Recursos globais, regionais e por zona

Nesta página, há detalhes sobre recursos globais, regionais e por zonas do Compute Engine.

Os recursos do Google Cloud são hospedados em vários locais em todo o mundo. Esses locais são formados por regiões, e essas incluem zonas. A distribuição de recursos entre diferentes zonas de uma região garante o isolamento de muitos tipos de falhas de infraestrutura, hardware e software. Já a distribuição entre diferentes regiões garante um nível ainda mais elevado de independência em relação a falhas. É possível criar sistemas robustos ao espalhar recursos por diferentes domínios de falhas.

Todos os recursos do Compute Engine são globais, regionais ou por zona. Por exemplo, as imagens são um recurso global, mas os discos permanentes são recursos regionais ou zonais. O escopo do recurso determina acessibilidade dele em relação a outros recursos. Por exemplo, os recursos globais podem ser acessados por recursos de qualquer região ou zona. Portanto, as instâncias de máquina virtual (VM, na sigla em inglês) de zonas diferentes podem usar a mesma imagem global. Os recursos regionais podem ser acessados somente por recursos da mesma região. Por exemplo, um endereço IP externo estático regional é acessível apenas para recursos dentro da mesma região. Para uma instância de VM usar um endereço IP externo estático específico, ela precisa estar em uma zona que esteja na mesma região do endereço.

O escopo dos recursos indica a acessibilidade deles para outros recursos. No entanto, todos os recursos, sejam globais, por zona ou regionais, precisam ser exclusivos dentro do projeto. Isso significa que todos os recursos do Compute Engine precisam ser nomeados de maneira exclusiva em todo o projeto. Por exemplo, não é possível nomear uma instância de VM example-instance no us-central1-a e dar a outra VM no mesmo projeto o mesmo nome.

Recursos globais

Recursos globais podem ser acessados por recursos de qualquer zona dentro do mesmo projeto. Ao criar um recurso global, não é necessário fornecer uma especificação do escopo. Os recursos globais incluem:

Endereços
A coleção de endereços contém todos os endereços IP externos estáticos globais reservados para o projeto. Eles são um recurso global e são usados em balanceadores de carga globais, como HTTP(S), proxy SSL e proxy TCP.
Imagens
As imagens são usadas por qualquer instância ou recurso de disco no mesmo projeto da imagem. O Google fornece imagens pré-configuradas que podem ser usadas para inicializar a instância. Personalize uma delas ou crie sua própria. Outra opção é compartilhar imagens em todos os projeto.
Snapshots
Snapshots de discos permanentes estão disponíveis para todos os discos dentro do mesmo projeto do snapshot. Outra opção é compartilhar instantâneos entre os projetos.
Modelos de instância
Um modelo de instância pode ser usado para criar instâncias de VM e grupos de instâncias gerenciados. Esse modelo é um recurso global. No entanto, é possível especificar alguns recursos por zona em um modelo de instância, o que restringe o uso deles à zona especificada em que esses recursos estão.
Cloud Interconnects
Uma Cloud Interconnect é uma conexão altamente disponível da sua rede local com a rede do Google. Essa conexão é um recurso global. No entanto, os anexos de interconexão, que são executados dentro dessa conexão, são recursos regionais.
Locais do Cloud Interconnect
Um local do Cloud Interconnect é um ponto de conexão físico do Cloud Interconnect próximo à rede. Há um local do Cloud Interconnect para cada domínio de disponibilidade de borda e instalação de colocation disponível. Os locais do Cloud Interconnect são recursos somente leitura e globais.
Rede de VPC
Uma rede de VPC é um recurso global, mas sub-redes individuais são consideradas recursos regionais.
Firewalls
Os firewalls são aplicados a uma única rede de VPC e são considerados um recurso global porque os pacotes podem acessá-los por outras redes.
Rotas
As rotas permitem a criação de cenários complexos de redes. É possível gerenciar como o tráfego é encaminhado a um intervalo de IP específico. As rotas são parecidas com a maneira que o roteador direciona tráfego dentro de uma rede local. As rotas são aplicáveis às redes VPC em um projeto do Google Cloud e são consideradas recursos globais.
Operações globais

Operações são recursos globais, por região e por zona. Se estiver executando uma operação em um recurso global, ela será considerada global. Por exemplo, a inserção de uma imagem é considerada uma operação global, porque imagens são um recurso global.

Recursos regionais

Recursos regionais podem ser acessados por qualquer recurso da mesma região. Por exemplo, se você reserva um endereço IP externo estático em uma região específica, esse endereço só pode ser atribuído a instâncias dessa região. Cada região tem uma ou mais zonas. Para ver uma lista de locais disponíveis, consulte regiões e zonas.

Os recursos regionais incluem:

Endereços
A coleção de endereços contém todos os endereços IP externos estáticos regionais reservados para o projeto. Esses endereços são recursos regionais que são usados por instâncias da mesma região do endereço, por regras de encaminhamento regionais para balanceadores de carga de rede e por encaminhamento de protocolo.
Anexos do Cloud Interconnect
Um anexo de interconexão aloca uma VLAN em seu Cloud Interconnect e conecta essa VLAN a uma rede de VPC. Um anexo é um recurso regional, mas uma conexão do Cloud Interconnect é um recurso global.
Sub-redes
Nas sub-redes, o espaço IP de rede é segmentado em prefixos (sub-redes) por região e há um controle sobre o prefixo de que o endereço IP interno de uma instância é alocado.
Grupos de instâncias gerenciadas regionais
Os grupos de instâncias gerenciadas regionais são coleções de instâncias idênticas que abrangem várias zonas. Eles permitem que você distribua a carga do aplicativo por várias zonas, em vez de limitar o app a uma única zona ou ter que gerenciar vários grupos de instâncias em diferentes zonas.
Discos permanentes regionais
Os discos permanentes regionais fornecem replicação e armazenamento de dados durável entre duas zonas na mesma região. Em uma situação de failover, é possível forçar a anexação de um disco permanente regional a outra instância na mesma região. Outra opção é compartilhar recursos de disco entre projetos para permitir a criação de imagens e snapshots desses discos em outros projetos, mas sem permitir que as instâncias sejam anexadas aos discos.
Operações regionais

Operações são recursos globais, por região e por zona. Se você estiver executando uma operação em um recurso regional, ela será considerada uma operação por região. Por exemplo, reservar um endereço é uma operação regional, porque ela é executada em um recurso específico à região, ou seja, um endereço.

Recursos por zona

Recursos hospedados em uma zona são chamados de recursos por zona. Os recursos específicos à zona ou por zona são exclusivos e só podem ser usados por outros recursos da mesma zona. Por exemplo, uma instância é um recurso por zona. Ao criar uma instância, é preciso fornecer a zona em que ela está localizada. Uma instância acessa outros recursos da mesma zona e pode acessar recursos globais, porém, ela não acessa recursos de zonas diferentes, como um recurso de disco.

Para uma lista de zonas disponíveis, consulte Regiões e zonas.

Os recursos por zona incluem o seguinte:

Instâncias
Uma instância de máquina virtual (VM, na sigla em inglês) está localizada dentro de uma zona e pode acessar recursos globais ou da mesma zona.
Discos permanentes
Discos permanentes são acessados por outras instâncias dentro da mesma zona. É possível anexar um disco apenas a instâncias na mesma zona do disco. Não é possível anexar um disco a uma instância em outra zona. Outra opção é compartilhar recursos de disco entre projetos para permitir a criação de imagens e snapshots desses discos em outros projetos, mas sem permitir que as instâncias sejam anexadas aos discos.
Tipos de máquina
Tipos de máquina são recursos por zona. Em instâncias e discos, use apenas tipos de máquina da mesma zona.
Grupos de instâncias gerenciadas por zona
Um grupo de instâncias gerenciadas por zona usa um modelo para criar uma coleção de instâncias idênticas em uma única zona. Você gerencia instâncias de VM que estão em um grupo de instâncias gerenciadas como uma entidade única, em vez de gerenciá-las individualmente.
Operações por zona

Operações são recursos globais, por região e por zona. Se você estiver executando uma operação em um recurso específico à zona, ela será considerada uma operação por zona. Por exemplo, a inserção de uma instância é considerada uma operação por zona, porque ela é executada em um recurso específico à zona, ou seja, uma instância.

Listas agregadas

Por padrão, uma solicitação para retornar uma lista de recursos tem um escopo de um plano de controle específico. Por exemplo, ao consultar uma lista de instâncias na aPI, é preciso informar a zona em que você quer listar as instâncias. Para listar recursos entre todas as zonas ou regiões, execute uma consulta de lista agregada. Cada recurso por região e zona contém um URI de lista agregada que pode ser consultado para listar todos os recursos desse tipo. Por exemplo, para listar todas as instâncias entre todas as zonas, envie uma solicitação para o seguinte URI:

https://compute.googleapis.com/compute/v1/project/<project-id>/aggregated/instances

Da mesma forma, para listar todos os endereços em todas as regiões, envie uma solicitação para o seguinte URI:

https://compute.googleapis.com/compute/v1/project/<project-id>/aggregated/addresses

Para mais informações, consulte o método aggregateList para esse recurso.

A seguir

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Documentação do Compute Engine