Como mover e renomear buckets

Ao criar um bucket, você define permanentemente seu nome, sua localização geográfica e o projeto de que ele faz parte. No entanto, é possível mover ou renomear seu bucket:

  • Se não houver dados no bucket antigo, exclua-o e crie outro bucket com um novo nome, em um novo local ou em um novo projeto.

  • Se houver dados no bucket antigo, crie um novo com o nome, local e/ou projeto que você quer, copie os dados do bucket antigo para o novo e exclua o antigo e o conteúdo dele. Veja a descrição desse processo nas etapas abaixo.

    • Se você quiser que o novo bucket tenha o mesmo nome do antigo, mova temporariamente os dados para um bucket com um nome diferente. Isso permite que você exclua o bucket original para reutilizar o nome do bucket.

    • A movimentação de dados entre locais incorre em custos de uso da rede. Além disso, a movimentação de dados entre buckets poderá gerar taxas de recuperação e de exclusão antecipada se os dados que estiverem sendo movidos forem objetos Nearline Storage, Coldline Storage ou do Archive Storage.

Para mover seus dados de um bucket para outro, siga estas etapas:

Console

Use o Serviço de transferência do Cloud Storage no Console do Google Cloud:

  1. Se você ainda não tiver um bucket de destino, crie o bucket.
  2. Abra a página "Transferir" no Console do Google Cloud.

    Abrir a página Transferência

  3. Clique em Criar job de transferência.
  4. Siga as instruções detalhadas e clique em Continuar ao concluir cada etapa:

    • Selecione a origem: use o bucket do Google Cloud Storage como a origem selecionada e clique em Procurar para localizar e selecionar o bucket do qual quer mover os objetos.

    • Selecione Destino: clique em Procurar para localizar e selecionar o bucket para o qual quer mover os objetos.

      Marque a caixa de seleção Excluir objetos de origem após a conclusão da transferência.

    • Configurar transferência: ignore essa seção.

  5. Depois de concluir as instruções, clique em Criar.

    Isso inicia o processo de cópia dos objetos do bucket antigo para o novo. Esse processo pode levar algum tempo. No entanto, depois de clicar em Criar, será possível sair do Console do Google Cloud.

    Para visualizar o progresso da transferência: abra a página "Transferir" no Console do Google Cloud.

    Abrir a página Transferência

    Para informações detalhadas sobre erros de operações com falha no navegador do Cloud Storage, consulte Solução de problemas.

  6. Após a conclusão da transferência, não será necessário fazer nada para excluir os objetos do bucket antigo se a caixa de seleção Excluir objetos de origem após a conclusão da transferência estiver selecionada durante a configuração. No entanto, você também pode excluir o bucket antigo, o que precisa ser feito separadamente.

gsutil

  1. Se você ainda não tiver um bucket de destino, crie o bucket.
  2. Use o comando gsutil cp, com a opção -r, para copiar recursivamente todos os objetos do bucket de origem para o bucket de destino:

    gsutil cp -r gs://SOURCE_BUCKET/* gs://DESTINATION_BUCKET

    Em que:

    • SOURCE_BUCKET é o nome do bucket original. Por exemplo, old-bucket.
    • DESTINATION_BUCKET é o nome do bucket para o qual você está movendo os dados. Por exemplo, my-bucket.
  3. Use o comando gsutil rm, com a opção -r, para excluir recursivamente todos os objetos do bucket de origem, assim como o próprio bucket de origem:

    gsutil rm -r gs://SOURCE_BUCKET

    Em que SOURCE_BUCKET é o nome do bucket original. Por exemplo, old-bucket.

    Ou, para excluir os objetos, mas manter o bucket de origem:

    gsutil rm -a gs://SOURCE_BUCKET/**

APIs REST

API JSON

  1. Se você ainda não tiver um bucket de destino, crie o bucket.

  2. Copie cada objeto do bucket de origem para o bucket de destino.

  3. Exclua cada objeto no bucket de origem.

  4. Exclua o bucket de origem.

API XML

  1. Se você ainda não tiver um bucket de destino, crie o bucket.

  2. Copie cada objeto do bucket de origem para o bucket de destino.

  3. Exclua cada objeto no bucket de origem.

  4. Exclua o bucket de origem.

A seguir