Sobre SSDs locais


O Compute Engine oferece armazenamento local em blocos de unidades de estado sólido (SSD) sempre criptografado para as instâncias de máquinas virtuais (VMs). Cada SSD local tem 375 GB, mas é possível anexar no máximo 24 partições SSD locais com 9 TB por instância. Outra opção é formatar e montar várias partições SSD locais em um único volume lógico.

Ao contrário dos discos permanentes, os SSDs locais são anexados fisicamente ao servidor que hospeda a instância de VM. Essa união proporciona desempenho superior, operações de entrada/saída por segundo (IOPS, na sigla em inglês) com taxas muito altas e latência muito baixa em comparação com os discos permanentes. Para mais detalhes, consulte Configurar discos para atender aos requisitos de desempenho.

Os SSDs locais são adequados apenas para armazenamento temporário, como caches, espaço de processamento ou dados de pouco valor. Para armazenar dados que não são temporários nem de natureza efêmera, use uma das opções de armazenamento durável.

Não é possível interromper uma VM com um SSD local usando a CLI gcloud ou o console. No entanto, o Compute Engine não impede que você desligue uma VM a partir do sistema operacional convidado (SO). Se você encerrar uma VM com um SSD local por meio do sistema operacional convidado, os dados no SSD local serão perdidos. Não se esqueça de migrar os dados importantes do SSD local para um disco permanente ou para outra VM antes de excluir a VM.

Se os SSDs locais não atenderem aos requisitos de flexibilidade ou redundância, use SSDs locais com outras opções de armazenamento.

Capacidade máxima de 9 TB

É possível criar uma instância com:

  • 16 partições SSD locais para 6 TB de espaço SSD local e desempenho de 1,6 milhões de IOPS de leitura
  • 24 partições SSD locais para 9 TB de espaço SSD local e desempenho de 2,4 milhões de IOPS de leitura

Isso está disponível em instâncias com tipos de máquinas personalizadas e N1, N2, N2D. Para ter o desempenho máximo em máquinas N1, selecione um tipo de máquina com 32 ou mais vCPUs. Para ter o desempenho máximo em máquinas N2 e N2D, selecione um tipo de máquina com 24 ou mais vCPUs.

Observe que a leitura e a gravação em discos SSD locais exigem ciclos de CPU da máquina virtual. Para atingir níveis altos e consistentes de IOPS, você precisa ter CPUs livres para processar operações de entrada e saída. Para saber mais, consulte Configurar discos para atender aos requisitos de desempenho.

Permanência de dados no SSD local

Antes de criar uma instância com um SSD local, saiba quais eventos preservam os dados dessa unidade e quais podem torná-los irrecuperáveis.

Os dados em SSDs locais permanecem apenas durante os seguintes eventos:

  • Se você reiniciar o sistema operacional convidado.
  • Se você configurar a instância para migração em tempo real e ela passar por um evento de manutenção do host.
  • Se o sistema host apresentar um erro de host, o Compute Engine tentará se reconectar à VM e preservar os dados SSD locais, mas poderá não ter êxito. Se a tentativa for bem-sucedida, a VM será reiniciada automaticamente. No entanto, se a tentativa de reconectar falhar, a VM reinicia sem os dados. Enquanto o Compute Engine está recuperando a VM e o SSD local, o que pode levar até 60 minutos, o sistema host e a unidade subjacente não respondem. Para configurar como as instâncias de VM se comportam no caso de um erro de host, consulte Como definir políticas de disponibilidade de instâncias.

Os dados em SSDs locais não permanecem durante os seguintes eventos:

  • Se você desligar o sistema operacional convidado e forçar a parada da instância.
  • Se você configurar a instância como preemptiva e a instância passar pelo processo de preempção.
  • Se você configurar a instância para interromper eventos na manutenção do host e ela passar por um evento desse tipo.
  • Se ocorrer um erro no sistema host e a unidade subjacente não se recuperar em até 60 minutos, o Compute Engine não tentará preservar os dados no SSD local. Enquanto o Compute Engine está recuperando a VM e o SSD local, o que pode levar até 60 minutos, o sistema host e a unidade subjacente não são responsivos.
  • Se você configurar incorretamente o SSD local, tornando-o inacessível.
  • Se você desativar o faturamento do projeto. A instância será interrompida, e os dados serão perdidos.

Como escolher uma interface

Conecte SSDs locais a suas VMs usando uma interface NVMe ou SCSI. A maioria das imagens públicas inclui drivers NVMe e SCSI. A maioria das imagens inclui um kernel com drivers otimizados que permitem que a VM alcance o melhor desempenho usando o NVMe. Suas imagens importadas do Linux terão o melhor desempenho com o NVMe, incluindo a versão 4.14.68 ou posterior do kernel.

As imagens a seguir são compatíveis com o NVMe, mas não incluem todas as otimizações do NVMe:

  • Debian 9 e anteriores
  • CentOS 6 e anteriores
  • RHEL 6 e anteriores
  • SLES 12SP3 e anteriores
  • Container-Optimized OS (COS) 65 e anteriores

Se você tiver uma configuração existente que exija o uso de uma interface SCSI, use uma imagem compatível com SCSI de várias filas para conseguir um desempenho melhor em relação à interface SCSI padrão.

As imagens a seguir são compatíveis com SCSI de várias filas:

  • Imagens do Debian 9 Stretch ou família de imagens debian-9
  • Imagem do Ubuntu 14.04 LTS ubuntu-1404-trusty-v20170807 e superior ou família de imagens ubuntu-1404-lts
  • Imagem do Ubuntu 16.04 LTS ubuntu-1604-xenial-v20170803 e superior ou família de imagens ubuntu-1604-lts
  • Família de imagens Ubuntu 17.10 ubuntu-1710
  • Família de imagens Ubuntu 18.04 LTS ubuntu-1804-lts
  • Todas as imagens do Windows Server
  • todas as imagens do SQL Server

Se preferir, ative o SCSI multi-queue para imagens personalizadas que você importar para seu projeto. Para mais informações, consulte Como ativar o SCSI de várias filas.

Como selecionar um número válido de SSDs locais

Se você estiver conectando vários SSDs locais a uma única instância da VM, há certas restrições em torno do número válido de SSDs locais que podem ser conectados, com base no tipo de máquina da instância da VM. Dependendo do tipo de máquina da VM, é possível anexar de 1 a 8, 16 ou 24 SSDs locais a uma única VM. Para mais informações, consulte Restrições de tipos de máquina e SSDs locais.

Desempenho

O desempenho do SSD local depende muito da interface que você seleciona. Os SSDs locais estão disponíveis nas interfaces SCSI e NVMe (páginas em inglês). Se você optar pela NVMe, use uma imagem especial habilitada para NVMe para conseguir o melhor desempenho. Para mais informações, consulte Como selecionar as interfaces NVMe ou SCSI.

Para atingir os limites máximos de desempenho com um tipo de máquina N1, use 32 ou mais vCPUs. Para atingir os limites máximos de desempenho em um tipo de máquina N2, N2D ou A2, use 24 ou mais vCPUs.

NVMe

Espaço de armazenamento (GB) Partições IOPS Capacidade
(MB/s)
Leitura Gravação Leitura Gravação
375 1 170.000 90.000 660 350
750 2 340.000 180.000 1.320 700
1.125 3 510.000 270.000 1.980 1.050
1.500 4 680.000 360.000 2.650 1.400
1.875 5 680.000 360.000 2.650 1.400
2.250 6 680.000 360.000 2.650 1.400
2.625 7 680.000 360.000 2.650 1.400
3.000 8 680.000 360.000 2.650 1.400
6.000 16 1.600.000 800.000 6.240 3.120
9.000 24 2.400.000 1.200.000 9.360 4.680

SCSI

Espaço de armazenamento (GB) Partições IOPS Capacidade
(MB/s)
Leitura Gravação Leitura Gravação
375 1 100.000 70.000 390 270
750 2 200.000 140.000 780 550
1.125 3 300.000 210.000 1.170 820
1.500 4 400.000 280.000 1.560 1.090
1.875 5 400.000 280.000 1.560 1.090
2.250 6 400.000 280.000 1.560 1.090
2.625 7 400.000 280.000 1.560 1.090
3.000 8 400.000 280.000 1.560 1.090
6.000 16 900.000 800.000 6.240 3.120
9.000 24 900.000 800.000 9.360 4.680

As IOPS de leitura e gravação serão 20% menores em VMs com tipos de máquina N2D, em comparação com VMs com tipos de máquinas N1, N2 ou A2. .

Como otimizar o desempenho da SSD local

Há várias configurações de VM e de disco que podem melhorar o desempenho do SSD local. Para mais informações, consulte Como otimizar o desempenho do SSD local.