, porque os clientes podem se beneficiar de pilhas "verticalmente integradas" personalizadas em todos os níveis, algo que seria inalcançável para implantações locais criadas a partir de componentes prontos para uso.

A computação em nuvem funcionará com a infraestrutura existente?

Embora algumas empresas tenham feito migração "lift-and-shift" de toda sua infraestrutura para a nuvem como parte de uma transformação digital completa, a maioria optará por uma abordagem gradual que pressupõe um ambiente híbrido. Por isso, é importante que seu provedor de nuvem ofereça suporte à integração com sistemas locais por meio de conectores e interfaces padrão, além de estruturas abertas e APIs que ajudem na portabilidade dos aplicativos do cliente para outras plataformas (no local ou na nuvem).

Quais são bons casos de uso iniciais para migrar para a nuvem?

Para as organizações que adotam uma abordagem gradual da migração para a nuvem, existem alguns casos de uso que apresentam boas oportunidades para o sucesso inicial:

  • Recuperação de desastres (DR): a manutenção da redundância do data center pode ser cara. Por outro lado, armazenar dados redundantes na nuvem pública com o uso de ferramentas especializadas para gerenciar o processo de recuperação de desastres, pode ser mais econômico.
  • Ambientes de desenvolvimento e teste: da mesma forma, o uso da infraestrutura de nuvem pública, em vez de replicar recursos locais para teste/desenv., pode tornar desnecessários investimentos significativos de capital.
  • Serviços gerenciados: aplicativos de colaboração (por exemplo, G Suite), análise de dados (por exemplo, Google BigQuery) e até machine learning (por exemplo, Google Cloud ML Engine) agora podem ser consumidos como serviços que complementam os sistemas locais antes de fazer uma mudança maior da infraestrutura para a nuvem.
  • Arquivamento de dados: a nuvem pública pode fornecer armazenamento de dados em grande escala e com boa relação custo-benefício.
  • Cargas de trabalho especializadas com uso intensivo de computação: quando o acesso a uma enorme capacidade computacional é necessário, mas apenas de forma transitória/ad-hoc, a nuvem é uma opção eficiente.

Com os casos de uso identificados, será importante identificar seu método preferido de armazenamento, modelar seus custos e determinar se você migrará seus dados por meio de autoatendimento ou com a ajuda de um fornecedor.

O que há de mais moderno para a computação em nuvem?

Inicialmente, a computação em nuvem foi pensada para ser executada na infraestrutura de TI de uma maneira mais flexível e econômica. Por outro lado, a próxima onda de computação em nuvem é ajudar os clientes a esquecer completamente a existência dessa infraestrutura (também conhecida como computação “sem servidor”), liberando-os para aproveitar a transformação digital completa dos negócios.

Saiba mais: