Como configurar o MySQL no Google Compute Engine

Há várias opções para implantar o MySQL como parte do projeto do Google Cloud Platform. Use o Google Cloud SQL, o Google Cloud Platform Marketplace ou instale manualmente o MySQL no Google Compute Engine.

Com o Google Cloud SQL, você tem o MySQL como um serviço da Web. Use o Cloud SQL para hospedar o banco de dados MySQL na nuvem do Google. Além disso, deixe que o Google Cloud Platform cuide dos detalhes administrativos como replicação, gerenciamento de patches e de banco de dados.

O GCP Marketplace fornece uma interface click-to-deploy que facilita a instalação do MySQL em uma instância do Compute Engine. O GCP Marketplace inclui não somente uma instalação autônoma do MySQL, mas também várias pilhas de desenvolvimento Web que usam esse banco de dados, incluindo pilhas LAMP, LEMP e clusters MySQL Percona.

Use o Compute Engine para criar um banco de dados MySQL em questão de minutos, caso prefira instalá-lo e personalizá-lo manualmente. Neste documento, você encontra orientações sobre a escolha dessas opções e os detalhes da instalação manual desse banco de dados no Compute Engine.

Como escolher a opção correta de implantação do MySQL

O Google Cloud SQL é uma excelente opção, caso você queira a conveniência de ter o Google Cloud Platform para cuidar do trabalho de back-end de administração do banco de dados e servidor. Por exemplo, com o Cloud SQL, você tem backups automatizados e recuperações de horário definido. Além disso, os dados são replicados em várias zonas, o que proporciona maior disponibilidade e resiliência.

Talvez você prefira instalar o MySQL no Compute Engine, caso precise de um recurso que não esteja disponível no Cloud SQL como as funções definidas pelo usuário ou o privilégio SUPER. Para saber mais informações, consulte as Perguntas frequentes do Cloud SQL.

Caso decida instalar o MySQL no Compute Engine, use o Google GCP Marketplace para implantá-lo ou instale-o manualmente em uma instância do Compute Engine. O GCP Marketplace oferece uma maneira conveniente de implantar o MySQL como parte de pilhas de desenvolvimento maiores. Ele oferece várias opções de instalações do MySQL, incluindo instalação autônoma, pilhas LAMP, LEMP, Nginx Stacks, instalação de cluster MySQL Percona, além de muitas outras.

Se essas opções do GCP Marketplace não atenderem às suas necessidades, instale manualmente o MySQL em uma instância do Compute Engine. É possível, por exemplo, implantar o MySQL em uma imagem personalizada que você criou ou controlar todo o processo de instalação.

Para instalar o MySQL manualmente em uma instância do Compute Engine, só é necessário criar uma instância, e a instalação pode ser feita diretamente nela. No restante deste documento, você verá uma descrição dessa instalação.

Objetivos

  • Criar uma instância do Compute Engine.
  • Instalar o MySQL.
  • Conectar-se ao MySQL.

Pré-requisitos

  1. Crie um novo projeto no Console do Google Cloud Platform. É possível usar um projeto existente, mas criá-lo do zero torna a limpeza mais fácil.

Execute todas as instruções deste documento no Console do Google Cloud Platform, mas se preferir usar a ferramenta de linha de comando gcloud, siga estas etapas para ativar a API Compute Engine e instalar o SDK do Google Cloud.

  1. Use o Console do Google Cloud Platform para ativar a API Compute Engine.

  2. Instale o SDK do Google Cloud.

  3. Configure seu espaço de trabalho para tornar os comandos menos detalhados. Substitua os valores do seu projeto por [PROJECT_ID] e [ZONE] nos comandos a seguir. Para ver a lista completa de zonas, consulte Regiões e zonas disponíveis.

    gcloud config set project [PROJECT_ID]
    gcloud config set compute/zone [ZONE]
    

Criar uma instância do Compute Engine

Crie uma instância do Compute Engine para MySQL e conecte-se a ela usando o SSH. O sistema operacional padrão é o Debian versão 9. Se preferir usar um sistema diferente neste tutorial, escolha uma das opções descritas na página Imagens da documentação do Compute Engine.

Console


Para criar uma instância do Compute Engine no Console do Google Cloud Platform, siga estas etapas:

  1. Abra o Console do Google Cloud Platform.

  2. Selecione o projeto recém-criado e clique em Continuar.

  3. Clique em Criar instância ou Nova instância, caso você já tenha instâncias. Atribua o nome mysql-test a ela.

  4. Para especificar um sistema operacional diferente do valor padrão, na seção Disco de inicialização, clique em Alterar, selecione o sistema e clique em Selecionar.

  5. Clique em Criar.

Para estabelecer uma conexão SSH, siga estas etapas:

  1. Na página Instâncias de VM, localize a nova instância na lista.

  2. Na coluna Conectar, clique em SSH. O terminal do SSH será aberto em uma janela do navegador.

gcloud


  1. Para criar uma instância de Compute Engine, utilize o comando gcloud compute instances create. Para usar um sistema operacional diferente, adicione o parâmetro --image seguido pelo nome da imagem. Por exemplo, para usar o Debian 9, adicione --image debian-9.

    gcloud compute instances create mysql-test
    
  2. Conecte-se à instância usando o ssh.

    gcloud compute ssh mysql-test
    

Instalar o MySQL

Nas etapas a seguir, você aprende a instalar o MySQL em uma instância do Compute Engine.

Debian e Ubuntu


  1. Atualize o gerenciador de pacotes apt-get.

    sudo apt-get update
    
  2. Instale o MySQL. O processo de instalação inicia o serviço MySQL para você.

    sudo apt-get -y install mysql-server
    

CentOS 6 e RHEL 6


  1. Instale o MySQL.

    sudo yum -y install mysql-server
    
  2. Inicie o servidor MySQL.

    sudo service mysqld start
    

CentOS 7 e RHEL 7


A versão 7 do CentOS e do RHEL agora contém MariaDB em vez de MySQL como parte do seu sistema de gerenciamento de pacotes. Para instalar o MySQL no CentOS 7, você precisa primeiro atualizar o gerenciador de pacotes.

  1. Atualize o gerenciador de pacotes para incluir o MySQL.

    sudo rpm -Uvh http://dev.mysql.com/get/mysql-community-release-el7-5.noarch.rpm
    
  2. Instale o MySQL.

    sudo yum -y install mysql-community-server
    
  3. Inicie o servidor do MySQL.

    sudo /usr/bin/systemctl start mysqld
    

Melhorar a segurança da instalação do MySQL

Para melhorar a segurança da instalação do MySQL, execute o comando mysql_secure_installation. Se você não tiver configurado uma senha durante o processo de instalação, crie uma nesta etapa. Para mais informações sobre esse comando, consulte a documentação do MySQL relativa a mysql_secure_installation.

sudo mysql_secure_installation

Conectar-se ao MySQL

Nas etapas a seguir, você aprende a conectar o MySQL à instância mysql-test.

  1. Conecte-se ao MySQL usando o cliente do MySQL.

    sudo mysql -u root -p
    

    Quando você se conecta ao MySQL, o prompt muda para:

    mysql>

    Agora é possível executar os comandos do MySQL. Por exemplo, este comando mostra os threads em execução, inclusive a conexão atual:

    mysql> SHOW processlist;
    +----+------+-----------+------+---------+------+-------+------------------+
    | Id | User | Host      | db   | Command | Time | State | Info             |
    +----+------+-----------+------+---------+------+-------+------------------+
    | 51 | root | localhost | NULL | Query   |    0 | NULL  | show processlist |
    +----+------+-----------+------+---------+------+-------+------------------+
    1 row in set (0.00 sec)

    Use o comando a seguir para gerar uma lista de usuários.

    mysql> SELECT User, Host, Password FROM mysql.user;
    +------------------+------------+-------------------------------------------+
    | User             | Host       | Password                                  |
    +------------------+------------+-------------------------------------------+
    | root             | localhost  | *992C4DB09F487A275976576CCFA554F7D20A4207 |
    | root             | mysql-test | *992C4DB09F487A275976576CCFA554F7D20A4207 |
    | root             | 127.0.0.1  | *992C4DB09F487A275976576CCFA554F7D20A4207 |
    | root             | ::1        | *992C4DB09F487A275976576CCFA554F7D20A4207 |
    | debian-sys-maint | localhost  | *AD7B08AF7691A552A57900F1A9D8AE26ED499117 |
    +------------------+------------+-------------------------------------------+
    5 rows in set (0.00 sec)
  2. Ao terminar de executar os comandos, use exit para encerrar o cliente do MySQL e use exit novamente para sair da instância do Compute Engine.

    mysql> exit
    exit

Como fazer a limpeza

Depois de concluir este tutorial do MySQL, será possível limpar os recursos criados no GCP para que não usem a cota, e você não seja cobrado por eles no futuro. Veja como excluir e desativar esses recursos nas seções a seguir.

Como excluir o projeto

O jeito mais fácil de evitar cobranças é excluindo o projeto que você criou para o tutorial.

Para excluir o projeto:

  1. No Console do GCP, acesse a página "Projetos".

    Acessar a página Projetos

  2. Na lista de projetos, selecione um e clique em Excluir projeto.
  3. Na caixa de diálogo, digite o código do projeto e clique em Encerrar para excluí-lo.

Como excluir instâncias

Para excluir uma instância do Compute Engine:

  1. No Console do GCP, acesse a página "Instâncias de VM".

    Acessar a página "Instâncias de VMs"

  2. Clique na caixa de seleção ao lado da da instância que deseja excluir.
  3. Clique no botão Excluir na parte superior da página para excluir a instância.

Próximas etapas

Você aprendeu a instalar o servidor do MySQL no Compute Engine. Para conhecer aplicativos mais complexos que usam o MySQL, consulte a grande variedade de pilhas de desenvolvimento que usam este sistema no GCP Marketplace.

Caso seus requisitos incluam alta disponibilidade e dimensionalidade, instale o MySQL Cluster no Compute Engine. O MySQL Cluster fornece alta disponibilidade e escalonabilidade por meio de cluster sem compartilhamento com fragmentação automática. O GCP Marketplace fornece uma opção click-to-deploy do Percona, uma solução de código aberto para geração de cluster no MySQL.

Outra solução de código aberto para escalonabilidade do MySQL é o Vitess, que veicula todo o tráfego de banco de dados do YouTube desde 2011. O Vitess é adequado para aplicativos que funcionam em contêineres. Para mais informações sobre como usar o Vitess em um ambiente em contêineres, consulte Como executar o Vitess no Kubernetes.

Para mais informações sobre o MySQL, consulte a documentação oficial do MySQL.

Conheça outros recursos do Google Cloud Platform. Veja os tutoriais.

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…