Como fazer a transição para a versão de disponibilidade geral do agente de operações

O agente de operações já está com disponibilidade geral. A versão do GA incorpora correções e melhorias com base no feedback dos usuários da Visualização. Este guia fornece etapas de migração para os seguintes usuários:

  • Os usuários da visualização do agente de operações que migrarão para a versão GA do agente.

  • Usuários dos agentes legados do Logging e do Monitoring que migrarão para o agente de operações.

Como migrar da visualização do agente de operações para a versão do GA

Para instalar a versão mais recente do agente de operações, conclua os procedimentos de Como fazer upgrade do agente.

Se você editou a configuração padrão do agente para remover o default_pipeline, adicione o seguinte snippet à configuração do agente para manter esse pipeline desativado:

logging:
  service:
    pipelines:
      default_pipeline:
        receivers: []
        exporters: []
metrics:
  service:
    pipelines:
      default_pipeline:
        receivers: []
        exporters: []

Alterações nos comandos para gerenciar o agente de operações

Na tabela a seguir, listamos os comandos para gerenciar o agente que foi alterado para a versão do GA:

Procedimento Versão do GA Versão para visualização
Como iniciar o agente sudo service google-cloud-ops-agent start N/A
Como interromper o agente sudo service google-cloud-ops-agent stop N/A
Como reiniciar o agente sudo service google-cloud-ops-agent restart sudo systemctl restart google-cloud-ops-agent.target
Como verificar o status do agente sudo service google-cloud-ops-agent status sudo systemctl status google-cloud-ops-agent.target

Como migrar de agentes legados para o agente de operações

Para migrar dos agentes legados do Logging e do Monitoring, conclua as etapas a seguir.

  1. Desinstale os agentes do Logging e do Monitoring.

    Depois de desinstalar o agente, o Console do Google Cloud pode levar até uma hora para informar essa alteração.

  2. Instale a versão mais recente do agente de operações em uma única máquina virtual.

    Você também tem a opção de instalar e gerenciar o agente de operações em várias VMs.

  3. Configure o agente de operações conforme necessário.

Diferenças na forma como as métricas são coletadas

Na tabela a seguir, descrevemos as diferenças nos dados ingeridos pelo agente de operações e pelo agente do Monitoring.
Tipo de métrica, omitindo
agent.googleapis.com
Agente de operações (disponibilidade geral) Agente de operações (visualização) Agente do Monitoring
disk/bytes_used e
disk/percent_used
Ingestão com o caminho completo no rótulo device. Por exemplo, /dev/sd15.

Não ingerido para dispositivos virtuais, como tmpfs e udev.
Processado sem /dev no caminho no rótulo device; por exemplo, sda15.

Ingestão para dispositivos virtuais, como tmpfs e udev.
Processado sem /dev no caminho no rótulo device; por exemplo, sda15.

Ingestão para dispositivos virtuais, como tmpfs e udev.
processes/count_by_state Não ingeridos. Ingerido. Ingerido.
swap/bytes_used Ingestão sem o rótulo device no Linux. Ingestão com o rótulo device no Linux. Ingestão com o rótulo device no Linux.
A coluna GA refere-se às versões 2.0.0 e posteriores do agente de operações. A coluna Visualização refere-se às versões do agente de operações anteriores à 2.0.0.