Visão geral de origens personalizadas

Use origens personalizadas para o Cloud CDN (Rede de fornecimento de conteúdo) quando o conteúdo estiver hospedado no local ou em outra nuvem e você quiser exibi-lo por meio da infraestrutura de alto desempenho de armazenamento em cache de borda distribuída do Google.

Os termos origem personalizada, endpoint externo e endpoint da Internet geralmente são usados de forma intercambiável porque têm o mesmo significado. Na CDN, origem é o termo padrão do setor para uma instância de back-end que exibe conteúdo da Web. Neste documento, usamos o termo origem personalizada.

Origens compatíveis com o Cloud CDN

O Cloud CDN funciona com balanceamento de carga HTTP(S) para enviar conteúdo aos usuários. O balanceador de carga HTTP(S) externo fornece os endereços IP de front-end e as portas que recebem solicitações. O conteúdo do Cloud CDN pode ser proveniente de vários tipos de back-ends:

Os NEGs da Internet também são conhecidos como origens personalizadas. Os NEGs da Internet podem ser origens hospedadas em uma infraestrutura local ou fornecidas por provedores de terceiros. Nas seções a seguir, os NEGs da Internet são discutidos em mais detalhes.

Arquiteturas híbridas e de várias nuvens

Talvez seja necessário mover seus serviços do Google Cloud em fases. Às vezes, determinados conteúdos não podem ser movidos imediatamente para um ambiente de nuvem e precisam permanecer no local. Em outros casos, o conteúdo pode ser hospedado em outra nuvem. O suporte do Cloud CDN para origens personalizadas permite que você use a infraestrutura de armazenamento em cache próximo dos usuários finais globalmente distribuída do Google para esse conteúdo.

Arquitetura híbrida e de várias nuvens
Arquitetura híbrida e de várias nuvens

No diagrama, o conteúdo images reside no Google Cloud, enquanto video reside em um data center de Tóquio, que pode estar no local ou em outra nuvem. Com origens personalizadas, as origens no data center de Tóquio podem ser a origem de back-end do conteúdo video com Cloud CDN e balanceamento de carga HTTP(S) entregando o conteúdo aos usuários.

Usando mapas de URL, essa implantação pode direcionar solicitações de envio de origem para tráfego de vídeo para a origem personalizada em Tóquio. Esse mapeamento é determinado com base no URL de solicitação: /video.

Para imagens (determinadas com base no URL de solicitação: /images), o conteúdo é originado do Google Cloud e fornecido pela infraestrutura de borda do Cloud CDN.

Como especificar uma origem personalizada

Assim como a configuração do Cloud CDN com seus endpoints implantados no Google Cloud, é possível usar a API de grupos de endpoints de rede (NEGs, na sigla em inglês) para adicionar o servidor como a origem personalizada do Cloud CDN.

Para especificar a origem personalizada, use um NEG de Internet. Um NEG de Internet tem um dos tipos de endpoint mostrados na tabela a seguir.

Endereço do endpoint Tipo Definição Quando usar
Nome do host e uma porta opcional INTERNET_FQDN_PORT Um nome de domínio totalmente qualificado (FQDN, na sigla em inglês) que pode ser resolvido publicamente e uma porta opcional, por exemplo, backend.example.com:443 (portas padrão: 80 para HTTP e 443) Use esse endpoint quando sua origem externa puder ser resolvida usando um FQDN com DNS público.
Endereço IP e uma porta opcional INTERNET_IP_PORT Um endereço IP acessível publicamente e uma porta opcional, por exemplo, 8.8.8.8 ou 8.8.8.8:443 (portas padrão: 80 para HTTP e 443) Use este endpoint para especificar um endereço IP que pode ser acessado publicamente e uma porta para se conectar.

A prática recomendada é criar o NEG de Internet com o tipo de endpoint INTERNET_FQDN_PORT e um valor de FQDN como um valor de nome de host de origem. Isso isola a configuração do Cloud CDN das alterações de endereço IP na infraestrutura de origem. Os endpoints de rede definidos com FQDNs são resolvidos por meio de DNS público. Verifique se o FQDN configurado pode ser resolvido por meio do DNS público do Google.

Depois de criar o NEG de Internet, não é possível mudar o tipo entre INTERNET_FQDN_PORT e INTERNET_IP_PORT. É preciso criar um novo NEG de Internet e alterar seu serviço de back-end para usá-lo.

Ao usar uma origem personalizada que espera um valor específico para o cabeçalho Host da solicitação HTTP, configure o serviço de back-end para definir o cabeçalho Host com esse valor esperado. Se você não configurar um cabeçalho de solicitação definido pelo usuário, um serviço de back-end preservará o cabeçalho Host usado pelo cliente para se conectar ao balanceador de carga HTTP(S) externo do Google Cloud. Para informações gerais sobre cabeçalhos de solicitação definidos pelo usuário, consulte Como criar cabeçalhos de solicitação definidos pelo usuário. Para ver um exemplo específico, consulte Como configurar o Cloud CDN com uma origem externa.

Para que o Cloud CDN armazene em cache as respostas da sua origem, ela precisa atender aos requisitos atuais de armazenamento em cache do Cloud CDN, como a configuração de cabeçalhos Cache-Control válidos nas respostas ao Cloud CDN e ao balanceador de carga HTTP(S) externo.

Como usar origens personalizadas e origens baseadas no Google Cloud

A figura a seguir mostra um NEG de Internet usado para implantar uma origem personalizada com balanceamento de carga HTTP(S) e Cloud CDN.

Cloud CDN com origens personalizadas e NEGs
Cloud CDN com origens personalizadas e NEGs

A seguir