Configurar o LAMP no Compute Engine

Nesta página, você aprenderá a colocar uma pilha LAMP em operação em uma máquina virtual. Siga as etapas descritas neste tutorial para configurar o LAMP em uma instância do Debian, Ubuntu ou CentOS.

Se preferir, use o Google Cloud Launcher para implantar uma pilha LAMP automaticamente.

Objetivos

  • Criar uma instância de máquina virtual.
  • Conectar-se à instância usando SSH.
  • Implantar a pilha LAMP na instância.
  • Transferir arquivos.
  • Configurar o mapeamento de DNS.

Custos

Neste tutorial, há componentes do Cloud Platform que podem ser cobrados, entre eles:

  • Google Compute Engine

Use a Calculadora de preços para gerar uma estimativa de custos com base na utilização projetada. Os novos usuários do Cloud Platform podem estar qualificados para uma avaliação gratuita.

Antes de começar

  • Selecione ou crie um projeto do GCP.

    Acessar a página Gerenciar recursos

  • Verifique se o faturamento foi ativado para o projeto.

    Saiba como ativar o faturamento

Criar uma instância de máquina virtual

Use o Google Cloud Launcher para implantar a pilha LAMP automaticamente em uma instância, com mínimo esforço.

Como alternativa, use estas etapas para implantar a pilha LAMP usando o Console do Google Cloud Platform:

  1. No Console do GCP, acesse a página "Instâncias de VM".

    Acessar a página "Instâncias da VM"

  2. Clique em Criar instância.
  3. Defina o Nome como lamp-tutorial.
  4. Defina o Tipo de máquina como f1-micro.
  5. Na seção Disco de inicialização, clique em Alterar para iniciar a configuração do disco de inicialização.
  6. Na guia Imagens do SO, escolha a Debian 7.x, Ubuntu 14.04 , or CentOS 6.x version.

  7. Clique em Selecionar.
  8. Na seção Firewall, selecione Permitir tráfego HTTP e Permitir tráfego HTTPS.
  9. Clique em Criar para criar a instância.

Aguarde alguns minutos até a instância ser inicializada.

Implantar a pilha LAMP no Compute Engine

Agora que a sua instância de máquina virtual já está em execução, configure a pilha LAMP.

Conectar-se à instância

Conecte-se diretamente à instância usando o SSH no Console do Cloud Platform ou usando o comando gcloud compute ssh, que faz parte do Cloud SDK. Neste tutorial, você encontra a demonstração das etapas desse processo no Console do Cloud Platform.

  1. No Console do GCP, acesse a página "Instâncias de VM".

    Acessar a página "Instâncias da VM"

  2. Na lista de instâncias de máquinas virtuais, clique em SSH na linha da instância com que você quer se conectar.

  3. Anote o endereço IP da instância de VM. Você encontra esse endereço na coluna IP externo.

Instalar o Apache e o PHP na instância

Como criou uma instância, você já tem a parte "Linux" do LAMP. Agora, instale o Apache e o PHP.

Debian/Ubuntu

sudo apt-get update
sudo apt-get install apache2 php5

CentOS 6

  1. Instale o Apache e o PHP:

    sudo yum check-update
    sudo yum -y install httpd php
    
  2. Inicialize o serviço do Apache:

    sudo service httpd start
    
  3. Opcional: configure o serviço do Apache para ser inicializado automaticamente:

    sudo chkconfig httpd on
    

Testar o Apache e o PHP

  1. Nesta etapa, você precisa do endereço IP externo da sua instância. Pesquise o endereço na página Instâncias de VMs do Console do Cloud Platform.

    Acessar a página "Instâncias de VMs"

    Em um navegador, insira o endereço IP externo para verificar se o Apache está em execução:

    http://[YOUR_EXTERNAL_IP_ADDRESS]
    

    A página de teste do Apache precisa ser exibida.

  2. Crie um arquivo de teste na raiz do servidor da web padrão:

    sudo sh -c 'echo "<?php phpinfo();?>" > /var/www/html/phpinfo.php'
    
  3. Acesse o arquivo de teste para verificar se o Apache e o PHP estão trabalhando juntos:

    http://[YOUR_EXTERNAL_IP_ADDRESS]/phpinfo.php
    

    A página padrão de informações do PHP precisa ser exibida com informações sobre o ambiente atual do Apache.

Se ocorrer uma falha no carregamento da página (HTTP 404), verifique se:

  • No Console do Cloud Platform, o tráfego HTTP é permitido para a sua instância.
  • Você está usando o endereço IP e o nome de arquivo corretos no URL.

Instalar o MySQL na instância

Instale o MySQL e os componentes PHP relacionados:

Debian/Ubuntu

sudo apt-get install mysql-server php5-mysql php-pear

CentOS 6

  1. Instale o MySQL e os componentes relacionados:

    sudo yum -y install httpd mysql-server php php-mysql
    
  2. Inicie o serviço do MySQL

    sudo service mysqld start
    
  3. Opcional: configure o serviço do MySQL para ser inicializado automaticamente:

    sudo chkconfig mysqld on
    

Configurar o MySQL

Agora que o MySQL já está instalado, execute o comando mysql_secure_installation para aumentar a segurança da sua instalação. Algumas etapas são executadas com esse comando como configuração da senha do usuário raiz (se ela ainda não foi configurada), remoção do usuário anônimo, restrição do acesso do usuário raiz à máquina local e remoção do banco de dados de teste.

sudo mysql_secure_installation

Transferir arquivos

Há várias maneiras de transferir arquivos para a instância de VM onde o servidor da web é executado, incluindo o FTP e o comando gcloud. Para detalhes completos, consulte Transferir arquivos para instâncias do Linux. Neste tutorial, o comando gcloud, que faz parte do Cloud SDK, será usado.

Copie arquivos para a instância usando o comando copy-files. No exemplo a seguir, um arquivo da estação de trabalho é copiado para o diretório principal da instância.

gcloud compute copy-files [LOCAL_FILE_PATH] lamp-tutorial:/var/www/html

Substitua [LOCAL_FILE_PATH] pelo caminho do arquivo na estação de trabalho.

Também é possível copiar arquivos de uma instância para a estação de trabalho local invertendo as variáveis de origem e de destino. No exemplo a seguir, um arquivo da instância é copiado para a estação de trabalho.

gcloud compute copy-files lamp-tutorial:/var/www/html [LOCAL_FILE_PATH]

Substitua [LOCAL_FILE_PATH] pelo caminho onde deseja colocar o arquivo na estação de trabalho.

Configurar o DNS

Depois de configurar a pilha de software e transferir os arquivos, mapeie o nome do domínio para o site. Para ter controle total sobre o seu sistema de DNS, use o Google Cloud DNS como provedor de serviço de nomes de domínio (DNS, na sigla em inglês). Para instruções específicas do Cloud DNS, consulte o guia de início rápido.

Neste tutorial, você terá as etapas do cenário mais comum, a configuração de DNS por meio de um provedor terceirizado, por exemplo, o registrador do domínio.

Para usar um provedor de DNS existente, crie alguns registros com esse provedor. Nesta lição, presume-se que você esteja mapeando example.com e www.example.com para que eles apontem para o website hospedado no Compute Engine.

Para o nome de domínio example.com, crie um registro A com o provedor de DNS. Para o subdomínio www.example.com, crie um registro CNAME para www a fim de apontá-lo para o domínio example.com. O registro A mapeia um nome de host para um endereço IP. O registro CNAME cria um alias para o registro A. Nesta lição, presume-se que example.com e www.example.com devam ser mapeados para o mesmo endereço IP.

  1. Veja o endereço IP externo da sua instância. Pesquise o endereço IP na página Instâncias de VMs do Console do Cloud Platform.

    Acessar a página "Instâncias de VMs"

  2. Faça login na interface de gerenciamento de DNS do seu provedor e encontre o domínio a ser gerenciado. Consulte a documentação do provedor de DNS para as etapas específicas.
  3. Crie um registro A e defina o valor como o endereço IP externo. Configure o campo de nome ou de host com @. Ele representa o domínio sem "www". Para mais informações, consulte a página de suporte do Google Apps, onde você encontra ajuda para a conclusão de várias tarefas de DNS.
  4. Crie um registro CNAME, use www como nome e defina o valor como @ ou o seu nome de host seguido por um ponto final: example.com. Leia a página de suporte do Google Apps para informações sobre a criação de um registro A com vários provedores.
  5. Se for adequado para o provedor, incremente o número de série no registro SOA para refletir as alterações que foram feitas. Desse modo, os registros serão propagados.

Verificar as alterações de DNS

Se o registrador de nomes do domínio como o Google Domains também é o seu provedor de DNS, provavelmente já está tudo pronto. Agora, se você usa provedores diferentes para registro e DNS, verifique se os servidores de nomes associados ao seu domínio estão corretos no registrador.

Depois que você fizer as alterações de DNS, dependendo dos valores de vida útil (TTL, na sigla em inglês) da sua zona, as atualizações de registro levarão algum tempo para serem propagadas. Quando o nome do host é novo, as alterações são aplicadas rapidamente porque, como os resolvedores de DNS não tem os valores anteriores armazenados em cache, as informações necessárias para encaminhar solicitações são recebidas do provedor de DNS.

Limpar recursos

Ao terminar o tutorial do LAMP, limpe os recursos criados no Google Cloud Platform para não ser cobrado por eles no futuro. Nas seções a seguir, você aprenderá a excluir e desativar esses recursos.

Excluir o projeto

A maneira mais fácil de não ser cobrado é excluir o projeto criado no tutorial.

Para excluir o projeto:

  1. No Console do GCP, acesse a página "Projetos".

    Acessar a página Projetos

  2. Na lista de projetos, selecione um e clique em Excluir projeto.
  3. Na caixa de diálogo, digite o código do projeto e clique em Encerrar para excluí-lo.

Excluir instâncias

Para excluir uma instância do Compute Engine:

  1. No Console do GCP, acesse a página "Instâncias de VM".

    Acessar a página "Instâncias de VMs"

  2. Clique na caixa de seleção ao lado da instância lamp-tutorial.
  3. Clique no botão Excluir na parte superior da página para excluir a instância.

Próximos passos

  • Por padrão, o proprietário da raiz do documento do servidor da web é o usuário root. Configure a raiz do documento para outro usuário ou altere o local do diretório no arquivo de configuração do Apache.

Debian/Ubuntu

A raiz do documento do servidor da web está em /var/www/html, e o arquivo de configuração do Apache, em /etc/apache2/sites-available/default.

CentOS

A raiz do documento de servidor da web está em /var/www/html, e o arquivo de configuração do Apache, em /etc/httpd/conf/httpd.conf.

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Documentação do Compute Engine