Migrar para o Cloud DNS

O Cloud DNS aceita a migração de um domínio DNS existente de outro provedor de DNS para o Cloud DNS. Neste procedimento, descrevemos como executar as etapas necessárias: criar uma zona gerenciada para seu domínio, importar a configuração do DNS existente e atualizar os registros do serviço de nomes do seu registrador de nomes.

Antes de começar

Se você nunca usou a ferramenta de linha de comando gcloud antes, primeiro configure o SDK da gcloud.

Depois, execute o seguinte comando para especificar o nome do projeto e autenticar com o Console do Cloud:

gcloud auth login

Também é possível especificar o parâmetro --project para que um comando opere em um projeto diferente para essa invocação.

Etapa 1: criar uma zona gerenciada

Para migrar um domínio atual, primeiro crie uma zona gerenciada para armazenar os registros DNS. Após a criação de uma zona, ela não será usada até que você atualize o registro do seu domínio, aponte explicitamente algum registro de nomes para ela ou consulte diretamente um dos servidores de nomes da zona.

gcloud

Para criar uma zona, use o seguinte comando:

gcloud dns managed-zones create --dns-name=example.com.
--description=A zone examplezonename

Substitua as seguintes opções de comando:

  • example.com.: o nome DNS
  • A zone: uma descrição da zona.
  • examplezonename: o nome para identificar a zona de DNS.

Etapa 2: exportar a configuração de DNS do provedor atual

Observe que você precisa consultar a documentação do seu provedor para saber como exportar seu arquivo de zona. O Cloud DNS aceita a importação de arquivos de zona nos formatos de registros BIND ou YAML.

Exemplo:

Etapa 3: importar o conjunto de registros

Depois de ter o arquivo exportado do seu outro provedor, é possível usar comandos gcloud para importá-lo para sua zona gerenciada.

Para importar conjuntos de registros corretamente, você precisa remover os registros apex ou usar as sinalizações descritas na guia gcloud.

gcloud

Para importar conjuntos de registros, use o comando dns record-sets import. A sinalização --zone-file-format informa a import que espere um arquivo formatado da zona BIND. Se você omitir essa sinalização, import espera um arquivo de registros formatados em YAML:

gcloud dns record-sets import -z=examplezonename
--zone-file-format path-to-example-zone-file

Substitua a seguinte opção de comando:

  • examplezonename: o nome da sua zona de DNS

Para informações detalhadas sobre como usar o comando dns record-sets import, consulte a página de referência do comando.

Etapa 4: verificar a propagação do DNS

É possível usar os comandos watch e dig do Linux para monitorar e verificar se as alterações foram feitas pelos servidores de nomes do Cloud DNS.

  1. Consulte os servidores de nomes do Cloud DNS da sua zona:

      gcloud dns managed-zones describe examplezonename
      

    Substitua a seguinte opção de comando:

    • examplezonename: o nome da sua zona de DNS

    A saída terá a seguinte aparência:

    nameServers:
    - ns-cloud-a1.googledomains.com.
    - ns-cloud-a2.googledomains.com.
    - ns-cloud-a3.googledomains.com.
    - ns-cloud-a4.googledomains.com.

    Na saída, a letra que segue a parte "ns-cloud-" do nome é chamada de fragmento do servidor de nomes. Como documentado aqui, há cinco fragmentos desse tipo (letras A-E).

  2. Verifique se os registros estão disponíveis nos servidores de nomes.

    watch dig example.com @your_zone_nameserver
    

    Substitua your_zone_nameserver por um dos servidores de nomes retornados quando você executou o comando anterior.

  3. Depois de ver a alteração, pressione Ctrl-C para sair.

O comando watch executa o comando dig a cada 2 segundos por padrão. Você pode usar esse comando para determinar quando seu servidor de nomes autoritativo realiza a alteração, que ocorre em até 120 segundos.

Etapa 5: atualizar os registros do servidor de nomes do seu registrador

Faça login no provedor do registrador e altere os servidores de nomes autoritativos para apontar para os servidores de nomes mostrados na etapa 4. Ao mesmo tempo, anote o time to live (TTL) definido nos registros pelo registrador. Isso informa quanto tempo você precisa aguardar para começar a usar os novos servidores de nomes.

Etapa 6: aguarde as alterações e verifique

Para conseguir os servidores de nomes autoritativos para seu domínio na Internet, execute os seguintes comandos do Linux:

dig +short NS example.com

Se a resposta mostrar que todas as alterações foram propagadas, está tudo pronto. Se não, você pode verificar de maneira intermitente ou executar automaticamente o comando a cada dois segundos enquanto espera que os servidores de nomes sejam alterados. Para isso, faça o seguinte:

watch dig +short NS example.com

Ctrl-C sai do comando.

Se não estiver usando o Linux, é possível usar o comando nslookup.

Próximas etapas