Criar e implantar um serviço em C++

Saiba como criar um aplicativo Hello World simples, empacotá-lo em uma imagem de contêiner, fazer upload da imagem do contêiner no Container Registry e, em seguida, implantar a imagem do contêiner no Cloud Run. É possível usar outros idiomas além dos mostrados.

Antes de começar

  1. Faça login na sua conta do Google Cloud. Se você começou a usar o Google Cloud agora, crie uma conta para avaliar o desempenho de nossos produtos em situações reais. Clientes novos também recebem US$ 300 em créditos para executar, testar e implantar cargas de trabalho.
  2. No Console do Google Cloud, na página do seletor de projetos, selecione ou crie um projeto do Google Cloud.

    Acessar o seletor de projetos

  3. Verifique se o faturamento está ativado para seu projeto na nuvem. Saiba como confirmar se o faturamento está ativado para o projeto.

  4. Instale e inicialize o SDK do Cloud..

Como gravar o aplicativo de amostra

Para escrever um aplicativo em C++:

  1. Crie um novo diretório com o nome helloworld-cpp e altere o diretório nele:

    mkdir helloworld-cpp
    cd helloworld-cpp
    
  2. Crie um novo arquivo chamado CMakeLists.txt e cole o código a seguir nele:

    cmake_minimum_required(VERSION 3.10)
    
    # Define the project name and where to report bugs.
    set(PACKAGE_BUGREPORT
        "https://github.com/GoogleCloudPlatform/cpp-samples/issues")
    project(cpp-samples-cloud-run-hello-world CXX C)
    
    # Configure the Compiler options, we will be using C++17 features.
    set(CMAKE_CXX_STANDARD 17)
    set(CMAKE_CXX_STANDARD_REQUIRED ON)
    
    find_package(Boost 1.66 REQUIRED COMPONENTS program_options)
    find_package(Threads)
    
    add_executable(cloud_run_hello cloud_run_hello.cc)
    target_link_libraries(
      cloud_run_hello PRIVATE Boost::headers Boost::program_options
                              Threads::Threads)
    
    include(GNUInstallDirs)
    install(TARGETS cloud_run_hello RUNTIME DESTINATION ${CMAKE_INSTALL_BINDIR})
  3. Crie um novo arquivo chamado cloud_run_hello.cc e cole o código a seguir nele:

    #include <boost/asio/ip/tcp.hpp>
    #include <boost/asio/strand.hpp>
    #include <boost/beast/core.hpp>
    #include <boost/beast/http.hpp>
    #include <boost/beast/version.hpp>
    #include <boost/program_options.hpp>
    #include <cstdlib>
    #include <iostream>
    #include <optional>
    #include <thread>
    
    namespace be = boost::beast;
    namespace asio = boost::asio;
    namespace po = boost::program_options;
    using tcp = boost::asio::ip::tcp;
    
    po::variables_map parse_args(int& argc, char* argv[]) {
      // Initialize the default port with the value from the "PORT" environment
      // variable or with 8080.
      auto port = [&]() -> std::uint16_t {
        auto env = std::getenv("PORT");
        if (env == nullptr) return 8080;
        auto value = std::stoi(env);
        if (value < std::numeric_limits<std::uint16_t>::min() ||
            value > std::numeric_limits<std::uint16_t>::max()) {
          std::ostringstream os;
          os << "The PORT environment variable value (" << value
             << ") is out of range.";
          throw std::invalid_argument(std::move(os).str());
        }
        return static_cast<std::uint16_t>(value);
      }();
    
      // Parse the command-line options.
      po::options_description desc("Server configuration");
      desc.add_options()
          //
          ("help", "produce help message")
          //
          ("address", po::value<std::string>()->default_value("0.0.0.0"),
           "set listening address")
          //
          ("port", po::value<std::uint16_t>()->default_value(port),
           "set listening port");
    
      po::variables_map vm;
      po::store(po::parse_command_line(argc, argv, desc), vm);
      po::notify(vm);
      if (vm.count("help")) {
        std::cout << desc << "\n";
      }
      return vm;
    }
    
    int main(int argc, char* argv[]) try {
      po::variables_map vm = parse_args(argc, argv);
    
      if (vm.count("help")) return 0;
    
      auto address = asio::ip::make_address(vm["address"].as<std::string>());
      auto port = vm["port"].as<std::uint16_t>();
      std::cout << "Listening on " << address << ":" << port << std::endl;
    
      auto handle_session = [](tcp::socket socket) {
        auto report_error = [](be::error_code ec, char const* what) {
          std::cerr << what << ": " << ec.message() << "\n";
        };
    
        be::error_code ec;
        for (;;) {
          be::flat_buffer buffer;
    
          // Read a request
          be::http::request<be::http::string_body> request;
          be::http::read(socket, buffer, request, ec);
          if (ec == be::http::error::end_of_stream) break;
          if (ec) return report_error(ec, "read");
    
          // Send the response
          // Respond to any request with a "Hello World" message.
          be::http::response<be::http::string_body> response{be::http::status::ok,
                                                             request.version()};
          response.set(be::http::field::server, BOOST_BEAST_VERSION_STRING);
          response.set(be::http::field::content_type, "text/plain");
          response.keep_alive(request.keep_alive());
          std::string greeting = "Hello ";
          auto const* target = std::getenv("TARGET");
          greeting += target == nullptr ? "World" : target;
          greeting += "\n";
          response.body() = std::move(greeting);
          response.prepare_payload();
          be::http::write(socket, response, ec);
          if (ec) return report_error(ec, "write");
        }
        socket.shutdown(tcp::socket::shutdown_send, ec);
      };
    
      asio::io_context ioc{/*concurrency_hint=*/1};
      tcp::acceptor acceptor{ioc, {address, port}};
      for (;;) {
        auto socket = acceptor.accept(ioc);
        if (!socket.is_open()) break;
        // Run a thread per-session, transferring ownership of the socket
        std::thread{handle_session, std::move(socket)}.detach();
      }
    
      return 0;
    } catch (std::exception const& ex) {
      std::cerr << "Standard exception caught " << ex.what() << '\n';
      return 1;
    }

    Esse código cria um servidor da Web básico que realiza detecções na porta definida pela variável de ambiente PORT.

  4. Crie um novo arquivo chamado Dockerfile no mesmo diretório dos arquivos de origem. O Dockerfile C++ inicia o aplicativo ao detectar na porta definida pela variável de ambiente PORT:

    # We chose Alpine to build the image because it has good support for creating
    # statically-linked, small programs.
    ARG DISTRO_VERSION=edge
    FROM alpine:${DISTRO_VERSION} AS base
    
    # Create separate targets for each phase, this allows us to cache intermediate
    # stages when using Google Cloud Build, and makes the final deployment stage
    # small as it contains only what is needed.
    FROM base AS devtools
    
    # Install the typical development tools and some additions:
    #   - ninja-build is a backend for CMake that often compiles faster than
    #     CMake with GNU Make.
    #   - Install the boost libraries.
    RUN apk update && \
        apk add \
            boost-dev \
            boost-static \
            build-base \
            cmake \
            git \
            gcc \
            g++ \
            libc-dev \
            nghttp2-static \
            ninja \
            openssl-dev \
            openssl-libs-static \
            tar \
            zlib-static
    
    # Copy the source code to /v/source and compile it.
    FROM devtools AS build
    COPY . /v/source
    WORKDIR /v/source
    
    # Run the CMake configuration step, setting the options to create
    # a statically linked C++ program
    RUN cmake -S/v/source -B/v/binary -GNinja \
        -DCMAKE_BUILD_TYPE=Release \
        -DBoost_USE_STATIC_LIBS=ON \
        -DCMAKE_EXE_LINKER_FLAGS=-static
    
    # Compile the binary and strip it to reduce its size.
    RUN cmake --build /v/binary
    RUN strip /v/binary/cloud_run_hello
    
    # Create the final deployment image, using `scratch` (the empty Docker image)
    # as the starting point. Effectively we create an image that only contains
    # our program.
    FROM scratch AS cloud-run-hello
    WORKDIR /r
    
    # Copy the program from the previously created stage and make it the entry point.
    COPY --from=build /v/binary/cloud_run_hello /r
    
    ENTRYPOINT [ "/r/cloud_run_hello" ]

O app está concluído e pronto para ser implantado.

Como implantar no Cloud Run a partir da fonte

Importante: este guia de início rápido pressupõe que você tenha papéis de proprietário ou editor no projeto que está usando para este guia. Caso contrário, consulte as permissões de implantação do Cloud Run, as permissões do Cloud Build e as permissões do Artifact Registry.

Para implantar a imagem do contêiner, siga estas etapas:

  1. Implante a partir da origem usando o seguinte comando:

    gcloud run deploy

    Se for solicitada a ativação da API, responda y para ativá-la.

    1. Quando for solicitado o local do código-fonte, pressione Enter para implantar a pasta atual.

    2. Quando for solicitado o nome do serviço, pressione Enter para aceitar o nome padrão, helloworld.

    3. Se for solicitado que você ative a API Artifact Registry, responda pressionando 'y'.

    4. Quando a região for solicitada, selecione a região que preferir, por exemplo, us-central1.

    5. Você receberá uma solicitação para permitir chamadas não autenticadas: responda y.

    Aguarde alguns instantes até a conclusão da implantação. Em caso de sucesso, a linha de comando exibe o URL de serviço.

  2. Consulte o contêiner implantado abrindo o URL de serviço em um navegador da Web.

Locais do Cloud Run

O Cloud Run é regional, o que significa que a infraestrutura que executa seus serviços do Cloud Run está localizada em uma região específica e é gerenciada pelo Google para ficar disponível de maneira redundante em todas as zonas da região.

Atender aos seus requisitos de latência, disponibilidade ou durabilidade são os principais fatores para selecionar a região em que seus serviços do Cloud Run são executados. Geralmente, é possível selecionar a região mais próxima de seus usuários, mas considere a localização dos outros produtos do Google Cloud usados pelo serviço do Cloud Run. O uso conjunto de produtos do Google Cloud em vários locais pode afetar a latência e o custo do serviço.

O Cloud Run está disponível nas regiões a seguir:

Sujeitas aos preços do nível 1

  • asia-east1 (Taiwan)
  • asia-northeast1 (Tóquio)
  • asia-northeast2 (Osaka)
  • europe-north1 (Finlândia) Ícone de folha Baixo CO2
  • europe-west1 (Bélgica) Ícone de folha CO baixo 2
  • europe-west4 (Países Baixos)
  • us-central1 (Iowa)Ícone de folha Baixo CO2
  • us-east1 (Carolina do Sul)
  • us-east4 (Norte da Virgínia)
  • us-west1 (Oregon) Ícone de folha Baixo CO2

Sujeitas aos preços do nível 2

  • asia-east2 (Hong Kong)
  • asia-northeast3 (Seul, Coreia do Sul)
  • asia-southeast1 (Singapura)
  • asia-southeast2 (Jacarta)
  • asia-south1 (Mumbai, Índia)
  • asia-south2 (Déli, Índia)
  • australia-southeast1 (Sydney)
  • australia-southeast2 (Melbourne)
  • europe-central2 (Varsóvia, Polônia)
  • europe-west2 (Londres, Reino Unido)
  • europe-west3 (Frankfurt, Alemanha)
  • europe-west6 (Zurique, Suíça) Ícone de folha Baixo CO2
  • northamerica-northeast1 (Montreal) Ícone de folha Baixo CO2
  • northamerica-northeast2 (Toronto)
  • southamerica-east1 (São Paulo, Brasil) Ícone de folha Baixo CO2
  • us-west2 (Los Angeles)
  • us-west3 (Las Vegas)
  • us-west4 (Salt Lake City)

Se você já criou um serviço do Cloud Run, poderá ver a região no painel do Cloud Run no Console do Cloud.

Parabéns! Você acabou de implantar uma imagem de contêiner a partir do código-fonte no Cloud Run. O Cloud Run escalona de maneira automática e horizontal a imagem de contêiner para processar as solicitações recebidas e reduz o escalonamento quando a demanda diminui. Você paga apenas pela CPU, memória e rede consumidas durante o processamento da solicitação.

Limpar

Como remover seu projeto de teste

Ainda que o Cloud Run não gere custos quando o serviço não estiver em uso, é possível que receba cobranças pelo armazenamento da imagem do contêiner no Artifact Registry. É possível excluir sua imagem ou excluir seu projeto do Cloud para evitar cobranças. A exclusão do projeto do Cloud interrompe o faturamento de todos os recursos usados nesse projeto.

  1. No Console do Cloud, acesse a página Gerenciar recursos:

    Acessar "Gerenciar recursos"

  2. Na lista de projetos, selecione o projeto que você quer excluir e clique em Excluir .
  3. Na caixa de diálogo, digite o ID do projeto e clique em Encerrar para excluí-lo.

A seguir

Para mais informações sobre como criar um contêiner a partir do código-fonte e enviá-lo para um repositório, consulte: