Trazer sua própria licença

Nesta página, você encontra uma visão geral de como trazer sua própria licença (BYOL, na sigla em inglês) para o Compute Engine usando nós de locatário individual e o recurso de reinicialização no local. Antes de começar, verifique os termos e condições do seu licenciamento para confirmar se você atende aos requisitos para trazer sua própria licença para o Compute Engine. Para instruções detalhadas, leia o guia de instruções sobre BYOL.

Se você tem licenças de sistema operacional atuais, é possível trazê-las para o Compute Engine usando nós de locatário individual reduzindo a utilização do núcleo físico com o recurso de reinicialização no local. Os nós de locatário individual são servidores físicos do Compute Engine dedicados a hospedar apenas instâncias de VM do seu projeto específico. Quando você ativa a reinicialização no local em nós de locatário individual, o Compute Engine reduz o número de servidores físicos em que a VM é executada. Para isso, ele reinicia a VM no mesmo servidor sempre que possível. Se essa reinicialização não for possível (por exemplo, se ocorrer uma falha crítica no hardware desse servidor), as VMs serão migradas para outro servidor. O Compute Engine atribuirá e reportará um novo ID de servidor físico, e o ID antigo será permanentemente desativado.

Isso é especialmente útil durante eventos de manutenção do host. Em vez de fazer a migração em tempo real para um novo servidor físico, o Compute Engine encerra e reinicia a VM no mesmo servidor. As VMs ficarão indisponíveis e off-line durante a manutenção.

Hospedar instâncias em nós de locatário individual garante os benefícios a seguir:

  • As VMs são executadas em um hardware exclusivamente dedicado ao projeto.
  • Reduz o número de servidores físicos que as instâncias de VM usarão durante os eventos de manutenção.
  • Permite rastrear o uso por soquete e por núcleo, que pode ser necessário para fins de relatórios de licença.
  • Dá controle sobre o posicionamento do nó para que suas VMs possam ser programadas em um nó de locatário individual específico ou em um conjunto de nós correspondentes.
  • É compatível com a geração de relatórios de uso do servidor. O Compute Engine reporta quando as instâncias são criadas ou excluídas em um servidor específico usando um ID de servidor. É possível combinar essas informações com as características físicas do servidor para determinar dados sobre o uso da licença.
  • Traga suas próprias licenças do Windows Server e Windows Client.

Para aplicativos do Windows como o SharePoint Server, o MS Exchange Server e outros, é possível implantar as licenças de aplicativos atuais no Google Cloud Platform usando a Mobilidade de Licenças. Consulte as perguntas frequentes para detalhes.

Versões compatíveis do SO

A compatibilidade do fluxo de trabalho de importação da imagem atual do Compute Engine foi testada com as versões de sistema operacional a seguir.

  • Windows Server 2008 R2 SP1, 2012, 2012 R2 e 2016
  • Windows 7 SP1 x64 e 10 Enterprise x64

Se você quer usar o Windows 7 SP1 ou o Windows 2008 R2, a imagem precisa ser compatível com a assinatura SHA2 (em inglês). Isso é necessário porque os drivers do Compute Engine são assinados dessa forma. Além disso, é provável que determinados agentes de provedores de nuvem externos interfiram no fluxo de trabalho de instalação do driver do Compute Engine. Por isso, é necessário removê-los antes da importação.

Preços e disponibilidade

Este recurso está disponível em todas as regiões compatíveis com nós de locatário individual. Consulte a lista completa na Visão geral de regiões e zonas.

Você não será cobrado por trazer as próprias licenças para o Compute Engine.

Licenciamento e ativação

Antes de começar a usar o BYOL com os nós de locatário individual, esteja familiarizado com os termos de licenciamento do seu produto.

Além disso, é preciso preparar sua imagem de convidado para o BYOL de acordo com seus contratos. Se você usar imagens públicas do Compute Engine, as licenças de pagamento por utilização do Google Cloud Platform (GCP) serão anexadas às instâncias de VM que utilizam essas imagens. Não será possível atualizar a VM para usar suas próprias licenças posteriormente.

Ao contrário das imagens premium, em que o Compute Engine cuida da ativação da licença, as imagens importadas exigem que você seja o proprietário do processo de ativação. Não é possível ativar licenças no servidor correspondente do Compute Engine. Por isso, você é responsável por preparar a infraestrutura da ativação, como um servidor KMS e conexão de rede, além de ativar as licenças.

Considerações sobre a carga de trabalho

Antes de tentar trazer sua própria licença, é bastante recomendado consultar as informações a seguir para determinar a melhor carga de trabalho para esse recurso.

Inatividade esperada

Esse recurso oferece a capacidade de ativar reinicializações no local para as instâncias de VM em execução em nós de locatário individual. Ou seja, durante os eventos de manutenção, em vez de migrar em tempo real uma instância em execução para outra máquina e expor a licença a outro servidor físico, a instância é encerrada e reiniciada no mesmo servidor físico sempre que possível. Se esse servidor não estiver mais disponível, o Google reiniciará as VMs em um novo servidor dedicado e reportará o ID de dele.

O Google realiza uma média de um evento de manutenção por mês. Isso significa que as VMs no servidor serão interrompidas enquanto a manutenção é aplicada. Cada evento dura cerca de 60 minutos, mas isso pode variar de acordo com a situação, como o tipo de manutenção, se for um evento de aplicação de patch e assim por diante.

Devido a essa inatividade esperada, o Google recomenda o uso de cargas de trabalho tolerantes à inatividade associada a esses eventos de manutenção.

Migração do servidor físico

Em raras ocasiões, devido a um evento como uma falha crítica de hardware, o Compute Engine pode precisar encerrar um servidor físico e migrar as VMs para um novo servidor subjacente. Nessas situações, o Compute Engine reinicia as VMs em um novo servidor físico e atribui um novo ID de locatário individual. As VMs serão reiniciadas no servidor físico recém-provisionado se o usuário definir a propriedade de VM a seguir (--restart-on-failure) para elas. Quando isso acontecer, o ID anterior não será reutilizado.

A seguir

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Documentação do Compute Engine