Morfologia e árvores de dependência

O método analyzeSyntax retorna detalhes sobre a estrutura linguística do texto fornecido. Para cada token no texto, a API Natural Language fornece informações sobre a estrutura interna (morfologia) e o papel na frase (sintaxe).

Morfologia é o estudo da estrutura interna das palavras. Ela tem como foco o modo como os elementos de uma palavra (radicais, raízes, prefixos, sufixos etc.) são dispostos ou modificados para criar significados diferentes. No inglês, por exemplo, "-s" ou "-es" são adicionados ao final de substantivos contáveis para torná-los plural, e "-d" ou "-ed" a um verbo para indicar o tempo no passado. O sufixo “-ly” é adicionado aos adjetivos para criar advérbios. Por exemplo, o adjetivo "happy" (feliz) e o advérbio “happily” (felizmente).

Na API Natural Language, a análise morfológica é usada para extrair informações gramaticais das palavras.

A morfologia varia muito entre os idiomas. Por exemplo, em russo, a terminação das palavras indica a função delas na frase. Por exemplo, quando é o objeto direto de um verbo, “книга” (caso nominativo de livro) torna-se “книгу” (caso acusativo). Isso significa que a ordem das palavras pode variar sem alterar o significado da frase. No entanto, palavras em ordens diferentes afetam a adequação no contexto. Idiomas como inglês e mandarim, que não têm afixos indicando o caso, dependem mais da ordem das palavras em uma frase para especificar as respectivas funções delas. Como resultado, a análise morfológica depende principalmente do idioma de origem e da compreensão da morfologia compatível com ele.

Sintaxe é o estudo da estrutura de frases e orações. A sintaxe e a morfologia trabalham juntas para transmitir relações gramaticais. Dependendo do idioma, o trabalho é dividido de maneira diferente entre elas. Por exemplo, o russo usa um afixo para indicar o papel do objeto direto ("у" em "книгу"), enquanto o inglês usa a ordem das palavras, em que o objeto direto segue o verbo (read the book).

A resposta analyzeSyntax retorna informações morfológicas no campo partOfSpeech e a relação sintática entre as palavras no campo dependencyTree.

Classes gramaticais

Em uma solicitação sintática, as informações sobre classes gramaticais e morfologia são retornadas no campo partOfSpeech da resposta. O campo partOfSpeech contém um conjunto de subcampos com informações sobre classes gramaticais (POS, na sigla em inglês), bem como informações morfológicas mais explícitas. Esses subcampos estão relacionados a seguir.

  • tag indica a classe gramatical com uma tag de POS de alta granularidade (NOUN, VERB etc.) e fornece informações sintáticas superficiais de nível superior. As tags de POS são usadas para criar padrões e/ou reduzir ambiguidade na análise linguística seguinte. Por exemplo, a palavra "train" pode ser marcada como NOUN (treino) em vez de VERB (treinar)

  • number indica o número gramatical de uma palavra. Em inglês, o sufixo "-s" é adicionado a substantivos contáveis para indicar mais de um (por exemplo, "dog + s" indica mais de um cachorro). A ausência do sufixo plural indica, muitas vezes, a forma singular. Em alguns idiomas, como o árabe, também há a noção de número dual. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • SINGULAR: representa uma quantidade.
    • PLURAL: representa mais de uma quantidade.
    • DUAL: representa exatamente duas quantidades.
  • person identifica a pessoa gramatical de uma palavra. Em inglês, “I/me” é a primeira pessoa do singular e se refere ao falante (ou escritor) da expressão, enquanto “you” e “she/her e he/him” referem-se ao destinatário pretendido (ouvinte) e a outra pessoa, respectivamente. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • FIRST: pessoa que denota o falante.
    • SECOND: pessoa que denota destinatário pretendido, isto é, a pessoa com quem se fala.
    • THIRD: pessoa que denota alguém que não seja o falante nem o ouvinte.
    • REFLEXIVE_PERSON: indica, por exemplo, que o sujeito e o objeto se referem a mesma entidade, como em “The cat licked itself”, em que "itself" é anexado a um verbo para indicar reflexividade. Em russo e japonês, o reflexivo é um pronome independente. Por exemplo, "John se ama" em russo é "Джон любит себя", em que себя é um reflexivo neutro em termos de gênero. Em japonês é "Tarō wa zibun o aisuru" (versão romanizada), em que "zibun" também é um reflexivo neutro em termos de gênero. Consulte pronome reflexivo.
  • gender indica o gênero gramatical de um substantivo. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • o gênero gramatical FEMININE
    • o gênero gramatical MASCULINE
    • o gênero gramatical NEUTER
  • case indica o caso gramatical de uma palavra e seu papel em uma frase ou oração. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • O caso ACCUSATIVE indica o objeto direto de um verbo transitivo.
    • O caso ADVERBIAL indica a forma adverbial de um adjetivo. Observe que o inglês usa palavras diferentes para advérbios ("well") e adjetivos ("good"). O sufixo -ly, em inglês, transforma adjetivos em advérbios (por exemplo, "happy", "happily"), mesmo que não seja considerado um "caso".
    • COMPLEMENTIVE: no chinês, indica uma palavra necessária para completar o significado de uma expressão potencial, descritiva ou resultante usando uma partícula conjuntiva.
    • O caso DATIVE indica um objeto indireto, que se refere a quem ou o que recebe o objeto direto. Em inglês, o objeto indireto é frequentemente indicado pela preposição "to" como na frase "He gave the ball to Bobby" (Ele deu a bola para o Bobby), em que "Bobby" é o objeto indireto e é o destinatário da bola. Já neste exemplo russo: Иван дал книгу маше (Ivan deu o livro a Masha), “-e” indica que “маше” é o objeto indireto, e Masha é o destinatário do livro.
    • O caso GENITIVE indica posse. Observe que o inglês geralmente indica posse usando o afixo "-'s" em vez de usar um caso genitivo. O afixo "-s" pode ser anexado ao final de uma frase, por exemplo, "(The man who ran the bill up)’s wife paid a dear price for his excess". Enquanto neste exemplo em russo "-а" marca "Антон-" como genitivo: "Где книга Антона?" (Onde está o livro de Anton). Em russo, o caso genitivo também aparece como o complemento de palavras como "vários", "poucos". Por exemplo, em "Зимой здесь мало снега" ("No inverno há pouca neve aqui") "-a" "marca "снег-" ("neve") como genitivo, já que é o complemento de “мало” (“pequeno”). Não há posse envolvida.
    • O caso INSTRUMENTAL indica se um substantivo é o instrumento pelo qual uma ação é concluída. A frase "Ele abriu a porta com a chave" em russo seria: "он открыл дверь ключом", em que "-om" se anexa a "ключ" (chave), indicando o caso instrumental.
    • O caso LOCATIVE indica o uso de uma palavra para se referir a um local. Não existe caso locativo em inglês.
    • O caso NOMINATIVE está associado ao sujeito de um verbo. Em inglês, o sujeito de uma oração é indicado pela ordem das palavras, não pelo caso. Na oração "The girl won the race" (A garota venceu a corrida), a frase "the girl" (a garota) é o sujeito, aparecendo à esquerda do verbo "won" (venceu). Em russo, "девушка" (a/uma garota) pode aparecer antes ou depois do verbo: "девушка выиграла гонку” ou "гонку выиграла девушка", em que o verbo é "выиграла" (venceu).
    • O caso OBLIQUE: indica o uso de uma palavra como objeto de um verbo ou preposição.
    • O caso PARTITIVE: indica a “parcialidade” de uma palavra ou a ausência de uma identidade específica. Um exemplo de partitivo em inglês seria "three of my friends" (três dos meus amigos). Em russo, seria "три моих друзей", onde "трое" é "três de" (compare com "три друга", em que "три" é "três").
    • O caso PREPOSITIONAL indica o objeto de uma preposição.
    • REFLEXIVE_CASE: especifica a identidade do objeto de um verbo como sendo o próprio sujeito. Na maioria dos idiomas, não há o caso reflexivo, já que ele é indicado pelos pronomes reflexivos especiais como "himself" (se, ele mesmo), "myself" (me, eu mesmo) etc. em inglês.
    • RELATIVE_CASE: no chinês, indica o complementador de uma oração relativa que liga um substantivo a um verbo ou adjetivo. Por exemplo, 工作 [的] 地方 (trabalho [] local = "local [onde eu] trabalho") e 便宜 的 餐馆 (baratos [] restaurantes = restaurantes [que sejam] baratos)
    • VOCATIVE: indica um substantivo usado para se dirigir a alguém ou algo, geralmente àquele com quem se fala.
  • tense denota o tempo verbal, que indica a referência do verbo a uma posição no tempo. Observe que tense é diferente de aspect, que também trata de uma relação do verbo com o tempo. Entretanto, o foco são as características desse fluxo temporal, não a posição. Em muitos idiomas, os tempos IMPERFECT e PLUPERFECT se referem mais precisamente a combinações específicas de "tense" e "aspect". Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • CONDITIONAL_TENSE é um termo alternativo para o termo morfológico mais predominante "modo condicional". Consulte CONDITIONAL_MOOD abaixo.
    • FUTURE indica uma ação que acontecerá no futuro. No inglês, o tempo futuro é geralmente indicado com a adição da palavra "will" a um verbo principal.
    • PAST indica uma ação que aconteceu no passado.
    • PRESENT indica uma ação que acontece no presente.
    • IMPERFECT indica uma ação que aconteceu no passado, mas que não foi concluída nesse período de tempo. Observe que, no inglês, o tempo imperfeito é geralmente indicado com a adição do gerúndio de um verbo ao tempo passado como, por exemplo, na frase "I was walking" (Eu estava caminhando). Um evento de tempo imperfeito ocorre no passado, mas ele ainda não foi concluído em relação a esse tempo
    • PLUPERFECT indica uma ação que aconteceu no passado e também foi concluída nesse período de tempo. Por exemplo, a ação na frase em inglês "I had walked" (Eu caminhei) aconteceu no passado e foi concluída durante o referencial desse passado.
  • aspect indica o aspecto gramatical de um verbo, a expressão do fluxo temporal. Ao contrário de tense, que se concentra na posição do verbo no tempo, o foco do aspect são as características do fluxo temporal em que ele ocorre. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • PERFECTIVE indica um evento que foi “concluído” porque ocorreu completamente no passado ou ocorrerá completamente no futuro.
    • IMPERFECTIVE indica um evento incompleto porque ele é contínuo ou se repete.
    • PROGRESSIVE indica um evento contínuo. Um aspecto progressivo é geralmente tratado como um caso especial do aspecto imperfeito mais geral, que também inclui repetições.

  • mood indica o humor gramatical de um verbo, que indica a atitude de uma ação subjacente. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • CONDITIONAL_MOOD indica uma ação na forma condicional. Em inglês, as formas verbais não são condicionais. Na verdade, o comportamento condicional é expresso pelo uso da palavra "would" combinada com um verbo no infinitivo.
    • IMPERATIVE indica um comando ou uma solicitação por meio da segunda pessoa.
    • INDICATIVE indica a constatação de um fato, conhecido mais genericamente como modo indicativo.
    • INTERROGATIVE indica uma pergunta.
    • JUSSIVE indica um comando ou uma solicitação por meio da primeira ou terceira pessoa. No inglês, não há um modo jussivo. As exortações que começam com um "Let us" (Vamos) real ou implícito transmitem esse modo.
    • SUBJUNCTIVE indica uma qualidade de incerteza relacionada a uma ação também conhecida como modo subjuntivo, ao contrário do indicativo. No inglês, não há um modo subjuntivo específico. Palavras como "want" (querer), "wish" (desejar), "hope" (esperar) etc. transmitem o sentido do modo subjuntivo.
  • voice indica a voz gramatical de um verbo, a relação entre uma ação e um sujeito e/ou objeto. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • A voz ACTIVE indica uma ação realizada pelo sujeito.
    • A voz CAUSATIVE indica uma ação que tem um efeito aplicado ao sujeito. No inglês, não há voz causativa direta. A forma causativa é indicada pelo uso do verbo "make" (fazer). Por exemplo, "Mom made me go to school" (Mamãe me fez ir à escola).
    • A voz PASSIVE indica uma ação que tem um efeito aplicado ao sujeito. Em muitos casos, um "agente" da passiva está implícito ou é desconhecido.
  • reciprocity denota a reciprocidade de uma palavra, normalmente um pronome, indicando que ele se refere a um sintagma nominal de outra parte da oração. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • RECIPROCAL indica que o pronome é recíproco
    • NON_RECIPROCAL: indica que o pronome não é recíproco.
  • proper: indica se um substantivo faz parte de um nome próprio. Muitos nomes próprios são formados por várias palavras. Se essa frase for detectada como nome próprio, cada token também será considerado próprio. Por exemplo, "José" e "Silva" do nome próprio "José Silva" terão o atributo próprio definido como PROPER. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • PROPER: indica que o token faz parte de um nome próprio.
    • NOT_PROPER: indica que o token não faz parte de um nome próprio
  • form: indica formas morfológicas adicionais que não se encaixam perfeitamente no conjunto anterior de formas comuns (tense, mood, person etc.). A maioria dessas classes é específica a idiomas únicos. Esse campo pode conter os seguintes valores:

    • ADNOMIAL (coreano/japonês): indica uma terminação de palavra (coreano) ou verbo (japonês) que modifica um sintagma nominal. Por exemplo, 밥을 먹는 사람 (alguém que come arroz) e 書く人 (alguém que escreve).
    • AUXILIARY (coreano): indica uma terminação de palavra que liga dois predicados principal e auxiliar adjacentes. Por exemplo, 밥을 먹게 하다 (fazer [alguém] comer).
    • COMPLEMENTIZER (coreano): indica uma terminação de palavra que liga duas ou mais orações diferentes. Por exemplo, 밥을 먹고 물을 마신다 ([Eu] como arroz e bebo água).
    • FINAL_ENDING (coreano/japonês): indica uma terminação de palavra que finaliza a oração ou frase no final delas. Exemplos: 밥을 먹는다 [(Eu) como arroz] e 手紙を書く [escrever uma carta]
    • GERUND (coreano/japonês): indica uma terminação de palavra que normaliza verbos ou adjetivos em coreano. Por exemplo, 밥 먹기 (comendo arroz). Em japonês, liga verbos a vários verbos auxiliares. Por exemplo, 書きたい (querer escrever).
    • REALIS (japonês): indica formas condicionais e subjuntivas com uma partícula conjuntiva. Por exemplo, “ば”: 書けば (se [eu] escrever).
    • IRREALIS (japonês) indica a ligação de verbos a verbos auxiliares negativos, passivos ou causativos. Por exemplo, 書かない (não escrever), 書かれる (a ser escrito) e 書かせる (fazer [alguém] escrever).
    • ORDER (japonês): indica um verbo de comando, semelhante ao imperativo: 書け! [escreva!]
    • SPECIFIC (japonês): indica formas especiais que não estão nas seis categorias acima. O uso mais comum dessa forma é a derivação de um substantivo a partir de um adjetivo, adicionando um sufixo à forma: かわいさ (beleza).
    • SHORT (russo): indica um adjetivo ou particípio reduzido.
    • LONG (russo): indica um adjetivo ou particípio longo, diferente do SHORT acima.

A API Natural Language fornece informações morfológicas por token, e não por frase. Não há compatibilidade com construções morfológicas que ultrapassem os limites de palavra.

Árvores de dependência

Em uma solicitação sintática, as informações sobre classes gramaticais e morfologia são retornadas no campo partOfSpeech da resposta.

Na Natural Language API, uma árvore de dependência com a estrutura sintática é criada para cada frase de texto recebida para análise sintática. As informações sintáticas são retornadas no campo dependencyEdge da resposta.

Veja o diagrama da árvore de dependência desta frase do discurso de posse de John F. Kennedy:

Para cada token, o elemento dependencyEdge identifica qual outro token ele modifica (no campo headTokenIndex) e a relação sintática entre esse token e o principal (no campo label). Por exemplo, este é o elemento dependencyEdge do token "your" (seu) na primeira ocorrência do sintagma "your country" (seu país):

      "dependencyEdge": {
        "headTokenIndex": 4,
        "label": "POSS"
      },

Esse elemento indica que "your" modifica o quinto token (headTokenIndex usa um deslocamento baseado em zero) e que é um modificador possessivo.

Toda árvore de dependência inclui um elemento ROOT ("label": ROOT), que corresponde ao verbo principal na frase. No exemplo acima, o elemento ROOT é a primeira palavra da oração ("headTokenIndex": 0). Para a palavra ROOT "Ask" (Perguntar), o headTokenIndex é o próprio índice.

Embora as árvores de análise não ultrapassem os limites das frases, a Natural Language API indexa frases e tokens usando valores de deslocamento baseados em zero no texto como um todo.

A Natural Language API rotula relações sintáticos usando um conjunto comum de dependências que se aplicam aos idiomas compatíveis. Os rótulos são descritos abaixo. No texto de exemplo, "Head" (principal) e o rótulo aparecem abaixo dos tokens aos quais eles se aplicam.

Rótulo Descrição
UNKNOWN Relação desconhecida
ABBREV Uma abreviação do token principal.

British Broadcasting Company (BBC)
                     Head     ABBREV
ACOMP Um sintagma adjetivo que funciona como complemento (como o objeto de um verbo). Essa relação inclui especificamente as construções de ligação "ser" com predicados adjetivos.

The book looks heavy.
         Head  ACOMP

The book is   heavy.
         Head ACOMP
A tag também se aplica a adjuntos adjetivos sem argumento e em construções de alçamento com predicados adjetivos.

She arrived sad.
    Head    ACOMP

I consider John intelligent.
  Head          ACOMP
ADVCL Uma oração adverbial que modifica um verbo, como orações temporais, consecutivas, condicionais ou finais.

The accident happened as the night was falling.
             Head                      ADVCL

If you know who did it, you should tell the teacher.
       ADVCL                       Head

He talked to him in order to secure the account.
   Head                      ADVCL
ADVPHMOD Modificador de sintagma adverbial (japonês)
ADVMOD Um advérbio (não oracional) ou sintagma adverbial que serve para modificar o significado de uma palavra.

Genetically modified food.
ADVMOD      Head

less   often
ADVMOD Head

About  200 people came to the party.
ADVMOD Head
AMOD Um sintagma adjetivo que serve para modificar o significado de um sintagma nominal.

Sam eats red  meat.
         AMOD Head

Sam took out a 3 million dollar loan.
                         AMOD   Head
APPOS Um sintagma nominal imediatamente à direita de outro sintagma nominal, com o segundo servindo para definir ou modificar o primeiro sintagma.

Sam, my brother, arrived.
Head    APPOS

Bill (John’s cousin)
Head         APPOS
ATTR Um sintagma nominal iniciado por um verbo de ligação. Observe que "ATTR" é diferente de "ACOMP" porque o dependente é um sintagma nominal, e não um sintagma adjetivo.

He is  a doctor.
   Head ATTR

She resembles her mother.
    Head          ATTR
Nas perguntas, o pronome ou o nome da frase está na relação "ATTR" de "ROOT".

What is  your name?
ATTR Head     NSUBJ

What breed is   the dog?
     ATTR  Head     NSUBJ
As construções de alçamento com predicados nominais também usam a relação "ATTR".

I consider John an intelligent person.
  Head                         ATTR
AUX Um verbo não principal, como um auxiliar modal ou uma forma de "ser/estar", por exemplo, em um tempo perifrástico. Exclui o uso de "ser/estar" como auxiliar em uma construção passiva.

Reagan has died.
       AUX Head

He should leave.
   AUX    Head
AUXPASS Um verbo auxiliar de uma oração na voz passiva.

Kennedy has been    killed.
        AUX AUXPASS Head

Kennedy was/got killed.
        AUXPASS Head
CC A relação entre um elemento e a conjunção coordenativa. Um termo de uma conjunção (normalmente o primeiro) é tratado como o núcleo.

Bill is big  and honest.
        Head CC

They either ski  or snowboard.
            Head CC

Bill went to Florida but Jane traveled to Alaska.
     Head            CC
CCOMP Uma oração subordinada com um sujeito interno que funciona como um complemento do verbo ou do adjetivo.

He says that you like  to swim.
   Head          CCOMP

I am certain that he did   it.
     Head            CCOMP

I admire the fact that you are   honest.
             Head          CCOMP
CONJ A relação entre dois elementos conectados por uma conjunção coordenativa, como "e" ou "ou". O núcleo da relação é o primeiro termo e os outros termos são dependentes por meio da relação "conj".

Bill is big and honest.
        Head    CONJ

They either ski  or snowboard.
            Head    CONJ

We have apples, pears, oranges, and bananas.
        DOBJ    CONJ   CONJ         CONJ
CSUBJ Um sujeito sintático oracional de uma oração. Ou seja, o sujeito é, ele mesmo, uma oração ("What she said" - "O que ela disse" no exemplo abaixo).

What she said  makes sense.
         CSUBJ Head
CSUBJPASS Um sujeito sintático oracional de uma oração passiva.

That she lied was suspected by everyone.
         CSUBJ    Head
DEP O sistema não consegue determinar uma relação de dependência mais precisa entre duas palavras.

Then, as if  to show that he could, . . .
         DEP    Head

travel agency florence kentucky
       Head   DEP
DET A relação entre o núcleo de um sintagma nominal e seu determinante.

The man is here.
DET Head

Which book do you prefer?
DET   Head
DISCOURSE Interjeições e outros elementos do discurso que não estão claramente vinculados à estrutura da frase, exceto de forma expressiva. Alguns exemplos são interjeições ("oh", "hum hum", "Bem-vindo"), complementos ("hum", "ah") e marcadores discursivos ("bem", "na verdade", mas não "você sabe").

Iguazu is   in Argentina :)
       Head              DISCOURSE
DOBJ O sintagma nominal que é o objeto de um verbo ([acusativo](https://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_acusativo)).

She gave me a raise.
    Head      DOBJ

They win  the lottery.
     Head     DOBJ
EXPL Nominal pleonástico. Em inglês, alguns usos de "it" e "there" são: o "there" existencial e o "it" quando usado em construções de extraposição. Um nominal expletivo ou pleonástico é aquele em que o nominal não satisfaz o papel semântico do predicado. Em idiomas com expletivos, eles podem ser posicionados como sujeito e como objeto direto.

There is   a ghost in the room.
EXPL  Head   NSUBJ

It   is clear that we should decline.
EXPL Head
GOESWITH Vincula duas partes de uma palavra separadas no texto.
IOBJ O sintagma nominal que é o objeto indireto ([dativo] (https://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_dativo)) de um verbo.

She gave me   a present.
    Head IOBJ   DOBJ
MARK A palavra que introduz uma oração subordinada finita ou não, como "que" ou "se". O núcleo é o núcleo da oração subordinada.

Forces engaged in fighting after insurgents attacked.
                           MARK             Head

He says that you like to swim.
        MARK     Head
MWE Uma das duas relações (ao lado de "NN") de composição. É usado para certas expressões gramaticalizadas fixas com palavras funcionais que se comportam como uma única palavra funcional. As expressões com várias palavras são anotadas em uma estrutura plana e nuclear, na qual todas as palavras na expressão modificam a primeira usando o rótulo "MWE".

I like dogs as   well as  cats.
            Head MWE  MWE

He cried because of  you.
         Head    MWE
MWV Expressão verbal com várias palavras.
NEG A relação entre uma palavra de negação e a palavra que ela modifica.

Bill is    not a scientist.
     Head  NEG

Bill is no  scientist.
        NEG Head
NN Qualquer nome que serve para modificar o núcleo de um sintagma nominal.

phone book
NN    Head

oil price futures
NN  NN    Head
NPADVMOD Sintagma nominal usado como modificador adverbial.

The director is 65 years    old.
                   NPADVMOD Head

Six feet     long
    NPADVMOD Head

Shares eased a fraction.
       HEAD    NPADVMOD

The silence is itself   significant.
               NPADVMOD Head

90% of Australians like him, the most     of any country.
                   Head          NPADVMOD
NSUBJ Um sintagma nominal que é o sujeito sintático de uma oração.

Clinton defeated Dole.
NSUBJ   Head

The baby  is   cute
    NSUBJ Head
NSUBJPASS Um sintagma nominal que é o sujeito sintático de uma oração na voz passiva.

Dole       was defeated by Clinton.
NSUBJPASS      Head
NUM Qualquer sintagma numérico que serve para modificar o significado do nome com uma quantidade.

Sam ate three sheep.
        NUM   Head
NUMBER Parte de um sintagma numérico.

I have four   thousand sheep.
       NUMBER Head
P Qualquer pontuação em uma oração.
PARATAXIS A relação de parataxe é uma relação entre uma palavra (geralmente, o predicado principal de uma sentença) e outros elementos colocados lado a lado sem qualquer coordenação ou subordinação explícitas nem relação de argumento com o núcleo. A parataxe é um elemento discursivo equivalente à coordenação.

Let's face it we're annoyed.
Head                PARATAXIS

The guy, John said,     left early in the morning.
              PARATAXIS Head
PARTMOD Modificador participial
PCOMP Usado quando o complemento de uma preposição é uma oração ou sintagma preposicional (ou, por vezes, um sintagma adverbial).

We have no information on   whether users are   at risk.
                       Head               PCOMP

They heard about you missing classes.
           Head      PCOMP
POBJ O núcleo de um sintagma nominal após uma preposição ou os advérbios "aqui" e "lá".

I sat on   the chair.
      Head     POBJ

What does CPR stand for?
POBJ                Head
POSS Um determinador possessivo ou modificador [genitivo] (https://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_genitivo).

their offices
POSS  Head

Bill’s clothes.
POSS   Head
POSTNEG Partícula negativa pós-verbal
PRECOMP Complemento do predicado
PRECONJ Uma expressão que aparece junto a uma conjunção, como "um deles", "nenhum deles", "ambos".

Both    the boys and the girls are here.
PRECONJ     Head
PREDET Uma palavra que precede e modifica o significado de um determinante do sintagma nominal.

All    the boys are here.
PREDET     Head
PREF Prefixo
PREP Qualquer sintagma preposicional que serve para modificar o significado de um verbo, adjetivo, substantivo ou até mesmo de outra preposição.

I saw a cat  in   a hat.
        Head PREP

I saw  a cat with a telescope.
  Head       PREP

He is responsible for  meals.
      Head        PREP
PRONL A relação entre um verbo e um morfema verbal (francês)
PRT Uma partícula de verbo.

They shut down the station.
     Head PRT

He would not put  up  with it.
             Head PRT
PS Marcador associativo ou possessivo
QUANTMOD Modificador de sintagma quantificador
RCMOD Um vínculo entre um substantivo e o verbo principal de uma oração relativa.

I saw the man  you love.
          Head     RCMOD

the book that you bought
    Head          RCMOD

Bell, a company which is based in LA, makes and distributes computer products.
        Head             RCMOD
RCMODREL Complementador em oração relativa (chinês)
RDROP Elipse sem um predicado precedente (japonês)
REF Referente (hindi)
REMNANT Usado para elipse.

John won bronze, Mary silver, and Sandy gold.
         Head         REMNANT           REMNANT
REPARANDUM Indica disfluências substituídas em uma reparação de fala.

Go to         the righ- to   the left.
   REPARANDUM           Head
ROOT A raiz da frase. Na grande maioria dos casos, é um verbo.
SNUM Sufixo que especifica uma unidade de número (japonês)
SUFF Sufixo
TMOD Um constituinte simples do sintagma nominal que serve para modificar o significado do constituinte especificando um tempo. "TMOD" captura pontos temporais e duração. Ele não captura a repetição ("two times", que seria um "NPADVMOD").

Last night, I swam in the pool.
     TMOD     Head
TOPIC Marcador de tópico (chinês)
VMOD Uma oração iniciada por uma forma infinitiva do verbo.

Berries gathered on this side of the mountain are sweeter.
Head    VMOD

He sat  in the armchair reading the morning newspaper.
   Head                 VMOD

I have nothing to say  to them.
       Head       VMOD
VOCATIVE Marca um participante do diálogo mencionado no texto (comum em e-mails e postagens de grupos de notícias).

Anna,    can you bring a tent?
VOCATIVE         Head
XCOMP Complemento oracional sem sujeito próprio, em que a referência é determinada por um sujeito externo.

He says that you like to swim.
                 Head    XCOMP

I am ready to leave.
     Head     XCOMP
SUFFIX Sufixo do nome
TITLE Título do nome
AUXCAUS Auxiliar causativo (japonês)
AUXVV Auxiliar complementar (japonês)
DTMOD Rentaishi (modificador pronominal)
FOREIGN Palavras estrangeiras
KW Palavra-chave
LIST Lista de cadeias de itens comparáveis
NOMC Oração nominal
NOMCSUBJ Sujeito da oração nominal
NOMCSUBJPASS Agente da passiva da oração nominal
NUMC Composto de modificador numérico (japonês)
COP Verbo de ligação (espanhol)
DISLOCATED Relação deslocada (para elementos topicalizados)
ASP Marcador de aspecto
GMOD Modificador genitivo
GOBJ Objeto genitivo
INFMOD Modificador de infinitivo
MES Medida
NCOMP Complemento nominal de um substantivo

Para mais informações sobre árvores de dependência, consulte o projeto de árvores de dependência universal. Além disso, a anotação de dependência universal para processamento multilíngue contém informações contextuais sobre a metodologia usada para interpretar essa árvore de dependência.

Como analisar uma resposta de análise sintática

O pseudocódigo a seguir fornece um padrão comum que pode ser usado nas operações de iteração da resposta da análise sintática:

index = 0
  for sentence in self.sentences:
    content  = sentence['text']['content']
    sentence_begin = sentence['text']['beginOffset']
    sentence_end = sentence_begin + len(content) - 1
    while index < len(self.tokens) and self.tokens[index]['text']['beginOffset'] <= sentence_end:
      # This token is in this sentence
      index += 1