Criar tarefas push

Nesta página, descrevemos como criar tarefas e colocá-las em filas push. Quando quiser processar uma tarefa, você precisará criar um novo objeto de tarefa e colocá-lo em uma fila. É possível especificar explicitamente o serviço e o gerenciador que processam a tarefa e, como opção, passar dados específicos da tarefa para o gerenciador. Você também pode ajustar a configuração da tarefa, como programar uma hora no futuro quando ela precisar ser executada ou limitar o número de vezes que a tarefa será repetida se falhar.

Como criar uma nova tarefa

Para criar e enfileirar uma tarefa, chame a função taskqueue.add(). O código a seguir cria uma tarefa que aponta para o serviço denominado worker e invoca o gerenciador configurando o URL /update-counter:

class EnqueueTaskHandler(webapp2.RequestHandler):
    def post(self):
        amount = int(self.request.get('amount'))

        task = taskqueue.add(
            url='/update_counter',
            target='worker',
            params={'amount': amount})

        self.response.write(
            'Task {} enqueued, ETA {}.'.format(task.name, task.eta))

Outra opção é criar um objeto Task e chamar o método add() dele.

Como especificar o serviço de worker

Quando uma tarefa é retirada da fila, o serviço de fila de tarefas a envia para um serviço de worker. Cada tarefa tem um destino e um url, que determinam o serviço e o gerenciador que realizarão a tarefa.

target

O destino especifica o serviço que receberá a solicitação HTTP para executar a tarefa. É uma string que especifica um serviço/versão/instância em qualquer uma das formas canônicas. As formas mais usadas são:

    service
    version.service
    instance.version.service

A string de destino precede o nome de domínio do aplicativo. Há três maneiras de definir o destino de uma tarefa:

  • Declarar o destino ao construir a tarefa. Para definir o destino explicitamente, use o parâmetro target na função taskqueue.add(). Veja o exemplo acima.

  • Incluir uma diretiva target ao definir uma fila em queue.yaml, como na definição de queue-blue. Todas as tarefas incluídas em uma fila com um target terão esse destino, mesmo que outro destino seja atribuído à tarefa no momento da criação.

  • Se nenhum destino for especificado de acordo com um dos dois métodos anteriores, o destino da tarefa será a versão do serviço que a põe em fila. Se você colocar em fila uma tarefa do serviço e versão padrão dessa maneira, e a versão padrão mudar antes da execução da tarefa, esta será executada na nova versão padrão.

url

Com url, um dos gerenciadores no serviço de destino é selecionado para a execução da tarefa.

O url precisa corresponder a um dos padrões de URL do gerenciador no serviço de destino. O url poderá incluir parâmetros de consulta se o método especificado na tarefa for GET ou PULL. Se nenhum url for especificado, será usado o URL /_ah/queue/[QUEUE_NAME] padrão, em que [QUEUE_NAME] corresponde ao nome da fila da tarefa.

Como passar dados ao gerenciador

É possível passar dados como parâmetros de consulta ao gerenciador no URL da tarefa, mas somente se o método especificado na tarefa for GET ou PULL.

Também é possível usar qualquer um dos seguintes campos para adicionar dados a uma tarefa:

  • payload, que entrega dados de tarefas no corpo da solicitação HTTP
  • params

Essas três chamadas são equivalentes:

taskqueue.add(method=GET, url='/update-counter?key=blue', target='worker')
taskqueue.add(url='/update-counter', params={'key': 'blue'}, target='worker')
taskqueue.add(url='/update-counter', payload="{'key': 'blue'}", target='worker')

Como nomear uma tarefa

Quando você cria uma nova tarefa, o App Engine atribui a ela um nome exclusivo por padrão. Porém, você pode atribuir à tarefa um nome de sua escolha usando o parâmetro name. Uma vantagem de escolher os nomes que serão atribuídos às tarefas é a remoção de duplicações, o que significa que é possível usar os nomes de tarefas para garantir que a tarefa seja adicionada apenas uma vez. A remoção de duplicações continua por nove dias após a conclusão ou exclusão da tarefa.

Observe que essa lógica de remoção de duplicações apresenta uma sobrecarga de desempenho significativa, resultando em maiores latências e taxas de erro potencialmente maiores associadas a tarefas nomeadas. Esses custos poderão aumentar significativamente se os nomes das tarefas forem sequenciais, como no caso de carimbos de data/hora. Então, se você mesmo atribuir os nomes, recomendamos usar um prefixo bem distribuído para nomes de tarefas, como um hash do conteúdo.

Se você mesmo atribuir nomes às tarefas, observe que o comprimento máximo do nome é 500 caracteres. O nome pode conter letras maiúsculas e minúsculas, sublinhados de números e hifens.

taskqueue.add(url='/url/path', name='first-try')

Como adicionar tarefas de maneira assíncrona

Por padrão, as chamadas que adicionam tarefas a filas são síncronas. As chamadas síncronas funcionam bem na maioria dos cenários. Adicionar uma tarefa a uma fila costuma ser uma operação rápida. O tempo médio para adicionar uma tarefa é de menos de 5 minutos. Porém, uma pequena porcentagem dessas operações pode demorar muito mais tempo.

Não é possível colocar em lote as operações de adição de tarefas a filas diferentes. Por isso, a API Task Queue também fornece chamadas assíncronas que permitem adicionar essas tarefas em paralelo, minimizando ainda mais essa latência. Isso é útil para a criação de um aplicativo muito sensível à latência que precisa executar diversas operações de adição de tarefas a diferentes filas ao mesmo tempo.

Se você quiser fazer chamadas assíncronas para uma fila de tarefas, use os métodos assíncronos fornecidos pela classe Queue e um objeto RPC. Chame get_result() no objeto RPC retornado para forçar a conclusão da solicitação. Ao adicionar tarefas de maneira assíncrona em uma transação, você precisa chamar get_result() no objeto RPC antes de confirmar a transação para garantir que a solicitação tenha sido concluída.

Como enfileirar tarefas em transações do Cloud Datastore

Você pode colocar uma tarefa em fila como parte de uma transação do Cloud Datastore. Dessa maneira, a tarefa só entra na fila, com garantia de enfileiramento, caso a transação seja confirmada com êxito. As tarefas adicionadas a uma transação são consideradas parte dela e têm o mesmo nível de isolamento e consistência.

Um aplicativo não pode inserir mais de cinco tarefas transacionais a filas de tarefas durante uma única transação. Tarefas transacionais não podem ter nomes especificados pelo usuário.

Com a amostra de código a seguir, é possível inserir tarefas transacionais em uma fila push como parte de uma transação do Cloud Datastore:

from google.appengine.api import taskqueue
from google.appengine.ext import ndb

@ndb.transactional
def do_something_in_transaction():
  taskqueue.add(url='/path/to/my/worker', transactional=True)
  #...

do_something_in_transaction()

Como usar a biblioteca de tarefas adiadas em vez de um serviço de worker

A configuração de um gerenciador para cada tarefa distinta (conforme descrito nas seções anteriores) pode ser complicada. A serialização e desserialização de argumentos complexos para a tarefa também pode ter complicações, especialmente se tiver muitas tarefas diversas, porém pequenas, que você queira executar na fila. O SDK para Python inclui uma biblioteca (google.appengine.ext.deferred) que expõe uma função simples, permitindo que você ignore todo o trabalho de configuração de gerenciadores de tarefas dedicados e serialização e desserialização dos parâmetros.

Para usar essa biblioteca, você precisa adicionar o gerenciador interno deferred a app.yaml. Para mais informações, consulte a seção Gerenciadores internos da referência do app.yaml.

Para usar a biblioteca deferred, basta passar a função e os argumentos dela para deferred.defer():

import logging

from google.appengine.ext import deferred

def do_something_expensive(a, b, c=None):
    logging.info("Doing something expensive!")
    # Do your work here

# Somewhere else
deferred.defer(do_something_expensive, "Hello, world!", 42, True)

A biblioteca deferred empacota a chamada de função e os argumentos dela e a adiciona à fila de tarefas. Quando a tarefa é executada, a biblioteca deferred executa do_something_expensive("Hello, world!", 42, True).

Para mais informações sobre como usar a biblioteca deferred no Python, consulte Trabalho em segundo plano com a biblioteca deferred.

Como trabalhar com tarefas em um aplicativo multilocatário

Por padrão, as filas push usam o namespace atual configurado no gerenciador de namespace no momento da criação da tarefa. Se o aplicativo usar multilocação, consulte a API Namespaces para Python 2.

A seguir

Esta página foi útil? Conte sua opinião sobre:

Enviar comentários sobre…

Ambiente padrão do App Engine para Python 2