Guia de início rápido: implantar um contêiner de amostra predefinido

Nesta página, mostramos como implantar um contêiner de amostra que já foi carregado no repositório do Container Registry para o Cloud Run.

Antes de começar

  1. Faça login na sua conta do Google.

    Se você ainda não tiver uma, inscreva-se.

  2. No Console do Google Cloud, na página do seletor de projetos, selecione ou crie um projeto do Google Cloud.

    Acessar a página do seletor de projetos

  3. Verifique se o faturamento está ativado para seu projeto na nuvem. Saiba como confirmar se o faturamento está ativado para o projeto.

Como implantar o contêiner de amostra

Para implantar um contêiner, siga estas etapas:

  1. Acessar o Cloud Run

  2. Clique em Criar serviço para exibir o formulário Criar serviço.

    imagem

    No formulário, siga estas etapas:

    1. Selecione o Cloud Run (totalmente gerenciado) como sua plataforma de desenvolvimento.

    2. Selecione a região em que você quer que o serviço esteja localizado.

    3. Especifique o nome que você quer dar ao seu serviço.

    4. Selecione Permitir invocações não autenticadas para poder abrir o resultado no navegador da Web.

    5. Clique em Próxima para acessar a segunda página do formulário de criação de serviço:

      imagem

      No formulário, siga estas etapas:

      1. Use gcr.io/cloudrun/hello como uma imagem de contêiner.

      2. Clique em Criar para implantar a imagem no Cloud Run e aguarde a conclusão da implantação.

  3. Clique no link do URL exibido para executar o contêiner implementado.

Locais do Cloud Run

O Cloud Run é regional, o que significa que a infraestrutura que executa seus serviços do Cloud Run está localizada em uma região específica e é gerenciada pelo Google para estar disponível de maneira redundante em todas as zonas da região.

Atender aos seus requisitos de latência, disponibilidade ou durabilidade são os principais fatores para selecionar a região em que seus serviços do Cloud Run são executados. Geralmente, é possível selecionar a região mais próxima de seus usuários, mas considere a localização dos outros produtos do Google Cloud usados pelo serviço do Cloud Run. O uso de produtos do Google Cloud em vários locais pode afetar a latência e o custo do serviço.

O Cloud Run está disponível nas regiões a seguir:

Sujeitas aos preços do nível 1

  • asia-east1 (Taiwan)
  • asia-northeast1 (Tóquio)
  • asia-northeast2 (Osaka)
  • europe-north1 (Finlândia)
  • europe-west1 (Bélgica)
  • europe-west4 (Países Baixos)
  • us-central1 (Iowa)
  • us-east1 (Carolina do Sul)
  • us-east4 (Norte da Virgínia)
  • us-west1 (Oregon)

Sujeitas aos preços do nível 2

  • asia-east2 (Hong Kong)
  • asia-northeast3 (Seul, Coreia do Sul)
  • asia-southeast1 (Singapura)
  • asia-southeast2 (Jacarta)
  • asia-south1 (Mumbai, Índia)
  • australia-southeast1 (Sydney)
  • europe-west2 (Londres, Reino Unido)
  • europe-west3 (Frankfurt, Alemanha)
  • europe-west6 (Zurique, Suíça)
  • northamerica-northeast1 (Montreal)
  • southamerica-east1 (São Paulo, Brasil)

Se você já criou um serviço do Cloud Run, poderá ver a região no painel do Cloud Run no Console do Cloud.

Parabéns! Você acabou de implantar no Cloud Run um contêiner que responde a solicitações da Web recebidas. O Cloud Run escalona horizontalmente o contêiner de maneira automática para lidar com as solicitações recebidas e escalona verticalmente quando a demanda diminui. Você paga apenas pela CPU, memória e rede consumida durante o processamento da solicitação.

A seguir

Para aprender a criar um contêiner com base na origem do código, enviá-lo para o Container Registry e implantá-lo, consulte estes tópicos: