Pré-requisitos

Antes de começar a programar seu primeiro aplicativo cliente, há algumas coisas que você precisa fazer, se ainda não tiver feito.

Criar uma Conta do Google

Você precisa de uma Conta do Google para ter acesso ao Google Compute Engine no Console de APIs do Google. Se você já tem uma conta, então está tudo pronto.

Para fins de teste, utilize uma conta separada do Google.

Inscrever-se e testar o Google Compute Engine

Siga as etapas no Guia de primeiros passos para se inscrever no serviço, configurar uma instância de máquina virtual do Linux ou Windows e usar essa instância para hospedar o conteúdo da Web.

É importante familiarizar-se com os fundamentos do Compute Engine antes de continuar. Na documentação da API, presumimos que você já usou o Compute Engine e conhece os conceitos de programação e formatos de dados da Web.

Como funciona a autorização

No Google Compute Engine, o OAuth 2.0 é utilizado para autorizar solicitações. Se você não estiver familiarizado com ele, confira como autorizar solicitações.

Como funciona o REST

Há duas maneiras de invocar a API:

Se você não quer usar as bibliotecas de cliente, precisa entender os fundamentos do REST.

O REST é um estilo de arquitetura de software que fornece uma abordagem conveniente e consistente para solicitar e modificar dados.

O termo REST é a abreviação de "Representational State Transfer (Transferência de Estado Representacional)". No contexto das APIs do Google, ele se refere ao uso de verbos HTTP para recuperar e modificar representações de dados armazenados pelo Google.

Em um sistema RESTful, os recursos são mantidos em um armazenamento de dados. Um cliente envia uma solicitação para que uma ação específica seja executada no servidor, como a criação, recuperação, atualização ou exclusão de um recurso. Essa ação é executada e uma resposta é enviada, geralmente no formato de uma representação do recurso especificado.

Nas APIs RESTful do Google, uma ação é especificada no cliente usando um verbo HTTP como POST, GET, PUT ou DELETE. Um recurso é definido por meio de um URI global exclusivo no seguinte formato:

https://www.googleapis.com/apiName/apiVersion/resourcePath?parameters

Como todos os recursos da API têm URIs exclusivos acessíveis por HTTP, o REST permite o armazenamento em cache de dados e é otimizado para trabalhar com a infraestrutura distribuída da Web.

As definições de método (em inglês) encontradas na documentação de padrões do HTTP 1.1 podem ser úteis. Nessas definições, estão incluídas as especificações de GET, POST, PUT e DELETE.

O REST na API do Google Compute Engine

As operações da API do Google Compute Engine estão mapeadas diretamente nos verbos HTTP do REST.

Os formatos específicos dos URIs da API do Google Compute Engine são:

https://www.googleapis.com/compute/v1/resourcePath?parameters

O conjunto completo de URIs usados para cada operação suportada na API está resumido no documento de referência da API do Google Compute Engine.

Como funciona o formato de dados JSON

Os dados retornados na API do Google Compute Engine são no formato JSON.

JSON (notação de objetos do JavaScript) é um formato de dados comum, independente de linguagem, que fornece uma representação das estruturas de dados arbitrárias em formato de texto simples. Para mais informações, acesse json.org (em inglês).

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Documentação do Compute Engine