Diretrizes de nomenclatura de objetos

Nesta página, descreveremos as diretrizes de nomenclatura que você deverá seguir ao fazer upload de objetos no Cloud Storage. Para saber como fazer upload de um objeto, consulte o Guia de upload de objetos.

Requisitos para nome de objeto

Seus nomes de objeto precisam atender aos requisitos a seguir:

  • Os nomes de objeto podem conter qualquer sequência de caracteres Unicode válidos, com o tamanho de 1 a 1024 bytes quando codificados com UTF-8.
  • Os nomes de objeto não podem conter caracteres retorno de carro ou nova linha.
  • Os nomes de objeto não podem começar com .well-known/acme-challenge/.
  • Objetos não podem ser nomeados como . ou ...

Para mais informações sobre caracteres de retorno de carro e nova linha, consulte Nova linha.

É altamente recomendável que você evite isto nos seus nomes de objeto:

  • Evite usar caracteres de controle inválidos em XML 1.0 (#x7F–#x84 e #x86–#x9F). Esses caracteres causam problemas ao tentar listar objetos em XML.
  • Evite usar "#" nos seus nomes de objetos: o gsutil interpreta nomes de objetos terminados com #<numeric string> como identificadores de versão, portanto, incluir "#" nos nomes de objetos pode dificultar o processamento. ou será impossível executar operações nesses objetos com versão usando a gsutil.
  • Evite usar "[", "]", "*" ou "?" nos nomes dos objetos: a gsutil interpreta esses caracteres como curingas. Portanto, inclui-los em nomes de objetos pode dificultar ou impossibilitar a realização de operações curinga usando a gsutil.

Considerações sobre nomes de objetos

Os nomes de objeto residem em um namespace simples em um bucket. Isso significa que:

  • buckets diferentes podem ter objetos com o mesmo nome;
  • os objetos não residem nos subdiretórios de um bucket.

Por exemplo, é possível nomear um objeto como /europe/france/paris.jpg para aparentar que paris.jpg reside no subdiretório /europe/france. No entanto, para o Cloud Storage, o objeto simplesmente está no bucket e tem o nome /europe/france/paris.jpg. Como resultado, embora estruturas semelhantes a diretórios aninhados sejam possíveis no Cloud Storage, elas não têm o desempenho que um sistema de arquivos nativo tem ao listar subdiretórios aninhados.

Assim como os buckets, os objetos existentes não podem ser renomeados diretamente. Em vez disso, copie um objeto, dê o nome que você quer à versão copiada e exclua a versão original. Consulte Como renomear um objeto para ver um guia passo a passo, incluindo instruções de como usar ferramentas como a gsutil e o Console do Google Cloud, que realizam o processo de renomeação automaticamente.

Consulte também a seção Práticas recomendadas de nomenclatura, que inclui recomendações sobre como excluir informações reservadas de nomes de objetos. Consulte Práticas recomendadas de taxa de solicitação para ver recomendações sobre como nomear objetos para otimizar o desempenho.

A seguir