Cotas de recursos

O Compute Engine aplica cotas no uso de recursos por vários motivos. Por exemplo, as cotas ajudam a proteger a comunidade de usuários do Google Cloud, impedindo picos de uso inesperados. O Google Cloud também oferece cotas de teste gratuito que proporcionam acesso limitado a projetos para ajudar você a explorar o Google Cloud gratuitamente.

Nem todos os projetos têm as mesmas cotas. Conforme você usa o Google Cloud ao longo do tempo, suas cotas podem aumentar proporcionalmente. Caso espere um aumento de uso significativo, solicite o ajuste das cotas na página Cotas no Console do Cloud.

Para informações específicas sobre cotas de limites de taxa da API Compute Engine, consulte Limites de taxa de API.

Permissões para verificar e editar a cota

Para visualizar as cotas, você precisa ter a permissão serviceusage.quotas.get.

Para alterar as cotas, você precisa ter a permissão serviceusage.quotas.update.

Por padrão, elas estão incluídas nos papéis básicos do IAM "Proprietário" e "Editor", assim como no papel predefinido "Administrador de cotas".

Como verificar cotas

As cotas regionais não são um subconjunto de cotas do projeto. As instâncias de máquina virtual (VM) fazem parte das cotas regionais.

Se você estiver procurando cotas regionais, como a quantidade de VMs que podem ser criadas em uma região, consulte Como verificar cotas de região. Para verificar a cota do projeto, use o Console do Google Cloud ou a ferramenta de linha de comando gcloud.

Para informações sobre categorias de cota, consulte Noções básicas sobre cotas.

Como verificar a cota regional

Console

No Console do Google Cloud, acesse a página Cotas.

Acessar "Cotas"

gcloud

Listar cotas em uma região:

gcloud compute regions describe REGION

Substitua REGION pelo nome da região de que você quer uma lista de informações de cota.

Como verificar a cota do projeto

Console

No Console do Google Cloud, acesse a página Cotas.

Acessar "Cotas"

gcloud

Verificar as cotas de todo o projeto:

gcloud compute project-info describe --project PROJECT_ID

Substitua PROJECT_ID pela ID do seu projeto.

Como solicitar um aumento de cota

Para solicitar alterações na cota, acesse a página Cotas no Console do Cloud. Não há cobrança para solicitar um aumento de cota. Os custos aumentam apenas se você usar mais recursos.

  1. No Console do Google Cloud, acesse a página Cotas.

    Acessar "Cotas"

    A maneira mais eficiente de ver as cotas é usar a tabela de filtros.

  2. Para pesquisar a cota a ser ajustada, clique em Tabela de filtros e selecione Nome do limite.

  3. Selecione o Serviço para o qual você quer ajustar sua cota.

  4. Clique no botão Editar cotas na parte superior da página.

  5. Edite seu limite e forneça uma justificativa, se solicitado.

  6. Clique em Save.

Solicitações para redução de cota serão recusadas por padrão. Caso seja preciso reduzir sua cota, responda ao e-mail de suporte com uma explicação dos seus requisitos. Um representante de suporte da equipe do Compute Engine responderá sua solicitação no prazo de 24 a 48 horas.

Planeje e solicite recursos adicionais com pelo menos alguns dias de antecedência para garantir que haja tempo suficiente para atender seu pedido.

Cotas e disponibilidade de recursos

As cotas de recursos são o número máximo de recursos de um tipo específico que você criará, se eles estiverem disponíveis. As cotas não garantem que os recursos estejam sempre disponíveis. Se um recurso não estiver disponível, ou se a região escolhida estiver fora do recurso, não será possível criar novos recursos desse tipo, mesmo que ainda haja cota restante na região ou no projeto. Por exemplo, você ainda pode ter uma cota para criar endereços IP externos em us-central1, mas talvez não haja endereços IP disponíveis nessa região.

Do mesmo modo, mesmo que você tenha cota regional, é possível que um recurso não esteja disponível em uma zona específica. Por exemplo, você tem cota para criar instâncias de VM na região us-central1, mas talvez não consiga criar instâncias de VM na zona us-central1-a se ela estiver esgotada. Nesse caso, tente criar o mesmo recurso em outra zona, como us-central1-f. Para saber mais sobre as opções, caso os recursos zonais estejam esgotados, consulte Solução de problemas geral.

Como entender as cotas

Ao planejar a utilização das instâncias de VM, considere várias cotas que afetam o número de instâncias que podem ser criadas.

Cotas regionais e globais

As cotas de VM são gerenciadas no nível regional. A instância de VM, o grupo de instâncias, as cotas de disco e a CPU podem ser consumidos por qualquer VM na região, independentemente da zona. Por exemplo, a cota da CPU é regional. Sendo assim, o limite e a contagem de uso são diferentes para cada região. Para iniciar uma instância de n2-standard-16 em qualquer zona na região us-central1, você precisa de cota suficiente para pelo menos 16 CPUs em us-central1.

São necessárias cotas de rede e balanceamento de carga para a criação de firewalls, balanceadores de carga, redes e VPNs. Essas cotas são globais e não dependem de região. Qualquer região pode usar uma cota global. Por exemplo, os endereços IP externos em uso e estáticos atribuídos a balanceadores de carga e proxies HTTP(S) consomem cotas globais.

Instâncias de VM

A cota de instâncias de VM é uma cota regional que limita o número de instâncias de VM que podem existir em uma determinada região, esteja a VM em execução ou não. Essa cota pode ser visualizada na página Cotas do Console do Google Cloud. O Compute Engine define automaticamente essa cota como dez vezes a cota de CPU normal. Não é necessário solicitar essa cota. Caso você precise de cota para mais instâncias de VM, solicite mais CPUs, porque com mais CPUs a cota de instâncias de VM será maior. A cota se aplica a VMs em execução ou não e a instâncias normais e preemptivas.

  1. No Console do Google Cloud, acesse a página Cotas.

    Acessar "Cotas"

  2. Clique em Filtrar tabela e selecione Serviço.

  3. Escolha API Compute Engine.

  4. Escolha Nome do limite: instâncias de VM.

  5. Para ver uma lista de cotas da instância de VM por região, clique em Todas as cotas. Suas cotas de região estarão listadas do maior para o menor uso.

  6. Clique na caixa de seleção da região da cota que você quer alterar.

  7. Clique em Editar cotas.

  8. Preencha o formulário.

  9. Clique em Enviar solicitação.

Grupos de instâncias

Para usar grupos de instâncias, é preciso ter uma cota disponível para todos os recursos usados pelo grupo (por exemplo, cota de CPU) e cotas disponíveis para o próprio recurso do grupo. Dependendo do tipo de grupo criado, aplicam-se as cotas de recurso de grupo a seguir:

Tipo de serviço Cota de serviço
Grupo regional de instâncias gerenciadas (várias zonas) Regional instance group managers
Grupo por zona de instâncias gerenciadas (única zona) Ambos:
  • Instance group managers
  • Instance groups
Grupo de instâncias não gerenciadas (única zona) Instance groups
Escalonador automático regional (várias zonas) Regional autoscalers
Escalonador automático de zona (única zona) Autoscalers

Cotas de disco

As cotas de disco permanente e SSD local a seguir aplicam-se por região:

  • Local SSD (GB) é a cota que representa o tamanho total combinado das partições de disco SSD local que podem ser anexadas às VMs em uma região. O SSD local é um disco temporário rápido que pode ser usado como disco de trabalho e para cache local ou processamento de jobs com alta tolerância a falhas. O disco não tem resistência a reinicializações de instâncias de VM. As partições de SSD local são vendidas em incrementos de 375 GB. É possível anexar até 24 partições de SSD local a uma única VM. Na ferramenta gcloud e na API, isso é chamado de LOCAL_SSD_TOTAL_GB.
  • Persistent disk standard (GB) é a cota que representa o tamanho total dos discos permanentes padrão que podem ser criados em uma região. Conforme descrito em Como otimizar o desempenho de discos permanentes e SSDs locais, os discos permanentes padrão oferecem menor IOPS e capacidade do que os discos permanentes SSD ou SSDs locais. São econômicos quando usados como grandes discos duráveis para armazenamento, como discos de inicialização, e para processos de gravação em série, como registros. Os discos permanentes padrão são duráveis e estão disponíveis indefinidamente para serem anexados a uma VM na mesma zona. Na ferramenta gcloud e na API, isso é chamado de DISKS_TOTAL_GB. Essa cota também se aplica aos discos permanentes padrão regionais. No entanto, discos regionais consomem o dobro da cota por GB, devido à replicação em duas zonas de uma região.
  • Persistent disk SSD (GB) é a cota que representa o tamanho total combinado das partições de Disco permanente SSD que podem ser criadas em uma região. Os discos permanentes SSD têm diversas réplicas e, conforme descrito em Desempenho de armazenamento em blocos, oferecem maior IOPS e capacidade do que discos permanentes padrão. Os discos permanentes SSD estão disponíveis indefinidamente para serem anexados a uma VM na mesma zona. Na ferramenta gcloud e na API, isso é chamado de SSD_TOTAL_GB. Esta cota é separada do SSD local. Essa cota se aplica aos tipos de discos listados abaixo Discos permanentes regionais consomem o dobro da cota por GB devido à replicação em duas zonas em uma mesmo região.
    • Disco permanente SSD regional e por zona.
    • Disco permanente equilibrado regional e por zona.

Cota de CPU

A cota de CPU é o número total de CPUs virtuais em todas as suas instâncias de VM em uma região. As cotas de CPU se aplicam a VMs em execução e reservas de VM. As VMs preemptivas e predefinidas consomem essa cota.

Para proteger os usuários e sistemas do Compute Engine, novas contas e projetos têm, também, uma cota CPUs (All Regions) global que se aplicará a todas as regiões e é medida como a soma de todas as vCPUs em todas as regiões.

Por exemplo, se você tiver 48 vCPUs restantes em uma única região como us-central1, mas apenas 32 vCPUs restantes para a cota de CPUs (All Regions), só é possível iniciar 32 vCPUs na região us-central1, mesmo que haja uma cota maior nessa região. Isso ocorre porque você alcançará a cota de CPU (All Regions) e terá que excluir as instâncias existentes antes de iniciar novas instâncias.

Os tipos de máquina E2 e N1 compartilham um pool de cotas de CPU. Os tipos de máquina N2, N2D, M1, M2 e C2 têm pools de cotas de CPU exclusivos e separados.

Se você estiver usando descontos por compromisso de uso para suas VMs, precisará ter cota para esse tipo de benefício antes de comprar um contrato de uso.

Tipo de máquina Pool de cotas Nome da cota de CPU Nome da cota de CPU de uso contínuo
E2, N1 Pool compartilhado CPUS Committed_CPUS
N2 Pool separado N2_CPUS Committed_N2_CPUS
N2D Pool separado N2D_CPUS Committed_N2D_CPUS
M1 Pool separado M1_CPUS Committed_MEMORY-OPTIMIZED_CPUS
M2 Pool separado M2_CPUS Committed_MEMORY-OPTIMIZED_CPUS
C2 Pool separado C2_CPUS Committed_C2_CPUS
A2 Pool separado A2_CPUS Committed_A2_CPUS
VMs preemptivas Pool compartilhado PREEMPTIBLE_CPUS Não disponível (N/A) para VMs preemptivas

Cota de GPU

Assim como acontece com a cota de CPU virtual, a cota de GPU refere-se ao número total de GPUs virtuais em todas as instâncias de VM em uma região. As cotas de GPU se aplicam a VMs em execução e reservas de VM. As VMs preemptivas e predefinidas consomem essa cota.

Verifique a página Cotas para garantir que você tenha GPUs suficientes disponíveis no projeto e para solicitar um aumento de cota. Além disso, novos projetos e contas têm uma cota global de GPU que se aplica a todas as regiões.

Quando você solicita uma cota de GPU, é necessário pedir uma cota para os modelos de GPU que você quer criar em cada região e outra cota global para o número total de GPUs de todos os tipos em todas as zonas. Solicite a cota de GPU preemptiva para usar esses recursos.

NVIDIA Nome da cota de GPU Nome da cota de GPU de uso contínuo Estação de trabalho virtual GPUs preemptivas Estação de trabalho virtual da GPU preemptiva
K80 NVIDIA_K80_GPUS COMMITTED_NVIDIA_K80_GPUS N/A PREEMPTIBLE_NVIDIA_K80_GPUS N/A
P100 NVIDIA_P100_GPUS COMMITTED_NVIDIA_P100_GPUS NVIDIA_P100_VWS_GPUS PREEMPTIBLE_NVIDIA_P100_GPUS PREEMPTIBLE_NVIDIA_P100_VWS_GPUS
A100 NVIDIA_A100_GPUS COMMITTED_NVIDIA_A100_GPUS N/A PREEMPTIBLE_NVIDIA_A100_GPUS N/A
P4 NVIDIA_P4_GPUS COMMITTED_NVIDIA_P4_GPUS NVIDIA_P4_VWS_GPUS PREEMPTIBLE_NVIDIA_P4_GPUS PREEMPTIBLE_NVIDIA_P4_VWS_GPUS
T4 NVIDIA_T4_GPUS COMMITTED_NVIDIA_T4_GPUS NVIDIA_T4_VWS_GPUS PREEMPTIBLE_NVIDIA_T4_GPUS PREEMPTIBLE_NVIDIA_T4_VWS_GPUS
V100 NVIDIA_V100_GPUS COMMITTED_NVIDIA_V100_GPUS N/A PREEMPTIBLE_NVIDIA_V100_GPUS N/A

Cotas para recursos preemptivos

Para usar CPUs e GPUs preemptivas ou SSDs locais anexados a instâncias de VM preemptivas, é necessário ter cotas disponíveis no projeto para o respectivo recurso.

É possível solicitar cotas preemptíveis especiais para Preemptible CPUs, Preemptible GPUs ou Preemptible Local SSDs (GB). No entanto, se o projeto não tiver uma cota preemptiva e você nunca tiver solicitado a cota preemptiva, será possível consumir a cota padrão para iniciar recursos preemptivos.

Assim que essa cota for concedida para uma região no Compute Engine, todas as instâncias preemptivas são deduzidas dessa cota automaticamente. À medida que essa cota esgotar, é necessário solicitar uma cota preemptiva para esses recursos.

Endereços IP externos

Cada VM que precisar ser acessada diretamente pela Internet pública precisará de endereços IP externos suficientes. A cota de IP regional é usada para atribuir endereços IPv4 a VMs na região. A cota de IP global é usada para atribuir endereços IPv4 a recursos de rede global, como balanceadores de carga. O Google Cloud oferece diferentes tipos de endereços IP, dependendo das suas necessidades. Para mais informações sobre os custos, acesse Preços do endereço IP externo. Consulte Cotas e limites para ver informações sobre esse assunto.

  • Endereços IP externos em uso. Inclui endereços IP estáticos e temporários que estão sendo usados no momento por um recurso.

  • Endereços IP externos estáticos: são endereços IP externos reservados para os recursos que resistem a reinicializações da máquina. É possível registrar esses endereços com serviços de DNS e provedor de domínio para fornecer um endereço fácil de usar. Por exemplo, www.example-site.com.

  • Endereços IP internos estáticos: permitem reservar endereços IP internos do intervalo de IP interno configurado na sub-rede. É possível atribuir esses endereços internos reservados a recursos conforme necessário.

A seguir