Como selecionar o código-fonte manualmente

Se o Debugger não conseguiu selecionar automaticamente o código-fonte correto, é possível especificar manualmente o local e a versão do código.

Expanda o painel Código-fonte alternativo na página Depuração para ver as opções.

Limites do tamanho do arquivo

Se você estiver usando o Console do Google Cloud para a depuração, esteja ciente destes limites de tamanho de arquivo:

Local do arquivo Limite de tamanho do arquivo
Cloud Source Repositories 15 MiB
Repositórios compatíveis de terceiros 15 MiB1
Repositórios locais Ilimitado

Observação:
1 Repositórios compatíveis de terceiros podem ter limites de tamanho de arquivo maiores que 15 MiB. No entanto, ao usar o Console do Cloud para a depuração, seus arquivos precisam ter até 15 MiB.

Arquivos locais

Seja qual for o local em que o código-fonte está armazenado, é possível ver o código-fonte local na página Depuração. Seus arquivos não são enviados para os servidores do Google. Em vez disso, eles são carregados e exibidos no navegador usando APIs HTML5.

Botão da interface do usuário mostrando arquivos locais.

  1. No menu suspenso do local de origem, clique em Adicionar código-fonte.
  2. No painel Código-fonte alternativo, encontre a seção Arquivos locais e clique em Selecionar origem.
  3. Navegue até o diretório que contém os arquivos de origem e clique em Fazer o upload ou OK, dependendo da plataforma. Os arquivos são exibidos na página Depuração.

Cloud Source Repositories

É possível selecionar o Cloud Source Repositories a partir de qualquer projeto ao qual você tenha acesso. Ele não precisa pertencer ao mesmo projeto que o aplicativo que você está depurando.

Imagem mostrando o botão do Cloud Source Repositories.

  1. No menu suspenso do local de origem, clique em Adicionar código-fonte.
  2. No painel Código-fonte alternativo, encontre a seção Cloud Source Repositories e clique em Selecionar origem.
  3. Selecione o projeto, o repositório e a versão com ramificação ou tag.
  4. Clique em Selecionar origem.

GitHub

Você pode ver o código-fonte armazenado no GitHub diretamente na página "Depuração".

GitHub.com

Para se conectar aos repositórios do GitHub.com, você precisa conceder acesso ao pacote de operações do Google Cloud por meio do OAuth. O token é armazenado pelo Google e pode ser revogado na página de configurações do GitHub a qualquer momento.

Interface do usuário mostrando o botão do GitHub.

  1. No menu suspenso do local de origem, clique em Adicionar código-fonte.
  2. No painel Código-fonte alternativo, localize a seção GitHub e clique em Selecionar origem.
  3. Selecione "GitHub.com" na lista suspensa "Servidor".

    Interface do usuário mostrando o GitHub.com selecionado no menu suspenso.

  4. Uma janela Autorização necessária aparece pela primeira vez. Leia as informações, marque a caixa de seleção ao lado de Eu concordo… e clique em Autorizar.

    A interface do usuário mostrando a janela de autenticação do conjunto de operações do Google Cloud para o GitHub.com

    Você será redirecionado ao fluxo de autenticação do GitHub.com.

  5. Siga as instruções do GitHub para conceder ao pacote de operações do Google Cloud acesso aos repositórios. Ao concluí-las, você retornará à página Depuração.

  6. Selecione um repositório e um branch ou tag e, em seguida, clique em Selecionar origem. Seu código-fonte será exibido na página Depuração.

  7. Para acessar repositórios públicos que não estão na lista, insira o nome do proprietário seguido por uma "/". A lista será preenchida com os repositórios públicos desse proprietário.

    Interface do usuário mostrando como selecionar um repositório público.

O código-fonte não é armazenado nos servidores do Google.

GitHub Enterprise

Para se conectar aos repositórios do GitHub Enterprise, você precisa conceder acesso ao pacote de operações do Google Cloud por meio do token de acesso pessoal. O token é armazenado pelo Google e pode ser revogado a partir da página de configurações do GitHub por meio de YOUR-SERVER-ADDRESS/settings/tokens a qualquer momento.

  1. No menu suspenso do local de origem, clique em Adicionar código-fonte.
  2. No painel Código-fonte alternativo, localize a seção GitHub e clique em Selecionar origem.
  3. Na lista suspensa Servidor, selecione uma opção ou clique em “Adicionar servidor”, caso ele não apareça.

    Interface do usuário mostrando um servidor do GiHub.com selecionado no menu suspenso.

  4. Informe o nome do host ao seu servidor. O host deve estar acessível na sua máquina.

  5. Informe o token de acesso pessoal ao seu servidor. O token precisa ter o escopo repo.

    Interface do usuário mostrando como adicionar um servidor do GitHub com o nome do host e o token de acesso pessoal preenchidos.

  6. Selecione o repositório e o branch ou a tag, como faria com GitHub.com.

O código-fonte não é armazenado nos servidores do Google.

Bitbucket

É possível ver o código-fonte armazenado no Bitbucket diretamente na página Depuração. Para se conectar aos repositórios do Bitbucket, você precisa conceder acesso ao pacote de operações do Google Cloud por meio do OAuth. O token é armazenado pelo Google e pode ser revogado na página de configurações do Bitbucket a qualquer momento. Basta selecionar OAuth no menu à esquerda.

Interface do usuário mostrando o botão do Bitbucket.

  1. No menu suspenso do local de origem, clique em Adicionar código-fonte.
  2. No painel Código-fonte alternativo, localize a seção Bitbucket e clique em Selecionar origem.
  3. Uma janela Autorização necessária aparece pela primeira vez. Leia as informações, marque a caixa de seleção ao lado de Eu concordo… e clique em Autorizar.

    Interface do usuário mostrando a janela de autenticação do Bitbucket.org.

    Você será redirecionado para o fluxo de autenticação do Bitbucket.

  4. Siga as instruções do Bitbucket para conceder ao pacote de operações do Google Cloud acesso aos repositórios. O pacote de operações do Google Cloud requer acesso somente leitura. Ao concluir, você retornará à página Depuração.

  5. Selecione um repositório e um branch ou tag e, em seguida, clique em Selecionar origem. Seu código-fonte será exibido na página Depuração.

  6. Para acessar repositórios públicos que não estão na lista, insira o nome do proprietário seguido por uma "/". A lista será preenchida com os repositórios públicos desse proprietário.

    Interface do usuário mostrando como selecionar um repositório público.

O código-fonte não é armazenado nos servidores do Google.

GitLab

É possível ver o código-fonte armazenado no GitLab diretamente na página Depuração.

GitLab.com

Para se conectar aos repositórios do GitLab, você precisa conceder acesso ao pacote de operações do Google Cloud por meio do OAuth. O token é armazenado pelo Google e pode ser revogado na página de configurações do GitLab a qualquer momento.

Interface do usuário mostrando o botão do GitLab.

  1. No menu suspenso do local de origem, clique em Adicionar código-fonte.
  2. No painel de Código-fonte alternativo, localize a seção GitLab e clique em Selecionar origem.
  3. O GitLab.com deve estar selecionado na lista suspensa Servidor.
  4. Uma janela Autorização necessária aparece pela primeira vez. Leia as informações, marque a caixa de seleção ao lado de Eu concordo… e clique em Autorizar.

    Interface do usuário mostrando a janela de autenticação do GitLab.com.

    Você será redirecionado para o fluxo de autenticação do GitLab.

  5. Siga as instruções do GitLab para conceder ao pacote de operações do Google Cloud acesso aos repositórios. Ao concluir, você retornará à página Depuração.

  6. Selecione um repositório e um branch ou tag e, em seguida, clique em Selecionar origem. Seu código-fonte será exibido na página Depuração.

  7. Para acessar repositórios públicos que não estão na lista, insira o nome do proprietário seguido por uma "/". A lista será preenchida com os repositórios públicos desse proprietário.

    Interface do usuário mostrando como selecionar um repositório público.

O código-fonte não é armazenado nos servidores do Google.

GitLab CE/EE

Para se conectar aos seus repositórios GitLab CE/EE, você precisa conceder acesso ao pacote de operações do Google Cloud por meio do token de acesso pessoal. O token é armazenado pelo Google e pode ser revogado a qualquer momento na página de configurações do GitLab por meio de YOUR-SERVER-ADDRESS/profile/personal_access_tokens.

  1. No menu suspenso do local de origem, clique em Adicionar código-fonte.
  2. No painel de Código-fonte alternativo, localize a seção GitLab e clique em Selecionar origem.
  3. Na lista suspensa Servidor, selecione uma opção ou clique em “Adicionar servidor”, caso ele não apareça.

    Imagem mostrando um servidor do GitLab sendo adicionado.

  4. Informe o nome do host ao seu servidor. O host deve estar acessível na sua máquina.

  5. Informe o token de acesso pessoal ao seu servidor. O token precisa ter o escopo api.

    Interface do usuário mostrando um servidor do GitHub adicionado com o nome do host e o token de acesso pessoal preenchidos.

  6. Selecione seu repositório e branch ou tag, como faria com GitLab.com

O código-fonte não é armazenado nos servidores do Google.

App Engine

Se o app estiver hospedado no ambiente padrão do App Engine e for escrito em PHP ou Python, esta opção mostrará o código-fonte do modo como foi implantado no App Engine, sem a necessidade de conectar um repositório ou fazer upload da origem.

Interface do usuário mostrando o botão do App Engine.

Esta opção deve ser selecionada automaticamente para projetos compatíveis. Caso ela não tenha sido selecionada:

  1. No menu suspenso do local de origem, clique em Adicionar código-fonte.
  2. No painel Código-fonte alternativo, encontre a seção App Engine e clique em Selecionar origem.

Se downloads de código-fonte não forem permitidos para seu projeto, você verá um erro de permissão ou um aviso da política da organização. Para mais informações sobre permissões de código-fonte, consulte Como fazer o download do código-fonte.